ariiuu Ariiuu .

A batalha de Nova York havia terminado e os Vingadores se deparavam com um problema ainda pior: Loki fugiu com o Tesseract, fazendo com que os maiores heróis da terra encarassem um cenário inesperado ao descobrirem que suas versões do futuro viajaram no tempo para coletar as joias do infinito, criando uma nova linha do tempo. A nova realidade alternativa, fez com que o Capitão América cruzasse o caminho da filha do Presidente dos Estados Unidos. Seria ela uma aliada ou uma inimiga? Steve Rogers conseguiria trazê-la para o seu lado? Ainda que ela fosse indecente, sarcástica, impetuosa e extremamente insuportável? Olhos verdes muitas vezes maquiavam corações negros... e ela trazia o que havia de pior no bondoso e heroico Capitão América. Steve x OC (bem má por sinal, muahahaha)


Fanfiction Films Tout public.

#Elizabeth-Olsen #sebastian-stan #Amanda-Seyfried #Chris-Evans #personagem-original #homem-de-ferro #Gavião-Arqueiro #viúva-negra #hulk #Bruce-Banner #Clint-Barton #natasha-romanoff #thor #tony-stark #avengers #soldado-invernal #wanda-maximoff #bucky-barnes #vingadores #steve-rogers #capitão-américa
0
3.5k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les lundis
temps de lecture
AA Partager

O enigma após a batalha de Nova York



NEMESIS

✶⊶⊷⊶⊷❍⊶⊷⊶⊷✶

Nemesis era originalmente o único ser em toda a existência. Sentindo-se solitária, ela se dividiu, formando as Joias do Infinito e a maior parte do Multiverso.

Ela era praticamente onipotente, onisciente e onipresente.

Qualquer um que tenha contato direto com as joias do infinito, carrega dentro de si a essência de Nemesis.

O significado do nome Nemesis basicamente é: Vingadora.

.

CLIQUE AQUI PARA VER O TRAILER DA HISTÓRIA

.

.。.:*✧

Steve Rogers e Mary Crystal eram uma mistura de tragédia com ironia.

Eles são muito diferentes. Gênios opostos, digamos. Mas tem algo em comum: A liberdade... o desapego... e o medo da entrega...

Quem sabe ao estarem juntos, não encontrem uma solução...?

.。.:*✧

O enigma após a batalha de Nova York

.

༺☆༻

.

.

.

4 de Abril de 2012...

.

.

.

Nova York – Manhattan

.

.

.

Steve recobrava a consciência depois de ter lutado contra seu sósia... ou melhor, Loki...

O Capitão América abria os olhos com certa dificuldade, já que havia sido atingido pelo cetro do irmão de Thor a poucos minutos.

Ele piscava lentamente, tentando assimilar a realidade.

Desde que acordou do gelo, tudo estava fora dos eixos...

O mundo inteiro mudara drasticamente e quando abriu os olhos, contemplou um lugar totalmente novo, mas...

.

Ele queria voltar...

.

Para 1945...

.

Aquele século era assustador...

Quase 70 anos haviam-se passado, mas para Steve, era como se fosse apenas uma semana.

Ele agora era um homem de 94 anos, preso em um corpo de 26.

Foram praticamente 7 décadas desde que batera com o avião de Jöhann Schmidt no gelo para salvar o mundo e tudo soou como um simples piscar de olhos... como se tivesse dormido num dia e acordado no outro.

Ele não deveria estar vivo...

O mundo o considerava uma relíquia histórica, que sobreviveu pelas fronteiras do tempo...

Steven Grant Rogers foi classificado como o fator perfeição num mundo tão deteriorado pela crueldade e dissimulação humana.

Nos primeiros dias, logo após acordar, o Super Soldado tentava compreender a realidade a sua volta, mas antes que conseguisse, Nick Fury – Diretor da SHIELD, precisava do Capitão América para ajudar a salvar o mundo novamente...

O planeta terra necessitava do Sentinela da Liberdade na linha de frente de novo.

A Lenda Viva, o Menino de Ouro da América e o Comandante Steve Rogers entrava mais uma vez em ação, no entanto...

Ele não se sentia em casa. Aquela não era a sua época, o seu lar e as suas pessoas... todos os seus companheiros haviam morrido e o seu grande amor, Peggy Carter, estava num leito, envelhecida, chegando ao final da vida...

Sentia-se perdido... confuso... seus pensamentos eram caóticos e nada fazia sentido...

Era apenas um homem ultrapassado, com conceitos retrógrados, valores obsoletos, uma visão de mundo arcaica e condutas antiquadas, jogado repentinamente num planeta moderno e com uma sociedade avançada tecnologicamente.

