teffychan Lilith Uchiha

Em um dia chuvoso Naruto desafiou Sasuke para uma revanche em uma disputa na qual tinha perdido. Entretanto, algo inesperado se tornou mas importante do que a luta. Uma coisa que ele temia e acabou encontrando proteção onde menos esperava.


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Todos os direitos reservados.

#oneshot #naruto #sasuke #comédia
Conto
3
662 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

… E Encontre Seu Sorriso

Notas Iniciais:

A ideia para a história surgiu da imagem da capa e de teorias sobre ela em um grupo do Facebook. É isso, espero que gostem.


__________________________


Já era de praxe Naruto e Sasuke competir em absolutamente tudo. Quem era o mais rápido, o mais forte, quem acertava mais alvos quando lançavam shurikens… muitas vezes chegaram a lutar entre si sem necessidade. Com o tempo chegaram a um acordo sobre isso. Quando a tensão entre eles ficava muito grande os dois iam treinar sozinhos para resolver suas diferenças.

Foi o que aconteceu naquele dia. Sasuke havia acertado um número considerável de alvos a mais do que Naruto e o garoto passou o resto do dia reclamando sobre ele ter trapaceado. Quando chegou um ponto em que nem mesmo Sasuke aguentava mais discutir com ele, prometeu uma revanche no final da tarde.

Naruto fez questão de ir até a casa do garoto para garantir que ele cumprisse a promessa. E perdeu de novo. Teve outro ataque de fúria, reclamando sobre como era injusto Sasuke ser melhor do que ele no arremesso de shurikens e o acusando de coisas que não eram verdade. Quando finalmente se acalmou, percebeu que o menino não estava dando a menor importância para frustração que sentia.

— Já terminou? — Sasuke perguntou de braços cruzados, sem se importar com as ofensas desferidas contra ele.

— Seu idiota… como você pode ser melhor do que eu até no arremesso de shurikens?

— É simples: Eu treino — respondeu — Ficar reclamando não vai adiantar nada, sabia? Se quer melhorar então passe a treinar mais. Ou pelo menos volte a ler os livros da Academia, eles têm alguns macetes que eu acho que seriam úteis para você.

— É sério? — Naruto se animou um pouco — Que macetes são esses que eu nunca vi?

— Provavelmente é porque você nunca prestou atenção nas aulas. Venha, eu vou te mostrar — Sasuke suspirou enquanto guiava o menino até o quarto. Por que tinha que fazer aquilo?

Sasuke abriu uma das gavetas da cômoda, tirou de lá um dos primeiros livros que usou na Academia e o entregou a Naruto.

— Foi uma das primeiras coisas que aprendemos — ele recordou. Obviamente Naruto não se lembrava disso — Eu não recomendo usar macetes, você pode ter problemas em missões mais difíceis no futuro, mas… ah, deixa pra lá — suspirou novamente ao ver Naruto folheando o livro sem prestar atenção no que ele falava.

Pegou um livro aleatoriamente da gaveta e deitou-se no chão, apoiando a cabeça em uma almofada enquanto o folheava distraidamente. Sasuke lembrava bem da época em que tinha acabado de ingressar na Academia Ninja. Tudo parecia tão difícil e ele se esforçava para ser o melhor da turma, assim como Naruto. Bem, na verdade a motivação do amigo era ficar mais forte do que ele e seu sonho de ser tornar Hokage, mas ainda assim Sasuke entendia como o garoto se sentia. O desejo de ficar mais forte, a perseverança em continuar treinando arduamente para conseguir isso, fazendo de tudo para obter o que almejava… ele sabia como era. Só tinham objetivos diferentes.

Sasuke despertou de seus pensamentos quando viu Naruto ajoelhado perto dele. Tinha deixado o livro de lado e agora tentava espiar o livro que Sasuke segurava.

— Ei Sasuke, o que você está lendo?

— Folheando um livro antigo da Academia. Assim como você deveria estar fazendo — bateu com o livro na cabeça de Naruto, que soltou uma exclamação de dor — Você não queria aprender macetes para arremessar shurikens?

