Primeiro Natal Suivre l’histoire

saaimee Ana Carolina

Yuzuke não tinha se esquecido de se arrumar e menos ainda esquecido que se encontraria com Slash para celebrarem a festa. Era quase um encontro, o primeiro deles, ele não podia se esquecer! Porém foi pego em tantos serviços que acabou sem tempo para pensar direito no assunto. ------------------------------------------------------------------- → Capa feita por mim com itens gratuitos. ✼ Postar esta estória em qualquer página sem a minha autorização é completamente proibido.


LGBT+ Tout public. © Os personagens desta estória pertencem a mim e TsukiAkii. Todos os direitos sobre eles são reservados a © Saaimee/TsukiAkii.

#gay #ocs #original #natal #bl #romance #slash #m-m
Histoire courte
0
918 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único

Pratos batendo, panelas borbulhando, facas cortando sem parar, gritos e risadas. Era assim que a cozinha estava desde o meio-dia quando todos terminaram de almoçar e o serviço de deixar a vila pronta para a celebração à noite começou.

Com um local enorme e muito serviço para realizar, grupos tinham sido separados naquela manhã para que todos pudessem ajudar. Yuzuke tinha caído no grupo da ceia — o único grupo que não foi sorteado, porque eram os poucos que sabiam cozinhar — e já tinha assado carnes, bolos, biscoitos e organizado a limpeza na cozinha. Normalmente, deveria estar cansado depois de passar tantas horas correndo de um lado para o outro, porém não conseguia sentir o desamino alcançar seu corpo. Estava, assim como todos os outros, animados para fazer a celebração acontecer e trazer sorrisos àqueles que tiveram tantos problemas o ano todo.

Essa era a última vez que muitos se veriam já que na manhã seguinte vários dos habitantes teriam de viajar para outros lugares onde só voltariam depois da comemoração de ano novo.

Parecia exagero se preocupar com a distância de duas semanas, mas para alguns ficar tanto tempo longe era doloroso. Por isso a festa tinha que ser um sucesso e uma lembrança que guardariam até poderem se ver novamente.

Estava agora terminando de decorar seu o quinto prato quando alguém o chamou pedindo para que checasse as massas dos pães descansando próximos a janela.

Com um guardanapo no ombro e algumas marcas de trigo no rosto que ele nem percebeu, o jovem se aproximou do balcão no canto olhando as massas crescidas por baixo dos panos. Suas sobrancelhas se ergueram impressionado com o serviço maravilhoso do grupo. Satisfeito, ele sorriu dando uma aceno para si mesmo, feliz por tudo estar saindo como planejado.

Cobrindo as tigelas mais uma vez, o jovem deu um passo para trás e instintivamente olhou para a janela a frente observando o lado de fora sem interesse.

Viu a neve sobre as árvores, algumas criaturas carregando caixas e uma dupla correndo aos berros enquanto derrubava enfeites no chão e jogavam as fitas de decoração para todos os cantos.

Seus olhos se arregalaram ao ver o rosto dos dois e sem pensar duas vezes saiu correndo em direção a porta da entrada.

— Yoshino! Sis! – Dando um passo para fora, gritou fazendo os dois pararem automaticamente se virando para olha-lo.

As risadas desapareceram e apesar da jovem não mostrar qualquer surpresa em ouvir sua voz, Yoshino estava em pânico quando se virou para o homem.

— Que bagunça é essa?!

— Bagunça nada. – Sis respondeu coçando a ponta do nariz rosado. — A gente é o grupo de decoração. Tamo trabalhando.

— Jogando tudo no chão? – Questionou com olhos que berravam seu terror por bagunça.

— Não a gente-

— As coisa tá no chão pra gente colocar nas árvore depois. – Yoshino tentou explicar para acalmar o amigo, mas Sis o interrompeu respondendo sem interesse.

— Como... – Yuzuke pensou em questionar, porém se impediu sabendo que não iria entender a lógica da jovem. — Tá, mas e as fitas?

A feiticeira se virou olhando para o chão onde o cetim colorido se misturava com o branco da neve sendo lentamente enterrado. Yoshino a acompanhou vendo os olhos dela encontrarem os seus sem saber o que poderiam dizer como desculpa.

Yuzuke aguardou de braços cruzados vendo a garota se virar em sua direção e coçar a nuca.

— É para decorar o Yoshino.

— Que?!

— É... Agora dá licença que a gente tá trabalhando. – Pegando algumas das fitas no chão ela respondeu se virando para olhar o amigo que já se preparava para correr. — Eu vou amarrar tudo nele!

— Sai daqui!

Correndo pela neve macia, os dois partiram gritando um com o outro enquanto Yuzuke observava sem acreditar no que via. Frustrado ele se virou vendo Ashley se aproximar da cena com uma caixa nas mãos.

