fanfan28 fanfan 28

Minho sente atração por ômetas homens, mas só tinham um detalhe ele vivia na Coreia do Sul, ano 1980 onde não podia e quem fosse pego com relacionamento fora dos padrões poderia sofrer duras consequências. Será que esse alfa vai lutar pelo seu amor? One-shot Minsung NÃO ACEITO ADAPTAÇÕES PLÁGIO É CRIME


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#tempo #alfa #casal #abo #jisung #straykids #minho #minsung #antigo #
5
1.4mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Um amor proibido - Parte 01

Han Jisung era filho de um camponês bem humilde, não chegou a conhecer sua mãe porque ela havia falecido depois do parto o ômega foi muito bem-criado mesmo a família tendo poucos recursos financeiros, o mais velho trabalhou na casa se um conde famoso pela região ele era conhecido por ser rigoroso com as pessoas ao seu redor, os anos foram passando até que o mais novo cresceu atingindo a maior idade ele precisava manter a casa agora que seu pai estava idoso e cansado, então o único lugar que conseguiu ficar foi na mansão do Lee.

Assim que chegou na residência a governanta cumprimenta e logo vai levando para mostrar todos os cômodos, mas orienta para que use um perfume que iniba o cheiro adocicado ou teria sérios problemas, Han assente positivamente os dois param em frente de uma porta o ômega descobre que iria ficar ali daquele dia em diante eles se despediram e logo o mais novo entra no cômodo fecha a porta e coloca as malas no canto da parede para sentar na cama, enquanto isso na área externa da enorme casa os herdeiros do Conde conversavam.

— Maninho quando você vai aceitar a ômega que o nosso Appa escolheu? (Lisa)

— Nunca, eu prefiro morrer a me casar. (Minho)

— Qual o motivo? (Lisa)

— Eu não quero ficar preso a outra pessoa por conta de interesses pessoais da família ainda mais se amar seria egoísmo meu. (Minho)

— Você já está quase assumindo o posto do Appa. (Lisa)

— Não me importo você poderia assumir até porque é uma alfa competente. (Minho)

— Se você diz. (Lisa)

— Bom! Vamos entrar estou ficando cansada, quero dormir o soninho da beleza já está na hora. (Minho)

Os irmãos levantaram das poltronas e caminharam alguns empregados se curvaram em reverência, assim que entraram foram imediatamente aos seus aposentos, Minho acompanhava sua irmã cheio de marra com uma postura retinha quando avistou de longe Jisung com as vestimentas simples perambulando por lá, ele ficou curioso só não fez nenhum comentário apenas continuou encarando o ômega sumiu de sua vista rápido, sua irmã sempre foi muito ligada nas movimentações estranhas e sorriu baixinho balançando a cabeça de um lado para outro.

— Está explicado porque você não quer aceitar a tal moça, seu foco é outro tipo de coisa só toma cuidado aqui na Coreia e extremamente proibido alfa se relacionar com ômegas homens eles são vistos como brinquedinhos nada mais que isso. (Lisa)

— Não concordo com esse tipo de absurdo, mas meu interesse está apenas em mim mesmo para de falar bobagem porque alguém pode ouvir e punir o rapaz. (Minho)

— Você está se importando com esse empregado mais que o necessário escute sua maninha, cuidado as leis aqui são severas ele tem cara de ser uma boa pessoa. (Lisa)

— Tudo bem, vou manter distância não se preocupe. (Minho)

Eles se separaram entrando cada um em seus quartos, Jisung explorava a nova casa até que finalmente chegou na parte externa da casa a vista do campo era linda o que lhe encantou muito, uma das empregadas se aproximou dele e cumprimentou falando seu nome em seguida por perceber pelas roupas que usava ser novato, ela mostrou algumas coisas daquela área contou também algumas regras importantes Han agradeceu pela gentileza, mas avisou que voltaria aos seus aposentos para descansar porque iria começar as atividades no dia seguinte.


○●○


Primeiro dia

Han foi acordado por uma das empregadas que passava pelo corredor, o ômega estava um pouco atrasado já que esqueceu de colocar o relógio para espertar por sorte uma pessoa bondosa apareceu.

— Meu lindo acorde você está atrasado para o trabalho precisa se apresentar no salão principal imediatamente ou terá problemas. (S/N)

— Hummm... que horas são? (Jisung)

— Já sao 8 horas da manhã amor, olha se apresse e me encontre na cozinha, mas saia do quarto com cuidado ou terá problema se alguém nota seu atraso não confie nas pessoas desse lugar por favor. (S/N)

— Obrigado senhora e me desculpe isso não vai se repetir. (Jisung)

— Eu sei que não vai, se apresse tá estarei te aguardando na cozinha se alguém perguntar o motivo de você está lá responda que a cozinheira solicitou sua ajuda nos preparativos do café. (S/N)

— Tudo bem. (Jisung)

A beta levantou da cama então se afastou para sair do quarto deixando o mais novo sozinho, ele fez o que lhe foi ordenado bem rápido, correu na direção do banheiro e fechou a porta para iniciar o banho e sua higienização pessoal não tinha muito tempo para mais nada por conta do atraso.

Os empregados já estavam em seus postos só aguardando as ordens de s apresentar ao conde, a mulher esperava dele ômega impacientemente, ela sentia medo que algum empregado mais velho percebesse seu plano era o primeiro dia naquela casa então daria um desconto, o tempo passou rápido por sorte Jisung aparece na cozinha usando os trajes oficiais de camareira ele se aproxima da mulher se curva em reverência e espera suas coordenadas.

