kanaeyy kanaey

Ocupado demais com o trabalho, Neji acaba deixando seu namorado Naruto de lado. Com o passar dos dias a monotonia começa a tomar conta do relacionamento, fazendo com que uma enorme distância cresça entre eles. Quem insiste, uma hora consegue. E tanto Naruto como Neji, insistiriam o quanto que fosse para que tudo fosse superado.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#lemon #monótono #casados #ua #naruneji
0
561 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um dia quase monótono


Os dedos de Naruto tocaram os lábios finos de forma delicada, depois desceram pelo queixo seguido do pescoço e, por fim, se deteram no tórax de Neji.

O loiro observou-o se remexer sobre as cobertas e depois aquietar-se, Neji dormia tranquilamente, como se nenhum problema no mundo pudesse afeta-lo naquele momento. E talvez fosse, afinal, bastaria que ele acordasse para que imediatamente começasse a listar mentalmente tudo o que teria de resolver naquele dia e, infelizmente, nessa lista Naruto não estava incluído.

Um passeio no parque, jantar em algum restaurante ou lanchonete temático e várias outras coisas que os dois costumavam fazer juntos foram deixadas de lado, o Hyuuga não tinha mais tempo para isso. Parecia que sua vida se resumia somente em trabalhar para agradar Hiashi, seu pai.

Toda essa situação já viam se desenrolando a alguns meses, e se fosse para falar com toda a sinceridade do mundo, Naruto admitiria que já não aguentava mais ser deixado de lado por causa de reuniões diárias e papeis para serem preenchidos. E com mais sinceridade ainda, se possível, admitiria que só não havia terminado com o namorado porque o amava muito.

Porém, todos sabemos que independente do quanto se nutre esse sentimento por alguém, se ele não for cultivado e cuidado, ele morre. O Uzumaki gostava de comparar o amor com uma planta, se cuidada de forma certa e com dedicação, ela cresce e da frutos; agora, se deixada de lado ela murcha e morre, em algumas exceções ela pode durar por um tempo, mas depois morre. Alguns de seus amigos achavam esse exemplo tosco, outros verdadeiros. Variava de amigo e o humor de cada um deles.

Como em várias outras manhãs, Naruto se espreguiçou e pôs-se de pé, preparou o café da manhã e como não sentia fome nenhuma o colocou em uma bandeja e deixou sobre a cômoda do quarto onde Neji dormia. Após os dentes escovados, um banho rápido e já devidamente vestido, escutou o barulho estridente do despertador do celular do namorado tocar quando já estava com a mão na maçaneta da porta, e sem o menor ânimo, abriu a porta e se foi para a sua caminhada matinal.

Em algum momento enquanto corria pelas ruas já barulhentas e movimentadas do Rio de Janeiro, observando as pessoas que iam e viam por toda parte, um pensamento se instalou em sua mente:

Tudo anda tão monótono nós últimos dias...

•••

Quando Neji acordou com o barulho irritante de seu despertador e o ruído da porta da sala se fechando, suspirou. Naruto estava se esquivando dele nós ultimos dias e ele sabia bem o porquê.

Um sorriso pequeno brotou em seu rosto ao virar-se de lado na cama e notar a bandeja com seu café da manhã em cima da cômoda.

Apesar de tudo, seu namorado nunca deixava de ser atencioso com si. E sentia que também devia ser assim, sentia que os dois estavam cada vez mais distantes, nem amor mais eles faziam.

Mas, todo esse "devia" e os problemas de seu relacionamento era ocupados no dia a dia pelo trabalho, e quando no fim do dia retornava para o apartamento que dividia com Naruto, já estava esgotado demais para se lembrar.

Neji não queria perder Naruto assim como não queria decepcionar seu pai.

Eram duas coisas diferentes, mas que tinham muita importância em sua vida.

Suspirou ao se lembrar que teria um dia cheio na empresa e mais uma vez, como em várias outras, chegaria tarde em casa.

