Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
zackyuchiha Zacky U.

Amargo. Esse era o gosto da realidade do qual um mundo pós guerras havia se tornado. Sua missão era proteger e defender todos aqueles que não podiam, devia carregar o azedo legado que sua falecida mãe havia deixado para ele. Porém, Bakugou mal podia acreditar, ou agradecer, que ao longo de sua carreira na TROPA a vida lhe proporcionaria pequenas e deliciosas pitadas de açúcar, dona de um sorriso imenso e belos olhos redondos. Entre tapas e beijos, carregando a mesma farda todos os dias, uma convicção eles já possuíam em comum: missão dada parceiro, era missão cumprida. [ Kacchako. | OchaBowlProject. | Que Seja Doce. ]


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Todos os direitos reservados

#ação #darkfic #quesejadoce #ficção #ochako #bnha #crossover #violência #álcool #linguagem-imprópria #katsuki #bakuraraka #kacchako #kaachan #bakugou #uraraka #fanfic #hot #romance #fantasia #ochabowlproject
6
3.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Notas iniciais:

• Projeto OchaBowl
• Tema: "Que Seja Doce"

Oi gente. Mais um tema pra vocês! ♥
Espero que gostem ;)

P.S: NathBee um anjo que merece todo amor do mundo Hihi


***


A Tropa de Operações Antiterrorismo, Tóquio, Japão, era a instituição para qual Bakugou dedicava a sua vida. A TROPA, como o esquadrão se tornou comumente conhecido, era chamada quando a convencional Polícia Federal não conseguia resolver a parada, quando a coisa ficava feia, o que nas periferias de Tóquio acontecia o tempo todo. A farda de Bakugou, o Capitão da equipe Alfa da TROPA, não era o tradicional azul dos demais polícias, era preta. O símbolo da sua equipe também destoava do deles, sendo uma katana transpassada na caveira de um Tatsu. O dragão foi uma figura mística no antigo Japão, representava poder e força. A imagem se tratava da declaração perfeita do que sempre acontecia quando a Elite era convocada para lutar.

Era de praxe as missões da TROPA atuarem em conjunto com a própria Polícia Federal — tendo na teoria de que todos partiram do mesmo ponto de saída, cursaram a mesma academia — principalmente quando dava problema em distrito teoricamente pacificado, onde eram chamados quando a maldita bosta se espalhava pelo ventilador. Porém, era muito difícil jogar aquele jogo sem que virassem reféns do reinado da Resistência e da corrupção dentro da mesma polícia e política.

Na verdade, era uma desgraça por qualquer ângulo que se olhasse, você lutava entre a cruz e a espada todo santo dia se quisesse fazer alguma diferença. Entretanto, isso fazia parte do juramento que Katsuki bradou não somente na sua cerimônia de formatura, mas também para sua mãe, segurando firme sua mão antes de ela falecer: "Lutar e defender aqueles que precisam de amparo e proteção, essa sempre foi e sempre será a nossa missão". E missão dada parceiro, é missão cumprida.

Só que as pessoas sempre sofriam mais quando os que uma vez fizeram tal promessa sucumbiam a ganância e trapaça pelo dinheiro. Porra, se quisesse ser rico procurava outro ramo! Policial corrupto que colocava a culpa no salário pequeno tinha mais era que se foder, e eram os primeiros que Bakugou passava para o outro lado — até porque tinha amparo legal para isso — sem qualquer tipo de remorso ou peso na consciência. Algo que de fato sua profissão exigia que não falasse tão alto ou a sanidade mental escorria de vez pelo ralo, e o caminho mais curto, que grande parte dos profissionais da área encontravam para terem um pouco de paz, era colocar uma bala na própria cabeça.

Porém, às vezes, o buraco ficava mais embaixo. Policial também tem família, filhos, sentimentos, e geralmente ninguém quer morrer. Morrer por nada então, nem se fala. Aquele que escolhia ser policial na caótica colônia de Tóquio — que se encontrava superlotada por ser tudo que restou do país, tornando-se a raiz de toda sujeira que ainda permanecia constante na sociedade, como um coração que bombeava o sangue podre para os demais membros do corpo — resumidamente possuía três limitadas opções: ou se corrompia, ou se omitia, ou ia pra guerra.

Soldado honesto não desce para os bairros que chamam de “distritos de Baixo” — só os corruptos tinham esse “luxo” e esse aval — muito menos entra em bairro dominado por traficante, seja de drogas, pessoas ou demais ilegalidades, que com os avanços tecnológicos se tornaram quase infinitas as opções. Quando isso acontecia o resultado se tornava simples até demais para ser classificado, ou seja, dava merda.

E foi em meio a esse cenário caótico que Bakugou Katsuki conheceu a mulher que o faria sonhar com uma vida que não englobasse somente a emoção de apanhar, bater de volta, treinar e ir para o trabalho de campo dia e noite. Como uma preciosa luz no fim do túnel, e uma gota de água doce após anos lutando contra uma maré extremamente salgada.

Uraraka havia feito uma escolha que também foi a sua própria há muito tempo atrás: ela decidiu que iria pra guerra. No dia que teve que admitir para si mesmo que estava apaixonado pela tampinha, ela havia escolhido fazer o que era certo independentemente do que falavam. E, como o calculado de uma situação que envolve policial honesto descendo com ideal de justiça dentro do peito pra baixo de distrito não pacificado: deu merda.


***

Notas Finais:


• Crossover inspirado livremente no filme "Tropa de Elite". Fanfiction feita de fã para fã sem fins lucrativos.
• Betagem por "NathBee"
Capa por "OchakoMochi"


Gente, confiram as tags tudo certinho, Okay?!
No mais: uma certa escuridão é necessária para ver as estrelas ; )

Abraços e até o próximo ♥

24 de Junho de 2020 às 02:13 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo 01. Chanel N.5

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 10 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Promiscuous Promiscuous
Lunaria River Lunaria River