nalu_flama Nalu Flama

Onde Ladybug saiu para espairecer Ou Onde Chat Noir e Ladybug revelam seus verdadeiros sentimentos. (Obs1: Estes personagens pertencem a Thomas Astruc) (Obs2: A imagem da capa não me pertence, todos os direitos reservados)


Fanfiction Dessins animés Tout public.

#romance #oneshot #universoalternativo #miraculousladybug #ladynoir # #chatbug #Nalu_Flama
1
341 VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 30 jours
temps de lecture
AA Partager

âmes destinées

»𝑵𝒂𝒓𝒓𝒂𝒕𝒆𝒖𝒓«

A jovem heroína balançava os pés no ar enquanto observava as luzes douradas da Torre Eifell contrastadas com o profundo azul do céu noturno, embora seus olhos estivessem fixos, sua mente estava distante, se sentia confusa.

— Oh! My Lady?

A voz masculina chamou-a de volta para a realidade, os olhos azuis da morena se encontraram com os verdes do loiro, ambos não escondiam a surpresa.

— O que faz aqui, Chat Noir?

O felino se aproximou sentando ao lado da joaninha, mantendo alguma distância para não deixa-la desconfortável.

— Vim para colocar a cabeça no lugar depois de um dia cheio, e você?

— O mesmo que você, mas acho que não está funcionando muito - abaixou a cabeça, havia melancolia em sua voz.

— Você está bem, My lady? - o gato preto perguntou com preocupação na voz.

— Claro, estou ótima! - a joaninha endireitou a postura forçando um sorriso.

— Não, você não está - concluiu - não se cansa de tentar fingir que é inabalável? Até pra mim?

Chat Noir sentiu o peso do ambiente quase instantaneamente sobre seus ombros, quando o clima pesará tanto?

— É algo que possa contar para mim? Não me importo em dividir fardos desde que seja com você.

O olhar tristonho de Ladybug se encontra com o par de olhos verdes e amáveis de Chat Noir. Ela não sabia o porquê, mas sentiu algo aquecer dentro de si.

— Você não precisa se preocupar comigo, Gatinho.

— Tarde demais - refutou - me importo o suficiente para querer escutar o que te aflige, o que te alegra, sobre as coisas que ama e odeia, me preocupo porque você é muito importante pra mim.

De maneira inconsciente, a mão do felino deslizou por uma mecha do cabelo preto azulado da garota colocando a atrás da orelha. A joaninha perdeu-se no sorriso sincero que havia nos lábios do garoto ao sentir o couro do uniforme tocar sua pele de maneira delicada, fechou os olhos e um suspiro lhe escapou.

— Eu a machuquei, Bugboo?

— Não! Não… obrigada, Chat!

— Pelo que? - perguntou confuso.

— Você sempre esteve comigo quando precisei sem pedir nada em troca e mesmo assim não confiei em você, me desculpa!

O loiro toca lhe o ombro, puxando a para um abraço reconfortante. Ela tentou recuar pelo susto, mas logo se aconchega nos braços do maior, não percebeu que estava frio até sentir o calor que Chat Noir emanava.

— Não a julgo por isso, sei que é difícil ser portadora da caixa dos miraculous, liderar uma equipe de heróis e ainda resolver coisas da sua vida pessoal - passou as garras suavemente pelos cabelos da menor - eu te admiro muito.

— Você confia em mim? - um brilho diferente tomou posse das orbes azuladas.

— Eu daria minha vida por você!

Ela procurou alguma coisa que a fizesse acreditar que havia alguma insegurança ou mentira, mas havia convicção na voz e o olhar do gato estava fixo no seu, lhe passavam verdade, uma verdade irrefutável. Sentiasse presa pelas orbes esverdeadas.

As mãos de Ladybug foram em direção ao rosto de Chat Noir, sem que se desse conta, tocou gentilmente as bochechas do felino com os polegares, sentindo o calor da pele do loiro que fechou os olhos e aproveitou o carinho.

— Não acho que isso seja o suficiente para retribuir mas é o que eu posso te dar por agora, Gatinho.

— Eu adoro carinho, ainda mais se for o seu!

— Na verdade, eu estava falando disso.

Ainda de olhos fechados Chat Noir não percebeu a aproximação lenta da joaninha, as orbes azuladas desceram para os lábios largos e convidativos do parceiro. Ladybug avança nos lábios do garoto, que mesmo com o susto, aceitou o beijo.

Por instinto, as mãos do felino deslizaram pela cintura da morena, dando apertos leves seguido dos arfares da garota, o maior entreabriu os lábios pedindo passagem, que foi prontamente cedida.

O loiro encaixa a morena sobre seu colo sentindo mais intensamente o calor que emanava do corpo da joaninha, pela falta de ar, o beijo se encerra com leves e desejosos selinhos. Ambos abrem os olhos, seus rostos queimavam assim como seus corpos, viasse claramente o desejo mútuo presente em seus olhares.

— Essa foi a melhor coisa que eu já ganhei até hoje! - os lábios do felino continham um sorriso bobo.

— Considere como um pequeno ato de agradecimento - provocou, saindo do colo alheio.

O maior segurou a mão da garota, impedindo que ela se afastasse mais. Os olhos verdes do felino estavam sérios, levantou e a ajudou a se reerguer.

— Isso significa muito pra mim - acariciou o rosto com a outra mão - mas o que isso significa pra você?

— Eu gosto de você, Chat Noir - admitiu apertando a mão do mesmo - mas acho que merece alguém melhor que eu.

