Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for chance to win prizes!. En savoir plus.
shinigamigrell Ane Caroline

Clay Beresford Jr é dono da Beresford Capital e convive diariamente com problemas no coração,precisando assim de um transplante para poder viver como uma pessoa normal. Já Alyssa Simons é detetive e herdeira da Simons Clothes,mas se nega a assumir a empresa por causa do ódio que sente pelo seu pai. Os dois são grandes amigos,porém,apenas um dos lados sustenta um amor muito forte.


Fanfiction Films Interdit aux moins de 18 ans.

#2007 #filme #Movie #awake #Awake---A-Vida-Por-Um-Fio #Lilith-Beresford #Clay-Beresford-Junior
1
3.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Festa de Halloween

Clay estava de pé na sacada de sua empresa quando sua mãe,Lilith,aparece atrás de si,ela estava fantasiada de freira enquanto ele estava fantasiado de capitão. Os últimos convidados da festa de Halloween da Beresford Capital estavam indo embora,a festa havia recém terminado.

A mulher abraça o filho que retribui sorrindo,ele estava pensando sobre o seu transplante,a sua cirurgia,como contaria para Lilith que estava noivo de Samantha Tunnell,enquanto sofria a pressão de ser como seu pai.

Clayton Beresford Junior tinha tudo que uma pessoa gostaria de ter: Uma mulher bonita,uma mãe carinhosa,muito dinheiro,era herdeiro de uma grande empresa que o fazia dono de metade da cidade de Nova York,mas como tudo na vida,nada é perfeito e o homem não era tão bem de saúde como de riqueza. O coração de Clay não funcionava muito bem,por isso,precisava fazer um transplante,porém,era difícil encontrar um coração do mesmo tipo sangüineo dele,já que o mesmo era O+ assim como sua mãe.

Já Lilith Beresford era uma mulher que após o falecimento do marido vivia feliz e contente,cuidava de seus problemas como se fossem nada,estava sempre de bom humor,parecia que nada poderia abalar aquela mulher forte e guerreira,que era a imagem que estava com ela em todas as capas de revistas e jornais da cidade.

-Estava pensando em irmos até a casa da família Simons...-disse Lilith-A festa da nossa empresa terminou cedo e Eliandra nos convidou para a festa dela.

-Conhecendo Eliandra,tenho certeza que a festa continua rolando até mesmo nesse horário...-disse Clay olhando as horas no relógio,que marcavam 23h-Vamos,quero ver se Alyssa está por lá.

Eliandra Simons era uma grande amiga de adolescência de Lilith,ambas engravidaram com a mesma idade,a mulher tinha duas filhas: Alyssa e Rose,22e 24anos de idade respectivamente. O pai das meninas abandonou as crianças e a mulher quando Eliandra estava grávida de Alyssa e fugiu de casa sem saber seu paradeiro,algum pouco tempo depois,ele faleceu e a mulher herdou a empresa que ele havia construído na época,pois eles não haviam se divorciado oficialmente ainda e o testamento passando os seus bens para ela não havia sido cancelado.

A mulher herdou uma marca de roupas de grife para homens,no qual,ela apenas transformou em uma marca de roupas que vendia todas as roupas,de qualquer estilo para qualquer pessoa,o que a fez tão famosa que fez com que a empresa tivesse filial em diversos locais. Já que não fizeram questão de herdar a empresa,Alyssa começou a trabalhar como Detetive no Departamento de Investigação Criminal e Rose era fotógrafa,mas as vezes,modelava para a Simons Clothes como uma forma de ajudar Eliandra.

Clay e Lilith saem da empresa,se dirigindo até a casa de Eliandra,que morava há uma quadra de distância da família Beresford. O local estava lotado,as ruas estavam cheias de carros luxuosos,mais e mais pessoas chegavam de limusine ou até mesmo de táxi.

Os dois entram no pátio da casa,dando de cara com uma Eliandra fantasiada de noiva cadáver com um vestido que Lilith reconhecia bem,era o vestido de casamento que a própria amiga havia usado para se casar com seu marido quando engravidou de Rose,a filha mais velha.

Eliandra abraça a amiga com um enorme sorriso no rosto,em seguida,abraça Clay,logo interrompendo o ato e dando pequenos pulos de alegria em vê-los.

-Pensei que não viriam...-disse a mulher-Vocês também haviam marcado uma festa para hoje.

-Sim,mas as pessoas não ficaram muito,você sabe como são esses chefes de empresas muito grandes,estão sempre ocupados...-disse Lilith sorrindo-Mas vejo que você está feliz e animada,também temos muitos convidados na sua festa.