— Ashley... – sua voz soou quase como um pedido de socorro fazendo a maior sorrir.

— Desculpa, Yuzu, mas tô seguindo as ordens do líder.

— E o líder seria?

— Tenta adivinhar. – Apoiando a caixa na cintura, ela comentou se virando para olhar os dois correndo no fundo deixando claro sua resposta, fazendo Yuzuke rir. — Mas fica tranquilo que tô de olho neles.

— Obrigado.

O jovem ainda os assistiu por alguns instantes antes de finalmente se virar adentrando a cozinha mais uma vez para ajudar com o resto do serviço.

Em sua mente ainda se perguntava o que aqueles dois planejavam fazer e se a festa estaria finalizada no tempo programado quando retornou a mesa onde ainda tinha alguns detalhes para terminar na sobremesa.

— A massa está pronta? – Próxima ao forno, Clannera perguntou ajudando Anthony a terminar a decoração de outro bolo.

Sua voz calma chamou os olhos de Yuzuke que se lembrou da tarefa que o fez se afastar dali.

— Sim, mas se quiser esperar mais uns minutos vai ficar perfeita.

— Ok... Obrigada.

— Nesse caso, Anthony e Yuzuke já estão liberados. – Alcione falou fazendo os rapazes olharem para ela sem entender. — Fiquei sabendo que a noite de vocês tem algo a mais. – Seu comentário veio seguida de uma piscada que fez ambos corarem. — E também me disseram que vocês nem escolheram a roupa pra festa.

— Como que você sabe disso?

— Segredo. – Sorriu vendo Anthony cerrar os olhos desconfiado.

— Parece que alguém já tomou meu posto de saber de tudo o que acontece por aqui.

— Duvido. – Yuzuke comentou fazendo as duas rirem.

Mas era verdade. Nenhum dos dois teve tempo suficiente aquela semana para se preparar para essa noite. Tudo o que faziam era ajudar nas compras e na organização. E nesse momento, Yuzuke tinha se preocupado com tantas coisas que acabou se esquecendo que o tempo estava passando. Agora tinha só mais poucas horas antes de começarem a celebração.

Porém, apesar de querer se arrumar, eles não queriam sair dali e deixar o serviço que ainda faltava para o resto do grupo. Clannera percebeu a hesitação de ambos e resolveu acalma-los.

— Faltam só os pães e tirar os assados do forno. – Com carinho falou os vendo fitar os pratos maravilhosos expostos nas mesas. — Vocês já ajudaram em tudo o que podiam.

— A gente só vai ficar olhando pra garantir que nada queimei e então estamos liberados também. – Alcione completou os vendo assentir.

— Certeza?

— Sim.

— E o Soul? – Anthony perguntou vendo o rapaz no canto erguer os olhos sem parar de desenhar com o glacê em um biscoito.

— Estou ótimo. Quem leva cinco dias para se arrumar é o Pehleq.

— Ah... Então tá. – Tirando o avental o alado comentou sendo seguido pelo maior. — A gente se vê à noite.

Yuzuke não tinha se esquecido de se arrumar e menos ainda esquecido que se encontraria com Slash para celebrarem a festa. Era quase um encontro, o primeiro deles, ele não podia se esquecer! Porém foi pego em tantos serviços que acabou sem tempo para pensar direito no assunto.

Agora estava ali, parado em frente ao espelho, sentindo seu coração bater alto em seus tímpanos enquanto imaginava o que poderia acontecer quando se vissem.

Iriam se encontrar, trocar algumas palavras, participar das brincadeiras e por fim trocar presentes na meia-noite. Depois disso Slash iria partir com a Mestra e eles só se veriam novamente em duas semanas.

Não! Ele não queria que essa noite importante fosse tratada como um dia comum. Mas o que podia fazer?

Olhando para sua roupa no reflexo pela décima vez ele suspirou. Estava usando a blusa que Ashley recomendou e a calça que Thony lhe deu de presente algumas semanas atrás. Os acessórios em seu pescoço e braços eram coisas de Yoshino que gostava de detalhes.

Estava feliz com sua aparência, agradecido pelos amigos que tinha. Não era isso que o incomodava no reflexo. Era seu rosto avermelhado com olhos nervosos que o fazia se perguntar se suas reações seriam exageradas quando os dois se encontrassem ou o que aconteceria quando Slash pegasse seu presente.

Apertando as mãos em suas bochechas ele tentou se acalmar. Era bobagem se sentir assim! Estava apaixonado pelo rapaz há anos e sempre conseguiu lidar com essas situações, o problema é que, dessa vez, Slash também estava apaixonado por ele.

O pensamento fez seu coração pular uma batida e seu rosto ferver ainda mais. Dois toques na porta o surpreendeu quase fazendo um grito baixo escapar.

— Yuzu, tá pronto?

