Entregue Suivre l’histoire

way_borges229 Way Borges

Sempre gostei do lento e provocativo, adoro vê o Sasuke implorando por mais e perdendo o controle de seus atos, ninguém imagina que o todo prepotente, mandão, frio e insensível Uchiha mais novo se torna tão submisso nos meus braços. Ele sabe que sempre cumpro com a minha palavra, mesmo assim me desafiou a deixa-lo sem sentar direito e não me deixou outra escolha a não ser cumpri com o que tinha dito. NaruSasu (+18) (UA) (Lemon)


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 21 ans. © Naruto e seus derivados pertencem ao Kishimoto, porém a história é inteirinha minha. Capa editada por mim - créditos da imagem ao(s) autor(es).

#romance #yaoi #LGBT #lgbt #fanfic #boylove #BL #lemon #naruto #sasuke #narusasu #way_borges229 #snschurch #pwp #fanfic naruto
Histoire courte
27
8.5k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único - Entregue ao Amor e ao Desejo


Cansado, é como posso resumir a minha situação nesse momento, mas como ter energia depois de 16 horas consecutivas de trabalho?

Eu adoro o que faço, adoro mesmo, sempre foi meu sonho clinicar, me esforcei muito para entrar na faculdade de medicina, e fiz ainda mais esforço para concluí-la, mas tem dias que acho que esse trabalho vai acabar comigo antes dos 40.

Sério, não estou exagerando não, embaixo dos meus olhos azuis tem olheiras terríveis, meus fios loiros nunca estiveram tão desalinhados.

Nunca foi tão longo o caminho do vestiário do hospital até a sua recepção, parece que tem uns 20 quilos de pedras amarradas nos meus pés.

– Bom dia dr. Uzumaki – a recepcionista me saudou chamando a atenção para mim.

– Bom dia Shion, eu já pedi para me chamar de Naruto.

– Desculpe doutor, mas eu não consigo.

Suspirei derrotado, não tem jeito, ela sempre irá me chamar pelo sobrenome, me sinto um velho quando isso acontece.

– Turno difícil, Naruto? – Sakura perguntou e depois me abraçou.

Haruno Sakura é a minha melhor amiga desde sempre, nós conhecemos na pré-escola e não nos largamos mais, nem depois do colégio nos separamos, estudamos na mesma faculdade e fizemos o mesmo curso, a única diferença é que ela se especializou em neurologia e eu preferi ficar na emergência. Essa rosadinha esteve comigo nos melhores e nos piores momentos da minha vida, sempre apoiamos muito um ao outro, sem falar que foi ela que me apresentou o amor da minha vida.

Há cerca de 10 anos atrás, a Sakura me apresentou o cara que ela estava completamente apaixonada, Uchiha Sasuke, um simples estudante de advocacia. Na realidade, 90% das meninas da faculdade eram apaixonadas por ele e alguns homens também, mas de alguma forma que até hoje eu não entendo, ela foi à única que conseguiu ao menos ser sua amiga.

Apesar de ter achado o Sasuke um cara completamente sexy e lindo, eu não me enquadrava no grupo dos apaixonados por ele, na época que o conheci tinha acabado de me livrar de um relacionamento complicado e tinha fechado meu coração para balanço, mas o Uchiha é malandro, teimoso e determinado para o caralho, ele colocou na cabeça que eu seria dele, insistiu tanto que acabou me vencendo pelo cansaço. Ele sempre me convidava para sair e assim nós conhecermos melhor, isso durou cerca de seis meses até que desisti e resolvi dizer sim.

Hoje vejo que foi a melhor escolha da minha vida, apesar dos problemas que enfrentamos por causa da família dele não aceitar o fato de que não sou rico e por causa disso ter criado um monte de empecilhos para a nossa relação, sou completamente louco pelo meu marido e não tenho vergonha de dizer que tenho os 4 pneus arriados pelo meu moreno marrento; não posso esquecer-me de dizer que ele é ciumento ao extremo, é verdade que eu também tenho ciúmes, mas o dele é ainda maior que o meu, isso já causou inúmeras brigas já que sou povão e faço amizade com todos ao meu redor. Como todo casal, temos altos e baixos, mas no geral, somos felizes.

