ageha_sakura Ageha Sakura

O terceiro ano estava chegando ao fim e Jeongguk precisava dizer a TaeHyung como se sentiu durante os longos três anos que viveu junto dele, mesmo que nunca tivessem sequer trocado uma simples conversa. TaeHyung não sabia de sua existência e assim permaneceria, apenas precisava entregar o pequeno envelope azul e deixar que os seus sentimentos guiassem o Kim mundo a fora, mesmo que a adeus fosse para sempre.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#bts #taeguk #taegguk #kookv #vkook #taekook
3
1.6k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Único; o papel violeta e o adeus definitivo

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Goodbye Forever"!


Espero que gostem da primeira história com final triste que escrevo, sinto muito por isso mas foi necessário e boa leitura 💞


_________________


Foi na primavera que nos encontramos pela primeira vez.


Eu era novo na cidade, havia mudado a pouco tempo e estava começando o primeiro ano em uma escola com completo desconhecidos, sentindo como se estivesse sozinho naquele mundo.


Contudo, bastou fitar a sua imagem e eu estava completamente encantado por você. Os seus fios azulados como a cor do céu dançavam junto ao vento, colorindo aquele imenso corredor de árvores de cerejeira próximo a escola.


Você estava de costas, parecia estar admirando a beleza que eram aquelas árvores desabrochando na primavera. Enquanto isso eu apenas estava ali, imerso nos seus simples encantos enquanto tentava raciocinar toda aquela sensação borbulhante em meu estômago. Talvez estivesse caindo nos seus encantos, criando uma ilusão com as fantasias da minha cabeça, mas o que poderia fazer se você era o causador de tudo aquilo?


Aquela sensação era diferente e por medo, fugi. Corri em direção ao prédio, fugindo de tudo mesmo tendo a certeza de que iríamos nos encontrar diversas vezes, e talvez, só talvez, pudéssemos nos aproximar.


Infelizmente nada ocorreu como eu desejamos, pois você é inalcançável, TaeHyung.


Lembro-me com clareza daquela manhã, na escadaria dos fundos da quadra poliesportiva, você estava segurando seu violino com firmeza enquanto fazia ressonar notas harmoniosas, capazes de induzir-me a persegui-las e te encontrar, podendo assim admirá-lo mais uma vez em segredo.


Seus olhos castanhos cor de mel estavam fechados, os fios azuis balançavam com calma e o corpo dançava ao som da própria melodia que reproduzia. Naquela canção eu sabia que existiam segredos, motivos e palavras que confessavam como se sentia de verdade. Aquele belo rapaz que todos admiravam no fundo escondido algo, tinha um segredo que confessava apenas ao seu violino, o único que poderia compreendê-lo de verdade.


Por um pequeno instante eu desejei ser como ele, conquistar a sua confiança e ser o suporte que tanto necessitava. Queria abraçá-lo e dizer que tudo ficaria bem, que não importasse o que poderia acontecer, pois eu sempre estaria ali por você.


Todavia, nada foi dito naquele momento. Meu silêncio foi a única coisa que você conseguiu ouvir.


Novamente os dias iam passando, todos com certas pressa enquanto meu coração apenas palpitava rapidamente por você, somente por Kim TaeHyung.


Era constrangedor nunca ter direcionado uma palavra sequer a você, mas sempre estar te observando em segredo e fugindo de qualquer oportunidade de uma conversa cara a cara.


Se me perguntares o porque nem eu mesmo sei dizer, apenas acontecia, não conseguia evitar o fato de que perdia a voz e a noção quando estava tão próximo a você.


TaeHyung sempre foi a minha inspiração, a razão pela qual surportei os momentos difíceis e consegui fazer amizades verdadeiras e duradouras. Sua música e o seu eu eram suficientes para motivarem este pobre garoto amedrontado.


Obrigado. Eu realmente agradeço por tudo que fez por mim, mesmo que não tenha a mínima consciência, até agora.


Talvez não queira saber sobre mim, porém irei contar mesmo assim.


