damendes Daphinne Mendes

Daquela vez era tudo diferente. [Nome] queria que Gon voltasse a fazer aquelas perguntas. Queria poder conversar pelo menos um pouco mais com ele, mas o garoto se calou e caminhou alegremente observando as pessoas. Ele era um garoto peculiar, completamente diferente de qualquer outro que ela tenha visto.


Fanfiction Tout public. © Todos os direitos reservados

#one shot #hxh #reader #killua #gon #hunter x hunter
Histoire courte
3
6.7k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo único

Eles nem se conheciam direito, mas já passavam a tarde inteira andando juntos pela cidade. [Nome] encontrara os dois hunters enquanto andava sem rumo aparente, o rosto cheio de lágrimas e tristeza. Chorava simplesmente por não acreditar em si mesma, nem confiar em sua própria força.

Os garotos a princípio não perguntaram o que acontecera a ela, afinal, desde que começaram a andar juntos, ela passara do estágio triste para mau humorada em questão de segundos. Aquilo parecia termino de namoro, o que não deixava de ser verdade.

O garoto de cabelos brancos, Killua, era muito bom em entender as pessoas. Notava que [Nome] era aparentemente insegura e quieta demais, irritável. Chegava até a lembrar ele mesmo, mas logo o pensamento era afastado. No fim chegara à conclusão simples de que aquela garota era apenas muito solitária, e agora que aparentemente fizera duas novas amizades, não estava sabendo lidar com aquilo.

A princípio não quis a ajuda dela. Ela se ofereceu para ajudar eles a conhecer a cidade em que se hospedariam, mas Killua imediatamente recusara, alegando que ela apenas atrapalharia. Claro que tal contestação causou desconforto em [Nome], e ela imediatamente pegou certa aversão a Killua -não que ele se importasse-, mas logo tal ranço fora substituído por um outro sentimento: o de simpatia, e não era pelo garoto albino.

Gon ganhara quase que imediatamente a afeição de [Nome], principalmente quando cortara Killua para dizer que precisariam sim da ajuda dela para conhecer melhor a cidade. O sorriso dele, sua alegria e confiança trouxeram a [Nome] a certeza de que ela também poderia ser como ele... mais feliz. Não mais havia resquício de lágrimas, nem mesmo de sua personalidade um pouco ranzinza.

Ela falava pouco durante a tarde, geralmente só respondendo perguntas que Gon fazia. Não estava incomodada, mas mesmo que depositasse grande confiança no garoto moreno, mantinha certa armadura em si. Talvez tal armadura tivesse sido construída após muitas decepções. As pessoas magoavam com facilidade.

Do outro lado da equação, era Killua quem se mantinha atento. Jamais perdera o hábito de interpretar as pessoas. Seu instinto assassino se mantinha sempre ativado, caso precisasse proteger Gon de alguma adversidade, afinal, mesmo que o garoto fosse extremamente inteligente e esperto, ele Ainda confiava demais nas pessoas. A garota diante deles não apresentava ameaça, mesmo que tivesse certa poderosa aura, mas nunca era mais certa precaução.

Ao longo do caminho, o trio fez um silêncio confortável, e teria permanecido assim se Gon não estivesse se sentindo entediado e começasse a fazer perguntas sobre a nova companheira e guia turística. Ela se esforçava para responder todas as perguntas sem demonstrar sinais de uma leve irritação crescente, afinal, eram perguntas bastante pessoais e animadas demais. Mesmo alguém como Gon, que parecia tão divertido e simpático, ainda era incomodo quando uma pessoa que nem conhecia direito enchia de perguntas sobre a vida pessoal sem o menor pudor. Naquele caso, Gon devia seguir o exemplo de Killua, que andava calmamente em completo silêncio, as mãos enterradas nos bolsos, e calar sua boca de uma vez.

-E quanto a sua família, [Nome]-san? -ele perguntou, puxando as alças da mochila mais para cima e caminhando mais rapidamente para acompanhar os passos nervosos da colega.

-Escute, isso já está ficando irritante -ela disse finalmente, o rosto ficando levemente avermelhado. Geralmente não costumava ser grosseira, mas após tanta insegurança ocupando sua mente, acabara soltando. Ficaria pronta para responder mais perguntas talvez mais para frente do tempo. -É melhor parar com essas perguntas.

