ageha_sakura Ageha Sakura

Jiwoo é uma garota peculiar, desde a infância sempre enxergou o mundo com outros olhos, via e ouvia o que os demais não conseguiam compreender. A alguns dias as estrelas diziam-lhe sobre um certo rapaz, seu nome era Matthew, contudo vivia escondendo o seu verdadeiro eu, dando vida ao bad boy mais famoso da faculdade. O destino de ambos estava selado, apenas as estrelas sabiam que Jiwoo era a pessoa certa para libertá-lo daquela prisão.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#matthew-kim #jeon-jiwoo #kard #bmcozinheiro #matthewcozinheiro #jiwoobailarina #jiwoo #bmwoo #mattwoo #bwoo
2
1.7k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Único; o sussurro das estrelas

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "As estrelas falam sobre você"!


Espero que gostem dessa fic bwoo simples, mas feita com muito amor 💞 escutem Make You Mine do PUBLIC!


_________________


Era uma noite tranquila e fria como as outras, as estrelas brilhavam com intensidade naquela parte sem iluminação da cidade.


Os fios loiros de Jiwoo voavam com a força do vento, seus olhos castanhos refletiam a constelação totalmente exposta no céu. Um sorriso doce pintava seus lábios cor de cereja, desfrutando da conversa silenciosa com os astros.


A Jeon é uma garota bastante simples, tudo ao seu redor era belo da sua vida forma, do jeito que haviam sido feitas. Desde que era apenas uma criancinha, sempre enxergou o mundo de outra forma, distanciando das crianças de sua idade e almejando algo maior.


A peculiaridade da garota chamava bastante atenção, todos achavam que ela não passava de uma louca qualquer e por isso aos poucos foram a isolando, impedindo que a garota estranha de Busan se aproximasse deles.


Todavia, nada daquilo havia atingido o coração delicado de Jiwoo. Sempre teve a certeza de que nunca estaria sozinha, mesmo que todos a tratassem como um ser invisível e perigoso, ainda sim teria a companhia delas, as estrelas.


As pernas balançavam, o clima gostoso tornando sempre um companheiro para aqueles momentos de aparência solitária para muitos. Aproveitou para tomar um pequeno gole da bebida quente que havia trazido consigo, abraçando seu corpo em seguida enquanto sentia a pele gelar cada vez mais.


— Está na hora de ir, amanhã será mais um dia cheio no balé. – Levantou-se, buscou pelos tênis all star na cor laranja e os calçou, pegando a mochila na cor violeta e seguindo seu caminho de volta ao apartamento da universidade.


Seus passos eram tranquilos, as alças da mochila eram seguradas com leveza enquanto inspirava o cheirinho gostoso das folhas e da grama recém regada. Virou o quarteirão que levava para os dormitórios femininos, cruzando com um rapaz de estatura alta, braços musculosos e cabelos escuros como a noite. Sorriu pequeno, sabendo quem era aquele rapaz com ar de um típico bad boy.


Mais alguns minutos e havia finalmente chegado, abriu a porta silenciosamente para não acordar sua colega de quarto. Tirou os tênis e os guardou na pequena prateleira de sapatos, buscando em seguida pelos chinelos felpudos com rosto do Sullivan dos Monstros S.A.


A mochila foi colocada ao lado da cama, a roupa trocada ali mesmo por uma camisola preta com detalhes floridos, dirigindo-se em seguida para o banheiro fazer suas devidas necessidades.


Ao terminar, voltou para a cama, desfrutando do caloroso conforto dos lençóis quentinhos e das vozes silenciosas e acalentadoras lhe desejando uma boa noite.


[.⭐.]


— 1, 2, 3... – HyeJin, sua professora de balé, fazia a contagem de quantas piruetas deveriam fazer. Sua expressão séria se contradizia com a beleza da mulher, sua pele dourada como o sol e os cabelos negros que desciam como cascatas pelos seus ombros — Adagio, não se esqueçam de firmarem a postura!


Jiwoo seguia os passos a risca, dançando com delicadeza e sem errar uma vez sequer, o que comparado ao passado havia tido uma grande melhora, seu desempenho se tornando ainda mais eficaz.


Os olhares intensos que recebia e os resmungos irritados direcionados a si eram divertidos, a forma como a inveja humana os corrompia confessava ser um pouco assustadora, contudo, estava acostumada com toda aquela corrente de negatividade sempre direcionada a si.


Fez um Plié, em seguida um simples giro e concluiu a coreografia com perfeição no mesmo tempo que a maioria dos seus colegas. HyeJin sorriu docemente para si, sempre reconhecendo o seu talento e sendo uma das pessoas que a motivaram a continuar nas aulas de dança.