Sou um rapaz simples, uso roupas despojadas e nada chamativas, tenho paixão pela arte e vivo rabiscando as paredes e os meus cadernos. O mundo para mim é uma obra de arte, entretanto, ainda não encontrei arte maior do que Kim TaeHyung.


Não passo de um mero admirador, confesso, mas não resisti, não fui capaz de também fugir dos meus sentimentos, eles eram e ainda são fortes demais para simplesmente conseguir apagá-los. Não desgosto deles, são especiais e serviram para transformar-me aos poucos, mudando as características ruins que você odiaria se as conhecesse.


Talvez esteja se perguntando se estudamos juntos, se éramos da mesma série ou havia outra diferença. Saiba que sempre estivemos juntos, idades, sonhos e personalidades completamente diferentes, mas as salas eram as mesmas durante todos esses três longos anos.


É provável que nunca tenha notado a minha existência, pois Jeon Jeongguk nunca foi um garoto chamativo e nem fazia questão de ser, já que era melhor manter distância do que ficar tão perto assim.


Acredito que em sua memória deve estar claro a época da peça que fizemos no segundo ano, A Bela Adormecida. Você era o príncipe e eu apenas o costureiro. Sim, eu costurei suas roupas e te ajudei na troca.


Acredite se quiser, mas fui forçado a participar e o único contato que tivemos foi aquele. Deve ter sido completamente insignificante, já que não troquei palavras consigo em nenhum momento, mesmo vendo o seu estado de nervosismo, peço perdão por isso. Tenho plena certeza de que não se deus ao trabalho de decorar o rosto de alguém tão esnobe como eu, por isso não se preocupe, o único que tinha motivos para se sentir estranho na sua frente era eu.


Entenda meu lado, não era fácil para mim estar tão perto do rapaz que sempre amei, poder tocar a sua pele nua e fingir que nada daquilo era importante. Poder fitar de perto a sua expressão séria, o maxilar travado e a pele amorenada em contraste com os mesmos fios azulados. Você é a definição de perfeição, não existia nada em você que eu não pudesse admirar, pois você é a minha arte particular.


Aquele dia no palco foi a maior prova, o brilho do seu sorriso para o público e a sua perfeita atuação, continuava a não existir motivos para não gostar de você.


Realmente nunca irei me cansar de admirá-lo, TaeHyung. Nunca.


Lembra-se das milhares de declarações e cartas que já chegou a receber? Das propostas de namoros inusitados e dos fã clubes que lutavam por sua atenção? É possível que não exista um que tenha o conhecido e não tenha se apaixonado por si, pois tu és perfeito, até mesmo os teus defeitos são sinônimos da mais pura perfeição.


Por isso, enquanto escrevia esta carta, pensei seriamente na possibilidade de você acabar nunca lendo e tendo consciência dos meus sentimentos, todavia eu não irei desistir e darei o meu melhor para te entregar, claro, sem que você saiba.


Por último, antes de encerrarmos este imenso monólogo que era para ser uma mera carta de amor, gostaria de lembrá-lo do penúltimo momento que tive com você.


Já estávamos no terceiro ano, faltavam apenas três meses para encerrá-lo e você já tinha decidido que iria seguir a carreira como violinista. Era quinta-feira, tínhamos aula de Educação Física e você acabou passando mal, foi levado imediatamente para a Enfermaria.


Naquele mesmo dia, aulas antes, tinham me pedido para ajudar a enfermeira com a separação de medicamentos e outros utensílios. Coincidência? Talvez podemos chamar assim. Você chegou quase inconsciente, tonto e febril, tive que me controlar para não surtar e correr para cuidar de ti.


Não sei se lembra do calor das nossas mãos juntas, mas foi o que aconteceu. Eu cuidei de tirar o excesso de suor do seu corpo e verificar sua temperatura, acabando por um momento você segurar a minha mão e pedir em resmungos que não a soltasse.


E como um bobo apaixonado que sempre fui, cedi ao seu pedido.


Passamos o restante do dia assim, de mãos dadas até chegar os seus parentes e eu romper de uma vez aquele contato aquecedor. As vezes penso que me aproveitei da sua fraqueza, contudo não me arrependo, para uma última vez valia a pena.