— Vá embora para o sala o principal, eu só pedi que viesse aqui para salvar sua pele de algum fofoqueiro, não preciso dos seus serviços tenha um ótimo trabalho, ah! E boca fechada não comente nada do que ouviu ou viu a ninguém. (S/N)

— Tudo bem senhora, muito obrigado. (Jisung)

— Mas uma coisa tenha cuidado com o alfa mais novo ele irá se casar não tenha nenhuma aproximação ou conversa com ele por favor. (S/N)

— Hummm... (Jisung)

— Vá logo. (S/N)

O ômega se curvou mais uma vez para agradecer e sai caminhando na direção do salão principal porque todos iriam ser vistoriados antes das atividades começar, ele chegou lá se demora a governanta formava as fileiras por tamanho e classe Han percebeu a movimentação e se juntou aos demais, a mulher começou a falar as orientações daquele dia e separou cada um na sua função, Jisung ficou encarregado de arrumar os quartos depois todos foram liberados.

[**]

O ômega entrou no quarto do alfa Lee Minho, começou a observar o que faria primeiro então decidiu ele pegou os lençóis da cama e puxou forte jogando no chão depois retirou o restante das coisas, como está distraído não é de costas para a porta do banheiro não percebeu que alguém observava em silêncio, mas ouviu um pigarro depois uma risadinha baixa e se virou o susto foi tão grande que caiu no chão sentado.

— Me perdoe senhor, não sabia que estaria aqui ainda, eu vou terminar logo. (Jisung)

— Continue e finja que eu não estou aqui, pode ficar. (Minho)

O ômega corou imediatamente quando percebeu encarar o peitoral despido do alfa, então baixou a cabeça engoliu em e levantou para voltar ao trabalho iria ser difícil controlar os hormônios naquela situação mais teria que ser forte.

Ele arrumou a cama então colocou os panos no cesto depois limpou o chão passando só um paninho úmido, o alfa permanecia no cômodo ao seu lado sem dizer uma só palavra ele sentia atraído demais pelo mais novo, era proibido ômegas homens se relacionar com alfa homens, mas aquilo não passava pela sua cabeça porque estava perdidamente impressionado com o jeito fofo do outro quando finalmente terminou Jisung pegou suas coisas e saiu do quarto sentindo seu coração acelerar ele nem se deu conta que prendia o ar, soltou depois que cruzou a porta seu dia iria ser bem atarefado.

[**]

Minho e Lisa estavam caminhando pelo jardim quando olharam o ômega passar, o alfa se inquieto um pouco e sua irmã percebeu imediatamente ela sabia que o Lee estava sentindo atração pelo novato então aconselhou que tentasse algo talvez desse certo de alguma maneira, ele ouviu com atenção, mas ficou com medo se algo desse errado par o ômega mais quem sabe conseguisse um bom resultado no fim, Jisung não tinha ideia do que estava por vir.

○●○

Um mês depois

Minho começou a acordar cedo todos os dias, ele se escondia no banheiro e só saia de lá quando ouvia a porta abrir, sempre ficava se camisa porque queria provocar, às vezes tentava uma aproximação até que um belo dia não aguentou mais ficar só naquilo e partiu para o ataque pesado, ele passou Jisung na parede sem usar a força apenas usou seu corpo e usou sua voz rouca de alfa.

— Você está me deixando louco ômega, eu quero muito você para mim. (Minho)

— Senhor me solte alguém pode nos ver aqui isso é proibido por favor se afaste. (Jisung)

— Não consigo, você me faz ficar estranho preciso sentir seu cheiro só maus um pouco. (Minho)

— Senhor eu... *(Jisung)

— Tudo bem, desculpa, mas eu falei sério você me deixa louco não consigo ficar longe que me sinto mal. (Minho)

— Não sou um brinquedo muito menos passatempo vir apenas para trabalhar. (Jisung)

— Não sou como a maioria dos alfas, abomino essa ideia de usar os ômegas apenas por diversão, desculpa se te fiz pensar assim vou mostrar que sou diferente aguarde.
Han sentou seu coração acelerar ao ouvir aquelas palavras, então corou no mesmo instante ele pegou suas coisas e saiu do cômodo deixando o alfa sozinho seu dia iria ser bem cheio. (Minho)


///


Como prometido o alfa Lee cumpriu com a sua palavra todos os dias mandava deixar na cama do ômega um presente ou uma rosa ele pagava pelos serviços e pedia sigilo, Jisung recebia todos e guardava, mas não falava nada apenas continuava suas atividades normalmente, até que um belo dia recebeu um bilhete.

Recado:

Estou te esperando no meu quarto não se atrase!!

Ele deixou o que estava fazendo e saiu, mas não percebeu que alguém observava os seus passos de longe e o seguiu até o quarto do alfa, seu erro foi deixar a porta com uma brecha.

— Porque o senhor me chamou aqui? (Jisung)

— Eu não aguento mais e quero saber se vai aceita sair comigo? (Minho)

— Não posso senhor, eu sou um ômega e preciso desse emprego. (Jisung)

— Por favor Jisung eu estou gostando de você deixa eu te mostrar o que sinto. (Minho)

Ele foi aproximando cada vez mais até que colou sua testa na do outro e fechou os olhos, a pessoa do outro lado ficou espantada e saiu correndo ela iria até o Conde contar tudo o que viu.

No quarto

Han permaneceu lá imóvel apenas aí coração se movimentava, o alfa percebeu seu rubor ao abrir os olhos depois colocou suas mãos nas bochechas cheiinhas era passar delicadamente ali, depois sem mm pensar duas vez e coloca os lábios no do outro iniciando um beijo cheio e desejo e carinho, eles não tinham ideia do estava por vir.

Continua...

15 Août 2022 18:52 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
5
Lire le chapitre suivant Um amor proibido - parte 2 final

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 1 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!