kalastrias Kalastrias

Não sabia como cuidar de plantas, e aquele jardim já estava muito bem cuidado. Quem cuidava dele? Silky? Não conseguia imaginar Elias cuidando, mas bem... ela não o conhecia, então podia muito bem ser ele.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#fluff #fluffy #mahoutsukai-no-yome #elias-ainsworth #Chise-Hatori #the-ancient-magus-bride #mahou-yome
Conto
0
442 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Garden

Chise estava sentada na mesa, tomando café da manhã. Aquele homem a havia comprado e dito que seria sua aprendiz, mas não havia começado a lhe ensinar nada, bom pelo menos não praticamente. Havia passado alguns livros para ela ler depois de irem para Londres.

Noiva…

Pensou ela sobre o que ele a havia intimado. Ele disse para se prepararem para lua-de-mel outro dia, mas não haviam feito nada depois disso. Estava pensando sobre as cartas que o padre de outro dia havia entregado, se ele já tinha resolvido, parece que tinha que verificar pessoalmente. Talvez essa “lua-de-mel” que ele havia falado tinha ligação com sair para esses lugares.

— Chise. — Ele chamou sua atenção, fazendo a garota virar o rosto e encontrá-lo no corredor ao lado da cozinha.

— Sim?

— Já terminou de comer? Tem algo que quero que faça.

Chise já tinha realmente terminado de comer, só estava passando o tempo pensando, visto não ter nada tecnológico naquela casa para se entreter. Se levantou da cadeira e seguiu para ele lentamente. Elias viu que ela o estava seguindo e saiu da casa, deu a volta indo para a parte de trás. Chise observou os grandes aros de metal cobertos por plantas e flores, um portal para um jardim grande com um caminho trilhado em serpente no meio por paralelepípedos brancos. O jardim se estendia até se encontrar com a floresta, corria até um rio naturalmente no meio dele. Ficou maravilhada com quantidade de plantas e árvores, o cheiro doce das flores tomando conta de seu nariz.

— Ai… — Ela esbarrou em Elias, ele havia parado de andar e ela não havia visto, concentrada como estava no jardim. — Me desculpe. — Se afastou alguns passos, olhando para o chão.

— Como você não tem muito o que fazer por enquanto além de ler os livros que te passei, por que não passa seu tempo cuidando do jardim?

Olhou para cima, tentando encontrar os olhos dele. Olhou em volta, para o jardim. Não sabia como cuidar de plantas, e aquele jardim já estava muito bem cuidado. Quem cuidava dele? Silky? Não conseguia imaginar Elias cuidando, mas bem… ela não o conhecia, então podia muito bem ser ele.

— Há uma estufa aqui atrás, você pode pegar o que precisar lá dentro. Guarde quando terminar. — Ele apontou para uma área com paredes de vidro que ficava no meio do jardim, ela pode ver vários vasos de plantas ali dentro.

Chise mordeu a boca, como cuidaria disso tudo? Como se cuidava disso tudo?

— Algum problema?

— Hm, não.

Elias a observou por um tempo.

— Se tiver dificuldades me avise. Vou estar na minha sala de estudos.

Passou por ela, a deixando sozinha no jardim. Chise olhou para os lados, se sentindo um pouco perdida. Será que ele brigaria se fizesse algo errado? O jardim parecia tão bem cuidado... E se ela estragasse algo?

Wiii

Viu aquela bola branca deitada em uma pedra grande em baixo de uma das árvores do jardim. Já havia visto ela antes de longe, não tinha a mínima ideia do que era, mas não parecia ser agressiva. Ela fazia barulhinhos que ela não conseguiu atribuir a nenhum animal. Mas era fofo. Viu as pequenas salamandras que andavam na casa se esconderem entre as plantas. A salamandra que a seguiu da casa da Angélica até essa passou perto de seus pés.

Seguiu para a estufa que Elias havia apontado, talvez se ela tivesse alguma ideia do que fazer caso visse o que estava a sua disposição para usar. Havia alguns sacos de adubo empilhados em uma parte, e sacos de lixo separados para usar, várias mudas de plantas em uma sessão, algumas verduras e legumes plantados em outra, e alguns vasos apenas com terra. Haviam ervas plantadas dentro e fora da estufa.

— Hm.

Ouviu Silky na porta da estufa, olhando para Chise, que se virou e viu ela segurar algo dobrado em seus braços, se aproximou e pegou. Era um avental para não sujar suas roupas e luvas de jardinagem do tamanho certo de suas mãos.

— Obrigada, Silky. — Ela sorriu para a fada, que entrou de volta para a casa, deixando Chise sozinha novamente.

