dancerbobohu Lucas Byun

Para seus colegas de turma, Byun Baekhyun era o típico nerd tímido que possivelmente passa o dia estudando. Com certeza não esperavam que o mesmo homem que fugia da atenção dos outros tinha uma conta secreta dançando pole dance, descoberta e espalhada por todo colégio. Em meio de todas as provocações e perturbações diárias depois do escândalo, Baekhyun não esperava receber um pedido de aulas particulares do capitão do time de basquete, Park Chanyeol.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#chanyeol #pwp #chanbaek #baekyeol #baekhyun
0
3.6k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 30 jours
temps de lecture
AA Partager

Dance like we're making love

Byun Baekhyun no colégio sempre foi o estereótipo de nerd da turma: tímido, nota dez em todas as matérias, sempre de roupas largas de animes ou jogos, boa parte do tempo sozinho mexendo no celular ou lendo algo. Para si era muito mais fácil assim, só estava ali para se formar, estava bem sendo invisível por multidão de sua escola.

De fato as definições não estavam totalmente erradas, mas no dia-a-dia o garoto era bem extrovertido, além de ser um profissional em pole dance. Dava aulas à noite duas vezes por semana além dos vídeos que filmava para sua conta no instagram — que até tinha vários seguidores —, era um belo de exibicionista, afinal.

Desde que sua mãe lhe deixou sozinho quando atingiu a maioridade para viajar pelo mundo, decidiu começar a dar aulas no lugar em que praticava desde o começo da adolescência para se sustentar junto da pequena quantia que ela lhe enviava mensalmente. A dona do lugar ficou super animada, Baekhyun era querido por todos e sua habilidade tanto no pole dance quanto de ensinar eram notáveis e admiradas.

‘’Bobohu Dance’’ era o nome que escolheu para seu perfil depois de tanto refletir, achando que ninguém que não desejava achá-lo.

Não sabia o quanto estava errado.

Era só mais uma segunda meio cinzenta quando adentrou na sala e sentou bem na frente e no canto, como todos os dias, mas sentiu que o ar daquele lugar mudou para estranho assim que entrou. Permanecia com o olhar fixo na tela do celular, mas definitivamente sentia que o resto da sala o olhava e falava de si — até mesmo desligou a música dos fones para tentar escutar o que falavam, totalmente inútil por tantos murmúrios juntos —, felizmente ou não demorou alguns minutos disfarçados de uma eternidade desconfortável para que um garoto parasse na frente de sua carteira. Tirou os fones e levantou o olhar até a figura masculina, mantendo sua careta de tédio para não entregar seu misto de nervosismo e curiosidade.

— E aí Bobohu — Wu Yifan pareceu testar e brincar com o nome em voz alta, tendo um sorriso convencido que só aumentou ao ver a falsa feição de desinteresse virar uma careta de surpresa — Quanto você cobra para uma sessão particular?

Baekhyun estava verdadeiramente desacreditado, tinha tomado todos os cuidados para que ficasse em paz até sair daquele colégio. Não estava triste, longe disso, estava bem puto e pronto para soca o filho da puta que tinha acabado com sua ótima e bem resolvida vida de invisível no colégio.

Ou o próprio Wu, também era uma tentação descontar a raiva nele.

Antes que pudesse responder com sua língua venenosa, o professor entrou na sala e começou a aula apressadamente, acabando de vez com os murmúrios irritantes.

Foi desse momento em diante que todo o inferno na terra começou, a sua paz tão amada foi tirada de si sem sua permissão e jogada no lixo. Andando nos corredores ouvia milhares de cantadas babacas, assobios ou até chegar em si como Wu Yifan ousou fazer e para cada provocação de mau gosto tinha uma resposta diferente na ponta da língua. Já que iriam encher o saco, que as respostas tornassem tudo mais engraçado para si ao ver as caras emburradas sem saber como rebater.