A voz calma era Ashley. Um suspiro pesado escapou de seus lábios enquanto seus olhos se fecharam sentindo-se idiota por tanto nervosismo.

— O Yoshino já saiu com o Slash.

— Tá... Pode ir na frente.

— Certeza?

— Sim. – Respondeu sorrindo apesar de ela não poder vê-lo na tentativa de assegura-la. — Eu saio daqui a pouco.

— Ok...

Ouvindo a jovem se afastar com passos calmos, ele suspirou se olhando mais uma vez no reflexo.

— Eu pareço adolescente... Ah.

A estação de inverno era sempre impiedosa nos arredores da vila, porém nas noites de Natal ninguém chegava a notar o frio congelante ou a umidade se agarrando em suas roupas. Era uma data que magicamente conseguia deixar toda a negatividade de lado e fazer cada floco de neve brilhar junto as luzes piscando em todo canto. E como brilhava aquela noite!

As luzes nas árvores, nas casas e nos olhos das criaturas aquecia seus corpos. As decorações lindamente colocadas nas mesas, nos postes e até pelo chão transformava a neve tristonha em uma visão acolhedora. Havia também as fitas espelhadas e a comida deliciosa atraindo todos os olhares... Todo o trabalho de uma semana estava pronto, colorindo o azul da noite assim como seus corações.

Yuzuke ainda estava encantado com a beleza que o cercava quando se atrapalhou pelo caminho trombando contra o corpo grande de Slash vindo em sua direção. O impacto forte o jogou para trás, mas as mãos largas do homem foram rápidas para o segurar impedindo que caísse.

Seus olhos rapidamente buscaram pela face que o ajudo quando encontrou os dele. A expressão séria de sempre estava ali envolta por olhos que carregavam um carinho incomum.

Por um instante o tempo havia parado para eles. As luzes em seus rostos brilhavam em cores vermelhas e douradas e toda a conversa ao redor havia se calado. Yuzuke curou sem conseguir falar nada.

— Estava te procurando. – Slash falou trazendo o sons e os movimentos de volta e fazendo Yuzuke se mover para ficar em pé direito.

— Ah... Eu também.

Assentindo, Slash o observou vendo o jovem se calar olhando ao redor nervosamente. O silêncio caiu sobre eles mais uma vez.

Era absurdo. Se conheciam há mais tempo do que podiam lembrar e agora, parados frente a frente no meio da comemoração, não sabia o que dizer. Mas não tinha como evitar, esse era seu primeiro Natal como namorados.

O coração de Yuzuke estava acelerado o fazendo lembrar de toda a conversa que teve consigo mesmo no espelho, tentando descobrir o que tinha decidido fazer.

Em um momento de coragem ele se virou encontrando o rosto sério do maior parado ao seu lado ainda o encarando. Suas bochechas queimaram por pensar em como Slash era lindo.

— Precisamos encontrar a Ashley? – Com calma, o maior perguntou vendo Yuzuke engolir seco acenando.

— Sim, certo! – Respondeu alto e assim que percebeu seu tom desviou o rosto se amaldiçoando por não saber se controlar. — Ela e o Yoshino...

— Sim. – Slash o assistiu desviar o olhar como se quisesse se esconder e inclinando a cabeça para o lado se aproximou. — Você está bem?

— Hã? – Se virando, olhou para ele vendo o olhar quase preocupado ao seu lado. — Sim... Sim, tô ótimo!

O maior assentiu se afastando um pouco para olhar ao redor. Como era mais alto que todos na vila tinha a vantagem de ver melhor quando precisava procurar alguém.

Yuzuke o observou ao lado. Ele estava calmo como sempre enquanto ele estava ali sofrendo feito bobo. Um suspiro cortou seus lábios na tentativa de acalmar seu coração desesperado e logo seus olhos encontraram a mão do maior.

Sem notar, seus olhos se prenderam ali, encantados, desejando poder toca-lo. Foi quando notou que queria andar de mãos dadas que seu coração disparou novamente.

— Vamos? – Slash chamou o assustando.

— Claro!

— Yuzu-

— Tá tudo bem! Vamos!


A festa começou logo depois que todos chegaram e tinham se familiarizado com a decoração. A noite prometia um banquete delicioso e memórias inesquecíveis.

Foram horas conversando, participando de jogos que juntavam grupos, separavam novamente em duplas, misturando uns com os outros. Os risos daqueles que já estavam bebendo o terceiro copo ecoava pela noite junto da algazarra dos que corriam pela neve como crianças. Todos tinham um motivo especial para comemorar aquela noite encantada.

Yuzuke também, assim como todos os outros, estava se divertindo e aproveitando cada momento. Tinha garantido que Ashley e Yoshino estavam bem, passou algum tempo junto de Hayato e Vicent e até brincou na guerra de neve que Sis começou. Estava feliz com tudo, porém ainda não se sentia satisfeito.

