Embaixador Secreto — Batalha da Embaixada 2021 Seguir blog

embaixadabr Inkspired Brasil alexisrodrigues Alexis Rodrigues amandaismirnadc Amanda Luna De Carvalho arnaldo-zampieri Arnaldo Zampieri atherabeckman Ruana Aretha dracula amy ᘛ 🦋 isismarchetti Isís Marchetti nicansade Verônica Ashcar Neste blog você encontra as histórias do Embaixador Secreto feitas na última semana da primeira Batalha da Embaixada de 2021. • Embaixador Secreto da Batalha da Embaixada, Maio de 2021. • Organização e revisão: @karimy • Times: Caçadoras de Dragões versus Sociedade Literária

#BatalhadaEmbaixada #EmbaixadoresBr #EmbaixadorSecreto #EmbaixadaBrasileira
AA Compartilhar

Presente dado por @isismarchetti - Isis

Aquele dia seria um dia incomum para si, sabia disso, pois estava acostumada a ler suas cartas de Tarot sempre antes de ir dormir, para saber o que o destino reservava para si no próximo dia. Era mais do que um hobbie, ela confiava nas cartas como confiaria sua vida a alguém importante e, para ela, tudo que estava ali era mais do que real. Noite passada, uma de suas cartas disse que ela conheceria alguém diferente, alguém que precisava de sua ajuda e que só ela poderia fazer diferença na vida dessa pessoa.

Após acordar cedo, fazer seu yoga e desfrutar de uma boa refeição, decidiu que já passava um pouco da hora de abrir sua pequena salinha, onde prestava atendimento para as pessoas que pediam para que ela lesse suas cartas. Modéstia parte, era a melhor nisso, passou com excelência nos testes de admissão e teve os melhores ensinamentos, não era pra pouco que ela era super-reconhecida no que fazia. Seus vizinhos a amavam, e pouco tempo atrás, quando deixou seu apartamento para morar em uma casa e abrir sua salinha de atendimento, levou consigo vários clientes que eram vizinhos de antiga moradia.

Apesar de ter inúmeros clientes que lhe eram muito queridos, naquele dia ela estava interessada em uma única pessoa. Era engraçado se sentir assim, já que ela não conhecia o dito cujo, mas algo em seu âmago dizia que, assim que ela batesse o olho na pessoa certa, a reconheceria. Seus instintos não dependiam do Tarot, mas ao longo dos anos foi obtendo tantos conhecimentos, que agora ela lia fácil não somente as cartas, como também os seres humanos.

Apesar de parecer clichê, ela adorava barulhos de sinos e, quando o da porta soou assim que alguém passou por ela, seu coração pulsou bem mais rápido, suas expectativas estavam tão para cima, que não conseguia deixar de se sentir nervosa.

— Em que posso ajudá-lo? — Sua pergunta morreu sem que ela pudesse proferir o resto.

A humana diante de si estava tão abatida, que era possível notar que alguma coisa não estava certa de bem longe. A aura à sua volta era pesada, poderia descrevê-la como uma névoa negra que, apesar de estar ao encalço dela, grande parte se concentrava nos ombros, fazendo com que ela tivesse uma ligeira inclinação para frente, como se aguentasse o peso todo ali, deixando sua postura curvada.

Nica, a cartomante, se levantou e se aproximou do seu mais novo cliente, seu coração batia tão depressa que parecia que sairia pela boca. Em sua frente estava quem as cartas disseram que precisaria dela, a pessoa para a qual ela faria diferença na vida e, como um piscar de olhos, sua ansiedade em conhecê-la mudou para ansiedade em poder ajudá-la o mais depressa possível.

Seu coração, amável do jeito que era, estava tão apertado, que mal conseguia se concentrar no que queria fazer.

Com as mãos trêmulas, se questionou como a pessoa reagiria ao seu próximo passo, mas, com o coração voltado a ajudar, cogitou que aquela resposta não faria diferença, então fez o que tinha que fazer. Com as mãos trabalhando depressa, abanou, como se espantasse um mosquito, toda aquela aura que rodeava o corpo daquele ser entristecido. Aquilo não era muito, mas seria o suficiente para aliviar toda aquela tensão do corpo pequeno e mirrado à sua frente.

— Ah... que alívio! — exclamou a mulher.

Sua postura relaxada demonstrava o quanto suas palavras eram verdadeiras.

