Jogos Suivre l’histoire

kalinebogard Kaline Bogard

Wes encontra a pista de um caso em que estão trabalhando e vai dividi-la com Travis. Mas não escolhe um momento muito apropriado para isso...


Fanfiction Série/ Doramas/Opéras de savon Déconseillé aux moins de 13 ans.

#policial #slash #boyslove #Humor #Wes #Travis #Common-Law
0
5.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Parte 01 de 02

– Você ta de brincadeira comigo, cara? São seis e meia da manhã!

Travis estava na porta do trailer onde morava, olhando Wes com sua expressão mais assassina.

– A pista é quente.

A forma tranqüila com que o loiro disse aquilo deixou Marks ainda mais nervoso.

– São seis e meia da manhã! Até a pista mais quente deve estar dormindo agora.

– O distrito industrial...

– Está dormindo, seu idiota – Travis cortou a frase explicativa – São seis e meia da manhã! Tudo começa a funcionar a partir das oito horas.

–...

Wes ficou olhando o parceiro de investigação tentando manter a expressão impassível, apesar de sentir-se sem graça e idiota. Claro que tudo funcionava a partir das oito horas. Em sua empolgação se esquecera desse detalhe, tão animado se sentira em dividir a pista com Travis.

Vendo que o colega não conseguia esconder o desconforto o dono do trailer rolou os olhos e moveu-se para o lado.

– Entra logo.

– Não, eu espero aqui...

– De jeito nenhum. Não vou ficar lá dentro sabendo que você está pregado que nem um poste na frente da minha casa. Não me deixe ainda mais irritado.

O mais baixo ergueu as sobrancelhas. Não tinha medo de “irritar ainda mais” o outro. Sabendo muito bem disso Travis ameaçou.

– Vou contar para a Dra. Ryan.

– Contar o que?! – o loirinho não conteve o espanto.

– Que você não compreende minhas necessidades – o moreno disse olhando as unhas como quem não quer nada.

– Mas...

– Aposto que ela tem algum joguinho que vai te fazer passar muita vergonha na frente dos outros.

– Travis!

– É melhor entrar logo. Vou contar até três. Um... dois...

– Aff!

O loirinho resmungou de má vontade, mas entrou. Preferia ceder aquele capricho a passar outra vergonha durante a terapia de casais. Já bastava ter que freqüentar aquelas reuniões, expor coisas intímas e todo o departamento saber disso.

O trailer continuava tão bagunçado como sempre. Andando com cuidado para não pisar nas roupas espalhadas pelo chão Wes não pode evitar que seu rosto denunciasse o horror que sentia. Amava tudo perfeitamente organizado. Como Travis podia viver num lugar tão desordenado?

– Não faça essa cara, Wes.

A ordem deixou o loirinho indignado. Como Travis podia saber se estava atrás de si terminando de fechar a porta? Porém mal teve tempo de voltar-se para reclamar e sentiu o corpo sendo empurrado contra a parede. Logo Marks apoiava as mãos na parede, mantendo o companheiro preso.

– Tra... Travis... – ele gaguejou pego de surpresa.

– Eu te conheço. Sempre vai torcer o nariz quando entrar na minha casa.

– Pode parar! – Wes exclamou quando percebeu que o sorriso de Travis mudou para um dos mais pervertidos – Da última vez não terminou bem.

– Claro! – o moreno riu – Você me apontou uma arma.

– Admita: tentar me agarrar dentro da viatura não foi uma idéia brilhante.

– Um: não tentei te agarrar. Dois: estávamos no seu carro, não em uma viatura.

– Tentou sim! E era horário de serviço, oficialmente estávamos em uma viatura.

A resistência aumentou o sorriso predatório de Travis.

– Você adorou...

–... não vem ao caso...

– E – deslizou uma das mãos pela lateral do corpo de Wes – Você não está armado agora.

Mitchel corou numa mistura de vergonha e raiva.

– Eu não planejava entrar! Só ia chamá-lo para ir atrás de uma pista e... aahnnn...

Acabou gemendo longamente quando Travis abaixou a cabeça e abocanhou-lhe o pescoço, um de seus pontos sensíveis. A mão moveu-se para segurar na cintura do mais alto, em busca de um pouco de apoio.

– Eu também não planejava entrar – Marks sussurrou sacana no ouvido do parceiro arrepiando-o todo – Mas temos uma hora ainda.

– Tra... – não completou a frase. Os lábios finos foram tomados por um beijo avassalador e faminto.

O capitão Sutton estava certo. A terapia os ajudava muito, principalmente a perceber que todas aquelas desavenças não passavam de tensão sexual acumulada.

Enquanto arrastava o loiro relutante em direção a cama bagunçada, Travis pensou que não podiam manter aquilo por muito tempo. Logo teriam que conversar sobre os sentimentos que sabiam ter um pelo outro.

Mas, por enquanto, só iriam curtir o momento.

28 Mars 2018 12:20:51 0 Rapport Incorporer 0
Lire le chapitre suivant Parte 02 de 02

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 1 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!