-Tudo bem, desculpe -ele respondeu, Ainda sorrindo como se estivesse se divertindo horrores com o pavio curto da garota. Não se importava em levar algumas patadas. Aquilo não atrapalharia sua vontade de conhecer melhor [Nome].

Killua assistia a tudo com os olhos entediados. Realmente Gon podia extrapolar bastante, fora que tinha pouca noção de espaço pessoal. Ele podia incomodar [Nome] agora, mas sabia que mais tarde ela passaria a adorá-lo. Balançou a cabeça, apenas observando agora o ambiente em volta deles.

Quando Gon pôs os olhos em [Nome] pela primeira vez, o pensamento imediato que ocupou sua mente foi que ela parecia com um gato. Era pequena e um pouco tímida, e enquanto ele fazia as perguntas, percebeu que quando provocada, ela se tornava brava, e talvez até violenta. Além disso, ela tinha um rosto que mais parecia com o de uma criança irritadiça, com as bochechas coradas e olhos grandes como os dele. [Nome] não sabia mas era muito bonita aos olhos de Gon.

Ele se perguntou se assim como um felino, ela se tornaria mais manda e brincalhona ao receber carinho. O hunter estava cada vez mais curioso para vê-la sorrir.

E de repente, Gon parou de andar e se colocou na frente de [Nome], arrancando dela um pequeno susto. Realmente, parecia um gatinho.

-[Nome], sorria -ele pediu, o rosto sério e um pequeno sorriso nos lábios.

[Nome] esqueceu de todas as perguntas que Gon fez, até mesmo de qualquer irritação que tivera. Seu rosto assumiu vários tons de vermelho, mas da mesma forma Gon não parou de sorrir em nenhum momento. Era um banquete cheio de fofuras para ele.

Killua por outro lado não achou aquilo inesperado, afinal, já convivia com Gon há muitos anos. Já estava acostumado com as coisas inocentes e estranhas que saiam de sua boca. [Nome] estranhou o pedido e toda a situação em que se encontrava. Gon era uma pessoa estranha e levemente irritante, mas era engraçado como sua inocência era tão grande e como interrompera o caminho para fazer um pedido tão banal como aquele, ainda mais com uma expressão tão séria. Mesmo que causasse certa agonia, naquele instante, ela achou que a companhia daquele garoto com idade mental de criança até agradável.

Se sentiu um pouco mal por ter sido grosseira com ele.

De toda e qualquer forma, Gon conseguiu o que queria, pois um sorriso começava a se desenhar nos lábios finos de [Nome] e ela riu leve e espontaneamente. E então já não parecia mais um gato na percepção do rapaz, mas sim uma moça nervosa que só precisava de alguém que a fizesse sorrir mais vezes. Ele amou aquele sorriso.

-Você é muito estranho -comentou [Nome], constrangida demais para dizer qualquer outra coisa. Continuou andando, envergonhada demais até para continuar irritada. Foi seguida por eles.

-Você me lembra o Killua um pouco! -o rapaz disse, andando lado a lado com ela novamente, observando qualquer reação naquela feição tão bonita e sorridente. Conseguira uma vitória naquele dia, e estava contente demais. -Vocês dois ficam muito constrangidos às vezes.

Ele riu um pouco. Sem querer, [Nome] se virou um pouco para trás, encarando o rosto albino de Killua. Ambos se estranharam um pouquinho, entreolhando o outro e buscando tal diferença que Gon vira. Quando não perceberam nada, deram de ombros quase que da mesma forma e voltaram a se ignorar novamente.

Daquela vez era tudo diferente. [Nome] queria que Gon voltasse a fazer aquelas perguntas. Queria poder conversar pelo menos um pouco mais com ele, mas o garoto se calou e caminhou alegremente observando as pessoas. Ele era um garoto peculiar, completamente diferente de qualquer outro que ela tenha visto.

O rosto ficou avermelhado novamente com a lembrança do pedido de sorriso. Que coisa estranha e fofa de se pedir... ele realmente queria ver seu sorriso? Por que? Ela não era tão bonita, nem charmosa... só tinha um jeito ranzinza e pavio curto. Não era impressionante, mas mesmo assim algo nela chamou a atenção dele.

Não sabia o que era, mas definitivamente queria descobrir.

7 Mars 2018 20:15:34 0 Rapport Incorporer 2
La fin

A propos de l’auteur

Daphinne Mendes Alguém que escreve por amor <3

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~