donnefarskedar Donnefar Skedar

Meu primo resolveu aparecer com um novo amiguinho, eu morando na minha tia de favor, iria ter que aguentar um novinho, que era atentado por demais, mas logo iria perceber que, além disso, havia algo ainda mais interessante naquele moleque. Logo passamos a ser amigos e sem que, percebesse, lá estava eu pronto para cometer algo que até hoje fica em minha mente. (Explicito)


Érotique Interdit aux moins de 21 ans.

#sexo #jovens #gay
11
1.5mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Parte 1

Estava morando na casa de uma tia minha, tinha meus 19 anos, esperava pela oportunidade de um emprego, já que na minha cidade a coisa estava feia para os jovens e adultos.

Ainda estava terminando os estudos no supletivo da escola local, então durante o dia ficava em casa e a noite ia para a escola.

Neste tempo, dividia o quarto com mais dois primos mais novos que eu, não precisavam se preocupar com nada além de irem para a escola pela manhã.

Um dos meus primos, apareceu com um novo amigo que, na verdade, era um vizinho que morava na rua de trás da nossa casa. O garoto tinha a mesma idade do meu primo mais novo, uns 16 anos, completado recentemente ou já quase nos 17, não lembro ao certo.

O garoto era uma peste, filho único e mimado, com pais realmente problemáticos, embora nada que não fosse comum naquele lugar.

De início, mal nos falávamos e praticamente não nos víamos. Ele brincava com os meus primos sempre ao anoitecer, então eu estava saindo de casa para ir à escola. Mas aos finais de semana, se reuniam cedo e automaticamente, eu tinha que aturá-los o dia todo.

O tempo foi passando, e aquele garoto se acostumando lá em casa, passou a dormir lá conosco nos finais de semana e quando as férias chegaram, era quase impossível fazê-lo ir dormir na casa dele.

Neste período, e devido ao tamanho da casa, muitas vezes fui obrigado a dividir a cama com ele, principalmente quando estava calor e minha tia queria dormir sozinha, não deixando meu primo mais novo, dormir com ela.

No início era normal, dividia a cama mesmo contra a minha vontade. Afinal, estava ali de favor. Mas depois, fui notando que o garoto tinha um jeitinho meio estranho e todos lá também já estavam reparando nisso.

Lembro também que nesse tempo eu tinha acabado de terminar meu namoro com uma garota que frequentava a casa da minha tia, era amiga de todos e continuou a frequentar a casa mesmo com o fim do nosso namoro, ela odiava o garoto e foi uma das primeiras pessoas a questionar a sexualidade dele.

Embora o garoto já tivesse namorado uma das minhas primas, as brincadeiras continuavam e eu apenas observava.

Em algum período, nossa amizade aumentou, já não questionava o fato dele estar lá e nem as brincadeiras suspeitas dele. Meu primo mais novo tinha um pouco de ciúmes, pois o garoto, muitas vezes deixava de brincar, para ficar conversando comigo.

Mas para encurtar essas partes, houve uma noite chuvosa onde a casa estava cheia e todos já estavam prontos para dormir, eu na cama com ele, e meus primos na cama ao lado. Com os trovões e vento, decidimos contar histórias de terror e fazer coisas bobas que todo mundo já deve ter feito. Enfim, ficamos todos na mesma cama, um total de 4 pessoas em uma cama de solteiro.

Depois de muitos gritos da minha tia para que fôssemos dormir, resolvemos sossegar e nos deitar. Acontece que ficamos todos na mesma cama, espremidos e ele (o garoto), deitou ao meu lado.

Não dava para se mexer e claro do jeito que deitamos, ficamos — ainda não sei por que fizemos aquilo — mas, assim foi.

Lembro que adormeci rápido, mas acordei de madrugada, com sede e preguiça de ir buscar água. Quando abri os olhos e me organizei para saber onde estava, o garoto estava simplesmente frente a frente comigo e podia sentir sua respiração bem de frente ao meu nariz, ou seja, estávamos praticamente com os rostos colados e aquilo me assustou um pouco.

Não fui beber água e também não falei nada, me afastei devagar para que não o acordasse, e adormeci novamente. Minutos ou horas depois acordei, mas dessa vez foi porque algo tinha me incomodado.

Quando abri os olhos, pude notar e sentir o que tinha me incomodava. O garoto estava deitado de costas para mim e sua bunda estava nas minhas coxas, como se tivéssemos dormindo de “conchinha”. Isso me deixou inquieto porque ele acordou e perguntou se eu estava acordado, respondi que sim, mas que tinha algo estranho. Ele questionou o que, e respondi que estava molhado. Ele não entendeu, perguntou se eu tinha mijado na cama, expliquei que não era mijo, mas que tinha gozado.

Estranhamente, não reagiu com estranheza e a única coisa que disse foi:

— Nossa.

E então nos calamos e formos dormir.

Pela manhã, comentei com minha ex-namorada sobre o ocorrido e ela jurou que ele era “gay” e que estava a fim de mim. Duvidei, alegando que ele era muito novo e que se fosse já teria contado ou algo do tipo. Por fim, resolvi conversar com ele e falar sobre a noite anterior.

Foi bem difícil e complicado chegar ao assunto, mas ele pareceu facilitar tudo, era como se quisesse que eu perguntasse, então em certo momento fui direto e questionei se ele queria me beijar durante aquela noite, disse que sim e que não sabia se era “gay” ou bissexual.

Fiquei meio tonto com a situação e claro tentei convencer ele que aquilo era coisa passageira e que não deveria ficar pensando naquilo. Enfim, tentei dizer que não deveria pensar ou tentar fazer aquilo.

Eu era completamente ignorante no quesito homossexualidade, e claro, estávamos na casa da minha tia, o que poderia dar em uma grande “merda”.

Acontece que o tempo foi passando lentamente, e cada vez ficávamos mais próximos, e em uma certa manhã de segunda-feira, meus primos foram para a escola e ele ficou dormindo, acordando logo que fechei a porta para os meus primos saírem. Como só estávamos nós dois no quarto, acabamos nos olhando e automaticamente nos beijando.

Tudo rápido e assustador, mas, simultaneamente, tão gostoso e excitante.

Não falamos muito sobre o ocorrido, o dia correu normalmente, apenas nos pegávamos rindo e as pessoas perguntando do que riamos, alegamos ter sido uma piada que ouvimos juntos, mas isso foi só até o final daquela semana.

21 Octobre 2022 20:03:20 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Parte 2

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 2 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!