O Capitão ajudou a salvar o mundo uma vez, há muitas décadas, abrindo mão da vida que desejava ter quando a segunda guerra mundial finalmente terminou, no entanto...

Ele não teve um final feliz...

E agora, ele não tinha mais um lar...

Steve sempre estaria disposto a se sacrificar por todos, mas... naquele instante, sua mente girava, ainda tentando entender o que estava acontecendo.

O loiro olhava ao redor e percebia os cacos do parapeito e de algumas escadas de vidro entre os corredores da Torre Stark.

Ao se dar conta do que havia acontecido, imediatamente se levantou e correu para o elevador, rumo ao salão principal da torre, no último andar.

Ele tentou contato com todos na escuta, mas a única que atendeu ao seu chamado foi Natasha Romanoff.

-Capitão, estamos todos aqui, mas... aconteceu um...erro de cálculo...

- Estou a caminho. – Respondeu, pegando o elevador enquanto segurava o ombro que parecia levemente deslocado.

Dois pontos importantes estavam em sua mente naquele momento...

Por que Loki carregava a mesma bússola com o retrato de Peggy Carter e por que o mesmo mencionou a frase...

.

“Bucky está vivo...”?

.

Nada daquilo fazia sentido... o irmão de Thor não possuía tais informações... ou possuía?

Steve correu para o andar principal, onde anteriormente os Vingadores se reuniram quando os membros da S.T.R.I.K.E. levaram o cetro.

Ao chegar no local, se surpreendia por encontrar Tony, Thor, Natasha e Clint...

Todos estavam com os olhos arregalados...

- O que aconteceu...? – O Capitão os questionava, não entendendo o motivo daquelas expressões perplexas.

- Loki fugiu com o Tesseract. – Thor revelava, deixando-o em choque.

- Tesseract!? Ele não tinha levado o cetro!? – Contestava de volta. Como tudo aconteceu tão rápido?

- Por algum motivo que ainda não entendemos, quando voltamos para cá e tentamos contato com o grupo da S.T.R.I.K.E. para saber se eles estavam com o cetro, não obtivemos resposta. Já contatamos o Fury e ele está cuidando disso. – Clint revelava, com os braços cruzados, olhando para o chão.

- O quê...? – Steve alargava os olhos. Como tudo havia saído do lugar daquela forma em um curto espaço de tempo?

Então o deus da trapaça havia conseguido concluir seu plano e fugido com duas joias do infinito?

- Olha, Capitão... ninguém aqui está entendendo absolutamente nada, então vamos nos acalmar e achar uma solução. – Natasha tentava mantê-los focados, mas era um pouco difícil, justamente porque todos se encontravam chocados por terem falhado.

Tony estava sentado, olhando para o chão, com uma feição alarmada no rosto.

- Eu lutei contra o Loki. Ele se transformou em mim e tentou levar o cetro. – Steve alegava, completamente atônito.

- Isso é impossível. Loki estava comigo e o Stark, até que por um motivo misterioso, ele fugiu com o Tesseract. – Thor rebatia, deixando todos ainda mais confusos e assustados.

Se Loki estava com Tony e Thor no momento em que Steve disse o ter enfrentado, então quem era aquele homem que lutara contra ele?

O Capitão não conseguia tirar da cabeça a imagem da bússola com a foto de Peggy caindo das mãos daquele homem com sua mesma aparência e o fato de o mesmo ter dito que Bucky estava vivo...

.

Se não era Loki... Então quem era aquele homem...?

.

- Não faz sentido tudo isso... algo não bate nessa história... – O loiro redarguia, confuso.

- Coisas estranhas estão acontecendo aqui, Capitão. Eu tive uma disritmia no exato momento em que tentávamos despistar Alexander Pierce para longe do Tesseract. – Finalmente Tony Stark resolvia dizer algo em meio ao susto que tivera no momento em que estavam com Loki e Alexander Pierce.

- Eu larguei a mala com o Tesseract fechada. Loki estava com as mãos algemadas e não tinha como abri-la. Alguém interveio para que ele o pegasse daquela mala. – Thor tirava as suas conclusões e todos ficavam ainda mais confusos.

- Alguma coisa aconteceu... e aconteceu aqui na torre... acho melhor pararmos de especular e irmos atrás dos fatos. – Tony assumia a frente, já sabendo o que fazer.

- E o que você sugere? – Steve o questionava, mas o gênio, bilionário, playboy e filantropo não respondeu. Ele agiu imediatamente.

- JARVIS, mostre as imagens e escutas das câmeras dos lugares onde eu, Steve, Thor, Natasha, Clint e o Hulk estávamos a minutos atrás.

pra já, senhor.– A inteligência artificial redarguiu, mostrando imagens holográficas para todos, naquele exato momento.