Importante é saber que melhorou, que agora deve estar na Europa começando sua carreira como violinista e encantando a todos com sua música. Tenho certeza de que tudo está indo bem.


Conquiste todos como sempre tem feito, construa sua família seja com um homem ou uma mulher, apenas seja feliz e, por favor, guarde meus sentimentos e lembranças transcritos nesta carta como uma forma de saber que sempre, sempre existiu alguém que o amou de verdade e no futuro existirá ainda mais.


Seja feliz e sempre mostre o seu belo sorriso retangular.


Com amor, Jeon Jeongguk.


[.💌.]


Dobrou o papel violeta ao meio, guardando-o centro do envelope azul e colocou o destinatário e o seu nome. Colocou com cuidado dentro do caderno, esperando para entregar no dia seguinte e poder retirar todo aquele peso das suas costas.


Amanhã seria o último dia de aula, todos iriam seguir atrás de seus sonhos e restava a si fazer o mesmo, mas antes era necessário entregar aquela carta secretamente ao Kim.


Já estava tarde e precisava dormir, contudo, o sono não vinha e a ansiedade atrapalhava todas as suas chances de relaxar antes do desafio que seria suportar o último dia e a última vez que veria TaeHyung de perto.


O peito começava a doer quando pensava nisso, todavia, o adeus era necessário.


Seus olhos foram pesando aos poucos, o cansaço vencendo seu corpo e o fazendo adormecer com destino ao mundo dos sonhos.

[.💌.]


Era uma manhã fria, a neve caía com gentileza como se servisse de consolo ao jovem Jeon.


Jeongguk sabia que a despedida silenciosa seria difícil, que deixar TaeHyung partir era ruim, contudo seguiria até o fim.


Ele não precisava lembrar de si, saber quem era realmente seu admirador, apenas precisava seguir os seus sonhos e viver sua vida longe de si. Pois para Jeongguk a felicidade de TaeHyung era mais do que suficiente.


Tomou seu banho, fez todas as suas higienes e vestiu a farda escolar, podendo fitar a sua imagem no espelho com aquela roupa pela última vez. Um pequeno sorriso brotou em seus lábios, sendo desfeito segundos depois com a lembrança de nunca mais poder ver o Kim.


Afastou os pensamentos ruins e pegou a mochila, decidido a continuar com tudo e libertar de uma vez todos aqueles sentimentos, mandando-os para longe junto a TaeHyung.


Alimentou-se direito, levou alguns lanches na bolsa e seguiu seu caminho tranquilo pela neve.


O clima frio o abraçava com força, envolvendo-o em um ato fraterno e encorajador, incentivando e consolando-o pelo que iria acontecer.


De longe ele fitou o lugar do primeiro encontro, a primeira vez que pôde vislumbrar a imagem de TaeHyung debaixo das árvores de cerejeira. Um sorriso espontâneo e verdadeiro pintou seus lábios, decidindo guardar aquela lembrança para sempre gravada em seu coração.


Aos poucos ia se aproximando do velho prédio escolar, aproveitando aquela sensação de despedida silenciosa do lugar que serviu como palco para os seus sentimentos. Ali ele conheceu e mudou por causa do Kim, conseguiu ser uma pessoa melhor e permaneceria assim, sofrendo pequenas mudanças e formando uma versão nova de Jeon Jeongguk.


Sentou-se no lugar de sempre, na fileira do meio enquanto escutava as risadas audíveis do amor da sua vida. Se pudesse gravaria as risadas do rapaz como toque do seu celular, entretanto, o melhor a se fazer era apenas seguir como sempre, observando e não sendo notado.


As aulas finais terminaram rapidamente, o tempo parecia totalmente ao seu favor, principalmente quando lhe proporcionou o momento perfeito para colocar o pequeno envelope azul dentro da mochila de TaeHyung.


Que os meus sentimentos te incentivem a voar ainda mais alto. – Pediu silenciosamente, retirando-se do lugar e seguindo seu caminho em direção a saída do prédio escolar.


