smileypops Smiley Pops

Bakugou estava vazio a cerca de um ano, estava planejando aquele dia a tempos. E a carta, que devia ser só um adeus, foi sua salvação. Katsudeku Yaoi- se não gosta, não leia.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#depressão #yaoi #bakudeku
Conto
0
604 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Melhor

Midoriya já estava no seu segundo ano, a escola para heróis finalmente estava mais calma, e Bakugou tinha se afastado totalmente do pequeno Izuku, ou era isso que parecia, já que os amigos de Midoriya tentavam destruir qualquer possibilidade de mágoa que aparecia para obstruir o olhar puro do esverdeado.

Ele estava bem e tinha esquecido totalmente que Katsuki já tinha existido. Para ele, o loiro agora era só um garoto que sentava atras dele e usava um moletom preto todos os dias da semana, e que por obra do destino, era seu vizinho.

A aula do dia finalmente tinha acabado, e após se separar de seus amigos no caminho para casa, escuta alguém chama-lo.

- Midoriya!

Aquela voz era rouca e parecia não ser usada muito frequentemente, como se aquela pessoa tivesse, de um dia ao outro, passado de gritos a um ou dois sussurros.

Ao reconhecer - com muito esforço - aquela voz, o esverdeado se vira, e ve um garoto loiro caminhando em sua direção, e diferente de um ano antes, aquele garoto não parecia ter um pingo de orgulho.

- Preciso falar com você. É rápido e juro não te perturbar depois disso.

O loiro prometeu, seus olhos vazios e sem nenhum brilho encaravam o céu, aqueles belos olhos explosivos que a muito tinham tido seus pavios cortados.

Ele olhou para Izuku e disse...

- Só queria ser totalmente sincero com você - nesse momento ele coça sua nuca, fazendo com que a manga de seu moletom escorregue e seja possível se avistar vários cortes ao decorrer do seu pulso com os quais Midoriya já tinha se acostumado a ver e aprendido a ignorar, embora não gostasse de ver o loiro se auto condenando - afinal, é bem provável que você não me veja nunca mais, e não quero sumir sem te contar por que fui um babaca, eu não tenho tempo pra te falar tudo, pois você tem hora pra chegar em casa mas posso ser breve e te entregar algo que te explique tudo direito.

Nesse momento Katsuki lhe entregou uma carta grossa.

- Peço que você a leia antes de jogar fora, embora não faça tanta diferença e não vá mudar as burradas que cometi ao longo das nossas vidas.
Eu só queria te falar que embora do meu jeito distorcido, eu te amei durante toda a minha pequena vida, não espero seu perdão, pois não o mereço, só quero que saiba que sinto muito.

Ao ouvir aquilo, Midoriya sentiu a leve impressão de que algo ruim aconteceria, mas ignorou tudo outra vez, e sem ter dito uma única palavra, viu Bakugou virar as costas e ir embora, deixando apenas a carta para trás.

...............

Ao chegar em casa, Midoriya foi direto para seu quarto, queria a privacidade necessária para ler a carta de Bakugou.

" Caro Deku,
Sinto muito por toda dor que causei, sei que nunca vai me perdoar, assim como eu nunca perdoarei a mim mesmo, mesmo que eu não tenha demonstrado, após todas as vezes em que lhe fiz mal, eu chorei por dias no meu quarto. Nunca fui um príncipe de contos de fadas, sempre fiz mais o estilo dos vilões, e por saber disso, eu interpretei meu papel, distrui a vida do pequeno principe que era meu amado Izuku e fui a maior praga que você conheceu em toda sua vida. E por isso sinto muito. Sei que muitas vezes, você viu minhas cicatrizes, e muitas vezes pensou que
elas eram uma fase, e fingia não estar preocupado. Sinto informar que não é uma fase, comecei com isso dois anos depois de me afastar de você, me destruía ter que te machucar, mas eu continuei, afinal, você nunca mereceu a companhia de alguém tóxico como eu, sinto muito por toda a dor causada. Foi somente aos 15 anos que eu compreendi que te amava, e eu me odiei outra vez por destruir sua vida inconscientemente, sabia que você se culparia pelo que acontecesse comigo, então fiquei anos planejando, para que você não tivesse como me impedir, infelizmente tive uma vida curta e chegou o dia da minha morte.
Obrigado por me fazer sair um pouco do meu papel, e me fazer ser feliz por um tempo.

Eu te amo.
Adeus."

Izuku se sentiu afundando, não percebeu que seu amigo de infância estava morrendo aos poucos, e não pode evitar de se culpar, afinal, Katsuki era a pessoa que ele mais amou em toda a sua vida. Desesperado pegou seu telefone e ligou para Bakugou, que atendeu quase que imediatamente.

- Alô?

- Bakugou onde você está? Eu estou indo para aí.

- Ligue sua tv e descubra sozinho, estou te esperando...

Então Katsuki corta a ligação e Izuku corre em direção a sua tv, a ligar vê uma gravação ao vivo, de um garoto loiro na beirada de um prédio, a mãe do garoto parecia desesperada tentando fazê-lo sair da ponta, mais ele apenas olhava indiferente para o chão 15 andares abaixo.

Izuku observou melhor e viu que o garoto na ponta era Bakugou, desesperado ele ia sair de casa correndo quando viu que o loiro fazia o número cinco com a mão.

Então o loiro gritou, com o celular pra cima...

- VOCÊ TEM CINCO MINUTOS ANTES QUE EU ME JOGUE.

Desesperado Izuku corre, ativa sua individualidade e começa a pular de prédio em prédio pra chegar a tempo, e quando Bakugou estava prestes a se jogar, ele chega e grita...

- NÃO OUSE FAZER ISSO COMIGO KATSUKI BAKUGOU!!!

Bakugou o olha surpreso, Midoriya tinha chego a tempo, no fim das contas.

- Parece que seu plano deu errado, por que eu pareço ter chegado a tempo.

- Tem certeza?

Pergunta Katsuki ameaçando usar sua individualidade na própria cabeça.

- O seu plano tem falhas, Kacchan.

Diz Midoriya andando na direção do loiro.

- Me diz por que você se condenou a tanto, tanto tempo de solidão? Por que você se acha uma pessoa tóxica? Sei que você é um pouco surtado, mas no fim, esse é só o seu jeito de ser carinhoso.

Diz o esverdeado arrancando lágrimas de um certo loiro.

- Está tudo bem ter defeitos Kacchan, e acima de tudo, todos fazemos escolhas erradas.

Nesse momento Katsuki já lhe olhava com extrema atenção e culpa.

- E da próxima vez, deixa eu te responder antes de resolver pular de um prédio.

Diz um Izuku emburrado.

- Eu também te amo seu loiro exposivo!

Diz Midoriya pulando e dando um demorado beijo em Bakugou, que sorriu ao ver que no fim, aquilo era melhor que qualquer plano seu que já tenha dado certo.

E seus amigos de sala, que assistiam todo o decorrer do plano de uma tela de televisão, choraram de alivio ao ver Bakugou calmo e feliz depois de tanto tempo.

4 de Junho de 2020 às 22:42 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Smiley Pops Amo música, meus shipps são insanos e eu posso ser denominada louca. Essa sou eu.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Burning Wishes Burning Wishes
Desarmonia Desarmonia
Aqueles que cuidam de samurais bêbados Aqueles que cuidam d...