Mesmo depois de 10 anos juntos, a família dele ainda não me aceita, mas ao menos eles não excluem mais o Sasuke, pelo menos a mãe dele não faz mais isso, o irmão mais velho nunca deixou ele de lado, ao contrário, ele nos ajudou e muito; já o pai é uma história muito diferente, ele não quer nenhum tipo de contato com o filho e o deserdou, o que o senhor Uchiha não contava era que o Sasuke não tinha medo de trabalhar, e assim como eu, ele trabalhou arduamente para mostrar a todos o quanto estavam errados quando diziam que ele não saberia viver sem a fortuna do pai.

Com muito esforço e dedicação, meu amor se tornou o melhor promotor de justiça do estado, ele tem 90% de acusações ganhas e é muito temido nos tribunais. Sinto um arrepio subir na minha espinha quando vejo o Sasuke com o modo promotor de justiça ligado, ele fica aterrorizante e nem parece com o Sasuke que tenho em casa, o olhar frio que ele lança para as pessoas que acusa é capaz de congela a alma do indivíduo.

O velho pai dele não me suporta até hoje, já até tentou prejudicar o meu trabalho, por sorte, a dona do hospital que trabalho é mulher do meu padrinho e não caiu na armadilha do velho. Sinto-me horrível por causa desses problemas, não queria ser o motivo das brigas do Sasuke com o pai, nem do distanciamento dele com a família.

Diferente de mim, o Sasuke não teve problemas com a minha família, afinal a única pessoa que tenho é o meu padrinho, minha mãe morreu quando eu nasci e meu pai me abandonou com meu padrinho.

– Nem imagina o quanto Sakura-chan. Tô moído dattebayo!

– O meu só começou. – Desfez o abraço, então dei um beijo em sua testa.

– Boa sorte rosinha. – A chamei pelo apelido que dei a ela no dia que vi seus cabelos pintados de rosa.

– Obrigada baka. – Ela sorriu amplamente e seus olhos verdes brilharam. – Diz ao Sasuke-kun que mandei um beijo.

Sai do hospital rumo à floricultura no intuito de surpreender meu marido com um lindo buquê de tulipas, depois de comprá-las fui para casa sem contratempos. Abri a porta do meu apartamento e fui recebido pelo som alto de uma música qualquer, minha primeira ação ao entrar em casa foi deixa a minha bolsa no sofá da sala e rumar para cozinha em busca de alguma coisa para comer e vê se o Sasuke está lá para entrega às flores para ele.

Ao chegar na cozinha, tive uma visão que me fez estancar no lugar, Sasuke Uchiha, meu marido, o amor da minha vida estava com a bunda arrebitada na minha direção enquanto procurava algo na geladeira, ele usava um short de malha fina que só deixava a bunda dele ainda mais marcada. Senti uma fisgada no embaixo do meu ventre com a visão daqueles montinhos arrebitados e bem redondinhos, minha mente criou diversas cenas nem um pouco decentes para um médico respeitado como eu. Os shorts que o Sasuke usa em casa me deixam completamente fora do eixo, mas essa posição já é sacanagem com meu autocontrole.

– Puta que pariu Dobe, você me assustou. – Fui tirado dos meus pensamentos pervertidos e só aí notei vários legumes espalhados no chão da cozinha.

Não consegui falar, o olhei seu corpo esbelta de cima a baixo, no seu rosto perfeito e másculo um óculo de leitura o deixava ainda mais sexy, seus cabelos negros caídos nos ombros, peitoral nu exibindo seus músculos definidos, seus braços malhados, quase babei quando meus olhos alcançaram o short curto de malha deixando suas pernas bem trabalhadas expostas. Resumindo, Sasuke era pura perdição, senti o tesão tomar conta do meu corpo, fiquei duro só de imaginar sua voz rouca gemendo meu nome enquanto eu meto meu pau com força em sua bundinha redonda.