•••

Em mais uma daquelas suas tentativas, Naruto convidou o namorado para jantarem juntos no restaurante preferido deles. Talvez tenha se iludido muito ao pensar que ele conseguiria terminar o trabalho mais cedo para o encontrar.

Balançou a taça de vinho que segurava, sentia certa mágoa por mais uma vez ser deixado de lado. Bebeu todo o líquido da taça, olhou as horas no celular e percebeu que já era tarde da noite, Neji não viria mais.

Conta paga, táxi pego.

Já em frente a porta do apartamento sentiu vontade de dar meia volta e quem sabe passar a noite na casa de algum amigo, porém, não se moveu, continuou ali a encarar a porta. Em dado momento suas pernas começaram a doer, sinal de que estava parado a muito tempo ali. Quando enfim levantou a mão para tocar a maçaneta, a porta abriu-se. Um Neji ofegante com seus cabelos molhados soltos e uma roupa mais despojada surgiu em seu campo de visão.

Com toda certeza aquela era uma visão muito melhor de se observar do que o cinza da porta de segundos atrás.

- Naruto, me desculpa, por favor! Eu só vi sua mensagem agora - Neji disse exasperado, e aquilo não combinava com sua personalidade sempre tão tranquila.

- Calma amor, tá' tudo bem, eu entendo. - Naruto falou sem desviar os olhos do outro homem, devorando-o com o olhar.

Como evitar? Afinal, estava sem transar a dias e o namorado ali, passando a mão pelos cabelos e tentando regular a respiração, era uma cena sexy.

- Tem certeza? Naruto, eu juro que eu não estou mentindo, assim que cheguei em casa e fui checar as mensagens foi que vi a sua, corri para tomar um banho e me arrumar mais ou menos para te encontrar e.... - o Hyuuga se calou, estava falando demais sem chegar aonde queria. Expirou e inspirou, foi direto ao ponto. - Eu só quero que você saiba que eu não ignorei você, Naruto.

- Eu sei, amor.

- Olha, se tiver uma maneira de te recompensar eu...

- Tem sim - o loiro o cortou, aquela "proposta" realmente havia o interessado.

O sorriso malicioso e a sobrancelha erguida de Naruto já diziam tudo, por isso Neji nem se deu ao trabalho de perguntar. Deixou o namorado trancar a porta e o puxar pela cintura até o quarto, o jogando de costas sobre a cama. Observo-o tirar o paletó seguido da camisa branca e em seguida se posicionar por cima de si.

- Do que tanto sorri? - perguntou enquanto abria as pernas para que o namorado pode-se se ajeitar entre elas.

- Eu não faço a mínima ideia, acredita?

Teria sorrido também se Naruto não tivesse o beijado de repente, tão cheio de desejo quanto si. Suas mãos foram parar na nuca do loiro, fazendo uma carícia no local.

Os beijos do namorado cessaram em sua boca e desceram pela clavícula até o pescoço, onde ele parecia querer deixar marcas para que todos soubessem o que havia acontecido entre eles naquela noite.

O Hyuuga sentiu seu pênis já ereto pulsar dentro das calças, e meio que por reflexo, sua mão antes na nuca subiu até os cabelos loiros e os agarrou, fazendo Naruto para com seu ato e o olhar.

- Já esta duro, Neji?

Sem esperar uma resposta para sua pergunta Naruto roçou seu quadril ao do namorado, fazendo-o soltar um gemido e mostrando que também estava excitado. Sem esperar muito começou a despir o outro, porém, sem muito presa, se demorando mais ao desfivelar o cinto.

- Narutoooo... - Neji reclamou, mas a única coisa que fez foi sorrir maldoso de volta, enfim tirando o cinto e o jogando em um canto qualquer do quarto.

- Amor, a pressa é inimiga da perfeição. - Disse e depois deu um selinho no Hyuuga, que o olhou revoltado pelo pouco contato.

Naruto se levantou de entre as pernas de Neji e assim que alcançou a cômoda tirou de uma das gavetas o vidro de lubrificante e o pacote de camisinha. Se livrou de suas calças deixando a mostra o volume sobre o tecido da cueca box vermelha.