E então, para o espanto dos cinco Vingadores que se encontravam ali, a imagem de poucos minutos atrás, onde todos os Vingadores estavam reunidos com a equipe da S.T.R.I.K.E., mostrava também...

.

.

Outro Homem de Ferro entrando por uma parte das paredes de vidro quebradas do salão.

.

.

Tony, Steve, Thor, Clint e Natasha arregalaram os olhos de imediato...

Outro Homem de Ferro ali...?

Mas como aquilo era possível...?

Todos continuaram olhando fixamente para o holograma.

O outro Homem de Ferro andava sorrateiramente, cuidando para não ser visto.

Para o espanto deles, a armadura que o mesmo trajava, esvaneceu de seu corpo rapidamente, revelando que o homem por dentro daquela armadura era ninguém menos que...

.

.

Tony Stark...

.

.

- O que... é isso...? – Natasha contestava, perplexa.

- Outro Tony Stark? Como isso é possível? – Clint também se encontrava perdido, sem entender as imagens.

- Nanotecnologia...? – Tony arriscava, ainda muito espantado em ver a si próprio nos hologramas.

- Isso... é impossível... – Dessa vez era o deus do trovão que mostrava estar chocado.

- JARVIS, aumente as escutas. – Tony exigia, muito alterado por constatar tamanho absurdo em sua frente.

Steve começava a suar frio...

Quem era aquele homem com a mesma aparência do Homem de Ferro?

Enquanto todos observavam as imagens, JARVIS aumentava o áudio, revelando o que o tal Tony Stark das imagens, dizia.

.

-Ah, senhor Rogers eu quase esqueci que esse traje... não favorecia o seu bumbum... É ridículo...

.

O Capitão América e o Homem de Ferro se entreolharam... totalmente espantados...

Porque... naquele instante estavam diante do que parecia ser a prova real e concreta de que...

.

.

.

Se depararam consigo mesmos... mas não tinham ideia de como e porquê...

.

.

.

- Como isso é possível...? – Tony indagava, totalmente incerto sobre seu palpite.

- Ainda não acredito que estou vendo isso... – Steve contrariava, desacreditado que aquele pudesse ser Tony Stark de verdade.

- Vamos continuar ouvindo. – Clint os fazia voltar a focar nas imagens e escutas.

O homem que parecia com Tony continuava falando, olhando para equipe S.T.R.I.K.E..

.

-Eles são da SHIELD... bem... na verdade da HYDRA, mas a gente não tinha noção.

.

Dessa vez, Natasha e Clint se olharam, com os olhos arregalados.

- Precisamos agora contatar o Fury. – A ruiva deu três passos para frente, no ímpeto de sair dali para acionar o seu superior, mas foi impedida pelo asgardiano.

- Espera, vocês não vão ligar para o pirata! Não até terminarmos de ver todas as imagens! – Thor entrava na frente dos dois agentes.

- A HYDRA... não havia sido dizimada...? – O Capitão se encontrava imensamente perplexo.

- Eu não tenho ideia do que está acontecendo, mas devíamos focar em Loki e no Tesseract! – Thor insistia. - Stark, pegue o momento exato de quando eu e você estávamos com meu irmão. – O loiro sugeria e Tony atendeu prontamente a implicação do deus do trovão.

- JARVIS, quero imagens e escutas das câmeras do térreo da torre de alguns minutos atrás, de quando eu e Thor estávamos com Loki.

E então, a inteligência artificial mostrava agora, imagens holográficas do momento em que o bilionário e o asgardiano discutiam com Alexander Pierce.

Todos prestavam muita atenção na cena e atentaram para algo suspeito e totalmente absurdo...

Um homem que olhava para todos os lados, com um uniforme da SHIELD, em frente ao balcão da recepção da torre.

.

E que tinha a exata aparência de Tony Stark, mesmo com um capacete e óculos que faziam parte de um traje tático.

.

Nenhum deles conseguia entender o que o tal sósia de Tony dizia.

- JARVIS, faça a leitura labial do que esse cara tá falando. – O Homem de Ferro, pedia, e a inteligência artificial respondia de imediato.

.

-Polegarzinha, tá ouvindo? Tô olhando pro prêmio, tá na hora de pegar.

.

Natasha olhou desacreditada para Clint.

- Ele estava falando com alguém na escuta. Mas quem? – A Viúva Negra perguntava o obvio. Nenhum deles entendia o contexto real.

JARVIS continuava replicando o que o homem com a mesma aparência de Tony Stark dizia.

.

, eu tinha um guardado pra emergência, relaxa... dá pra se concentrar...?

.

Uma pausa de alguns segundos, enquanto o sujeito aguardava Tony e Thor dando de frente com Alexander Pierce.