— Sim, mas para isso eu precisaria treinar os arremessos e está o maior frio lá fora — Naruto apontou para a janela aberta. O vento estava forte e trovejava muito, ameaçando cair uma tempestade a qualquer momento — Você costuma treinar mesmo com um tempo horrível desses?

— Às vezes. Não sabemos como vai estar o clima quando tivemos que sair em uma missão, portanto… ei! — Sasuke interrompeu-se quando Naruto levantou a blusa dele o suficiente para que pudesse enfiar a própria cabeça ali, como se estivesse se escondendo. Ou procurando alguma coisa, era difícil dizer — O que pensa que está fazendo?

— Está frio — Naruto falou com a voz abafada, a cabeça ainda escondida na blusa do garoto.

— E por acaso eu tenho cara de cobertor? — Sasuke irritou-se — Posso te emprestar um casaco se quiser. Se bem que você já está usando casaco…

— Não precisa — Naruto respondeu imóvel. Ainda trovejava bastante e o menino começava a tremer, devia estar mesmo com frio — Sasuke, sua barriga é tão quentinha…

— Já disse que não sou cobertor — ele reclamou — Anda, levanta logo e tira esse nariz gelado de mim.

— Mas você está quentinho… — Naruto murmurou. Ouviu-se outro trovão e ele voltou a tremer. Sasuke parou de reclamar sobre o peso em cima de si por um instante e observou o menino. Toda vez que trovejava ele tremia mais.

— Naruto… você tem medo de trovão?

— Não — assim que respondeu trovejou de novo e ele escondeu ainda mais a cabeça na blusa do amigo.

— Naruto… — Sasuke chamou quase como se o repreendesse.

— Está bem! — Naruto afastou-se e seu rosto reapareceu por baixo da barra da camisa do garoto — Talvez eu não seja muito fã de trovões. Quero dizer, eles são tão barulhentos, criam uma luz estranha no céu… sem falar da vez em que um trovão atingiu um poste na minha rua e ele derrubou uma parte do telhado da minha casa! Eu só tinha cinco anos e estava dormindo, quase morri esmagado, sabia?

— Então é isso — Sasuke passou a mão pelos cabelos negros. Sabia que o garoto sempre morou sozinho, podia imaginar como a experiência devia ter sido assustadora para ele, sem ninguém para confortá-lo após o ocorrido, ainda mais sendo tão novo — Entendo que você tenha medo de trovões por causa disso. Você era muito pequeno, quase morreu por causa de um acidente causado por um trovão… mas você sabe que precisa superar isso, não é? Ainda mais se quiser mesmo se tornar Hokage um dia. Seria ridículo um Hokage com medo e trovão.

— Eu sei, mas… — Naruto parou de falar quando trovejou novamente e ele voltou a tremer. A chuva caía com força lá fora.

— Bem, você não precisa fazer isso hoje — Sasuke falou. Talvez estivesse exigindo demais dele — Fique aqui até a chuva passar.

— Posso mesmo? — Naruto arregalou os olhos azuis. Não era todo dia que Sasuke fazia algo legal por ele. Estava prestes a agradecer quando trovejou novamente e Naruto voltou a esconder a cabeça embaixo da camisa do garoto.

— Vai alargar minha blusa assim, Naruto — Sasuke reclamou.

— Eu te compro outra depois — Naruto respondeu com a voz abafada. Sasuke suspirou, perguntando-se como tinha acabado naquela situação. Apoiou o livro que lia antes na cabeça de Naruto, ainda enfiada dentro da blusa dele e tampou ambas as orelhas do menino com as mãos para abafar o barulho dos trovões.

O tempo pareceu se arrastar. Estava escuro lá fora e não era por causa da tempestade e sim porque tinha anoitecido. Sasuke já estava na última página do livro quando a chuva finalmente cessou, junto com os trovões.

— Ei, Naruto. Já parou de chover — Sasuke chamou quando terminou sua leitura — Naruto? Não me diga que dormiu aí? — levantou a gola da própria camisa, espiando por dentro dela em uma tentativa de ver o rosto do amigo.

— Os trovões pararam? — a cabeça de Naruto surgiu por baixo da barra da camisa dele outra vez.

— Pararam — Sasuke confirmou — Pode sair agora.

