bruna-souza1589428773 Bruna Souza

"Eu não encontrei lugar algum para me refugiar, exceto em você" ( OBS: contém violência doméstica e relacionamento abusivo, não romantizados) Ela tem medo Ele tem coragem Ela é frágil Ele é forte Será possível construir um amor em dois corações tão machucados? Nicole vem fugindo do seu passado, mas a dor e o medo insiste em acompanha-lá, ela já não confia em ninguém, teme todo homem que se aproxima, ela já não consegue dormir tranquilamente e tem ataques de pânico constantes. Miguel é um homem forte, carinhoso e que preza muito sua família, após dez anos ele voltou para sua cidade natal, para trabalhar como delegado da cidade. Ele foi abandonado no dia do seu casamento, ainda na juventude e isso fez seu coração se fechar para o amor. Dois caminhos entrelaçados pelo destino, uma história que vai além do amor. É a incansável busca para superar seus traumas do passado e enfrentar com o monstro que se fará presente na vida dos dois. "Mãos fortes, pele grossa e um coração aberto Você viu através da dor Viu através da máscara Você nunca desistiu de mim, sim Você me amou de volta à vida, a vida'' _ Loved Me Back To Life


Romance Erótico Todo o público.
0
858 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Eu morri uma centena de vezes
- Amy Winehouse

- Por favor, Lucas, para – eu sussurrei tentando em vão me levantar, o gosto amargo do sangue em minha garganta junto com a dor dilacerante em meu estômago devido aos chutes que recebi segundos atrás do meu marido não me permitiu falar nada além dessas três palavras.

Eu estou encolhida completamente imóvel no chão da cozinha da casa onde um dia eu considerei nosso lar, sinto dor em todo o meu corpo, minha respiração está pesada e tenho dificuldade para fazê-la já que provavelmente o murro que recebi no rosto deve ter quebrado meu nariz.

- Nicole – ouvi aquele que eu um dia considerei o amor da minha vida se abaixar e colocar as duas mãos em meu rosto, eu gemi de dor com o seu toque – me desculpe amor – ele falou rápido – por favor, eu não queria fazer isso, você me obrigou... amor me perdoa, eu nunca vou te perder, eu não vivo sem você – sua mão apertou meu rosto com força – eu não posso viver sem você, você me faz perder o controle, eu te amo Nicole, eu te amo_ Eu já não conseguia ficar com meus olhos abertos, não há uma parte do meu corpo que não esteja machucada, em meu último suspiro eu olhei em seus olhos cheio de lágrimas e senti que chegou ao fim, eu seria morta pelo meu marido, pelo homem que um dia eu tanto amei, se não fosse dessa vez, seria da próxima, mas ele ia acabar conseguindo de matar.

...

Tentei abrir os olhos, mas a claridade me incomodou, me mexi na cama e a dor que senti fez eu perder o ar por um segundo.

_ querida _ ouvi a voz da minha mãe e o toque dela em meu rosto _abri devagar os olhos e eu a encarei, minha mãe estava com uma expressão cansada e seus olhos tinham preocupação.

_ mamãe _ sussurrei já sentindo as lágrimas descer em meu rosto _ mãe _ eu chorei aliviada por estar com ela depois de meses.

_ se acalma Nicole _ ela acariciou meus cabelos _ por favor filha, eu vou chamar o médico _ disse se afastando de mim e saindo pela porta.

Então percebi que estava em um quarto particular do hospital da família do Lucas, eu já estive aqui outras vezes. Flashs dos últimos acontecimentos me atingem e eu sinto medo em toda célula do meu corpo, só de imaginar que posso voltar para aquele pesadelo de novo, imaginar o Lucas entrando por essa porta e como sempre agindo como um homem arrependido, prometendo que nunca mais encostará o dedo em mim.

Alguns minutos depois minha mãe voltou ao quarto acompanhada de um médico, eu sei que já o conhecia, mas eu não me lembrei do seu nome e nem quis perguntar. Todos sabem o porquê eu estou aqui, sabem o que meu marido faz comigo, mas tanto minha família, quanto os funcionários do hospital fingem não entender o motivo de eu viver machucada. Eu sinto um misto de tristeza com vergonha ao encara-los, nem nos meus piores pesadelos eu me imaginei passando por tamanhas humilhações.

_ Senhora Calheiros, que bom que acordou _ disse olhando para meus exames _ como está se sentindo?

_ Eu não sei, todo meu corpo está doendo, principalmente minha barriga e minhas costas _ sussurrei

_ Isso é muito normal depois do procedimento que a senhora teve que passar _ ele parou de olhar os papéis e me encarou _ senhora _ ele suspirou, pude ver dor em seus olhos castanhos _ sabia que estava grávida?

Meu mundo parou por um segundo...GRÁVIDA

_ não _ minha voz não passou de um sussurro

_ estava de aproximadamente 6 semanas, mas devido à tudo que a senhora passou _ ele respirou fundo, ele sabia o que eu tinha passado e pior quem havia feito isso comigo, era a pessoa que pagava o seu salário _ quando seu esposo a trouxe para o hospital já era tarde, não pudemos fazer nada, o feto já não tinha batimentos cardíacos.

Eu senti todo o meu corpo tensionar e eu gemi de dor, não apenas física.

_ eu quero ficar sozinha _ sussurrei sem forças para falar mais nada, não depois do que eu havia escutado, não depois de quase ser morta pelo meu esposo e agora descobri que eu tive um filho em meu ventre e ele havia sido arrancado pelo monstro que eu me casei.

_ filha por favor _ minha mãe aproximou acariciando meus cabelos _ seu marido está muito arrependido de tudo, vamos conversar querida, você logo terá outros filhos _ eu não podia acreditar que mais uma vez minha família fingiria que nada aconteceu.

_ eu só quero ficar sozinha agora _ sussurrei sem forças _ por favor.

Minha mãe suspirou derrotada saindo do quarto ao lado do médico e eu me permiti chorar mais uma vez. Eu sempre quis ser mãe, e saber que eu tinha uma vida crescendo dentro de mim e que ela foi assassinada pelo monstro que é o meu marido, ele não matou apenas meu filho, Lucas vem me matando dia após dia.

Eu chorei de raiva, chorei de desespero, chorei de mágoa, chorei por todas as humilhações, todas as violências psicológicas e físicas que eu venho sofrendo nos últimos anos, eu chorei por ter permitido ele agir assim comigo, eu chorei por ter deixado minha família me influenciar, por me preocupar com todos enquanto ninguém nunca se preocupou comigo, chorei pelo filho que eu perdi, o filho que ele matou, chorei por não me reconhecer. Eu já estou morta, Lucas matou a minha alma a muito tempo e se eu continuar com ele mataria meu corpo também.

Nunca mais ele encostará suas mãos nojentas em mim.

14 de Maio de 2020 às 04:21 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Capítulo 1

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!