.

- Rápido, Stuart Little, as coisas estão ficando complicadas aqui.

.

Mais uma pausa.

.

- Fica tranquilo, só estamos me dando uma leve disritmia.

.

Enquanto Pierce tentava puxar a maleta das mãos de Tony, o sujeito continuava.

.

- Agora Lang... janela se fechando, puxa meu pino!

.

E então, o bilionário deixou a maleta cair de sua mão, quase desmaiando, mostrando que estava passando mal.

O tal homem semelhante a Tony, vestido com um uniforme com o emblema da SHIELD gritou.

.

-Médico! Ele tá passando mal!

.

Tony, Steve, Thor, Natasha e Clint atentaram para a voz daquele homem...

Era o mesmo timbre de Tony Stark.

E repentinamente, a maleta com o Tesseract, do nada escorregou para o lado exato de onde o provável sósia de Tony se encontrava.

E então, ele pegou a maleta.

.

-Bom trabalho, me encontra no beco, vou só pegar uma pizza.

.

E repentinamente, Hulk acabava aparecendo, quebrando a parede, acertando a cabeça do homem e deixando-o inconsciente.

Os cinco se olharam, confusos, apreensivos, assustados, desnorteados e sem rumo.

- Um sósia não faria tudo isso... ele tem uma armadura, embora não seja igual a sua. – Natasha dizia à Tony, tentando desvendar o grande enigma que envolvia o tal homem semelhante ao bilionário.

- Isso é nanotecnologia... eu ainda não desenvolvi essa técnica... é muito avançada.

- Isso significa que esse sósia é um ser mais evoluído? – O Capitão especulava.

- Steve... esse cara não é um sósia... ele é próprio Tony. – Clint já tinha chegado a sua conclusão.

- Isso é impossível! Como haveria dois Starks na mesma linha temporal!? – O deus do trovão não conseguia acreditar naquela possibilidade.

- Sério... meu cérebro tá pirando! Esse sou eu mesmo!? Isso não faz sentido! - Tony exclamava, perdido.

- Steve... onde você estava no momento em que o cara igual a você apareceu? – Natasha contestava, como se precisassem de mais provas para tirarem suas conclusões.

- No corredor de vidro, alguns andares abaixo daqui.

- JARVIS, mostre as imagens das câmeras de onde o Capitão estava, alguns minutos atrás.

- Claro, senhor. – A inteligência artificial respondia, mostrando as imagens logo em seguida.

Naquele momento, a cena era outra.

Steve entrava no elevador onde todos os membros da S.T.R.I.K.E. estavam.

O agente Sitwell questionou a entrada do Capitão América no elevador.

- Capitão...? Não estava coordenando a busca e resgate?

- Mudança de planos. - O loiro redarguiu.

Tony, Steve, Thor, Natasha e Clint prestavam atenção na cena do elevador, completamente apreensivos.

-Capitão...?– Brock Rumlow não entendia por que Steve Rogers estava ali.

-Rumlow...– O Super Soldado o cumprimentava.

Alguns agentes se aprontavam para um possível ataque, a partir do momento em que deslizaram suas mãos pelos coldres, prontos para pegarem suas armas.

O Capitão observava a desconfiança de cada um deles e resolvia se manifestar.

-O secretário me ligou ainda agora e vou passar a ser responsável pelo cetro.

Sitwell se virou para o loiro, o contestando.

-Senhor... não estou entendendo...

-Avisaram que alguém pode tentar leva-lo.– O homem semelhante a Steve, redarguiu, olhando para trás.

-Desculpa, Capitão. O cetro fica com a gente.– Rumlow rebatia.

-Eu terei que ligar para o diretor.– Sitwell reforçava.

-Está tudo bem. Confie em mim.– O Capitão assegurava, e então, finalizou a sentença quando se aproximou perto do ouvido do agente e sussurrou palavras que fizeram não só todos os agentes do elevador serem pegos de surpresa, como também Tony, Steve, Thor, Natasha e Clint, que viam a cena pelos hologramas...

.

.

-Hail, HYDRA...

.

.

A Viúva Negra e o Gavião Arqueiro reagiram no mesmo instante.

- Precisamos avisar o Fury agora mesmo! – A ruiva ligava a escuta, ligando para seu chefe.

- A HYDRA está infiltrada na SHIELD e nenhum de nós tínhamos ideia! – Barton completava.

- JARVIS, mostre as imagens de quando o Capitão saiu do elevador. – Tony inquiria à inteligência artificial, que naquele momento, mostrava o homem semelhante a Steve Rogers saindo do local com um sorriso no rosto.

E alguns segundos depois, o mesmo dizia algumas palavras, como se alguém estivesse na escuta.