— Está me expulsando? Que cruel — Naruto reclamou — É assim que trata suas visitas?

— Que visitas? Eu tenho cara de quem recebe visitas por acaso? — respondeu com outra pergunta — Quis dizer para sair de cima de mim.

— Realmente, você é meio antissocial — Naruto falou mais para si mesmo — Mas, Sasuke…

— O que foi agora?

— Obrigado por me deixar ficar aqui — agradeceu meio sem jeito — E também por… bom, por me ajudar com o lance dos trovões… e essa coisa toda — Naruto acenou com a mão de forma vaga. Estava realmente grato pelo garoto ter tampado os ouvidos dele durante todo esse tempo, porém jamais diria isso em voz alta.

— Tudo bem — respondeu simplesmente. Receber agradecimentos demais acabava deixando Sasuke constrangido.

— Já sei! Como agradecimento vou fazer a janta para você — Naruto falou mais animado.

— O que? De jeito nenhum, você não vai mexer na minha cozinha.

— Ah, não seja chato. Eu quero te agradecer de alguma forma — Naruto insistiu.

— Você só quer comer aqui porque o ramen da sua casa deve ter passado da validade ou coisa do tipo — Sasuke acusou.

Estava parcialmente certo. O ramen tinha acabado. Naruto nunca olhava a validade da comida. Desde que não estivesse com cheiro ruim ele comia sem se importar com possíveis consequências futuras.

— Você não deveria sair acusando as pessoas por aí quando elas querem fazer uma gentileza — Naruto tentou disfarçar — Além do mais, eu sei que está com fome. Ouvi sua barriga roncar várias vezes.

— O que? Era o barulho dos trovões, você deve ter se confundido. Minha barriga não estava roncando — mal terminou a frase e seu estômago o traiu. Sasuke sentiu o rosto corar com o sonoro ronco que veio de sua barriga.

— Bem, se não estava roncando antes então está agora — Naruto começou a rir.

— Cala a boca. A culpa é sua — Sasuke resmungou — Se você não tivesse passado tanto tempo deitado em cima de mim com a cabeça enfiada na minha blusa eu poderia ter levantado para fazer um lanche. E você me deve uma blusa nova, aliás.

— Céus, que mau-humor terrível! Você só sabe reclamar — Naruto comentou — Será que você nunca sorri?

— Não tenho nenhum motivo para sorrir no momento.

— Mas você não sorri nunca! — Naruto exclamou — Nem quando recebe um presente das suas fãs? Não fica feliz?

— Elas só me dão coisas inúteis. A última me deu rolinhos primavera que supostamente ela mesma fez. Quase tive intoxicação alimentar por causa disso.

— Ah, então foi por isso que você foi parar no hospital — Naruto recordou a ocasião em que ele faltou vários dias seguidos — Certo, é um bom motivo. Mas você não ri nem de piadas?

— Piadas são histórias inventadas em uma tentativa de melhorar o humor e estimular a autoestima das pessoas. Eu não preciso disso.

— Como você é insensível! — Naruto exclamou, pasmo com aquela resposta — Certo… e que tal isso?

Sem aviso prévio ele pulou em cima de Sasuke e enfiou a cabeça dentro da camisa dele outra vez.

— Ei, Naruto! O que pensa que está fazendo? — exclamou enquanto tentava empurrar o menino para longe de si — Já parou de trovejar, seu… — interrompeu-se ao ouvir um barulho estranho emitido pelo garoto — O que raios foi isso, Naruto?

— Sem reação? Não acredito! — Naruto exclamou com a voz abafada, voltando então a emitir o mesmo som.

— Pare já com essa nojeira! — Sasuke bateu no garoto, que soltou uma exclamação de dor e finalmente se afastou — Você encheu minha barriga de baba!

— Eu estava tentando te fazer cócegas — Naruto explicou, esfregando a cabeça dolorida — Por que você não riu?

— Eu não sinto cócegas, Naruto — Sasuke bufou, colocando-se de pé.

— Como alguém pode não sentir cócegas? — Naruto exclamou indignado — Não acredito que até nisso você é insensível. Se bem que ainda pode ter salvação… —murmurou enquanto remexia em seus pertences.