– O que foi Dobe? – perguntou com a sobrancelha arqueada.

– Hã? – indaguei confuso.

– Tá me olhando com uma cara estranha, até parece que quer me devorar.

Um sorriso nada cristão brotou dos meus lábios, joguei o buquê de flores em cima da mesa e comecei a caminhar até ele, cada passo que dava, a sua respiração ficava cada vez mais pesada. Quando já estava bem próximo, ele deu um passo para trás e bateu na geladeira, apoiei minhas mãos na geladeira e cheguei perto do seu ouvido.

– Não seria uma má idéia te devora – sussurrei em seu ouvido e vi seus pelinhos arrepiarem, então mordi o lóbulo da sua orelha, um suspiro escapou de seus lábios. – Eu iria adorar te comer aqui e agora.

– Na-Naru... – falou trêmulo.

– Estou doido para chupa o seu pau e deixar ele ir bem fundo na minha garganta até você gozar – provoquei.

Antes dele soltar algum palavrão ou brigar comigo por falar coisas obscenas, tomei seus lábios em um beijo ardente de desejoso, levei minha mão a sua cintura e trouxe seu quadril em direção da minha ereção, todo o cansaço do meu corpo foi substituído por uma vontade incontrolável de me enterrar fundo dentro da bunda gostosa do Sasuke. Ele enlaçou meu pescoço com os braços, apertei ainda mais a sua virilha contra a minha enquanto enchia as minhas mãos com a carne gostosa de suas nádegas. Tivemos que nos separar por falta de ar, mas minhas mãos não saíram de sua bunda deliciosa.

– Você não vai me deixar fazer o almoço, não é? – ele perguntou ofegante.

Em vez de responder, passei a dá beijos, chupões e mordidas na pele exposta do seu pescoço e lhe arrancando apenas alguns suspiros manhosos, o prensei contra a geladeira esfregando minha ereção na dele e finalmente consegui fazer ele solta um gemido baixo. Desci meus beijos pelo seu peitoral, dando atenção especial aos seus mamilos enrijecidos, ele apertou suas mãos em meus cabelos quando, sem deixa de lado seus mamilos, comecei a massagear sobre a roupa a sua ereção.

Abandonei seus mamilos e tirei a mão de sua ereção, voltei a distribuir beijos pelo seu corpo definido e deliciosamente sexy, fui ajoelhando enquanto distribuía beijos, quando fiquei frente a frente com seu membro, tirei o seu short enquanto olhava em seus olhos nublados de desejo. Sua ereção saltou majestosa quando livrei seu corpo daquele pedaço de pano, olhei para ele com um sorriso mais que malicioso nos lábios, passei a língua na cabeça de sua glande e ele gemeu manhoso, de seus lábios escapou um gemido rouco quando abocanhei por completo o seu membro. Comecei a chupá-lo devagar o torturando e apreciando o seu gosto, adoro ouvir gemidos sofridos que saem da boca do Sasuke quando eu o chupo bem lentamente.

– Mais rápido – pediu sôfrego empurrando minha cabeça em direção ao seu membro.

Sorri sugando com mais força a cabeça do seu pênis, para então tirar a sua glande da boca e receber do Sasuke um olhar irritado.

– Calma amor, quero apreciar o seu gosto bem devagar.

Falei rouco, depois sorri malicioso, seu rosto ganhou uma coloração avermelhada que só fez aumentar o meu tesão, novamente lambi a cabeça de seu pênis e abocanhei com gosto chupando ainda mais o seu mastro viril. Eu o masturbava mesmo tempo que passeava com a língua em torno do seu membro, em um ato inconsciente, ele levou a mão ao minha cabeça e passou a mover o quadril para frente querendo se afundar ainda mais na minha boca, mesmo com a minha ereção me incomodando, nada é mais prazeroso do que vê meu marido com o rosto contorcido, olhos nublados de desejo e totalmente entregue ao prazer.

– Por... Por favor – suplicou ofegante.