-Tony, o que está acontecendo? Me diz que achou aquele cubo...– E ao cruzar o corredor de vidro, deu de cara com ninguém mais e ninguém menos que... Steve Rogers. –Tá de brincadeira comigo...

- Foi exatamente isso que aconteceu... – Steve apontava para os hologramas, completamente assustado.

- O que ele te disse? – Natasha o indagou.

- Ele disse ‘eu não sou o Loki e não quero ferir você’.

As imagens mostravam a luta dos dois e no final, o homem semelhante ao Capitão, usava o cetro para deixa-lo inconsciente.

.

.

-Essa é a bunda da América...

.

.

Tony olhou desacreditado para Steve... embora estivesse assustado, o gênio das Indústrias Stark quis rir após as últimas palavras que o suposto Capitão América havia dito.

- Está mais do que provado que eles não são sósias. São vocês, agora a questão é: Por que e como? – Natasha questionava e todos também chegavam a mesma conclusão.

- Esse cara tinha uma bússola igual a minha. – O Capitão se encontrava com os olhos arregalados.

- Capitão Rogers, porque você o soltou? – Clint o questionou.

O loiro hesitou em dizer, mas depois de todas aquelas imagens absurdas, não havia porque não responder a pergunta.

.

-Ele disse que o meu melhor amigo estava vivo...

.

- Melhor amigo? Alguém da sua época?

- Sim...

- Quem...? – A ruiva o questionava, e mesmo incerto, Steve respondeu.

.

-O sargento James Barnes da 107º...

.

Naquele momento, Clint e Natasha se olharam, como se soubessem de algo, mas ambos ficaram em silêncio.

- Olha só, a equipe não está completa! Alguém sabe aonde o Hulk se enfiou!? – Tony se encontrava descontrolado. A menos de uma hora, ele quase perdeu a vida ao guiar um míssil por um buraco de minhoca, tudo para salvar Nova York, e agora, lá estavam eles, na estaca zero novamente e com uma incógnita ainda pior do que quando enfrentaram Loki e o exército Chitauri.

- Eu vou procura-lo. – O Gavião Arqueiro corria rumo ao elevador do salão, prestes a sair dali para ir atrás de Bruce Banner.

- Natasha falava com Nick Fury pela escuta.

Tony, Steve e Thor se olhavam... demasiadamente confusos...

A Viúva Negra terminava de falar com o Diretor da SHIELD.

- Fury disse que chegará daqui a uma hora. Enquanto Clint tenta achar o Hulk, vamos analisar mais algumas imagens para tirarmos uma conclusão mais concreta.

- Vai me desculpar, agente Romanoff, mas não confio em Nick Fury para compartilharmos o que vimos aqui. – O bilionário confessava, totalmente perdido.

Tony Stark estava diante de um dos maiores dilemas de sua vida...

Por que sua outra versão, sabe-se lá de qual linha temporal, estava ali? O que ele e o outro Steve Rogers foram fazer na torre Stark naquele momento? Por que os dois queriam o cetro e o Tesseract?

- Isso não só diz respeito a você, Stark. A SHIELD pode estar comprometida e o Fury precisa ter acesso a esse material.

- Como pode ter certeza que ele não sabe que a HYDRA está infiltrada na SHIELD!? – O Homem de Ferro rebatia a Viúva Negra, com exasperação.

- Stark, vamos nos acalmar. Não podemos nos exaltar nesse momento. – Steve tentava apaziguar a situação e Thor ria da cena.

- Vocês são tão minúsculos... estamos diante de algo que pode ter distorcido a linha temporal dessa realidade e vocês preferem debater sobre em que confiar?

- Desculpe, senhor príncipe herdeiro do trono de Asgard e deus do trovão! Somos apenas reles vermes humanos! Somos baixos mesmo! É isso que nos torna tão medíocres, entende? – Tony rebatia o loiro, que o encarava seriamente.

E enquanto o Homem de Ferro discutia com Thor e Natasha, Steve resolveu se afastar, levando as mãos na cabeça e suspirando profundamente...

O Capitão se aproximava das paredes laterais de vidro da torre, completamente estilhaçadas...

Dali, era possível observar Nova York devastada...

O estrago da batalha contra Loki e o exército Chitauri era evidente.

Prédios destruídos, carros explodidos, fumaça e ruínas por toda Manhattan...

Se alguém em 1945 lhe contasse que dormiria por quase 70 anos e que quando acordasse, enfrentaria um exército de alienígenas no ano de 2012 na grande capital do mundo, jamais acreditaria.

Tudo naquele século era mil vezes mais intenso que o século 20.