— Como poderia existir alguém melhor que você? - manteve a voz firme - me apaixonei por você desde a primeira vez que te vi, a pessoa que me faz feliz, me dá borboletas no estômago e deixa minha cabeça em branco é você!

Agora ambas as mãos seguravam o rosto fino da menor, os olhos azulados ganharam um brilho de realização. Se manteve indiferente todo esse tempo por achar que os sentimentos do felino por si eram passageiros, mas seu corpo gritava sinceridade e seus olhos de esmeraldas gritavam por reciprocidade.

— Você… esteve falando sério sobre ter se apaixonado por mim todo esse tempo? - indagou sem acreditar.

— Sei que duvidou mas eu sempre deixei isso claro, eu amo você e somente você!

— Ah Gatinho, se eu soubesse disso antes…

— Você sabe disso agora e, é isso que importa agora. Eu quero você, My Lady!

Ao perceber que a garota não conseguia reagir, Chat Noir puxa delicadamente o rosto corado de Ladybug para um beijo, ela apenas fechou os olhos em aceitação. Os lábios finalmente se encostavam, era um ósculo repleto de desejo, necessidade e sinceridade.

Os braços da garota rodearam o pescoço do felino enquanto as mãos do mesmo desceram ladeando sua cintura, quando menos esperava a morena estava entre uma gélida chaminé de tijolos e o corpo quente de Chat Noir, ele a pressionava contra a parede de tijolos em busca de mais contato.

Quando ele levantou? Quando ela levantou? Quando eles começaram a sentir tanta necessidade de contato? O que era essa sensação estranhamente prazerosa?

As mãos do felino desceram para as pernas da garota, que num impulso, estavam em volta dos quadris do garoto, o beijo se encerrou com um único fio de saliva que os interligava, eles queriam mais, mas não deveriam prosseguir, não agora, não com tudo que estava acontecendo.

— My Lady - a voz grave causou arrepios na menor - me desculpe por isso.

Chat Noir a coloca no chão e se afasta rapidamente, seu rosto estava tão rubro quanto o de Ladybug e muito inquieto.

— Eu fiz algo de errado? - indagou confusa pela mudança repentina do gato.

— Você não fez nada de errado - fez uma pausa - o problema sou eu!

— Você? O que está tentando dizer?

O loiro passou as mãos no rosto, respirando fundo antes de se virar para a morena, encarando suas orbes azuladas.

— Tenho medo do que posso fazer se te tocar novamente - admitiu, nervoso - eu te quero tanto que dói, não faço ideia do que pode acontecer se eu toca-la agora!

Os olhos de esmeralda estavam confusas enquanto a sodalita permanecia admirada. Nunca havia sentido estes sentimentos e sensações, ao nunca se permitiu senti los antes.

Tomada de coragem. Ladybug se aproxima do felino a passos rápidos, pousou suas mãos nas madeixas douradas do rapaz, puxando-o para um beijo, era sincero, caloroso, amoroso e até mesmo atemporal.

— Sinto que experimentei algo que vou desejar pelo resto da vida, Gatinho!

— Eu sinto o mesmo, Bugboo.

As mãos da garota acariciaram gentilmente as bochechas do garoto, que por sua vez, aproveitou o toque.

— Se não fosse pelo Monark poderíamos evoluir nossa relação - sua voz se encheu de tristeza - eu juro! Quando pegarmos todos os miraculous, vou aceitar cada rosa, cada encontro e cada pedido que eu já neguei, Chat Noir.

Chat Noir se via fascinado e perdido na determinação da imensidão daqueles oceanos profundos das orbes da amada, seria possível estar ainda mais apaixonado por aquela pequena joaninha? A resposta era sim.

— Se isso for um sonho, eu não quero acordar! - disse brincalhão.

— Eu realmente te fiz esperar muito, não é?

— Só o suficiente para aceitar os meus sentimentos - deixou um selar na testa da morena - e quer saber? Eu esperaria bem mais tempo se fosse por você!

Os olhos da joaninha lacrimejaram de felicidade, seu coração iria saltar pela boca a qualquer momento mas isso não a incomodava, muito pelo contrário, aquilo a fazia sentir viva.

Durante boa parte daquela noite os heróis de Paris permaneceram assim, em seu próprio mundo de amor com beijos, afagos e carinhos.

Essa noite foi na verdade, o encontro de duas 𝗮𝗹𝗺𝗮𝘀 𝗱𝗲𝘀𝘁𝗶𝗻𝗮𝗱𝗮𝘀.

~»❤️🖤«~

â𝚖𝚎𝚜 𝚍𝚎𝚜𝚝𝚒𝚗é𝚎𝚜 - 𝙰𝚕𝚖𝚊𝚜 𝚍𝚎𝚜𝚝𝚒𝚗𝚊𝚍𝚊𝚜

“Não há um final, apenas uma pausa na narração!”

10 Décembre 2022 23:02 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
À suivre… Nouveau chapitre Tous les 30 jours.

A propos de l’auteur

Nalu Flama 𝐸𝑛𝑞𝑢𝑎𝑛𝑡𝑜 𝑝𝑢𝑑𝑒𝑟 𝑒𝑠𝑐𝑟𝑒𝑣𝑒𝑟 𝑚𝑒 𝑠𝑒𝑛𝑡𝑖𝑟𝑒𝑖 𝑣𝑖𝑣𝑎, 𝑒𝑛𝑞𝑢𝑎𝑛𝑡𝑜 𝑝𝑢𝑑𝑒𝑟 𝑙𝑒𝑟 𝑠𝑒𝑟𝑒𝑖 𝑓𝑒𝑙𝑖𝑧.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~