— Por hoje é só! – Exclamou HyeJin, aproximando-se da caixa de som e a desligando em seguida, voltando para dizer um último aviso — Não se esqueçam de descansarem durante esses quatro dias, não quero que treinem novamente por competição ou medo da apresentação. Lembrem-se: os corpos de um dançarino nunca esquece os devidos passos, por isso confiem em vocês mesmos e em seus potenciais.


Todos aplaudiram a mais velha, agradecendo pela força que ela sempre fazia questão de mandar como forma de incentivá-los a vencerem seus próprios medos e brilharem nos palcos.


Jiwoo sorriu largo para a professora, o carinho que tem pela mais velha falando ainda mais alto. Aproximou-se de HyeJin, abraçando-a por trás enquanto escutava as risadas como resposta.


— Mais uma vez brilhou no meio dos outros, sempre tão chamativa e encantadora como uma estrela. – Confessou a professora, livrando-se do abraço da aluna e a olhando de frente — Tenho plena certeza de que a minha linda estrelinha irá brilhar intensamente naquele palco.


— Sou eternamente grata por acreditar em mim, muito obrigada HyeJin-noona. – Curvou-se em agradecimento a mais velha, recebendo mais risadas em resposta — Farei o meu melhor no festival da faculdade.


— Sei que sim, boa sorte.


— Obrigada. – Segurou as mãos de HyeJin, acariciando-as com leveza e se curvando novamente — A senhora é como uma irmã para mim, não irei lhe decepcionar.


— Eu sei muito bem disso, também a enxergo como minha bela irmãzinha. – Segurou o queixo da garota, a fazendo olhar no fundo dos seus olhos — Você não está sozinha, estrelinha.


Nunca estou, noona. – O sorriso fofo contagiou a professora, não conseguindo resistir em abraçar a garota em seguida como forma de demonstrar o quanto se importava com a Jeon.


Após uma breve conversa, regada a risadas e demonstrações afetivas, Jiwoo seguiu o seu rumo para o seu refúgio secreto em meio a faculdade, não esquecendo-se de antes passar na lanchonete mais próxima e comprar o seu almoço.


Faria a refeição na tranquilidade do terraço, aproveitando da ventania agradável e do cheiro das flores florescendo na primavera.


[.⭐.]


A manhã estava sendo tranquila para o jovem Kim.


Assim que chegou na universidade fora recebido pelas garotas que sempre o perseguiram, cumprimentou todos os seus amigos e faltou a primeira aula do seu curso, como era de costume.


Estava escondido em meio as arquibancadas da quadra, rodeado dos amigos que bebiam e ficavam uns com os outros, tornando aquela manhã festiva de uma forma negativa.


Matthew sempre teve uma fama de bad boy, levava a sério o seu papel como o maior pegador da faculdade, sempre negando-se a repetir seus ficantes, sejam eles homens ou mulheres.


Frequentava diversas festas realizadas nas fraternidades da faculdade, todas regadas a muito álcool, drogas e sexo. Não existia uma noite sequer em que não saísse acompanhado, seja em baladas ou apenas encontros com seus amigos.


Era a vida que qualquer jovem de sua idade desejava e almejava, da mesma forma como era retratada em filmes de comédia adolescente, entretanto, não gostava de verdade da sua realidade.


Suas faces de puro prazer e satisfação eram falsas. Em nenhum momento se sentia satisfeito de se envolver naquele mundo, na verdade preferia viver a tranquilidade que muitos outros tinham. Por ele, viveria em meio ao que amava fazer, cozinhar.


Desde a infância sempre teve uma gigantesca paixão pela arte da culinária, pois havia crescido em meio aos temperos caseiros de sua avó e o barulho tentador das panelas. O cheiro delicioso da comida, a forma divertida do preparo, tudo o atraía de verdade, era aquilo que preferia fazer a viver uma mentira com pessoas falsas que não se importavam consigo de verdade.


Contudo, seus pais nunca aprovaram seu sonho e ele acabou entrando naquele universo como uma forma de fugir de seus problemas. Fazia faculdade de administração, como ordenara seu pai, pois segundo ele deveria regir a empresa no futuro, seguindo os passos do Kim mais velho e ignorando seus sonhos ridículos de infância.


Estava acorrentado pelos ideias de alguém que na realidade não se importava consigo, vivendo da forma que jamais havia desejado e pagando o preço por isso. A felicidade não existia no rapaz.


