ageha_sakura Ageha Sakura

Jimin conheceu NamJoon em uma tarde chuvosa, escutando o som das cigarras e sentindo o barulho dos trovões. Eles se aproximaram tão rápido, criaram vínculos e em um certo dia foram afastados. Se Jimin soubesse que descobriria os seus sentimentos daquela maneira, voltaria no passado e tentaria modificar tudo para ficar ao lado de seu amado.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#parkjimin #kimnamjoon #bts #jimin #rm #namjoon #nammin #minimoni #minjoon
1
1.2k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Único; uma poesia

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Elegia"!


Essa é a minha primeira fanfic do desafio da tag da escrita, espero que gostem e @pinkmeup essa foi pra você 💕


________________


Jimin conseguia lembrar com clareza a primeira vez em que se encantou por alguém. Era um dia calmo e chuvoso como naquela manhã, as cigarras cantavam e os trovões causavam arrepios de susto em todo o seu corpo.


Ele era apenas um adolescente que estava descobrindo a si mesmo, conhecendo todos os seus defeitos e formulando o seu próprio pensamento. Em meio aquele mar de descobertas conheceu NamJoon.


O Kim era realmente encantador, o seu sorriso estonteante brilhava intensamente acompanhado das covinhas que adornavam a sua face como se estivessem colorindo um quadro. NamJoon era um rapaz inteligente, sempre com pensamentos e opiniões adversas e carregadas de certezas e muito conhecimento.


Foram as qualidades do jovem de cabelos pretos que conquistou o coração do rapaz pequenino, que sempre passava despercebido em meio aos populares do Ensino Médio.


A forma como eles se aproximaram e tornaram-se melhores amigos foi inesperada, tão de repente que muitas vezes parecia uma mera ilusão criada pelo próprio Park.


O sol brilhava intensamente em meios as gotas de chuva recém caídas, trazendo consigo um calorzinho confortável e ameno para o coração. Jimin estava perdido em seus pensamentos, fitando com intensidade a paisagem e o belo arco íris que enfeitava aquele céu azulado.


Não percebeu quando NamJoon apareceu e sentou ao seu lado, também fitando a mesma imagem com tanto apreço. Eles estavam perdidos demais nos encantos da natureza para notarem o mundo ao redor, apenas se dando conta quando seus olhares se encontraram em meio aquele ambiente solitário, apenas com o céu como uma testemunha do que sentiam um pelo outro.


A partir dali os encontros se tornaram recorrentes, sempre perdendo longos minutos admirando o céu sem trocar muitas palavras, pois o silêncio entre eles expressava mais do que seriam capazes de dizer. Com o tempo foram se permitindo aproximarem-se mais, começar uma simples conversa sobre como havia sido o dia a dia de cada um.


A liberdade e a intimidade foi crescendo aos poucos, colorindo-os vagarosamente e permitindo que eles pudessem avançar mais ao ponto de confiarem tudo um ao outro, tornando-se melhores amigos. A relação deles era regada a risadas, apoio emocional e estrutural, sempre tendo a certeza de que podiam confiar sim um no outro, pois não estavam mais sozinhos.


O fim do Ensino Médio chegou rapidamente, como se aqueles três anos tivessem passado em um mero piscar de olhos, todavia, a amizade não havia sofrido mudanças. A vida adulta bateu na porta de ambos, trazendo consigo as dificuldades de lidar com problemas pessoais e o que antes era tranquilo se tornou turbulento.


Mesmo assim eles continuaram a permanecer com os mesmos laços, tendo em mente que não deveriam se afastar em momento algum, sempre zelando pelo bem estar um do outro. Contudo, o mundo é uma caixinha repleta de surpresas, algumas boas e outras nem tanto.


Por ele ser um completo enigma, como em um furacão tudo desabou.


A morte havia batido na porta e levado consigo NamJoon, em um simples acidente de trânsito que feriu todos aqueles que o amavam de coração, principalmente Jimin, que não soube como lidar com os seus sentimentos de perda.


Ele culpou a morte por levar o seu amigo para longe de si, mas principalmente por revelar um sentimento que ele jamais havia se dado conta anteriormente, o amor especial que sentia pelo Kim.


Jimin sempre pensou que apenas sentia admiração pelo jovem Kim, que NamJoon era apenas um grande amigo, todavia, ele o amava desde a primeira troca de olhares no início do Ensino Médio.


O seu primeiro amor surgiu ali, em meio ao tempo chuvoso regado ao som das cigarras e o vento frio balançando as folhas com delicadeza. Ele amou NamJoon desde o primeiro momento, mas por ironia do destino estava descobrindo os seus próprios sentimentos após a morte de seu amado.


E fitando o corpo imóvel e pálido no caixão ele percebeu que perdeu tempo demais, que as coisas poderiam ter sido diferentes se tivesse descoberto tudo anteriormente, eles poderiam estar juntos agora.


Suas lágrimas banhavam o rosto do homem por quem acabara de compreender que amava verdadeiramente, pensando se era de fato correspondido e pedindo perdão em sussurros para o corpo que não esbanjava a mesma vida de antes.


Jimin podia escutar os cochichos de reprovação para o ato um pouco dramático, na visão de alguns. As pessoas ao seu redor não poderiam compreender como se sentia de fato, por isso apenas os ignorou e permaneceu a conversar com o corpo, deixando que as vozes dos demais soassem em sua mente, murmurando a palavra louco diversas vezes.


E como se estivesse narrando a mais linda elegia, começou o seu desabafo por meio de um poema que parecia ter sido escrito para ambos, um poema de Cecília Meireles.


"Neste mês, as cigarras cantam e os trovões caminham por cima da terra, agarrados ao sol.

Neste mês, ao cair da tarde, a chuva corre pelas montanhas, e depois a noite é mais clara, e o canto dos grilos faz palpitar o cheiro molhado do chão.

Mas tudo é inútil, porque os seus ouvidos estão como conchas vazias, e a tua narina imóvel não recebe mais notícias do mundo que circula no vento."


Ao concluir ele decidiu carregar consigo todas as lembranças de quando se conheceram, da forma como se aproximaram e permitiu que a imaginação libertasse os seus sentimentos recém descobertos, deixando viva a imagem de seu amado NamJoon.



*Notas Finais*


Primeiramente agradeço a @pinkmeup pela marcação no tag da escrita, peço desculpas por não fazer um jornal e tals. Também quero agradecer a @Hoppas por essa belíssima capa e a do Spirit, muito obrigada meu amorzinho 💞 você é INCRÍVEL!!


Elegia é um poema triste, falando sobre a morte e esse da Cecília foi em homenagem a sua avó.


Espero que tenham gostado e me perdoem pelas possíveis lágrimas, eu também me emocionei muito ao escrever isso e a culpa é da @Vluzz por me fazer ler histórias tristes.


Twitter: @stephy_lilian


CuriousCat: https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💞

7 Mai 2020 22:59:03 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
La fin

A propos de l’auteur

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~