O número de carros havia multiplicado consideravelmente, os computadores eram menores e mais estranhos, os aviões mais rápidos, as luzes da cidade mais brilhantes, a moda mais ousada e revolucionária, as músicas mais complexas, as pessoas cada vez mais ocupadas e entretidas com a era da informação, mas o mais importante... o planeta terra estava muito mais populoso e modernamente tecnológico, algo que jamais teve capacidade de imaginar em sua época.

Era estranho também descobrir que o mundo parecia idolatrar a imagem póstuma do maior herói que a humanidade já teve...

O Capitão América...

.

As pessoas não o viam como uma pessoa real, mas como um ícone... uma lenda...

.

No entanto, algo lhe incomodava profundamente...

.

Ninguém foi procurar pelo Capitão América quando ele caiu com a nave do Caveira Vermelha no gelo...

.

Exceto Howard Stark, porém... a fácil desistência de qualquer um que considerava procura-lo, era algo que lhe entristecia de forma inexplicável.

O mundo celebrava a paz em 1945, mas se esquecia de seu salvador...

As pessoas simplesmente aceitaram que o Sentinela da Liberdade havia morrido como um herói... ninguém sentia sua falta, afinal, ele apenas cumpriu sua missão... era seu papel morrer, se fosse necessário...

Porém, o Super Soldado não aceitava que as pessoas se preocupassem com ele, mas ainda assim, se sentia um tanto decepcionado.

O loiro sabia que tinha que ser o Capitão América, e não Steve Rogers.

Mesmo que estivesse sangrando e tremendo internamente, tinha de puxar a máscara do corajoso herói, porque não havia outra forma. Era necessário.

E naquele momento, o Super Soldado se encontrava irremediavelmente desconexo por ter acordado no século errado, mas demonstrava muita placidez, foco e equilíbrio para todos a sua volta. Era sua obrigação... era sua responsabilidade...

Steve tinha que se forçar a manter o controle e não entrar em colapso depois de todo o horror que viveu ao lutar na segunda guerra mundial e se deparar com o século 21 logo após isso.

Quando Nick Fury havia perguntado se ele ficaria bem depois de acordar quase sete décadas no futuro, o Sentinela da Liberdade teve de se acalmar e responder que...

Tinha um encontro...

Como se apenas tivesse dormido demais e se atrasado... como se tivesse perdido um ônibus, um trem ou um voo... como se não fosse nada...

Não podia expor o que sentia. Suas regras de conduta eram:“Não sobrecarregue as pessoas com seus problemas.” Lide com suas dificuldades sozinho.” “As pessoas não têm nada a ver com isso.” “Acalme-se, aprenda a depender apenas de si mesmo.”

E a única forma que tinha para descarregar suas apreensões e tormentos, era passando horas numa academia de boxe, socando diversos sacos de pancadas.

Não conseguia lidar com a dor e a perda... o sofrimento e a decepção...

O mundo que um dia fez parte, se foi, e as pessoas que conhecia estavam mortas... ele não possuía mais um lugar, um papel, uma missão, ordens ou qualquer coisa que pudesse fazer nessa nova e moderna era.

Peggy uma vez lhe disse:“Não ficará sozinho”, mas no final, ele estava... e sabia que era porque escolheu fazer seu sacrifício... escolheu fazer a coisa certa... era o preço mais alto que pagou.

Steve Rogers sempre faria a coisa certa. Sempre. Mas isso não era necessariamente algo bom, no entanto, não pensaria duas vezes se isso envolvesse vidas. Sempre se sacrificaria pelo bem maior.

O Capitão América valorizava todos os demais acima de si, porque em sua própria concepção, sua vida não valia tanto assim.

Ele era apenas um rapaz pobre e doente... alguém sem valor, que não possuía tanta significância... alguém descartável... alguém que não sentiriam falta... porque no fundo, se via como o velho e miserável garoto franzino e asmático do Brooklyn...

Então, se o mundo necessitasse de seu sacrifício para se tornar um lugar melhor, não pensaria duas vezes em assumir o risco.

Se pudesse melhorar alguma coisa, mudar algo, salvar alguém, mesmo que fosse uma única vida, faria isso... independente das fatais decorrências causadas a si mesmo.

Se a morte era uma das consequências que tivesse de enfrentar, desde que seu trabalho fosse feito, não importava.

Embora tivesse acordado a pouco menos de uma semana, conseguia encontrar dentro de si, em algum lugar escuro de suas memórias, a inerme sensação de esperança, de quando desconhecia a trilha torturante por onde sua história quase se esvaneceu. Ele tentaria se agarrar a essa esperança, a serenidade mesclada com a chama viva de uma nova perspectiva... uma tentativa desesperada de tornar sua antiga vivacidade real outra vez.