-Ah sim,muitos chefes mandaram seus secretários ou assistentes e devo dizer,eles fazem negócios melhor do que os próprios donos de empresas...-falou Eliandra sorrindo-Já é uma dica para que eu não apareça nas próximas festas que não sejam as da Beresford Capital.

As duas começam a rir bastante,até que Eliandra percebe que Clay parecia inquieto,ele olhava para os lados e para todos os outros cantos,ela sabia o porquê,ele estava a procura de Alyssa. Fazia muito tempo que o empresário não via sua amiga,queria poder falar que a culpa era da Beresford Capital ou até mesmo do Departamento de Investigação Criminal,mas ele sabia que a moça sempre se isolava quando tinha a oportunidade.

-Sei quem você procura...-disse Eliandra apontando para uma mesa onde todos os componentes do pequeno grupo de amigos estavam vestindo trajes japoneses,bebendo e jogando UNO-Alyssa está ali,ela e os amigos decidiram vir fantasiados dos fantasmas do jogo Fatal Frame.

Clay agradece a mulher em seguida,se aproximando da mesa,Alyssa estava com uma lata de cerveja em uma das mãos enquanto restavam apenas duas cartas na outra: um sete de cor amarela e uma carta preta de +4. Para o homem,era engraçado ao mesmo tempo que era interessante vê-los vestidos como fantasmas do jogo favorito da amiga,ele tinha certeza que aquilo não havia sido uma ideia conjunta e sim,uma ideia apenas de Alyssa.

-Não queria ser malvada,mas já sendo...-disse uma moça sentada do lado direito de onde Alyssa estava,uma mulher negra de cabelos pretos e longos,usava um kimono branco e tinha cordas amarradas em seus pulsos e em seu pescoço,ela larga uma carta vermelha de +2 na pilha localizada no meio da mesa-Pode ir comprando,Jullie.

-Você está enganada Kimberly,acha mesmo que vou comprar mais duas cartas?-perguntou a moça que se chamava Jullie,uma moça branca de longos cabelos pretos,usava um kimono branco com algumas manchas vermelhas,que larga uma carta azul de +2-Será que o meu namorado Dylan quem vai comprar quatro cartinhas?

-Acho que não...-disse Dylan,um homem branco de cabelos castanho claro usando um kimono azul e uma máscara Hannya,ele joga uma carta amarela de +2-Acho que Alyssa vai comprar seis cartas.

-Que espertinho,uno...-disse Alyssa bebendo um gole de cerveja diretamente da lata,ela tinha longos cabelos pretos,usava um kimono preto com estampas brancas e seu rosto estava manchado de vermelho,ela joga sua carta de +4-Espero que você consiga revidar,Kimberly.

-O feitiço acabou de virar contra a feiticeira...-disse Kimberly pegando dez cartas de um pequeno amontoado de cartas organizadas em um canto da mesa-O karma é uma mulher ingrata que te beija e te abraça,mas te rouba e te mata.

-Nós sabemos que de mulher você entende bem.-disse Jullie sorrindo,o que fez Kimberly soltar uma curta risada.

Todos começam a rir,Dylan e Jullie olham para Clay,que continuava extremamente quieto atrás de Alyssa,a moça ainda não havia percebido a presença dele,os dois dão uma pequena risada baixa e Kimberly,ao perceber,faz o mesmo.

-O jogo deve estar muito engraçado para vocês estarem rindo desse jeito...-falou Alyssa bebendo mais um gole da sua cerveja.

-O jogo não,mas a festa com certeza está...-disse Dylan-E logo você vai perceber que estou certo,garota propaganda da Budweiser.

Alyssa revira os olhos,Dylan adorava dizer isso,já que a moça era muito fã de cerveja e geralmente,era sempre vista bebendo apenas essa marca,mas isso não significava que ela dispensava outras marcas. Assim como Dylan amava o energético,Jullie amava champanhe e Kimberly amava vinho,ela amava a cerveja.

-Nunca pensei que uma moça como você,herdeira de uma das maiores empresas de Nova York depois da Beresford Capital,está usufruindo dessa bebida...-disse Clay sentando-se ao lado da amiga.

-E você muito fino que é,querendo me dar lição de moral na frente dos meus amigos sobre cerveja sendo que você tinha o costume de beber sentado no meio fio da calçada em frente a sua casa no ano novo e fumar uma carteira de cigarros por dia...-disse Alyssa-Seu passado lhe condena,meu querido,quem gostou bate palma,quem não gostou,paciência.