— Parece que um peso saiu das minhas costas, sabe? A propósito, eu sou Isis — disse, um pouco mais à vontade diante da presença da cartomante.

— Bom, é um prazer conhecê-la, enfim...

Isis arqueou a sobrancelha, não sabia o que aquele enfim queria dizer, mas não queria se aprofundar naquilo, ainda mais quando notou a sinceridade nas palavras daquela mulher que havia acabado de conhecer.

—Sabe, as cartas me disseram que você viria — explicou a mulher.

O que era engraçado era que, apesar de Isis ser uma pessoa que se considerava cética, gostava de ouvir o que as pessoas tinham a dizer, e isso sempre a surpreendia, sempre houve nela um espaço para que pudesse ouvir as outras pessoas, e gostava disso. Cada pessoa era diferente, e cada uma delas tinha algo diferente para oferecer e ensinar. Era isso que a havia levado até ali. Apesar de se considerar cética, tinha pressa para saber o que o futuro estava reservando para ela, se possível.

— Desculpa o meu nervosismo, é a primeira vez fazendo isso — disse Isis, como se confessasse um segredo guardado a sete chaves.

— Bem que dizem que para tudo tem uma primeira vez, não é? — Nica tentou quebrar um pouco aquele clima de nervosismo da sua cliente.

Isis somente confirmou com a cabeça, inspirou fundo e em seguida expirou, buscando controlar sua ansiedade.

— Que tal começarmos com você me dizendo o que você espera dessa visita? — perguntou Nica, enquanto estendia o braço em direção ao sofá em que já estava sentada, em um convite para que Isis fosse sentar-se também.

Isis arranhou a garganta várias e várias vezes, todo aquele silêncio e nervosismo... parecia que ela não sabia por onde começar, até mesmo por sua reação, um tanto quanto esperada, já que a maioria das pessoas que iam pela primeira vez reagiam da mesma forma, algo nela era diferente e Nica havia notado assim que ela ultrapassou sua porta, só ainda não sabia o quê.

— É que eu quero saber se eu vou ser bem sucedida algum dia — despejou ela após um longo período de silêncio.

Nica tinha uma regra que era só sua, ela transmitia sua calma através do cuidado e silêncio, deixando que Isis absorvesse aquilo como uma deixa para que ela falasse quando se sentisse à vontade e aquilo sempre funcionava. Apesar disso, o que as pessoas não sabiam era o quanto ela se fazia de forte do lado de fora, mas por dentro ela relutava consigo mesma, pois tinha uma certa urgência em ajudar as pessoas que iam até ela.

— Posso assegurar que você está no caminho certo — disse sem nem esperar muito para poder responder.

— Mas eu quero saber se isso vai ser logo, meus amigos me disseram que o Tarot podia revelar...

— Querida... — começou Nica, pensando com tanto amor e carinho em como responderia aquela pergunta sem decepcionar Isis, mas querendo abrir seus olhos. — As pessoas costumam ser muito imediatas, mas se esquecem que primeiro precisamos plantar, depois regar e cultivar, tirar as daninhas, para só depois colher. — Conforme ia falando, se sentiu à vontade para pegar na mão daquela pessoa desesperada em saber sobre seu futuro, mas que olhava de uma forma errada. Como se quisesse pegar e acolhê-la. — O primeiro passo tenho certeza que você já deu, agora precisa ter paciência e fé de que vai chegar até o final.

Após proferir suas últimas palavras de conforto, abraçou aquela menina mirrada e viu Isis se derramar em lágrimas. Agora entendia qual era seu papel importante ao conhecer aquela vida, precisava salvar o futuro dela. E ter aquela luz iluminando aquela verdade bem diante de seus olhos a fazia sentir como se tivesse nascido para aquilo.

Assim como foi com Isis, Nica salvaria muitas outras vidas.

10 de Abril de 2021 às 01:46 1 Denunciar Insira 2

Comente algo

Publique!
Verônica Ashcar Verônica Ashcar
Fiquei muito emocionada com esse neném, pois Ísis você é uma pessoa que quero levar comigo para a vida, e por causa dessa nossa conversa que vc utilizou, vc está sim destinada a salvar vidas, e vejo um brilho lindo em você! Obrigada real tô muito feliz pelo presente!
April 10, 2021, 15:44
~