Mas tocar a face do passado, machucava mais do que acalentava, pois aumentava a nostalgia e a saudade... além do vazio...

Teria de deixar suas lágrimas verterem e os sentimentos sufocantes se esvaírem, mas longe de todos... e em silêncio...

Finais eram necessários para um recomeço, por mais doloroso que significasse.

Não insistiria em vírgulas, quando o certo era colocar um ponto final.

.

e

a

cada

queda...

seu corpo parecia ter menos pressa...

em levantar e continuar o caminho...

.

Apesar de toda a crueldade que reinava no mundo, Steve estava convicto de que continuaria plantando coisas boas, para colher bons sentimentos em si mesmo... não esperando reciprocidade da parte de ninguém, afinal, foi assim que viveu por toda a sua vida e pretendia continuar seguindo suas antigas filosofias... tão retrógradas e ultrapassadas para as mentes modernas do século 21...

Os belos e esplendorosos olhos azuis miravam parte da destruição de Nova York...

O loiro atentava para as ruínas de Manhattan pelas paredes quebradas do último andar da Torre Stark, sem saber o que de fato estava acontecendo...

O mundo estava do avesso... virado de cabeça para baixo em todos os sentidos...

Mas...

Perto dali...

Muitos metros abaixo, na entrada da torre, próximo ao Grand Station Central...

.

Havia uma pessoa que caminhava com um copo de milk-shake do Starbucks e fones de ouvido num iPhone, dançandoSupermassive Black Holeda bandaMuseno último volume, cantando partes da música junto.

.

Oh baby dont you know I suffer? (Oh, querida, você não sabe que eu sofro?)

Oh baby can you hear me moan?(Oh, querida, você não ouve minhas queixas?)

You caught me under false pretenses,(Você me pegou sob falsas pretensões)

How long before you let me go?(Quanto tempo até você me soltar?)

.

-Ooooh-ahhh, you set my soul a-light,(Ooohh-ahhh, você acendeu uma luz em minha alma)

-Glaciers melting in the dead of night,(Geleiras glaciais derretendo na madrugada)

-And the superstars sucked into the supermassive…(E as super estrelas são sugadas pra dentro do supermassivo)

.

Uma garota de longos cabelos loiros e olhos verdes...

Ela observava os cadáveres do exército Chitauri entre os escombros... e...

.

.

Começava a rir com um canudo na boca, sugando o líquido, enquanto olhava para a Torre Stark...

.

.

A garota que vestia um vestido simples de cor neutra, sapatilhas claras e óculos de sol presos na parte superior de sua cabeça, carregava uma câmera digital e uma bolsa de couro.

Ela olhava para a cena com um sorriso diabólico nos lábios, mas...

Repentinamente, uma mão agarrou seu ombro e puxou seus fones de ouvido no mesmo instante.

-HEY, SUA LOUCA, O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI FORA!? EU ESTAVA TE PROCURANDO POR TODOS OS CANTOS!!!

Ela sequer virou para responder o rapaz enfurecido que gritava em seu ouvido... ou melhor, seu irmão mais velho que sempre a perseguia, temendo que a mesma se metesse em confusão.

- Estou vendo o estrago depois do espetáculo! Só que eu devia ter comprado uma pipoca e pegado um binóculo! – A garota sorriu de forma macabra no mesmo instante, achando graça de toda a catástrofe daquele dia.

- Onde você estava todo esse tempo!? Todos no hotel estavam preocupados! – O rapaz a repreendia, com muita raiva.

- Eu estava no topo do prédio, aqui do lado, tirando umas fotos da batalha dos alienígenas contra os Vingadores pra postar no Instagram!

- O que você tem na cabeça!? Não me diga que dentro desse copo do Starbucks tem vodka!? Estamos na hora do almoço e você já está bêbada!?

- Antes de discutir comigo, saiba que eu estou certa e você errado. – A loira sorriu mais uma vez, mas de deboche.

- Isso não tem graça, Kiara! Você podia ter morrido! Isso foi muito perigoso!!!

Kiara era o apelido da jovem...

A garota soltou uma gargalhada grotesca em resposta, para logo em seguida sorrir de modo petulante.

.

-Você sabe melhor do que ninguém que não corro perigo em lugar algum...

.

Ele a encarou colericamente.

- Ainda assim...-

- Eu simplesmente não ligo! Podem destruir tudo que não dou a mínima! Aliás, eu queria saber que paixão esses vilões têm por Nova York! Por que eles não atacam outros lugares? Sidney, Moscou, Buenos Aires, Paris, Roma? Por que tem sempre que ser Nova York!? Pode me explicar!?

- ISSO NÃO É HORA PRA PIADAS!!! VAMOS SAIR DAQUI AGORA MESMO!!! - O rapaz agarrou a alça do vestido da garota, lhe puxando com força dali, com extrema violência.