Mas claro que a vida não cansava de querer lhe surpreender, obviamente isso não era o bastante

Em plena quinta da mesma semana que aconteceu. O moreno estava sozinho no banheiro logo após o término das aulas, arrumando seu cabelo rebelde — ou, pelo menos, tentando — quando alguém entrou. Obviamente Baekhyun deu um total de zero fodas porque seu cabelo era mais importante que qualquer pessoa aleatória entrando.

Impossível não reconhecer os característicos fios vermelhos como fogo do capitão de basquete do colégio, O popular , Park Chanyeol. Ele estava lá, parado atrás de si esperando alguma coisa.

‘’Ah, ótimo, mais alguém pra dar uma patada hoje’’ Foi logo o primeiro pensamento que cruzou a mente de Baekhyun enquanto virava para homem agora à sua frente.

— Se pretende fazer piadas com prostituição, sinto muito, trabalho apenas à noite — Decidiu se pronunciar em meio do longo silêncio do Park. Pensava que talvez assim ele fosse embora e desistiria de tentar qualquer coisa, mas tudo que ganhou foi um arregalar de olhos imediato junto de um negar com a cabeça, tímido.

Nem parecia a mesma pessoa determinada e extrovertida — além de super falante — que liderava um time inteiro junto do treinador.

— Desculpe, não é isso — Soltou um longo suspiro antes de continuar, tomando coragem — É verdade que você dá aulas?

— Sim — Respondeu simples.

Não sabia onde o jogador queria chegar — e se realmente queria chegar em algum lugar, poderia ser apenas uma grande piada —, seus olhos carregavam sua desconfiança com a pergunta inesperada. Ter mais um aluno era sempre uma ótima ideia que animava todo o seu ser, mas Park Chanyeol? Ele era a última pessoa em que pensaria.

— Por acaso você tem uma vaga disponível?

Baekhyun o olhou perplexo por um total de dez segundos, a frase parecia ecoar em sua mente em um pequeno looping, mas a ficha simplesmente não caía. Piscou rapidamente para voltar ao normal, segurando-se para não abrir um largo sorriso.

É verdade que suas aulas normalmente eram cheias — mesmo com a enorme sala, só sobrava uns três poles vazios —, mas a perspectiva de um novo aluno sempre movia-o a uma animação estranha, ainda mais sendo um homem. Em todas as aulas, contando de profissionais até iniciantes, deveria ter uns cinco homens além de si mesmo. Nas próprias aulas tinham somente mulheres, infelizmente.

Uma concordância mundial é que homens dançando pole dance é sempre lindo além do permitido de se ver, muito mais que sua atração particular, uma aura e um encanto diferente da mulher, mas igualmente majestoso.

Ah, droga, quem queria enganar com a falsa careta de desinteresse? Estava totalmente animado.

— Talvez — Controlou-se com todas as suas forças — Me dá seu celular

Estendeu uma das mãos para Chanyeol e assim que teve o aparelho em mãos, abriu o bloco de notas e anotou o endereço para as aulas. O ruivo ostentava uma feição adorável de confusão, os olhos grandes transparecendo toda a sua curiosidade.

— Hoje, às sete — Devolveu o aparelho e deu um de seus melhores sorrisos de canto — Vamos ver se você merece ter uma vaga na minha turma

— Obrigado Baekhyun, estarei lá — Levou uma das mãos até a nuca e retribuiu o sorriso, genuinamente feliz mesmo que junto do nervosismo. Estava verdadeiramente um galã naquela pose em que os músculos meio avantajados do braço apareciam mais definidos por dentro da camisa — Bom… você pode manter isso entre nós?

Baekhyun revirou os olhos, virando e voltando a estar de frente para o espelho. Não aguentava mais olhar para aquele homem sem ter uma enorme vontade mista de socar a boca gordinha e beijá-la. Acontece.

— Não, Park. Vou sair contando para todo mundo — Voltou a ajeitar o cabelo — Vá logo antes que eu mude de ideia e não esqueça de vir de shorts, nem pense em aparecer de legging na minha aula e eu faço você fazer tudo de cueca

Não demorou para o jogador sair do local aos risos, deixando o moreno sozinho novamente. Foi quando a ficha finalmente caiu: O grande Chanyeol acabou de pedir aulas de pole dance para si.

