ventoepoesia Rafael Ferreira

Primeiro dia depois da quarentena, Júlia virou Jasmin!


Poesia Todo o público.

#ventopoesia
Conto
1
3.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Julia virou Jasmin

Era o primeiro dia depois da quarentena

Para Júlia, o fim da distância, da saudade

A menina não tinha pressa, estava em paz

Dos olhos escorriam lágrimas de maravilhamento

A primavera estava no mesmo lugar

O canteiro de margaridas também

O coreto coberto por uma nova trepadeira

Havia outras cores do meio da horta

Júlia tinha doze anos e usou o tempo com sabedoria

Pá, rastelo e mangueira

Tesoura, luva e regador

Tudo preparado, a vida não parou

A praça da esquina era a paixão da menina sonhadora

Logo viriam mais crianças

Brincadeira, poesia e jardim

O canto dos pássaros ecoava numa sinfonia

Trilha sonora para Júlia podar, tocar e chorar

A menina irrompeu num canto:

"Quem me dera viver aqui o meio do jardim

No meio das flores e das folhas sem fim"

Tecida de cores, Julia virou jasmim

13 de Maio de 2020 às 18:27 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~