Levantou-se de supetão, sendo ignorado pelos demais que continuavam a desfrutar de seus momentos prazerosos, aproveitando para seguir o rumo para um lugar longe dali.


Seus passos eram duros, sua irritação era perceptível graças a carranca que dominava seu rosto. Estava furioso com tudo e todos, apenas gostaria de desaparecer daquele mundo, fugir para um lugar onde pudesse ser ele mesmo, seguir o que sempre sonhava e dá ouvidos apenas àquilo que o fazia feliz de verdade.


Encostou-se no tronco de uma árvore alta, suas folhas estavam totalmente esverdeadas e o cheiro vindo dela servia como um calmante para o seu coração e a sua consciência pesada. Fechou os olhos com delicadeza, aproveitando a brisa gostosa que parecia o confortar naquele momento, indicando-lhe de que não estava sozinho naquele momento difícil. Sorriu pequeno, grato por sentir que estava em paz.


Ao abrir seus olhos, fitou a loja de conveniência que ficava dentro da universidade, a paixão pela culinária e os alimentos falando mais alto, fazendo-o tomar a decisão de cozinhar, rever a sua paixão como forma de amenizar toda aquela dor.


[.⭐.]


As mãos habilidosas cortavam os legumes com delicadeza e precisão, degustando de cada momento com um imenso prazer.


A cozinha era o seu lar. O cheiro de tempero, o gosto tentador da comida e o barulho nostálgico das panelas o levavam de volta a cozinha de sua avó, relembrando os momentos em que era feliz de verdade.


Sentia falta daquela sensação, após toda a turbulência causada pela sua família, Matthew havia se afastado do que mais amava, fazia dois anos que não cozinhava e quando tentava começava a chorar, as lágrimas caindo dolorosas e perfuradoras.


Sentia muita falta de sua avó, Agnella era a mulher mais sábia e generosa que havia conhecido, infelizmente seu pai não havia puxado nenhum traço da mulher e por isso não honrava de fato a mulher que teve a honra de chamar de mãe.


Quando terminou de fazer o Bibimbap, decidiu aproveitar para esquentar e temperar o Kimchi que havia comprado no mercado. Colocou tudo no prato, enfeitando com folhas de hortelã, decidido a desfrutar da sua comida no terraço esquecido do velho prédio de culinária, o seu refúgio naquele momento.


Subiu os degraus com calma, temendo derrubar tudo devido ao certo azar que sempre o acompanhava em momentos inoportunos como aquele. Chegando no final, estranhou a porta azul descascada estar entreaberta, por isso tomou cuidado ao se aproximar do lugar, tentando enxergar quem estava ali.


Os fios loiros voavam com intensidade, a mulher de estatura pequena estava vestida com uma calça jeans clara, usando uma jaqueta vermelha que cobria até uma parte das suas coxas, mostrando que a garota preferia roupas largas com cores chamativas.


Aproximou-se temeroso, torcendo para que ela não o reconhecesse e acabasse delatando que o famoso bad boy era na verdade um mentiroso amante da culinária.


Não precisa temer a nós, não iremos fazer mal algum a você, confie. – Assustou-se quando a voz doce e delicada da garota pronunciou aquilo, referindo-se ao plural sendo que havia apenas os dois no terraço.


Nós? – Perguntou, estranhando a forma como ela havia dito aquilo — Só estamos nós dois aqui, e tenho plena certeza de que está falando de outras pessoas sem me incluir nessa.


Observou a garota virar em sua direção, o sorriso largo e belo como ela.


Sim, nós. – Jiwoo primeiro apontou para si mesma, em seguida ergueu o braço e indicou as estrelas brilhantes na imensidão do céu.


As estrelas? – A voz de Matthew saiu falha, não conseguindo entender a mente estranha da garota peculiar a sua frente.


Sim, as estrelas. – Confirmou a Jeon em tom calmo, o sorriso grandioso não saindo de seu rosto — Sabe garoto, as estrelas falam sobre você.


— Você é louca! – Exclamou o Kim assustado, não estava gostando nada daquela garota estranha e da forma sorridente que o encantava de alguma forma — Estrelas não falam!


— Você está enganado, Matthew Kim. – A voz séria de Jiwoo assustou ainda mais o rapaz, como ela poderia saber o seu nome? — Eu sei tudo sobre você e minha missão é apenas transmitir o recado delas.


Matthew engoliu em seco, tomando a decisão de dar as costas a moça enquanto segurava firme o prato com comida e caminhava em direção a saída.