Parado ali ao lado da mesa de bebidas ele observava Slash carregar Sunny a ajudando a colocar enfeites nas árvores enquanto Kalevi em baixo segurava a caixa para ela.

Tinha passado tempo com ele, claro, mas não como planejou. Na verdade, ele nem sabia o que tinha planejado. O rapaz queria ficar com ele, mais próximo, mais... Namorados. Mas nem sabia como fazer isso.

Um suspiro pesado escapou. Era claro que estava contente por vê-lo na festa, aproveitando tudo do jeito que queria e era grato por só tê-lo ao seu lado a maior parte da noite. Porém faltava algo. Yuzuke queria lhe mostrar coisas, sentimentos e, por não saber como, estava o deixando preocupado.

Ele ouviu no fundo alguém avisar que estava quase na hora da entrega dos presentes e, por um instante, seu coração doeu. Isso significava que a noite de lembranças especiais estava chegando ao fim.


Com calma o rapaz se aproximou da área onde diversas caixas haviam sido colocadas. Caminhando, ele observou os nomes nos pacotes ouvindo ao redor os desejos e as demandas de algumas criaturas conversando com os amigos.

Sorrindo, continuou até chegar ao local onde seu nome aparecia estampado em etiquetas coloridas. Seu sorriso aumentou ao ver a grande quantidade de caixas que não esperava receber.

O relógio bateu e logo em seguida todos se aproximaram para matar a curiosidade.

Antes de se permitir ver suas surpresas ele observou de longe os outros abrindo as caixas aos gritos e risos enquanto se perguntava se iriam gostar do que ele fez para eles.

Havia caixas com o nome de Yoshino, Ashley, Hayato, Anthony, Thony, Nightmare, Sis, Hades... Eram tantos nomes novos em sua lista que por alguns instante ele acabou refletindo sobre a quantidade de coisas estranhas que aconteceram ao longo do ano e como isso fez a vida de todos mudarem por ali.

No meio de seus pensamentos contentes, ele ouviu passos calmos pararem atrás dele. Devagar se virou encontrando Slash ali com uma pequena caixa nas mãos. Ele segurava com tanto cuidado que parecia ter medo de quebra-la.

Seus olhos o fitaram confusos e logo o viu se aproximar com mais um passo.

— Slash...?

— Eu quis te entregar. – Parando a sua frente, estendeu a mão entregando o presente que fez Yuzuke arregalar os olhos. — Porque é especial. Você é especial.

Seu coração saltou tão forte em seu peito que pensou que ia pular para fora. Seus lábios tremiam envergonhado e tão feliz que se ele tentasse falar qualquer coisa iria gaguejar incompreensivelmente.

Com cuidado pegou a caixa, abrindo o embrulho e revelando um colar simples com um pingente de concha pendurado onde uma luz azul a rodeava fazendo brilhar.

Slash não disse que foi ele quem fez o presente depois de passar meses se decepcionando com seus erros, também não disse nada quando viu os olhos de Yuzuke brilharem encantados fazendo a energia em seu corpo se agitar.

— Eu... É lindo... – Ele se virou para fitar o maior encontrando um leve sorriso em seu rosto que trouxe rubor a suas bochechas. — Eu amei. Obrigado.

Se aproximando mais um pouco, Slash estendeu a mão levantando o dedinho em sua direção. Yuzuke o encarou sem entender.

— Pra prometer que vamos passar o próximo natal juntos.

As palavras tão inocentes quanto determinadas fizeram o rapaz congelar sentindo seu corpo inteiro vibrar de amores pelo maior. Sem conseguir controlar o largo sorriso em seu rosto ele entendeu a mão, tentando encaixar seu dedo no dele. Porém não conseguiu. A mão de Slash era muito maior que a sua.

O maior encarou a própria mão pensativo como se quisesse encontrar um jeito de fazer seu plano funcionar. O rosto sério quase irritado dele fez Yuzuke rir relaxando pela primeira vez naquela noite.

— Vem aqui. – Esticando os braços o jovem tocou o rosto de Slash o aproximando do seu e com carinho esfregou seu nariz junto ao dele. — Eu prometo.

— Hm... Eu também. – Sorrindo ele fitou os olhos contente que o olhava. — Feliz Natal, Yuzuke.

— Feliz Natal, Slash.

25 Décembre 2019 03:21:11 0 Rapport Incorporer 0
La fin

A propos de l’auteur

Ana Carolina Mãe de 32 personagens originais e outros 32 adotados com muito carinho, fanfiqueira nas horas vagas e amante das palavras em período integral. Apaixonada demais e, por isso, sou tantas coisas que me perco tentando me explicar. Daí eu escrevo. ICON: TsukiAkii @ DeviantArt

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Plus d'histoires