Aumentei a velocidade que chupava seu pau lhe proporcionando mais prazer, subia e descia deixando o seu pênis melado com saliva, ele acariciava meus fios loiros e já não tentava controlar os gemidos que saiam da sua boca, me deixando orgulhoso por todo o prazer que estava proporcionando ao meu moreno. Com um trabalho bem feito, consegue fazê-lo ter um orgasmo esmagador e despejando toda a sua essência na minha boca, que logo desceu por minha garganta.

O vejo fechar os olhos e dá um longo suspiro para recuperar o fôlego perdido, suas pernas trêmulas quase o faz cair por cima de mim, mas fui mais rápido e o amparei meus braços, beijei a sua boca fazendo-o experimentar o próprio gosto, encostei a sua testa na minha, pude mergulhar na imensidão negra de seus olhos e me deliciar com sua face avermelhada pelo orgasmo.

– Eu adoro o seu gosto Teme – sussurrei em seu ouvido.

– O que... O que deu em você Dobe? Eu sei que você é um pervertido incorrigível, mas não fica me atacando desse jeito – falou tentando recuperar o fôlego.

– Culpa sua e desse short que resolveu vestir, você sabe o que eles causam em mim.

– Usuratonkachi, não me culpe por você ser um pervertido – me advertiu e um sorriso malicioso brotou nos meus lábios.

– Não nego que sou pervertido, você é uma delícia Teme e isso torna difícil resistir à vontade de te foder em cada cômodo desse apartamento e – voltei a apertar o seu bumbum - com esses shorts, você fica ainda mais apetitoso – comentei observando descaradamente a feição do meu marido e a vendo ficar ainda mais vermelha.

– Você não presta.

– Ah, eu presto sim – sussurrei e mordi o lóbulo da sua orelha, ele soltou um suspiro baixo. – Eu presto para meter com força dentro de você – beijei seu pescoço – e depois bem devagarzinho – beijei seu pescoço de novo – te fazendo gemer manhoso pedindo mais, mas não se preocupe, eu vou te dá tudo meu gatinho manhoso.

Coloquei a sua mão na minha ereção para ele vê o quanto eu desejava me enterra bem fundo nele, meu membro estava duro feito pedra e pedindo atenção, meu corpo queimando de desejo, provocá-lo me deixava ainda mais excitado, então passei a ponta do meu nariz por toda a curvatura do seu pescoço até alcançar seu ouvido onde dei outra mordida no lóbulo da mesma, ele soltou um gemido baixo e arrastado.

– Você não imagina o tanto que estou me segurando para não te jogar nessa mesa e te comer – cochichei em seu ouvido.

Olhei para sua face envergonhada e beijei seus lábios macios, não importa quanto tempo tenhamos passado juntos, ele sempre fica com as bochechas coradas quando escuta alguma coisa obscena sair da minha boca, acho que sou o único que já teve o prazer de vê a sempre tão seria expressão do seu rosto ganhar uma tonalidade avermelhada.

– Seu o rosto corado só aumenta a minha vontade de fuder com você até não aguenta mais.

– Pare de fala besteira Usuratonkachi – falou ríspido e virou a face para outro lado no intuito de esconder a vermelhidão que se apossou do seu rosto, sorri com sua ação. – Idiota pervertido – resmungou envergonhado.

Ainda apoiando o Sasuke, apaguei o fogo da panela que já queimava a comida, e voltei a dar atenção ao meu moreno que ainda estava sobre o efeito de um forte pós-orgasmo, tirei os óculos de seu lindo rosto para ter uma visão melhor de seus olhos negros, por alguns instantes me vi preso em seu olhar.

– Pronto para o segundo round amor?

Sem esperar por uma resposta afirmativa, o ergui fazendo ele enlaça a minha cintura com as pernas. Ele tomou meus lábios em um beijo ardente e erótico, aos trancos e barrancos, caminhei até o nosso quarto com ele agarrado em mim e o depositei na cama.