— Você não pode fugir para sempre. – Começou Jiwoo, fazendo-o parar de imediato — Desde aquele dia, digo, o dia em que sua amada avó faleceu, você vem fugindo de si mesmo, escondendo-se em faces mentirosas, negando a abrir suas próprias asas e voar em direção aos seus sonhos.


A fala da garota serviu como mil agulhas que feriam sua pele com intensidade, tão mortais como uma bala sendo disparada em direção a sua carne, perfurando e causando um grande estrago.


Relembrar a morte de Agnella era ruim, nunca havia conseguido superar a morte da mulher que sempre admirou, que era como uma mãe para si. Ela havia o criado, ensinou tudo o que precisava saber e hoje não estava mais ali consigo, apoiando-lhe a enfrentar seus pais e seguir o caminho do seu sonho.


— O que quer que eu faça!? – Exclamou raivoso, a ira o consumia e as lágrimas brotavam em seus olhos, molhando suas bochechas avermelhadas por causa do frio — Ela se foi, minha mãe não vai mais voltar e não existe ninguém que irá comemorar quando eu conseguir virar um chef!


— E, mais uma vez, você está enganado. – Comentou Jiwoo, aproximando-se do rapaz delicadamente — Eu estou aqui por você, nós estamos. – O sorriso largo e delicado da jovem atingiu o rapaz, a brisa calma o envolvendo como um abraço indireto vindo das estrelas.


— Você nem ao mesmo me conhece, nunca sequer cruzamos o mesmo caminho, porque perderia seu tempo indo até mim? – A voz pergunta falha, a dor aos poucos deixando lugar para a pontinha de esperança que nascia em seu peito.


— Nós nos cruzamos muitas vezes, você apenas não se lembra disso. – Respondeu a Jeon, os passos aproximando-se ainda mais do rapaz — E sei tudo sobre você, tudo o que elas me dizem porque te amam com intensidade, mas podemos nos conhecer pessoalmente, apenas tome a decisão que sempre quis desde o começo, não fuja do seu destino, Matthew.


A voz suave falando o seu nome servia como uma forma de acalmá-lo, tranquilizando e ajudando-o a enfrentar ele mesmo, o maior motivo de impedi-lo de seguir seus sonhos.


— Eu vou tentar, mas não prometo nada. – Respondeu por fim, sentindo os dedos macios da Jeon acariciando sua face e limpando as lágrimas que antes molhavam suas bochechas — Vão estar mesmo me apoiando?


— Sempre que precisar.


— Obrigado. – Sorriu pequeno para a garota, olhando-a nos olhos — Como se chama?


— Jeon Jiwoo. Sou bailarina, faço dança a dois anos com An HyeJin. – Informou a Jeon, prevendo as diversas perguntas que ele iria fazer.


— Entendo – murmurou baixo, os olhos ainda fitando os intensos de Jiwoo — Desde quando vocês conversam?


— Não sei ao certo, mas a bastante tempo, por isso muitos me odeiam nessa cidade. Sou a bruxa de Busan. – Respondeu, rindo logo em seguida e sendo surpreendida por um abraço desajeitado do rapaz que ainda segurava o prato, que com toda certeza estava com a comida fria.


— A bruxa mais incrível desse mundo, obrigado por tudo. – Agradeceu rente ao pescoço da garota, sentindo o cheirinho de mirtilo que exalava dela.


— Não precisa agradecer, grandão. Agora acho melhor irmos, sua comida está gelada e precisamos esquentá-la. – Recomendou a loira, sendo seguida pelo rapaz que a soltou e, equilibrando o prato, desceu acompanhado da garota.


Depois de alguns minutos eles conseguiram esquentar a comida, podendo provar do talento e do recomeço de Matthew. A partir dali ele percorreria o caminho que tanto almejou, tendo a companhia da bruxa de Busan e das estrelas que sempre estariam ali por si, como guias enviados pela sua amada avó.


Jiwoo era uma garota excêntrica e peculiar, uma bruxa cheia de encantos e feitiços capazes de seduzir o coraçãozinho do grande Matthew, tudo isso graças aos sussurros que as estrelas diziam a Jeon, pois elas sempre falavam sobre ele para a garota, expondo a sua admiração pela bailarina solitária da Universidade.

*Notas Finais*


Gostaria de agradecer a @donatellx por essa capa lindíssima, estou completamente apaixonada por essa belezura 💞💖


Espero que tenham gostado dessa bwoo fofinha, continuem dando amor ao KARD e eu tava com saudades de escrever sobre eles.


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos numa próxima história 💕



14 Avril 2020 18:15:55 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
La fin

A propos de l’auteur

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~