— O que está fazendo?

— Procurando minhas shurikens. Vou te mostrar que os macetes do livro que você me emprestou realmente funcionam. Não consegui te fazer rir nem com cócegas, mas finalmente vou te derrotar em alguma coisa — sorriu convencido quando encontrou uma shuriken.

— Naruto, espera. É melhor deixar para fazer isso amanhã.

— Por quê? Está com medo que eu fique melhor do que você? — o garoto provocou.

Naruto ignorou os avisos de Sasuke para esperar e correu até o quintal com a intenção de arremessar a shuriken contra o alvo previamente preparado, mas quando chegou na metade do caminho tropeçou em uma poça d’agua criada pela chuva e se esborrachou no chão. Mas não foi só isso. Ele também saiu rolando como uma banana podre, encerrando com uma queda espetacular no enorme lago que havia no meio do quintal da casa.

Naruto emergiu alguns segundos depois, encharcado do dedo mindinho do pé até o último fio de cabelo loiro, com um peixe vivo se debatendo dentro de sua boca. O garoto puxou o pobre animal pela cauda, jogando-o de volta para a água e saiu do lago, excepcionalmente furioso. Torceu a barra do casaco que pingava água inutilmente até que ouviu um ruído, inicialmente discreto, que foi aumentando gradativamente. Quando virou-se para a entrada da casa viu que a origem do barulho eram as risadas de Sasuke.

— Ei, você está rindo! Eu consegui fazer você sorrir! — Naruto exclamou vitorioso, com um sorriso de orelha a orelha. Que logo desapareceu, sendo substituído por uma expressão indignada — E você está rindo de mim!

— É que… você estava com um peixe na boca, e… — Sasuke tinha dobrado o corpo e segurava a barriga que estava começando a doer de tanto dar risada — E a sua calça… — ele apontou, incapaz de terminar a frase de tanto gargalhar.

— Hein? O que tem a minha calça? — Naruto deu um giro completo no mesmo lugar, olhando para o próprio corpo, mas não encontrou nada de errado.

— Ela rasgou atrás quando você rolou no chão — Sasuke explicou entre risadas — Quem diria que você gosta tanto de ramen a ponto de vestir isso — caçoou.

Ao ouvir aquilo Naruto levou as mãos até o próprio traseiro e se desesperou ao confirmar que sua calça estava com um enorme buraco. Sim, ele usava cueca com estampa de ramen. Sasuke tinha visto e certamente iria caçoar dele por causa disso por um bom tempo.

— Isso é… quero dizer… — atrapalhou-se com as palavras, o rosto queimando de vergonha — Bom, é que estava na promoção, então eu…

— Você deveria ter aproveitado essa tal promoção para comprar calças novas — Sasuke finalmente tinha parado de rir — Anda, não fique aí parado feito um idiota. Vá trocar de roupa antes que fique doente.

— Vai mesmo me emprestar suas roupas? — Naruto arregalou os olhos — Achei que estava sendo sarcástico antes.

— Não teste a minha paciência, você ainda me deve uma camisa nova. E prometeu fazer a janta para mim, não foi? — Sasuke lembrou — Mas por favor, nada de ramen.