Livrei-me do incômodo das roupas vendo o Sasuke me olhar com desejo, peguei uma gravata dele que estava sobre uma cadeira, subi na cama e engatinhei até a sua boca e mordi seu lábio inferior. Juntei seus pulsos e o amarrei na cama, ele nem ao menos questionou, apenas ficava me encarando com os olhos turvos de desejo.

– Eu vou te devorar inteirinho amor, vou me enterrar tão fundo em você que não vai conseguir sentar direito.

Sussurrei enquanto lambia, mordia, beijava e chupava seu pescoço, peitoral e barriga, minhas mãos explorava todo o corpo do meu amado. Gemidos roucos e contidos escapavam de sua boca, é maravilhoso vê como o todo arrogante e frio Uchiha Sasuke se entregando em meus braços e se torna todo submisso as minhas vontades, mas não era o suficiente para mim, querendo vê-lo perder o controle. Beijei a sua boca enquanto esfregava minha ereção da dele, levei minha mão travessa ao seu quadril e comecei a masturba as duas ereções juntas.

– Geme para mim, geme amor – pedi fazendo movimentos de vai e vem nas nossas ereções.

Desci a boca aos seus mamilos e suguei com força arrancando um gemido alto do moreno, isso soou como música nos meus ouvidos, então continuei a dar atenção aos seus mamilos enquanto continuava com a masturbação dupla.

– Me solta Naruto, quero te tocar – suplicou sôfrego enquanto tentava se livrar do amarre em suas mãos; sua voz saiu totalmente dominada, passiva e pedinte.

– Eu vou te soltar, só que não vai ser agora Teme, só vou te soltar para ver você sentar em cima do meu pau e gozar gostoso – falei olhando em seus olhos e vi um leve rubro tomar conta de suas bochechas.

Beijei a sua boca com paixão, nos separamos por que o ar faltou aos nossos pulmões. Desci o meus beijos até sua virilha, espalhei beijos e mordidas por suas coxas, por fim, abocanhei novamente a sua glande, ele arqueou as costas quando fiz isso e soltou um gemido alto. Minha boca trabalhava com afinco chupando com gosto o pênis do meu amado, o sinto se remexendo em baixo de mim erguendo o quadril, ele solta alguns gemidos e frases desconexas, começo a masturbar meu membro que há muito tempo estava esquecido.

– Eu vou... – ele tentou formar uma frase coerente, mas morreu em seus lábios.

– Não amor, não vai ser assim que você vai gozar.

Me estiquei na cama até o criado mudo, abri a gaveta e peguei um tubo de lubrificante, espremi um pouco em sua entrada rosada, introduzi o primeiro dedo, um gemido manhoso escapou de seus lábios, não demorou muito e introduzi mais um dedo começando a fazer movimentos de tesoura e logo coloquei o terceiro dentro da sua entradinha rosada. Enquanto fazia os movimentos de vai e vem com os dedos dentro do Sasuke, com minha outra mão eu me tocava me deliciando vendo o moreno tão entregue a mim. Sorri vitorioso com o grito que ele soltou quando aceitei a sua próstata. Como eu adoro vê-lo assim, é indiscutivelmente prazeroso vê-lo assim tão entregue.

– Pare de me torturar – Pediu manhoso.

– O que você quer Teme? – Me fiz de desentendido.

– Seu... – Beijei a sua boca para impedir o provável xingamento que ele iria soltar, nossas línguas se enrolavam de uma forma erótica e devassa, chamo sua língua para brincar com a minha e a sinto responder o meu chamado.

Encerrei o beijo mordendo seu lábio inferior de uma forma provocativa.

– O que você quer Teme? – perguntei de novo.

– Me come logo Naruto – falou entre dentes.

– Seu desejo é uma ordem senhor promotor.

Posicionei-me entre as suas pernas, passei lubrificante em toda a extensão do meu membro, ergui suas pernas apoiando-as em meu ombro, rocei levemente o meu pênis na sua entrada rosada e o ouvi gemer só com esse pequeno contato, comecei a penetrá-lo lentamente para que ele não sentisse dor e para provocá-lo, Sasuke fechou os olhos brevemente quando eu já estava todo dentro dele, mas logo abriu. Fiquei parado esperando o Sasuke se acostumar com a invasão.