Os passos eram lentos, cada lugar que passava diversas lembranças de alguns momentos iam surgindo. O coração ia aumentando as batidas gradativamente, as lágrimas brotando em seus olhos e a vontade de chorar dominando todo o seu corpo.


A dor do adeus era verdadeira, torturadora e impiedosa.


O frio intenso daquele dia parecia congelar seus passos e o tempo ao seu redor. Sem perceber havia chegado em frente a entrada, abriu seu armário e tirou os sapatos, trocando-os pelos que deveria sair.


Suspiros tristonhos escapavam de segundo em segundo, sustentando as lágrimas nos olhos e impedindo-as de caírem naquele momento.


Fechou e trancou a portinha do armário e ao virar encarou as costas tão conhecidas por si, TaeHyung parecia animado, o sorriso largo e os amigos o esperavam do lado de fora, chamando por si a todo momento.


Quando ele terminou de trocar os sapatos e virou em sua direção, não conseguiu resistir em admirar uma última vez a imagem do rapaz e sendo visivelmente notado pelo Kim, pela primeira vez.


O sorriso do rapaz ficou largo, indo de orelha a orelha e os olhos sorriram juntos, um pequeno aceno em sua direção, sumindo logo em seguida.


Nunca esperou que justamente naquele momento TaeHyung notaria a sua existência, sorriria somente para si e ainda se despediria daquela forma gentil.


Ver o rapaz se distanciando e levando, mesmo sem saber, seus sentimentos embora, era doloroso. Não conseguiu mais segurar as lágrimas e as deixou caírem, molhando suas bochechas gordinhas enquanto lembrava com clareza do sorriso doce e aquecedor de TaeHyung.


Seu coração e seu rosto estavam aquecidos, nem mesmo o frio do inverno seriam capazes de mudar aquele pequeno aumento de temperatura, todavia nada mudava o fato de ser uma despedida.


Aquele era o adeus definitivo e ele sabia muito bem disso, por isso não resistiu em gritar pelo nome do seu amado, iria responder aquele sorriso da forma que poderia, pois aquele era o momento final.


TaeHyung! Kim TaeHyung!! – Os passos do Kim cessaram de imediato, o rosto buscou pela voz que lhe chamava até encontrarem aquele mesmo garoto que o fitava em silêncio minutos antes.


Ele sorriu largo para o rapaz, esperando o que ele diria a si e apenas recebeu um sorriso tão grande quanto o seu, os olhinhos inchados também sorrindo para si.


Ver aquele sorriso de alguma forma fez o seu peito doer, mesmo não sabendo o motivo apenas permaneceu sorrindo, podendo em seguida ir embora.


Jeongguk assistiu a tudo e agora estava consciente, eram um adeus para sempre e não poderia mudar isso, tudo deveria seguir como estava, pois um sorriso do homem que amava era o suficiente para si, apenas ter aquele breve momento ao lado dele.


Sorriu por uma última vez, às lágrimas ainda presentes e o coração totalmente despedaçado, mas acima de tudo estava feliz pois seus sentimentos alçaram que tanto amava.


A chama do seu amor tocou TaeHyung e o guiaria por toda a vida, incentivando-o a seguir seus sonhos como um belo violinista.


Jeongguk nunca esqueceria do rapaz de fios azulados e nem TaeHyung esqueceria do garoto de sorriso triste, mesmo que seguissem caminhos completamente diferentes, agarrados aos seus sonhos e as novas vidas que os esperavam mundo a fora.


*Notas Finais*


Primeiramente gostaria de agradecer a @donatellx por fazer essa linda capa, muito obrigada de verdade meu amor, está do jeito que imaginei💖


Recomendo que escutem Moral of the story da Ashe e I Will da Chelsy (opening de Ao Haru Ride) 💜🤧


Obrigada a todos por chegarem até aqui, espero que tenham gostado 💞 @Vluzz eu te amo e é isso.


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos numa próxima história 💕

13 Avril 2020 12:38:14 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
La fin

A propos de l’auteur

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~