jace_beleren Lucas Vitoriano

Após resgatar Ashley, a filha do presidente dos Estados Unidos, Leon começa a namorar a garota. Ela está na faculdade enquanto ele trabalha como seu segurança particular.


Fanfiction Jeux Interdit aux moins de 21 ans.

#hentai #pwp #leon #Resident-evil #Ashley
Histoire courte
1
3.9k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo único

Depois de tudo que Leon passara com Ashley naquela cidadezinha no leste da Espanha, ser o segurança pessoal dela parecia trabalho de criança. Na ocasião ela havia sido raptada, e, sendo a filha do presidente dos Estados Unidos, coube a Leon ser enviado como resgate. Os dois passaram por situações muito complicadas e intensas, chegando até mesmo a rolar um clima romântico entre eles que só se concretizou messes depois. Leon completara sua missão, regatara Ashley e a levara em segurança de volta ao seu pais.

Depois que toda aquela aventura louca acabou os dois enfim deixaram seus sentimentos falarem mais alto e começaram a namorar. Ashley, pediu, na verdade quase implorou, para que seu pai contratasse Leon como seu segurança particular. Era a melhor forma de se manterem juntos.

Devido a isso lá estava ele, Leon S. Kenedy, agente treinado do governo, um combatente experiente encostado em seu carro preto esperando Ashley sair de sua aula da faculdade. Ele era um homem bonito, músculos bem definidos, cabelos castanhos curtos, quase negros. Mantinha-se de braços cruzados enquanto esperava sua namorada sair da aula.

E lá vinha ela. Ashley caminhava ao lado de duas colegas, o trio parecia conversar animadamente sobre alguma coisa (Leon suspeitava que falassem de homens e, se fosse esse o caso, Ashley estaria a falar dele). Ashley era uma jovem bem bonita, com seus dezenove anos e cabelos loiros um pouco longos, chegando a encostar nos ombros. Vestia-se de forma simples, mas charmosa, uma minissaia verde escura, blusinha laranja curta com um cachecol vermelho escuro, com alguns detalhes em bege nas pontas.

A garota estava abraçada a um grande livro. Quando viu Leon levantou uma mão acenando para ele. Ela despediu-se das colegas e andou depressa em direção ao seu segurança pessoal, ou, mais precisamente, para os braços de seu namorado.

Enquanto a observava se aproximar Leon perguntava-se como as coisas acabaram naquele ponto. Seu coração sempre fora, e provavelmente sempre seria, de Ada Wong. A moça, porém ,era bastante complicada e. certamente. não era do tipo de se ter um relacionamento firme. Ele poderia não sentir-se atraído por Ashley como se sentia por Ada, mas ao menos a garota gostava dele e queria um relacionamento sério. Ele merecia isso não?

Além do mais, não era como se ele a estivesse usando. Leon realmente gostava de Ashley, não era uma paixão avassaladora, mas um amor confortável e seguro. A garota finalmente o havia alcançado. Ela o abraçou com uma das mãos, pois a outra ainda segurava o livro. Ficando na ponta dos pés ela o beijou com muito amor e animação, daquele jeito que toda adolescente apaixonada beija alguém.

- Então como foi a aula? – perguntou com um sorriso no rosto. Com uma das mãos ele acariciava os cabelos da namorada que sorria fitando-o com olhos derretidos de paixão.

- A faculdade está muito bem, estou fazendo novos amigos e a matéria é ótima!

Depois do que houve naquele vilarejo no interior da Espanha Ashley mudara muito. Essa mudança não se devia apenas ao fato da garota ter sido sequestrada e presenciado uma infestação de uma praga poderosa, a las plagas, que transformava os infectados em escravos podendo chegar a causar mutações bizarras no hospedeiro. Não, não fora apenas isso. O incidente também mexera com a visão de mundo da jovem. Ao presenciar uma realidade tão distante da sua, uma aldeiazinha localizada no interior da Espanha que nem energia elétrica e esgoto tinha, a garota sentiu na pele o choque entre a sua realidade e aquela nova que se apresentava para ela.

Isso a mudou de muitas formas e fora o fator decisivo para a garota optar pelo curso de serviço social. Queria ajudar pessoas, afinal nem todos tinham os luxos que ela possuirá por toda a vida, nascida em berço de ouro. A maioria das pessoas viviam em miséria, sem uma educação ou saúde decentes. Era triste, algo que ela repudiava.

Ela estava no primeiro semestre e extremamente empolgada com a faculdade. Os dois se deram mais um beijo rápido e então entraram no carro.

Leon dirigia em direção a casa de Ashley. Ela morava sozinha em um pequeno condomínio no centro da cidade. A mudança fora uma sugestão do próprio Leon, para que Ashley não ficasse tão exposta. O importante era que o mínimo de pessoas possíveis soubessem que ela era a filha do presidente. A mudança, claro, trazia vantagens. Em uma casa própria os dois podiam namorar a vontade, sem se preocupar com qualquer interferência.