— Certo… — Naruto não gostou do pedido, mas achou melhor não discutir. Entrou na casa, ainda com as mãos escondendo a parte em que a calça havia rasgado. Sasuke deixou escapar outra risada quando o menino passou por ele.




~~~~~X~~~~~X~~~~~



Na manhã seguinte Sasuke foi o primeiro a chegar para o treinamento, o era quase parte da rotina. Naruto chegou poucos minutos depois dele. Poderiam ter ido juntos, mas Naruto acabou voltando para casa na noite anterior, tanto por Sasuke reclamar sobre a possibilidade de se atrasar caso o menino dormisse na casa dele quanto Naruto não aguentar mais as repentinas risadas de Sasuke quando se lembrava do desastroso acidente em que Naruto caiu no lago, quase engoliu um peixe vivo e rasgou a calça. Naruto estava começando a achar melhor quando Sasuke não ria.

Mas não tinha tempo para se preocupar com isso agora. Tinha outro problema que não sabia como resolver.

— Sasuke! Me ajuda!

— O que foi agora? — perguntou sem paciência. Como Naruto podia ser tão barulhento logo de manhã cedo? — Não vou te ajudar com arremessos de shurikens de novo se é o que está pensando…

— Não é isso! — o garoto interrompeu — Eu encontrei a Sakura no caminho.

— E daí?

— Daí que eu estava comendo chiclete e ofereci um a ela — Naruto explicou — E eu meio que tropecei, e… pode ser que, talvez… quem sabe… o chiclete tenha grudado no cabelo dela… e a Sakura não tenha gostado… possivelmente.

— Você é idiota? É claro que ela ficou zangada — Sasuke exclamou — E o que eu tenho a ver com isso? Foi você quem grudou chiclete no cabelo dela, não eu.

— Sim, mas eu achei que você podia falar com ela… e explicar que foi um acidente, sabe? Digo, a Sakura gosta de você, então se você falar com ela talvez ela fique mais tranquila…

— Eu não sou calmante — Sasuke interrompeu — Não é problema meu se…

— Naruto! — ouviu-se uma voz feminina e o som de passos se aproximando velozmente — Não adianta correr seu idiota! Eu vou acabar com você!

— É ela! Sasuke, me esconde! — sem pensar no que fazia, ou pensando que ia funcionar, Naruto puxou a blusa do garoto para frente e enfiou a cabeça ali, sobressaltando-o. Sakura chegou segundos depois.

— Oi Sasuke — ela cumprimentou no tom mais amigável possível, considerando seu humor — Você viu… mas o que?! — ela interrompeu-se, um tanto atordoada com a cena — O Naruto…

— Está se escondendo — Sasuke revirou os olhos — Ou é o que ele pensa.

— Ei, Naruto! Está tentando usar o Sasuke como escudo para não levar o castigo que merece, não é? — Sakura acusou — Bom, você não vai poder ficar “escondido” aí para sempre, e quando sair eu juro que vou acabar com você!

Aquilo não era exatamente verdade. De fato, Sakura jamais ousaria machucar Sasuke, mas não significava que Naruto pretendia usar o menino como escudo. Simplesmente se sentia protegido perto dele. O que não fazia sentido, visto que o garoto era rude, convencido e o provocava o tempo todo, mas também o ajudou quando necessário.

Sasuke parecia perfeito em tudo, alguém inalcançável, mas Naruto sabia que até ele precisava treinar mais para aprender coisas simples. Não sabia como sorrir. Naruto conseguiu ensinar isso a ele de uma forma absurdamente constrangedora, mas pelo menos obteve sucesso.

E também tinha qualidades até então desconhecidas. Sabia ser prestativo e cuidadoso com as pessoas quando queria, o que foi uma enorme surpresa para Naruto. Talvez fosse essa a origem daquele estranho sentimento de proteção. Naruto nunca teve pais nem ninguém para lhe fazer companhia e ajudar a superar seus medos, até das coisas mais bobas como trovões, que geralmente assustam crianças pequenas. Sim, ele precisava superar esse medo, assim como o de ficar sozinho para sempre, de ninguém da vila jamais gostar dele, dentre vários outros. Mas podia começar com coisas pequenas. E parar de ficar se escondendo debaixo da camisa de Sasuke era o primeiro passo.

Seu rosto surgiu por baixo da barra da camisa do garoto quando Naruto se ajeitou e sorriu para ele.

— Pronto para encarar a fera? — Sasuke exibiu um sorriso torto. Era o máximo que conseguia fazer quando não estava rindo de alguém, também precisava trabalhar nisso.

— Não tem outro jeito, não é? — Naruto suspirou derrotado. Virou-se então para Sakura.

— É hoje que eu acabo com você, Naruto — Sakura sentenciou, estalando os dedos. Estava prestes a iniciar uma sessão de pancadaria quando ouviram a aproximação do seu sensei.

Naruto soltou um longo suspiro de alívio. Não era hoje que ia morrer.


_________________


Notas Finais:

Essa história também foi postada no Nyah! Fanfiction e no Spirit.


27 de Maio de 2020 às 17:43 0 Denunciar Insira Seguir história
4
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~