anjosetsuna Anjo Setsuna

Hou hou hou, Feliz Natal! Doze Contos Natalinos com os sêxtuplos mais sexy da galáxia. Um conto novo até chegar o Natal. Que Papai Noel elimine todos vocês!


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#yaoi #bl #incesto #natal #conto #humor-negro #osomatsu-san #fica-vai-ter-bolo #garotas-matsu #oso-kara #kara-bita #atsu-todo #ichi-jushi #choromatsuxchoroko #totoko #kara-ichi #osomatsu-kun #girlymatsu #joshimatsu
0
2.7k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

A primeira coisa que mais odeio no Natal é não ter nada para fazer



— Hey, my brother, o que houve?

— Ahhh eu vou enlouquecer... – Osomatsu suspirou mais uma vez – Eu odeio não ter nada pra fazer. Talvez eu devesse ir no pachinko*...

Karamatsu voltou a encarar o espelho de mão que segurava, ainda lembrava da cara surpresa de seu irmão mais velho ao vê-lo trocando de roupa com Ichimatsu. Se bem lembrava a desculpa do mais novo também era a mesma: não ter nada para fazer.

— Né, Karamatsu. Amanhã é véspera de Natal, quer ir jogar coisas em cima das pessoas de cima do viaduto?

— Aniki!* – gritou horrorizado, sempre se aborrecia por Osomatsu ser tão permissivo com as maluquices dos irmãos mais novos. Apostava que a ideia tinha sido do Trevasmatsu. – Vo-você não pode tá falando sério?

— Ah, mas eu não tenho nada pra fazer, sabe como odeio isso. – o mais velho coçou o nariz com um sorriso suspeito.

— Se você tiver algo pra fazer desiste dessa ideia maluca?

— Talvez... – riu.

— E vai impedir o Ichimatsu também?

Osomatsu levantou as mãos para o alto em sinal de rendição.

— Vou falar pro Jushimatsu ficar de olho nele. Mas você sabe, como eu odeio – e nessa hora baixou a voz em um tom perigoso – não ter nada para fazer.

— Certo, my brother! Apareça amanhã na árvore de Natal da praça, as oito da noite.

E aquela noite Osomatsu acabou indo no pachinko, estranhamente a sorte resolveu sorrir para ele, já que havia ganhado uma boa quantia. Acabou dormindo de bom humor. Antes de cair no sono até pensou que poderia perdoar Karamatsu pelo futuro aborrecimento que ele certamente teria na véspera de Natal.

O dia passou moroso na véspera de Natal. Osomatsu acabou ficando sozinho em casa, já que seus irmãos tinham conseguido algo para fazer que não envolvesse assassinatos ou explosões. Pensou em formas de torturar Karamatsu pelo tédio que ele estava passando, até lembrar do dinheiro que havia ganhado no pachinko.

— Talvez se eu procurar um presente pros cinco demônios faça o tempo passar haha. Ah não, melhor apostar na corrida de cavalos. Ou barganhar com a Totoko-chan esse ano hehe!

Começou a rolar pelo tatame ao imaginar a garota vestida de mamãe Noel, logo em sua imaginação a garota vestia apenas uma lingerie vermelha sexy e, estranhamente, segurava um chicote em uma das mãos.

— Hehehe Totoko-chan me acerte como quiser...

— Credo...

Todomatsu cortou seus pensamentos ao entrar no quarto e olha-lo com cara de nojo. Foi chutado para o outro lado do quarto sem piedade.

— Totty!!!

— Você está atrapalhando Osomatsu-nii-san, preciso abrir o armário. Aliás, você não ia sair com o Merdamatsu hoje?

— Ah é mesmo.... Ahhh que doloroso isso, não quero ir...

— Não seja mau nii-san*, você sabe que ele vai ficar te esperando lá até aparecer. Você disse que odeia não ter nada pra fazer, não é? Quem sabe não encontra uma surpresa.

Ambos irmãos trocaram sorrisos maliciosos, e o mais velho seguiu para a praça de Akatsuka.

Osomatsu vestia seu usual moletom cinzento, já que o vermelho estava sujo. Parou perto da árvore de Natal e ficou observando os casais que se formavam por ali.

— Por que logo esse lugar? Eu vou socar o Karamatsu.

— Não faça isso, my brotr... – pigarreou – Não faça isso, Osomatsu.

O falsete pegou Osomatsu de surpresa, já fechava os punhos para socar seu irmão, mas ficou estático. Karamatsu vestia um belo vestido azul marinho de mangas três-quarto e um suave decote. E aquilo eram saltos e brincos azuis? Mas o batom e a peruca foram o que mais o deixou surpreso, pois o conjunto acabou ficando bonito. Sorriu sacanamente e apertou os seios falsos.

— Pervertido! - Levou uma bolsada na cara.

— OLHA QUEM FALA KARAMATSU! O que diabos tem nessa bolsa?? Pedra?

— Karako, repita comigo. – piscou. – A bela dama remexeu na bolsa deixando um pedaço de tijolo cair no chão, dando um sorriso confiante ao confuso Osomatsu. - Uma dama precisa se proteger.

— Tá de brincadeira comigo, Merdamatsu!

— Ka-ra-ko! – pigarreou novamente – Você disse que odeia não ter nada pra fazer, pensei em irmos num bar onde me apresento as vezes.

— Eu vou pra casa. Okama!*

— Es-espera!! - Karako pegou nas mãos de Osomatsu e colocou sobre seus seios – Eu passei no Dekapan e ele ainda tinha daquele remédio sabe, aquele que o Iyami usou.

O Matsuno mais velho que ainda segurava o par de seios ficou vermelho, coçou o nariz como habitualmente fazia e segurou as mãos da moça como os casais ali perto.

— Você sabe que eu odeio não ter nada para fazer, não é?

— Ah, o remédio dura só até meia noite.

— Não tem problema hehe.

FIM

__________________________________________________________________

* Pachinko – espécie de máquina caça-níquel

* Aniki – irmão mais velho

* Nii-san - irmão

* Okama – modo pejorativo de se referir a um travesti ou gay.

* Akatsuka – nome da cidade onde se passa a história de Osomatsu-san se me lembro bem. Se tiver errado, perdão pelo vacilo.

14 Décembre 2019 00:01:04 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant A segunda coisa que mais odeio no Natal é bolo natalino

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 11 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!