A vida é realmente uma caixinha de surpresas.

(...)

Baekhyun estava exausto.

Antes de sua tão aguardada aula teve que ajudar seu melhor amigo, Zitao, a criar uma coreografia para que o garoto gravasse mais tarde. Gostava de ver isso como um aquecimento para a aula, mas acabou tendo mais trabalho do que imaginou.

Chegou em sua sala com calma, ligando o som e colocando uma música calma bem baixa. Sempre tinha que fazer isso para acalmar suas alunas agitadas e deixá-las no clima certo.

Chanyeol foi o primeiro a chegar, respirando aliviado ao ver que só tinha Baekhyun na sala, este distraidamente mexendo no celular enquanto uma música lenta e um tanto sensual tocava. O barulho da porta fechando fez logo Baekhyun levar sua atenção até o ruivo, tendo que conter o ímpeto de sorrir.

Lá estava ele, de regata e um short bem pequeno, expondo as belas malhadas. Estava ainda mais gostoso que o usual.

— Gostei Park, chegar cedo é muito bom — Largou o celular em cima da caixa de som. — Pegue um colchonete e comece a alongar

Como um bom garoto, Chanyeol obedeceu às ordens de seu professor, tendo este parado ao seu lado, observando-o enquanto o ruivo se ajeitava ao lado de uma barra mais ao canto e no fundo.

O Byun estava secando seu corpo ou analisando se fazia algo errado? Chanyeol realmente não sabia dizer ao mirar as orbes escuras que ostentavam um brilho diferente.

— Diz pra mim, você já fez aulas? — Perguntou realmente curioso, mas claramente disfarçado de uma dúvida profissional.

— Aulas particulares, mas ‘tô parado há um pouco mais de um ano — Viu o momento que o dançarino abriu um largo sorriso bonito para si.

— Bom, vamos botar esses músculos todos para trabalhar — Olhou adiante e percebeu as outras alunas entrando aos poucos, sendo sua deixa para voltar ao trabalho. — Minhas gatas chegaram!

Enquanto o professor cumprimentava cada uma de suas alunas com o maior sorriso do mundo, o ruivo olhava atentamente toda a cena. Era meio difícil para si acreditar que esse era o mesmo Byun Baekhyun, aparentemente tímido, que ficava em seu canto tentando ser o mais invisível possível, mal sabia ele que para Chanyeol ele não era nada invisível. Já não era mais novidade até pro próprio grupo de amigos.

É verdade que existia uma atração pelo garoto bonito, esta que só aumentou ao ver um outro lado que nunca tinha visto e nem sabia que existia. O início de sua atração incluía tê-lo gemendo para si, parecendo ser o típico garoto com vergonha de pedir o que quer, mas tudo que sua pobre mente pensava agora era em todas as maneiras que seu novo professor poderia dominá-lo.

Pensava também em levar Baekhyun em encontros para conhecer tudo que não sabia e deixar-se levar pela caixinha de surpresas que o garoto era.

Todas as ideias eram igualmente atrativas, pena iriam permanecer apenas como ideias.

— Meninas, peguem seus colchonetes, vocês já sabem — Baekhyun andou até a frente da sala, ficando bem no meio para ter uma visão de todos e de costas para o enorme espelho que ocupava quase toda a parede. — Hoje nós temos gente nova, então, ouvindo suas preces, deixo vocês treinarem para a apresentação do meio do ano, aproveitem a oportunidade! — Fez um drama básico, causando várias risadinhas e gritos animados — Mas antes, quero dez abdominais para cada lado na barra e mais dez pranchas para aquecer, vamos!

Mesmo com as atuais reclamações, Baekhyun seguiu sorridente até o jogador que, com sua força invejável, fazia todos os abdominais direto sem precisar para tocar o chão.

Será que ele era capaz de carregar o corpo menor como bem desejasse por aí?

Não, foco.

— Apresentação? — Chanyeol perguntou enquanto trocava de lado para continuar os abdominais.