– Você é tão apertado amor – falei sentindo a pressão deliciosa que seu interior fez no meu pênis.

– Se mexe Dobe – murmurou com a voz arrastada.

Comecei a me movimentar em seu interior, ganhando espaço ao invadir a sua cavidade deliciosamente aveludada, é tão bom e quente está dentro do Sasuke. Logo o barulho dos nossos corpos se chocando repetidas vezes tomou conta do quarto, gemíamos com certa altura, o suor escorria pelos nossos corpos e o calor crescia sem pudor.

– Eu sou louco por você, Teme –gemi em meios a suspiro.

Falei investindo lentamente contra a sua entrada, mas de forma firme e profunda, me enterrando ao ponto de sentir minhas bolas batendo em suas nádegas, o Sasuke não conseguia formar uma frase coerente, mas não precisava ser bom entendedor para saber que a loucura era recíproca. Beijei seus lábios de forma passional enquanto aumentava a velocidade das estocadas em seu interior, sentindo meu pênis deslizar com facilidade no seu interior.

– Aaaaah – Sasuke gemeu alto e arrastado quando me retirei quase por completo e voltei a entrar com tudo, indo bem fundo acertando a sua próstata mais uma vez, enlaçou minha cintura com as pernas se abrindo mais para mim.

– Você fica ainda mais lindo assim, todo entregue para mim – murmurei para provocá-lo, se ele não estivesse tão submerso no prazer que estou lhe proporcionando, com certeza já teria me xingado.

Enquanto eu praticamente surrava o seu “ponto”, ele tentava a todo custo solta as suas mãos para me tocar, mordia com força os lábios para não solta um gemido alto. Afundou a face na curvatura do meu pescoço e gemeu baixinho, como se estivesse mais pessoas ao redor e do quisesse que eu escutasse. Ataquei a sua boca bonita, mordisquei o seu lábio inferior e deslizei minha língua para dentro da boca morna.

Sentia que estava chegando ao meu limite, então soltei as mãos dele e sai de seu interior e deitei a seu lado, ele me lançou um olhar confuso.

– Eu disse que só ia te solta para você cavalgar no meu pau, está na hora – informei.

Ele sorriu provocativo, colocou as pernas em ambos os lados do meu corpo e desceu devagar sobre o meu pênis, ao sentir a carne do moreno engolir com gula o meu membro, foi impossível controlar o som gutural que saiu dos meus lábios. Fechei os olhos com força extasiado com a sensação de está dentro do seu corpo quente e apertado, e escutei ele gemer manhoso enquanto sua entrada era preenchida pelo meu pênis.

Com as mãos no meu peitoral, ele começou com movimentos de sobe e desce, rebolava com gosto, ele já não estava mais se segurando e gemia com vontade, minhas mãos o auxiliava nos movimentos frenéticos de seus quadril. A maneira que ele cavalgava no meu colo, deixava explícito o quanto estava gostando daquilo.

Deixei que ele ditasse o ritmo, comecei a masturba-lo no mesmo compasso de seus movimentos de sobe e desce.

– Porra. – Sasuke gemeu rebolando com vontade no meu colo.

– Sasuke... Mais um pouco... – implorei intensificando a masturbação em seu membro.

Logo ele gozou sem pudor sujando a minha mão e o meu abdome, após mais alguns movimentos, gemi alto, liberando meu gozo dentro do Sasuke.

Sem forças para se manter sentado, ele caiu ofegante do meu lado sem nos desconecta, o meu peito também subia e descia em busca de ar, olhei para seus olhos negros como uma noite sem estrelas e sorri como um bobo apaixonado.

– Eu te amo – sussurrei como se lhe contasse um segredo.

