Venus Suivre l’histoire

adricake

Yoonmin ❀❀❀❀ Jimin estava disposto a ensinar o significado das flores para que Yoongi não comprasse errado. Mas Yoongi queria o ensinar sobre o amor, mais especificamente, seu amor.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#fluffy #soft #romance #flores #yaoi #menção-taekook #portugues #minimini #suji #boyslove #bts #yoonmin
0
1.1k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Primeiro Ato

Um belo dia de quinta feira — provavelmente uns dois meses atrás —, minha mãe me mandou ir visitar minha vó.

Isso era uma tarefa que geralmente poderia levar horas, já que ela não me deixava ir embora sem comer pelo menos dez pratos de bolos, e eu não podia me atrasar para o meu compromisso de todas as quintas. Então resolvi mudar a ordem das coisas e sair duas horas mais cedo para ir a floricultura perto de casa, como sempre, antes de ir ver a minha avó.

Foi assim que eu "conheci" Park Jimin, o rapaz que trabalhava naquele horário em todas as Segundas, quintas e sextas. Assim, também, comecei a sair mais cedo e ir até o local nas segundas e sextas também, usando qualquer desculpa para comprar uma nova flor, ainda que não precisasse delas nesses dias.

Depois de todo esse tempo, em uma quinta feira eu estava decidido a chamá-lo para sair, ou pelo menos ter uma conversa decente que fosse além das flores ou o clima.

Peguei uma flor qualquer assim que entrei na loja — a pessoa que a receberia ligava pra isso tanto quando eu — e andei a passos lentos até o balcão.

Talvez a maioria das pessoas não fiquem ansiosas para pagar alguma coisa, mas todo mundo acharia compreensível se fossem atendidos por Park Jimin.

Dizer que eu tinha Jimin como um "crush" era até mesmo ofensivo, já que eu o admirava tanto quanto podia e não tinha muita certeza se ele era real.
"Como um ser humano comum pode ser tão bonito e tão doce? Eu tenho certeza que aquele cara foi enviado dos céus pra ser admirado por mim", foi o que eu disse ao meu primo quando ele tinha perguntado sobre o tão famoso Park.

Tentei dar um sorriso simpático enquanto entregava o vazinho com a flor para ele, que a pegou franzindo a testa em estranheza a escolha. Estava sempre analisando as escolhas dos clientes e reagindo a isso, mas dificilmente falava algo sobre.

— Tudo bem? — perguntei, estranhando a atitude e, é claro, me aproveitando dessa oportunidade para iniciar uma conversa sem parecer estranho.

— Sim, é que... bem, esse não me parece o tipo de flor pra presentear alguém. — O rapaz respondeu com sua voz doce, quase me fazendo sorrir. — Quer dizer, depende das suas intenções.

— Por que não?

— Bem... essa flor tem um significado bem diferente das que você costuma comprar — respondeu, levantando o olhar para mim.

Isso era um bom sinal. Saber meu padrão de compras queria dizer que ele me notava. Talvez fizesse isso com outros clientes frequentes, mas isso não importava para mim.

— Ah, não precisa se preocupar, a pessoa que vai receber sabe tanto quanto eu sobre essas coisas — sorri gentilmente, pegando a carteira no bolso de trás.

Jimin não parecia satisfeito, parecia querer me convencer de que era uma má ideia e me explicar o motivo disso.

— Se você diz... Mas eu ainda acho uma péssima escolha — disse a contragosto.

— Por que você parece tão infeliz com isso? É só uma flor. — respondi. Aquilo com certeza me levaria a uma conversa um pouco mais longa e quem sabe teria a chance de marcar algo.

— Não... — suspirou, claramente incomodado. — Não é só uma flor. As pessoas não vêm comprar flores por nada e eu não vou deixar você levar isso!

Sorri quando ele saiu de trás do balcão com o vaso nas mãos, levando a planta cor de vinho de volta para o lugar onde eu tinha pego antes. Passou alguns segundos andando entre as prateleiras e logo voltou com uma flor branca e um sorriso no rosto. A peguei com cuidado quando ele colocou o vaso sobre o balcão, analisando as pétalas brancas.

— Essa é uma margarida. Significa pureza, bondade e afeto. Esse é o tipo de flor que se dá para alguém senhor...

— Min Yoongi, e por favor não me chame de senhor. Você deve ter quase a minha idade.

— Certo, senhor Min — disse com um sorriso de lado. — Você deve aprender sobre as flores antes de simplesmente comprar qualquer uma. Elas não são só bonitas, carregam muitos significados.

Com isso, foi como se uma lâmpada se acendesse em minha cabeça. Aquela poderia ser uma ótima chance de me aproximar dele.

— Então por que não me ensina, senhor Park? — propus sorrindo do mesmo jeito.

— Seria um prazer — respondeu. — Estou aqui todas as segundas, quintas e sextas, mas eu acho que você já sabe disso, certo?!

Ri brevemente, balançando a cabeça. Isso significava que teria um motivo a mais para falar com o Park sempre que o visse e que ele estava tão interessado quanto eu.

— Acho que deveria ser remunerado por passar meus conhecimentos pra você — comentou, enquanto pegava o dinheiro na minha mão.

— Seu pagamento vai ser estar comigo. Não acreditaria se dissesse quantas pessoas matariam pra passar um segundo respirando o mesmo ar que eu.

Jimin riu alto.

— Okay, então você é tipo famoso ou algo assim?

— Não, ainda não. Eu sou apenas muito bonito mesmo.

— Claro, como não pensei nisso?! — sorriu. — Tenha um bom dia, senhor Min. Até amanhã.

— Igualmente, senhor Park.

❀ ❀ ❀

— Ah, você tinha que ter visto cara — contei animado. — Ele riu das minhas piadas e sorriu para mim. Os olhos dele fecham quando ele ri, sabe? A coisa mais linda.

Jungkook ouvia o meu relato animado enquanto anotava algo no caderno, provavelmente alguma atividade do colégio.

Sabia que se fosse qualquer outra pessoa ele já teria mandado se calar, mas como era eu, o cara que dificilmente se impressionava tanto com alguém e era extremamente exigente, ele prestava atenção e ficava ansioso pra conhecer o tão famoso Park Jimin.

— Quando você vai chamar ele pra sair hyung? — perguntou deixando seu caderno de lado.

— Logo. Eu não quero apressar as coisas, sabe? E eu preciso conhecê-lo melhor, eu não gosto de perder tempo com qualquer um.

— Você sai mais cedo todos os dias só pra ver esse cara. E ai, tem que passar uma hora e meia sentado no ponto esperando o horário certo pra pegar um ônibus. Eu acho que você já tá perdendo tempo.

— É... Mas eu acho que vale a pena. Eu tenho certeza que Park Jimin não vai me decepcionar.

— Deus te ouça — suspirou. — Talvez ele seja a tal pessoa certa de quem você tanto fala.

— Você acha?

— Eu não sei, vai ter que descobrir.

30 Septembre 2019 02:20:03 0 Rapport Incorporer 0
Lire le chapitre suivant Segundo Ato

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 19 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!