— Todo meio e final de ano fazemos dois dias de apresentações para quem quiser, aí nossos alunos e professores podem criar coreografias, só por diversão, sabe? — Sorriu um tanto bobo ao olhar mais adiante onde estavam suas alunas esforçadas — Elas sempre pedem uma aula para treinarem, nem todas têm pole em casa ou mesmo outro tempo no dia

— Parece ser divertido — Deitou no chão e segurou a barra, começando a prancha. Falava tão tranquilamente que nem parecia que estava fazendo exercícios. — Dá pra ver o quanto é adorado aqui

—Não tente ser puxa-saco, Park — Revirou os olhos — Se, por acaso, você começasse a fazer mesmo as aulas, gostaria de apresentar?

Os olhos de Chanyeol quase triplicaram de tamanho, o pânico se alastrando por toda sua feição.

— Não, claro que não! — Levantou assim que terminou, ficando de frente para seu professor — Vai que alguém grava e descobrem? Fora de cogitação

— Ah, claro, como aconteceu comigo, né? — Deu dois tapinhas nos braços fortes — Quero ver o que você sabe, Park, pode começar a subir e descer na barra

Como um garoto obediente que Chanyeol estava sendo em tudo que pedia, subiu e desceu da barra com excelência. Definitivamente ele não estava enferrujado em um ano parado.

Distraindo-o de seu aluno novo, ouviu seu nome ser chamado no outro canto da sala.

— Continue fazendo, já volto a te dar atenção — Piscou para o ruivo e seguiu em direção da voz, descobrindo logo depois de ser Irene.

A garota era uma das pessoas mais doces do mundo e uma de suas alunas mais antigas, eles até tinham se apresentado juntos ano passado. Ela queria ajuda com um passo um pouco mais difícil — fazer o butterfly era realmente complicado — e aproveitou a deixa para observar e ajudar nas coreografias de suas alunas, orgulhoso da melhora de cada uma e de suas criações.

Infelizmente ou não, tinha que voltar seu aluno novo.

— Ok Park, vamos fazer uma sequência — Se posicionou na barra em que o ruivo estava, tendo ele atrás de si observando atentamente cada movimento.

Uma sequência simples com alguns giros — e sensualidade, obviamente — só para que Byun pudesse ver até onde Chanyeol chegava.

Em questão de técnica, Chanyeol era impecável. Fazia os encaixes certos e todos seus movimentos eram leves como a coisa mais fácil do mundo.

O fato um tanto engraçado, no entanto, era que ele não sabia sensualizar, era completamente duro e travado. Era até bem comum, principalmente com homens, então nada que o professor não pudesse ajudá-lo.

— Certamente você não é um iniciante, mas temos que trabalhar melhor sua sensualidade. Pegue isso como um exercício diário — Segurou a barra de metal assim que o outro se afastou, tendo o olhar queimando em si — Primeiro você aproxima com o peito, depois a barriga e por último a cintura — Explicou enquanto representava com o corpo, apenas uma ondulação simples para começar — Vamos, sua vez, Iron Man

O novo apelido escapou de repente — Byun era estupidamente bom fazendo apelidos e todas as suas alunas tinham um —, causando um sorriso estranho em Chanyeol. A bem da verdade, Chanyeol conseguia rebolar perfeitamente, mas gostaria de mostrar para seu professor de outra forma. Sem contar que não perderia a chance de ter Baekhyun mostrando e o ajudando a fazer corretamente. As mãos firmes passando pelo seu corpo com o objetivo de mostrar onde deveria mexer com o corpo fazia valer a pena toda a encenação.

O resto da aula seguiu tranquilamente, Baekhyun pegou os últimos dez minutos de aula para passar uma sequência um pouco mais complicada para todos, felizmente no final todos conseguiram executar. Agora as alunas já tinham se despedido e saído, deixando os dois únicos homens sozinhos.

— Vai ser bom tê-lo como aluno, Iron Man, essas garotas precisam de outro representante masculino além de mim — Gargalhou, sendo acompanhado pelas risadas tímidas do jogador.