Como resposta a minha declaração, Sasuke me beijou com intensidade, nossas mãos afoitas não paravam quietas, sempre explorando o corpo um do outro. Eu sei que querer ouvir ele dizer que também me ama é pedir demais, conheço esse moreno com a palma da minha mão, ele nunca admitiria isso em voz alta, mas seus gesto falam por si só; todo o cuidado que ele tem comigo, a atenção que dedica a mim, a maneira como se entrega quando está em meus braços, a suavidade que seu rosto sempre tão carrancudo adquiri quando estamos juntos, deixa bem claro a real natureza de seus sentimentos.

Depois de alguns minutos o ósculo começou a se intensificar, meu membro ganhou vida novamente. Tendo um sorriso malicioso nos lábios, Sasuke volta a se sentar e rebolar na minha ereção, grunhi ainda mais excitado em resposta a sua provocação.

– Quero vê você cumprir o que prometeu Usuratonkachi.

Também me sentei, tomei os seus lábios de forma feroz apertando sua bunda contra a minha virilha fazendo meu pau ir mais fundo dentro dele, ele gemeu entre os meus lábios e depois me deu um sorriso desafiador.

– Pode ter certeza que sim Teme, vou te fudê tanto que você não vai lembrar o próprio nome – afirmei convicto fazendo com que ele aumentasse o sorriso desafiador e rebolar no meu colo.

Inverti as posições ficando sobre ele, tomei seus lábios carnudos e comecei a estocar fundo em sua bundinha redonda, e assim começamos a fazer amor de novo, de novo e de novo, com força, devagar, deitados, sentados, de lado, de quatro, em pé, fizemos até não existir mais força em nossos corpos e o sono tomar conta da nossa consciência.

A noite já se fazia presente quando acordei sentindo minha barriga protesta de fome, lembro que apenas tomei café da manhã, abro os olhos de maneira preguiçosamente e me deparo com uma cabeleira negra deitada sob o meu peito. Imagens da nossa tarde de prazer vem a minha mente me deixando na dúvida de qual parte foi mais erótica: o Sasuke de quatro gemendo meu nome enquanto eu entrava fundo em sua bundinha gostosa, ou ele me chupando da forma mais deliciosa e obscena possível.

Sacudo a cabeça para espantar esses pensamentos ou irei ficar duro de novo, com minha barriga roncando como está, não sei se conseguiria outra rodada de sexo.

Que saber?

Conseguiria sim.

Pode me chama de tarado, ninfomaníaco, pervertido, eu não ligo, já que não compreende o que é ter Uchiha Sasuke entregue para si, ou como sou totalmente dependente do calor do seu corpo; ninguém sabe o quanto eu amo ouvir a sua voz, o seu cheiro, os seus raros sorrisos, eu amo até seu mau-humor constante. Não sou completo sem o Sasuke, não sei viver sem ele na minha vida, somos opostos um ao outro, mas é isso que nos torna especiais, achei nele aquilo que faltava em mim.

Um sorriso bobo escapa dos meus lábios toda vez que percebo que apenas eu consigo amansa a fera Uchiha, ninguém imagina que o todo prepotente, mandão, frio e insensível Uchiha mais novo se torna tão submisso nos meus braços e que sou eu que o faço perder o controle. Dá para contar nos dedos quem consegue fazer o Sasuke perder a máscara da indiferença que ele sempre ostenta, e me sinto orgulhoso em poder dizer que sou uma dessas poucas pessoas que conhecem o seu lado vulnerável.

Com muito custo consigo me livrar dos braços do moreno sem acordá-lo, abaixei até a altura do seu rosto para vê o rosto adormecido do Sasuke, assistir ele dormir é como vê o seu verdadeiro eu, me apaixono mais a cada segundo passo olhando para sua feição adormecida. Tirei uma mecha de seu cabelo que caia em sua face despida dos escudos que normalmente carrega, dei um rápido selinho em seus lábios, sai do quarto sem fazer barulho, caminhei em meio à escuridão e fui para a cozinha procurar o que comer, antes de ir para geladeira, vi o buquê de tulipas jogado em cima da mesa, então para elas não estragarem tão rápido as coloquei em um vaso na sala.