Ashley falava animada sobre seu curso. Ela estava muito empolgada, citando os professores, os textos aos quais lia e também contando sobre como eram seus colegas. Leon ouvia a tudo atentamente, fazendo alguns comentários quando achava pertinente. Ele não sabia nada de serviço social, mas gostava de ouvi-la falar.

Vinte minutos depois os dois chegaram no apartamento de Ashley. Era um local pequeno, mas simpático. Ficava no segundo andar. Os dois subiram as escadas e entraram. A sala era simples, com apenas um sofá pequeno, uma mesa de centro e uma televisão. A cozinha ficava a esquerda, mas eles não se dirigiram para lá, seguiram pelo corredor até o quarto de Ashley.

O cômodo também era simples, afinal ela não precisava de muito conforto ali, até estava gostando de não ter tanto luxo quanto na casa do pai. A mesa de estudos ficava encostada na parede, próxima a janela. Havia uma estante com inúmeros livros, alguns de estudo recém-comprados, mas a grande maioria romances adolescentes. Leon conhecia alguns deles de vista, Harry Potter, Os 13 porquês, O orfanato da senhorita Pelegrinni e mais alguns outros. Ele não se interessava por esse tipo de leitura, mas entendia como uma adolescente no inicio da fase adulta como Ashley curtisse.

Ele sentou-se na cama da namorada, seu olhar ainda detido nos livros. Enquanto isso Ashley guardava seu livro de estudo em cima da mesa e colocava seu celular para carregar.

- Então... agora que estamos a sós – ela havia se aproximado, estava em pé a apenas um metro dele. As mãos nas costas, o sorriso tímido e ousado ao mesmo tempo. Ela estava bastante charmosa insinuando-se para ele, seu corpo mexendo-se um pouco devido ao embaraço – podemos fazer alguma coisa juntos o que acha?

- Como o que? Assistir televisão? – perguntou ele provocando-a. O sorriso de Ashley se alargou um pouco mais e suas faces ficaram mais coradas.

- Eu estava... – suas palavras eram ditas lentamente. Ao mesmo tempo a garota levava as mãos por debaixo da saia e começava a abaixar a calcinha devagar – pensando em algo mais... ativo.

E ao fim dessas palavras ela havia retirado totalmente a calcinha. Sua intimidade ainda estava oculta pela saia, mas só de saber que a garota estava sem roupa intimida Leon já ficara duro entre as pernas. Excitado ele deu palmadinhas no próprio colo sinalizando que a garota devia sentar ali.

Ashely retirou os sapatos e as meias ficando descalça. Aproximou de Leon sentando-se em seu colo, as mãos repousando nos ombros do namorado. Ele pode sentir a bundinha macia dela sobre suas coxas. Colocando as mãos na cintura da garota Leon a puxou mais para perto, fazendo com que os seios medianos de Ashley fossem pressionados contra seu peitoral. Seus rostos estavam separados apenas por pouco centímetros.

- Você está duro Leon – sussurrou a garota. Ashley sentia o membro dele roçando em sua vagina e isso foi o suficiente para a deixar molhada. Ele apenas deu aquele “há...!” convencido dele que a fazia ficar ainda mais excitada.

Então eles se beijaram, suas bocas se colando molhadas, suas línguas enrolando-se prazerosamente uma na outra. Ele deslizou suas mãos até a bunda da garota, tocando-a sem o menor pudor. Ela soltou um gemidinho baixo ainda beijando-o.

O beijo terminou e eles ficaram se encarando, extremamente próximos. Um fino fio de saliva unindo as bocas dos dois que se encaravam de forma intensa. Uma forte tensão sexual pairando no ar, cada um deles tendo pensamentos bastante indecentes em relação ao outro.

Ela levantou a blusa dele revelando seu tórax e peitos talhados por todo o treinamento militar. Músculos rígidos e atraentes. Voltaram a se beijar, beijos curtos e úmidos. As mãos dela exploravam o tórax nu dele, enquanto as de Leon ainda apalpavam a bunda da garota.

Ele retirou a blusa da namorada expondo assim os seios medianos da garota cobertos por um sutiã branco. Apalpou aqueles seios com carinho. Ashley gemeu baixo, começando a depositar beijos curtos no pescoço de Leon, descendo lentamente até o ombro e peitoral.

- Você é tão gostoso Leon... o melhor segurança que uma garota poderia querer – provocou-o, depositando mais e mais beijos molhados no corpo do namorado.

- E você é bem safadinha, totalmente diferente do que quando te conheci Ashley – ele riu. Na Espanha ela era sempre muito certinha, mas agora que namoravam, Ashley mostrava-se mais ousada do que aparentava a primeira vista – seu pai sabe desse seu lado?

- Meu pai – ela sorriu, suas mãos tocando as alças de seu sutiã e desabotoando-as de forma sensual. A peça intima desprendeu-se do corpo da garota revelando seus seios com delicados mamilos rosados – nem faz ideia das coisas que faço...