— Foi bom, eu gostei — Respirou fundo antes de continuar — Baekhyun, pode me ajudar com aquilo da ondulação de novo?

Chanyeol deu alguns passos em direção ao professor, até que quase colassem os corpos, mas nenhum dos dois ousou de afastar, mantendo um intenso contato visual que denunciava toda a tensão sexual implícita no pedido do garoto.

— Como posso te ajudar? — Quase sussurrou, a voz saindo mais erótica do que planejava.

— Senta ali — Pediu, apontando para uma cadeira encostada na parede do fundo da sala.

Sem pensar muito, Baekhyun foi e se sentou. Enquanto Park colocava uma música, parou para babar um pouco mais no corpo definido. Seus braços totalmente à mostra, exibindo os belos músculos bem malhados, a bunda arrebitada sendo marcada pelo short curto e as coxas definidas de tão fortes, parecendo pedir para que caísse de boca ali.

‘’Dance like we’re making love’’ começou a tocar enquanto Chanyeol andava até si. O dançarino logo sorriu, amava dançar essa música.

Não demorou para o ruivo se acomodar no colo alheio. Começou a rebolar no ritmo da música, mostrando toda a sensualidade que o Byun tanto queria que fizesse anteriormente. As mãos deste vieram dedilhando as coxas no qual estava tão obcecado até alcançar a bunda firme — não perdeu a chance de dar um forte aperto no local — e então as pousou na cintura. Ali sentia perfeitamente o quão mole Chanyeol era pra rebolar, o desgraçado até sabia pontuar com a cintura.

— Você é um filho da puta — Baekhyun abusou de sua voz melódica e sensual, causando risadas sarcásticas do outro junto de arrepios ao ser tocado daquela forma — É por isso que veio até aqui, Park?

— Devo admitir que foi divertido ser seu Iron Man por alguns minutos e ter você me mostrando como deveria ser feito — Aproximou o rosto do pescoço alheio, maltratando a pele sensível com os dentes — Mas eu não aguentei esperar até que você notasse

— Você deveria dançar comigo na apresentação — Tombou a cabeça para o lado enquanto apertava a cintura reta. Eram muitos estímulos para tentar pensar direito no que falar — Pense com carinho na proposta enquanto te fodo, Park. Agora trate de mostrar ao seu professor como ele estava errado — Ordenou, dando um tapa bem dado em uma das coxas.

Como se tivesse dito as palavras mágicas, Chanyeol apoiou as mãos nos ombros largos e se empenhou totalmente a rebolar e quicar em seu professor, assim como foi ordenado.

Não demorou muito para as bocas se encontrarem, desesperadas por contato. As línguas brincando juntas dentro e fora das bocas, mordidas no lábio inferior, sugadas na língua, o beijo inteiro era carregado do tesão meio acumulado de ambos. A música nem tinha mais importante, apenas servia de música de fundo para os barulhos eróticos daquele amasso que já evoluia para algo a mais.

As mãos enormes de Chanyeol foram logo à procura da barra regata que o dançarino vestia, tirando a peça rapidamente e notando mais um detalhe que não sabia sobre Baekhhyun, mas que o deixava ainda mais gostoso.

— Piercing nos mamilos, Baekhyun? — Sorriu mais malicioso que nunca, ao menos deixando-o responder, quando viu já tinha caído de boca.

O piercing só trazia um geladinho gostoso na boca e Chanyeol ainda fez questão de brincar bastante com a língua com o pedaço de metal e pelo jeito tinha descoberto o ponto fraco de Baekhyun. Ele se contorcia e gemia, capaz de gozar daquela forma se continuasse, mas o ruivo apenas se afastou, se divertindo com a careta insatisfeita de seu professor. Iria sofrer por aquilo e a perspectiva disso só o deixava mais animado.

Baekhyun foi com a boca direto no pescoço imaculado e intocado até então. À medida que abusava e se concentrava em marcar pontos bem visíveis, seu olhar parou no longo espelho logo à frente. Definitivamente a visão do paraíso: O corpo grande e forte do jogador rebolando entregue para si.