-Vamos continuar o jogo ou quer parar por aqui?-perguntou Dylan.

-Vamos seguir,é a última partida mesmo...-disse Alyssa-Quero a cor vermelha.

-Ai que linda,ela tem uma carta vermelha...-disse Dylan-Evitem que o vermelho chegue nela.

Kimberly solta um quatro vermelho,Jullie larga um quatro azul e Dylan bota um quatro amarelo,o que faz Alyssa sorrir,colocar o seu sete amarelo e levantar-se da mesa imediatamente com um sorriso debochado estampado em seu rosto.

-Jogo terminado,agora vou conversar com o meu outro melhor amigo...-disse Alyssa-Não fiquem tristes,é apenas um jogo.

Todos riram e se levantaram para dançar e curtir a festa,enquanto Alyssa e Clay caminham para o outro lado,indo em direção a mesa do buffet,ela ainda com a lata de cerveja em mãos e uma expressão emburrada em seu rosto.

-Você tem mesmo que enfatizar o fato de eu ser herdeira dessa empresa,não é?-perguntou Alyssa revirando os olhos-Claramente cresci e perdi a minha identidade nesse vasto mundo,é isso?

-Sei que seu pai fez bastante besteiras quando ainda vivo e conheço a história do início ao fim,mas a empresa é maravilhosa e vai trazer muitos lucros para você...-disse Clay-Você deveria reconsiderar,a Simons é uma marca de roupas que inclui todo mundo,é uma das poucas marcasque eu vi crescer tanto assim.

-Você sabia que a minha irmã e eu só temos uma desavença na vida?E coincidentemente é sobre ficar com a empresa...-disse Alyssa-E não é algo como:"Eu quero ficar com a empresa",é algo como:"Toma essa empresa para você",nem ela e nem eu queremos.

-Mas uma de vocês vai ter que segurar essa bronca,vocês não vão vender e fingir que nada aconteceu...-disse Clay-Olha o tamanho desse império,que nem foi construído pelo seu pai,foi pela sua mãe.

-Olha,eu não me importo se no fim das contas,eu acabar ficando com essa empresa...-disse Alyssa-Mas eu não faço questão e tenho certeza que Rose também compartilha do mesmo pensamento.

Clay apenas baixa a cabeça pensando um pouco,Alyssa solta um longo suspiro,em seguida,olhando com o canto dos olhos para o amigo e logo,sorrindo,bebendo mais um pouco da sua cerveja.

-Mas,fechei uma parceria com a Lucasfilm...-disse Alyssa sorrindo-Omeuchefe doDepartamentome liberou,então meus colegas e eu faremos uma coleção de roupas baseadas em Star Wars para a Simons.

-Isso é ótimo...-disse Clay-Mas você acabou de falar que não queria a empresa.

-Posso não querer a empresa,mas isso não significa que eu não possa fazer a minha parte para ajudar a minha mãe...-disse Alyssa-A Rose é garota propaganda da Simons,modela para a marca desde que era criança e faz a parte dela,as vezes fotografa para a empresa,mesmo não querendo,então eu também posso.

Clay sorri,eles chegam até uma longa mesa onde havia uma jarra com suco em cima dela,Alyssa pega um copo,servindo um pouco de suco e entregando para o loiro,que pega,em seguida,cheirando o recipiente contendo o líquido alaranjado.

-Você não colocou álcool aqui,não é? Você sabe que não posso beber...-disse Clay-Minha condição não permite.

-Não se preocupe...-disse Alyssa-Eu mesma quem fiz.

-Confio menos ainda...-disse Clay.

-Não tem álcool,pode beber a vontade...-disse Alyssa com uma expressão tediosa em seu rosto-Que horror,você me trata como se eu fosse uma bêbada que está sempre caindo pelos cantos.

-Confesso que você não faz isso sempre...-disse Clay-Mas desde que você descobriu a maravilha de estar alta,as festas se tornaram divertidas para você e tormentosas para os seus amigos.

-O álcool me faz esquecer todos os problemas com o meu pai,com a Simons,com os meus amores não correspondidos...-disse Alyssa de cabeça baixa-Mas ele não os resolve,por isso que não bebo até cair em festas como você sempre deixa aparentar.

Clay sorri,os dois passam um longo tempo conversando sobre vários assuntos,era um momento que havia se tornado raro fazia um bom tempo e agora,havia voltado a se fazer presentes naquela noite.

22 Avril 2020 22:05:24 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Conversa profunda

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 22 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Plus d'histoires

Promiscuous Promiscuous
Lunaria River Lunaria River