Retirou também a calças do namorado e em tom de ordem disse:

- De quatro pra mim, Hyuuga.

Como dito, Neji fez. Sentiu as mãos de Naruto deslizarem por suas costas, descer para seu abdômen até o quadril onde o levantou um pouco, fazendo-o ficar com a bunda empinada.

Virou sua cabeça para observar o amado, e bem a tempo de vê-lo retirando sua cueca, seu membro saltando para fora. Depois, a sua cueca também foi retirada e, assim que o líquido frio do lubrificante tocou sua pele, sentiu todos os pelos de seu corpo se arrepiarem.

Assim, o primeiro dedo foi inserido na sua entrada. Não era de um incômodo muito grande, mas quando o segundo e consecutivamente o terceiro foram inseridos isso mudou.

- Devagar, Naruto.

- Rápido demais?

- Um pouco.

O Uzumaki continuou a estimular o parceiro com os dedos, sentindo sua ereção clamar por atenção. Assim que percebeu que o desconforto de Neji havia se apaziguado, retirou seus dedos da entrada dele para rasgar o pacote de camisinha.

Posicionou seu pênis na entrada do Hyuuga, e devagar, começou a penetra-lo. Já estava quase tudo dentro quando escutou o gemido sôfrego do companheiro.

- Eu não me lembro do seu pau ser tão grande assim.

Naruto apenas riu contido com o comentário do namorado, e esperou até que ele desse algum sinal de que poderia continuar, o que não demorou muito, logo estava totalmente dentro dele.

Começou com estocadas um pouco mais lentas, o que menos queria era machucar o outro. Assim que notou que Neji começara a se masturbar, aumentou o ritmo.

Logo os gemidos ficaram mais altos e as respirações também, aquele era o momento em que nada mais importava a não ser chegar ao ápice.

A mão livre de Neji se agarrou a lençol, ele já sentia as pernas tremerem, o suor escorrer por sua testa. Toda vez que o namorado ia e volta ele sentia que logo gozaria, mas, esse logo nunca chegava.

- N-Narutoo...mais, ah, rápido... - sua voz saiu baixa e por isso talvez o loiro não tivesse escutado, porém, o aumento do vai e vem dizia o contrário.

Com isso, não demorou muito para que sujasse sua mão com sua própria porra. E logo em seguida o gemido arrastado de Naruto indicou que ele também havia gozado.

Assim que sentiu o namorado retirar seu pênis da sua entrada, desabou sobre a cama, ofegante. Estava todo suado e melado de sêmen. Assim que o loiro saiu do banheiro o Hyuuga se pos de pé, as pernas um pouco bambas, mas nada que o impedisse de fazer o pequeno caminho até o banheiro. Depois de um banho rápido voltou ao quarto encontrado um Naruto somente de calças e cabelos desgrenhados.

- Você deveria cuidar melhor desse seu cabelo. - disse e ao alcançar o criado mudo pegou de lá uma escova de cabelos que ele havia deixado ali de manhã.

- Você vive dizendo isso, Neji.

- Pois é, e você nunca me escuta. Vem, senta aqui. - indicou a ponta da cama.

Naruto obedeceu e, assim que o Hyuuga começou a pentear seus cabelos, não pode evitar de soltar uma risada.

- O que foi? - Neji perguntou curioso sem deixar de se concentrar no que fazia.

- Você agora virou minha mãe para pentear meu cabelo?

- Não seja criança, Naruto. Eu sou só um namorado dedicado, só isso.

- Dedicado, hum...

O Hyuuga não teve tempo de perguntar o que o namorado estava insinuando, pois foi jogado mais uma vez sobre a cama e dessa vez, atacado com cócegas.

No fundo, mesmo que nenhum dos dois tenha dito, ambos queriam e esperavam, ter mais momentos assim.


1 de Junho de 2020 às 12:08 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Temos que resolver isso

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Photograph Photograph
A linguagem das flores A linguagem das flores
Protect your e-mail Protect your e-mail