Como se estivesse se divertindo com o que aquela visão poderia lhe beneficiar, afastou um dos lados do pequeno short e tendo a limpa visão do cuzinho contraído de Chanyeol. Salivou, que puta visão gostosa.

— V-você tem camisinha? — Chanyeol perguntou, mas não teve resposta imediata porque lá estava o Byun chupando os próprios dedos e depois levando à entrada do ruivo.

Apenas toque suaves, uma nítida provocação e mesmo que Chanyeol já tivesse total consciência disso, estava funcionando direitinho e deixando-o cada vez mais desesperado.

— Eu não esperava foder no meu trabalho, Park — Soltou uma risada rouca — Você vai ficar me devendo, mas posso dar um jeito de ser gostoso

Dito isso, enfiou dois dedos de uma vez e foi agraciado pelos gemidos roucos e graves de Chanyeol, seguidos de intensas quicadas em seus dedos. Para o mais velho era até difícil não acabar largando da visão do espelho para olhar a feição contorcida de prazer estampada por toda a face do outro.

Em um movimento sagaz, Chanyeol tirou os dois membros dos apertos das vestes e se aninhos mais perto de Baekhyun. Apoiou a cabeça no ombro alheio, levou sua destra para juntar ambos os paus latejantes cheios de pré porra escorrendo por toda a extensão. Cada quicada nos dedos finos do dançarino era uma esfregada dos pênis molhados, um prazer em dobro que fazia o jogador dizer coisas desconexas junto do nome de Baekhyun, um manhoso completo.

Foi com algumas estocadas a mais junto de mordidas da boca esperta de Baekhyun pelo pescoço e braços para que Chanyeol gozasse bem gostoso. Ainda com os olhos fechados e respiração ofegante, seus lábios foram beijados diversas vezes, mas ele tinha completa noção de que seu professor ainda não gozou, sabia o que tinha que fazer.

Levantou do colo alheio, mesmo com as pernas ainda se recuperando após tanto ficar se esforçando sentado, andando até o espelho à frente e empinando para Baekhyun. Balançava a bunda de um lado para o outro, inevitavelmente amando a toda a atenção e o sorriso lançado para si.

— Feche as pernas, Yeol — Sussurrou assim que levantou da cadeira para grudar os corpos. Chanyeol poderia jurar que ficaria duro novamente se Baekhyun resolvesse chamá-lo daquela forma pela voz sensual de Baekhyun outras vezes.

O pau mediano foi enfiado entre as coxas malhadas, o aperto entre elas sendo mais que o suficiente para fazer o pau latejar de tesão. Começou uma movimentação lenta, uma tortura mais deliciosa que o permitido.

As mãos do jogador foram para trás, alcançando a bunda farta e firme de seu professor — uma das vantagens de ter os braços longos—. Apertou a carne até que escapasse entre dedos e brincando livremente com o local. Poderia não estar olhando, mas Baekhyun gemendo o mesmo apelido de antes para que não parasse compensava totalmente.

O dançarino teve o prazer de gozar nas coxas em que tanto admirou e desejou secretamente naquela noite, ainda tendo a visão privilegiada de seu sêmen escorrendo lentamente pelo interior das pernas alheias. Ah, como queria gozar em diferentes partes do Park.

Os dois estavam uma bagunça cheirando a sexo, mas com sorrisos largos ao se beijarem mais diversas vezes antes de finalmente se arrumarem e deixarem o local, este já completamente vazio.

— Você tem sorte que estou de carro, Park — Comentou enquanto trancava a porta de entrada do local. Ao menos percebeu o sorriso malicioso que o ruivo deu atrás de si.

— Você está de carro? — Perguntou retoricamente — Pode me dar uma carona?

10 Novembre 2019 21:56:45 0 Rapport Incorporer 0
À suivre… Nouveau chapitre Tous les 30 jours.

A propos de l’auteur

Lucas Byun ʚωєℓcσмє! » trasboy • єxσ-ℓ • sʜɪɴᴇʀ • Exo Royals Shipps «

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~