zahir Zahir Fernweh

Sequência de "Fated to War" O mundo estava unido, e prosperava. A coroa finalmente estava inteira e, dela, surgiu uma joia, que mostrava o quanto ela era rica, poderosa… Única. Mas algo único, muitas vezes, pode ser de difícil compreensão e controle, às vezes, é necessário buscar fontes que conheçam e sejam capazes de lidar com o desconhecido. Mas e se essa fonte for algo ainda mais desconhecido e não confiável? Algo ainda mais perigoso e destinado a permanecer afastado de todos que não sejam de sua própria raça. Uma ameaça conveniente. Uma segregação muito mais complexa do que a era do domínio do Norte e domínio do Sul. Alarik Aíron Apemantus, jóia da coroa imperial, filho de nascença de Cassian Apemantus e Edan Aíron e herdeiro do império mundial. A criança nasceu de um homem, fato que já está fora do imaginável da mente do povo, mas ele nasceu diferente, e seus pais, imperadores, não tinham como controlar de fato essa diferença, sem comprometer seu filho. Então, eles buscaram uma alternativa, uma perigosa. Escolheram ir atrás do dragão milenar que vivia debaixo de Titânia. Algo, com certeza, estava destinado a ocorrer a partir desse encontro. Uma relação que pode causar perdas, ódio e guerra, não mais entre a raça humana, mas entre dragões e dragão, porém, a derrota humana seria certeira. Ou esse destino pode mudar, Cassian e Edan foram destinados à guerra. Alarik, destinado ao poder. Mas, às vezes, o destino nem sempre segue com os planos.


Fantaisie Médiévale Interdit aux moins de 18 ans.

#dragões #imperios #reinos #lgbt #gay
7
3.7k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Prefácio

Prefácio

Estava tudo branco, o som que se escutava era um grito choroso, cada vez mais alto. O que havia gerado aquilo? Por que ele não parava?

Todos corriam em pânico, sem saberem o que fazer com o jovem príncipe, com apenas 7 anos de idade.

— Alarik, calma, o papai está aqui, não precisa desesperar-se.— disse Edan, segurando o rosto do filho, que não abria os olhos.— Já passou, meu príncipe, não dói mais.

O garoto se acalmava aos poucos, respirando fundo.

— Está tudo branco, papai… Ainda formiga… — disse o menino, abrindo os olhos.

O olho direito estava branco, iluminado, ao invés de prata, enquanto o esquerdo continuava dourado, sem qualquer brilho.

Edan olhou para Cassian, preocupado, então puxou o filho mais para si, abraçando-o.

— Tudo bem, vamos dar um jeito nisso.

O Rei negro ponderava, olhando o filho.

— Não me parece ser algo que alguém já tenha lidado… Os gêmeos têm isso de enxergar as auras, mas nele parece ser algo maior, e não parece ser em uma quantidade proporcional para a idade dele. Está vindo em alta potência e sem controle...—ponderava Cassian, então andou pelo quarto, até que olhou uma pequena caixa, em que lembrou que havia guardado o diamante do dragão, o diamante que o fez perder o nascimento do filho, por conta de um dragão exigente que o fez buscá-lo. Ainda não havia entregado o diamante à fera, eles disseram que iriam entregá-lo, mas não disseram quando, e decidiram fazê-lo esperar pelos últimos sete anos.— Edan… Talvez a besta consiga lidar com isso. Nós não conseguimos controlar durantes os últimos dois anos de maneira eficaz, usando nossa própria magia. Não podemos usar a droga nele, e a mente dele não está tendo o controle ainda.— disse, olhando o Rei de prata, seu marido, com seu filho.

Edan olhou para o filho por um momento. Ambos estavam no chão do quarto do príncipe, com o menor no colo do rei. O prateado levantou-se e levou o filho até a cama, aproveitando que ele havia acalmado-se e dormido em seus braços.

— Cassian, eu não confio na besta. Ele vai pedir algo em troca e, da última vez, ele lhe tirou a chance de vislumbrar um momento precioso, e tirou o meu marido, você, do meu lado na hora em que eu mais precisei. — disse Edan, andando até o rei negro.— Eu não vou deixar nosso filho nas mãos dele, Cass.

— Meu amor, ele pode tirar esse tormento dele. Talvez não dure mais de um dia. Vejamos as conclusões dele e as condições para que ele faça algo, a depender, decidiremos. É melhor tentar, esse poder do Alarik é grande, se não for controlado, será ruim para ele, para nós, para o reino, talvez. — disse Cassian, segurando o rosto do menor.— E do jeito que aquela praga é curiosa, ele vai ter interesse em fazer algo. Ele queria ver o nosso filho quando nascesse, e não levamos. Ainda temos uma coisa que não o entregamos.

— Vamos tentar… Usaremos o diamante, se preciso, faremos chantagem se necessário e nosso filho só entra naquela cratera depois de entrarmos em um acordo com aquele dragão. — disse o rei de prata, suspirando e beijando os pulsos de Cassian.

— Perfeito. Iremos amanhã pela manhã, então.— disse o rei, olhando para os olhos pratas do outro.

— Certo. Chame o Dandelion, ele virá conosco e peça que ele prepare tudo. Por sorte, estamos em Costalupia, que é mais perto de Titânia. — disse o rei, dando um rápido selar em Cassian.— Eu espero que ele não tenha nenhum ataque na viagem.

— Pelo menos, não estaremos no castelo,e poderemos contê-lo. E assim o dragão poderá ver com os próprios olhos. Mas se aquele verme tratar como se fosse nada… Me lembre de não tentar matá-lo, porque, se não, estaremos todos mortos.— disse Cassian,, negando de leve com a cabeça.

— Se você não tentar, eu tentarei. — respondeu o prateado, bufando irritado.

O rei de prata suspirou e olhou para a cama grande, envolta em lençóis azuis, com o pequeno indivíduo de fios cinzentos dormindo.

— Cassian… Eu não posso perdê-lo.— disse com os olhos marejados.

— Não vamos.— disse, envolvendo o prateado com os braços e beijando sua cabeça e bochecha.— Nós vamos fazer com que ele se desenvolva e ele ficará bem. Ele é nosso milagre e será um poderoso e bom Rei.

Edan concordou e deitou a cabeça no peito do moreno, inspirando seu aroma de café e mar, suspirando.

20 Mars 2020 10:23:07 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
Lire le chapitre suivant Capítulo 1

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 13 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!