Ele riu animado. Ashley sabia sim ser bem provocativa e sensual quando queria. Leon caiu de boca naqueles seios tão apetitosos, chupando-os com força e gosto. A garota gemeu alto, arqueando sua cabeça para cima. Ela dava leves saltinhos no colo de Leon, gemendo e murmurando o nome do namorado.

- Ah... assim... está ótimo – dizia baixo enquanto era estimulada. Seus mamilos estavam sendo chupados, carinhosamente lambidos e acariciados. Uma combinação que levaria qualquer garota a loucura.

Ela sentia o membro de Leon quase rasgando suas calças de tão grande e duro que estava. Queria sentir aquele membro dentro dela, potente e viril, estocando com força dentro de seu interior apertado.

Os chupões e caricias continuaram, no ritmo e na intensidade certa. Leon conseguia excita-la como nenhum homem antes havia conseguido. Essa com certeza era uma vantagem de namorar um cara mais velho.

Então ele finalmente largou os seios de Ashley e deitou a garota na cama, com a barriga para cima e os seios balançando sutilmente. Rapidamente despiu-se das calças e da cueca ficando totalmente nu. Seu membro saltando para fora. Ela já havia visto aquele belo pênis inúmeras vezes, mas mesmo assim ainda se impressionava com seu tamanho avantajado. Ashley retirou sua saia, a última peça de roupa que ainda vestia. Sua vagina rosada ficou exposta, uma flor rara que convidava Leon para o prazer.

Leon sentou-se sobre a namorada, abrindo e levantando as pernas da mesma. Não fez cerimonia e enfiou todo seu pênis de uma vez provocando um gemido alto da garota que fechou os olhos com força. Então as estocadas começaram, firmes e potentes. Ashley gemia mais e mais, sua cabeça pendendo para o lado, seus olhos fechados em uma careta de dor e prazer.

- Ahh... Leon... Leon... – ela gritava mais e mais. Ele já a ouvira gritar muitas vezes seu nome quando estavam naquela missão na Espanha, mas naquela ocasião seus gritos eram irritantes e insistentes pedidos de ajuda. Agora o som soava como música aos ouvidos do agente, eram como juras de amor.

Ele se empolgou, estocando ainda mais forte, torturando a sua jovem namorada com ondas intensas e incessantes de prazer. Ela apertava seus olhos com força, chegando até mesmo a chorar baixinho. As estocadas a faziam perder o folego, cada uma mais potente que a outra. Leon porém era controlado e continha-se para não chegar logo ao orgasmo, prolongando assim os momentos de prazer.

Após longos minutos ele finalmente sentiu o orgasmo da namorada assim como ouvi-a gritar seu nome. Com cuidado saiu de dentro dela. Ashley estava estirada na cama exausta, arfava e suava. Sua intimidade totalmente encharcada.

Ele a virou de costas, podendo assim ver a bunda da garota. Apalpou-a com desejo, estimulando-a com carinho. Em seguida pressionou seu pênis ali, penetrando-a devagar. Ela soltou um gemido fraco, mas abriu mais as pernas sinalizando que ele continuasse.

Dessa vez ele foi mais lento e gentil, suas estocadas por trás não eram tão intensas, Ashley apenas suspirava de prazer, seu corpo movendo-se em leves contrações. Ele permaneceu nisso por algum tempo, até que também chegasse ao orgasmo, aliviando-se finalmente. Leon a virou de frente, fitando o rosto de sua namorada. Ela estava vermelha, bastante sem jeito. Com certeza não era proposital, mas para Leon a garota estava extremamente sensual.

Ela parecia tão frágil assim. Era nesses momentos que Leon lembrava-se que Ashley ainda era uma adolescente, a delicada filha do presidente. Claro que ela não era tão delicada assim, suas atitudes na cama, sua sensualidade levemente tímida, sua coragem na Espanha. Tudo isso mostrara a ele que a garota era muito mais do que uma garota meiga e indefesa. Mesmo assim, ela ainda era uma pessoa que crescera cercada de mimos, superprotegida a cada instante.

Com carinho ele se deitou sobre ela, abraçando-a, acolhendo-a. Ela sorriu tímida, com aquele seu ar meigo de adolescente. Os dois se beijaram demoradamente.

- Eu te amo Leon... – disse vermelha – te amo tanto...

Ele acariciou o rosto da namorada e beijou-a mais uma vez. Não era preciso que disse-se nada, aquele beijo comunicava mais que mil palavras. Ele a amava e desejava continuar com ela por muito tempo.

Os dois permaneceram abraçados e assim dormiram juntos, sendo confortados pelo calor do outro.

18 Novembre 2019 15:28:45 0 Rapport Incorporer 0
La fin

A propos de l’auteur

Lucas Vitoriano Ola, me chamo Lucas, adoro escrever, ver animes, jogar Magic the gathering, ler entre outras coisas mais rs. Sou particulamente fissurado em mitologia grega, meus autores favoritos são Neil Gaiman e Kazuo Ishiguro e, meu livro favorito, é As brumas de Avalon.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~