Amarrou o avental e colocou as luvas nos bolsos dele. Talvez devesse aguar as plantas? Não havia chovido nos últimos dias, e as plantas não pareciam molhadas. Faria isso.

Procurou por um regador, mas não encontrava. Encontrou uma mangueira já colocada na torneira. Seguiu com os olhos e viu alguns sprinklers espalhados pelo jardim, não tinha notado isso antes. Ligou a torneira devagar, até o objeto começar a girar e jogar água pelo jardim. Sorriu, satisfeita com seu progresso. Viu o bichinho branco voar para longe quando a água espirrou, e algumas salamandras saírem de dentro dos arbustos floridos. Viu um pequeno arco-íris se formar com o sol perto do meio-dia. Desligou a torneira.

Não sabia o que fazer agora.

Se encostou na parede de vidro do lado de fora da estufa, pensando no que já havia visto pessoas fazerem com jardins.

— Você nã-

— Ah! Elias! — Chise deu pulo no lugar ao ouvir a voz de Elias ao seu lado. Estava tão concentrada que não ouviu ele se aproximar.

Olhou por alguns segundos. Ela não conseguiu decifrar o que ele estava expressando.

— Você não pode molhar as plantas com o sol forte. — Ele explicava enquanto olhava para o jardim.

— Ahm… — Chise olhou para baixo. — Desculpe.

— Não se preocupe. — Ele passou a mão em seu cabelo, bagunçando um pouco. — Você deveria ter me dito que não sabe cuidar do jardim.

Elias entrou para a parte de dentro da casa, voltando meio minuto depois. Sem o sobretudo e com um avental de jardinagem igual ao que ela estava usando.

— Vou te ensinar algumas coisas, venha.

O seguiu pelo jardim, enquanto ele explicava que deveria aguar as plantas somente bem cedo ou final da tarde, as gotas d'água nas folhas com o sol forte faria as folhas queimarem. Ensinou ela a olhar onde haviam praga nas plantas, e podar essas parte e partes secas. Retirar ervas daninha e adubar. Mostrou as mudas que estava na estufa, crescendo para serem plantadas depois. Ele havia pegado uma delas para mostrá-la como fazer.

— Aqui. — Ele disse, mostrando os galhos secos para poda.

Chise segurou a tesoura de poda, tentando encaixar em sua mão, tendo um pouco de dificuldades. Sentiu ele tomar sua mão com a dele e ajustar o objeto de forma certa, a fazendo segurar com às duas mãos. Não sabia se deveria se importar quando ele a tocava, como quando a abraçou na primeira noite e quando a carregava. Não estava acostumada com toques devido à forma como fora criada e se sentia parcialmente incomodada, mas ele acharia ruim se ela se afastasse de seus toques? Não tinha muito direito de reclamar, fora comprada. Então apenas deixava.

A mão dele se afastou e ela se pegou pensando que ele poderia ter deixando por mais um pouco. Corou levemente com o pensamento e mordeu o interior da boca.

— Chise.

Ouviu ele chamar sua atenção, e voltou seus olhos para a planta, podando as partes que ele mostrava.

Elias a ensinou a transferir a muda da estufa para o solo.

— Assim.

Sentiu ele tocar sua mão novamente - que agora estava segurando uma pequena pá - e apertá-la, fazendo pressão na terra. Chise sentiu o calor dele em suas costas devido à proximidade. Talvez não fosse ruim se permitir deixar gostar dessa atenção que nunca havia tido. Enquanto ele não a jogasse fora tentaria desfrutar disso, e quando acabasse…

Elias a fez corrigir o buraco que havia cavado com a pequena pá algumas vezes. Voltou para dentro da casa, deixando Chise praticando sozinha.

— Chise, o almoço está pronto. — Ele disse da frente do jardim.

A garota o olhou, passando a mão na testa e limpando o suor. Guardou tudo que pegou na estufa e lavou as mãos, seguindo para a cozinha.

— Chise, nós vamos fazer uma visita a um velho amigo depois do almoço. Se arrume quando terminar. — Elias avisou antes de começarem a comer.

Se perguntou mentalmente quem seria essa pessoa e para aonde iriam.

— Ok.

Não tinha motivos para verbalizar.

2 de Junho de 2020 às 02:58 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Kalastrias Bem-vindo ao meu cantinho. Eu nunca sei o que falar em apresentações. Sempre entro em panico quando me pedem para falar sobre mim. Não vou entrar em detalhes sobre as minhas inseguranças, não é importante. Então, vou simplificar de uma forma que importa para a internet: Ela/Dela; Sagitariana; INTP; Café; Gatos e noites sem dormir. Sim, eu sei que é clichê, mas lide com isso.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~