- Que legal você, onde aperta pra explodir!? – Ela resistia ao puxão que seu irmão lhe dava.

- Cala boca e para de dar chilique no meio da rua!

- Se você continuar me puxando dessa forma eu juro que não vou me segurar em te dar um soco e afundar esse seu nariz empinado nesse lixo que você chama de cara! – Rebateu-o, completamente exasperada.

- Se Jesus conseguiu aturar Satanás no deserto, eu também consigo te aturar... – Ele continuava puxando sua irmã dali, que permanecia resistindo.

- Ooh, sério!? Mas que amor, maninho!

- Sim... essa é a maior prova de amor que te darei hoje... te amo, tá? E quem ama cuida! – Ele a puxava com força enquanto ela tentava escapar.

- Eu também te amo, mas te amo tanto, que quero que você morra só pra ir pra um lugar melhor! – E então, a loirinha finalmente conseguia se desvencilhar do puxão que seu irmão lhe dava.

O rapaz respirou fundo, totalmente sem paciência.

- Kiara, se você não voltar comigo pro Hotel agora, eu juro que vou-

- Aah, ok, Harry! Para de bancar a mãe chata e obsessiva! Eu tô indo, ok!!!

- Olha, pensando bem...Eu te odeio!!! Meu sonho era ser filho único!!!

- Para a sua tristeza, a sua irmãzinha nasceu e sempre estará aqui para te lembrar que amor fraternal existe! – Ela sorriu, fazendo a egípcia, descaradamente.

.

Cretina, teimosa, egoísta e desumana... a síntese da irmã perfeita.

.

- Vê se morre, diaba! Assim terei paz em minha vida! – O rapaz saia do local pisando duro, bufando, tamanho ódio.

O MajorHarry Jasper Ellisdo Corpo dos Fuzileiros Navais dos Estados Unidos e irmão mais velho da Segundo-Tenente da Força Aérea AmericanaMary Crystal Ellis, puxava sua orelha pela vigésima quinta vez somente naquele dia.

E contrariando o que seu irmão mais velho lhe pedira, ela voltava a caminhar com o copo do Starbucks na mão, pulando os escombros da batalha com muita euforia enquanto voltava a ouvir sua música.

Mary Crystal passeava pelas ruínas do local que as autoridades haviam interditado, como se fosse a Branca de Neve pulando e cantarolando pela floresta, se divertindo.

A garota de longos cabelos loiros esplendidamente dourados e olhos verdes no tom jade, tinha seu próprio jeito peculiar de ser e enxergar o mundo.

Amava a liberdade que carregava no peito.

.

Ela era a combinação perfeita entre a serenidade e a destruição...

.

Rara como uma joia, a loira possuía muitos detalhes e oscilava entre o caos e a paz...

Ela era a musa de um poema que todos teriam interesse de ler e transparecia uma aura esverdeada... um tom de verde precioso, que transluzia inocência e sagacidade... uma pedra especial e lapidada como uma linda esmeralda...

A garota sorria euforicamente diante do cenário de devastação...

Mas enquanto seguia pelo caminho para voltar para o hotel ao qual estava hospedada com seu irmão, a loira notou a presença de alguém em sua frente naquele exato momento... repentinamente...

.

.

Um homem com um traje em tons escuros de azul, com uma estrela no meio, segurando uma maleta cinza na mão esquerda e um grande martelo na mão direita.

.

.

Ele possuía um olhar profundo e penetrante, que mirava em frente e parecia visar algo muito longe... distante... que ultrapassava o horizonte...

Talvez outros planetas, outras galáxias, outras linhas temporais... realidades alternativas... o mundo físico, místico, quântico e cósmico...

Em segundos ele lhe mostrava algo tão inexplicável que em toda sua vida ela nunca viu...

Aqueles olhos azuis, tão tempestuosos... lhe bagunçaram por inteiro... causando desordem e uma avalanche de emoções nunca sentidas...

O conflito de enxerga-lo em sua frente, tentava dominar os interstícios de seus confusos pensamentos...

E então, os olhos daquele homem fixaram nos dela, finalmente percebendo-a diante de si...

Quando Mary Crystal focou a visão, notou que a fisionomia daquele que estava em sua frente e que a encarava naquele exato momento, era semelhante à da pessoa que estampava as manchetes de alguns jornais daquela semana ao redor do mundo, só que com um aspecto mais sério e adulto...

.

.

O Capitão América...

.

.

30 Novembre 2019 00:36:53 0 Rapport Incorporer 1
Lire le chapitre suivant A ligação entre o passado e o futuro

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 40 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Histoires en lien