Por não achar nada interessante para comer, resolvi pedir pizzas, tomei um banho no banheiro social para não acordar o Sasuke, troquei de roupa fazendo o máximo de silêncio que consegui e fui esperar a pizza na sala assistindo TV. Depois de meia hora, as pizzas chegaram, com a fome que estou comeria uma sozinha, por isso pedi uma pizza grande de calabresa só para mim, como não sei se o Sasuke vai acorda ou não, também pedi uma de tomate seco para ele só para precaver.

Quando já estava na metade da pizza escuto passos se aproximando, em poucos segundos ele apareceu na cozinha com uma cara emburrada e os cabelos pingando, sentou-se em na cadeira ao meu lado fazendo uma pequena careta de dor, pegou um pedaço da pizza de tomate seco e começou a comer.

É normal o Sasuke acordar de mau-humor, principalmente quando está todo dolorido depois de um sexo intenso, então me segurei para não rir, afinal é o “Sasuke sendo o Sasuke”. Ele sabe que sempre cumpro com a minha palavra e mesmo assim me desafiou a deixá-lo sem sentar direito, deu nisso, mas conhecendo bem o homem que amo, é melhor nem tocar no assunto.

Comemos em silêncio, assim que ele terminou de comer, começou a arrumar a cozinha, fiquei observando-o mancar enquanto tentava dá ordem no lugar, orgulhoso do jeito que é, não soltou nenhum resmungo de dor.

– Tá, já chega. – falei me levantando, depois fui até ele e o coloquei no colo.

– Não me trate como uma mocinha Dobe. – reclamou tentando sair dos meus braços.

– Não estou te tratando como uma mocinha, dattebayo. Eu sei que você está com dor, então que tipo de marido eu seria se não cuidasse de você?

Quando ele iria protestar novamente, mas fui mais rápido e o calei com um beijo apaixonado, carinhoso, intenso e cheio de bons sentimentos, encerrei o beijo com um selinho demorado e novamente me vi perdi no brilho intenso de seus olhos. O Sasuke sempre carregar no rosto uma máscara de frieza e indiferença, normalmente ele é rude com as pessoas e é muito difícil o fazer falar sobre os seus sentimentos, mas se você o conhece de verdade verá que seus olhos expressão todas as emoções que ele esconde por detrás de sua máscara de frieza, eles sempre transbordam sentimentos.

– Te amo – declarei e vi suas defesas ruírem.

Sem mais protestos, ele me abraçou e afundou o rosto na curvatura do meu pescoço. Voltei para o quarto com o Sasuke no colo, o deitei na cama com cuidado e depois deitei ao seu lado, seus braços me envolveram em um abraço apertado que foi prontamente retribuído por mim, beijei a sua testa e me aconcheguei mais em seus braços. E foi assim, nos braços um do outro, que nós entregamos mais uma vez ao sono.

24 Février 2018 21:05:49 4 Rapport Incorporer 9
La fin

A propos de l’auteur

Way Borges Nome: Waynne Borges Idade: aí depende da ocasião Sou um universo em constante expansão, sempre aprendendo coisas novas e aberta a novas experiências. Tímida no primeiro contato, mas depois o difícil vai ser me fazer parar de falar. Sou gentil, atenciosa e educada com todos e espero a mesma cortesia, entretanto, isso não significa que eu não saiba ser grossa quando necessário. Adoro chocolate, séries, filmes e desenhos. Cachorros e gatos sãos meu ponto fraco, fico toda derretida.

Commentez quelque chose

Publier!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
2 Mars 2018 03:54:38
=>Flor Danii=>=> =>Flor Danii=>=>
Sensacional Adorei Parabéns
1 Mars 2018 14:05:56
=>Flor Danii=>=> =>Flor Danii=>=>
Sensacional Adorei Parabéns
1 Mars 2018 14:05:50

  • Way Borges Way Borges
    uma historia quente, né? fico feliz por saber que você gostou 1 Mars 2018 16:55:59
~