eloah Eloah K

Jimin sempre fora atraído por Jungkook e Jungkook por ele, embora nunca tenha se admitido tal fato. Mas será que isso mudaria com as provocações de Jimin? Uma One-Shot Jimin×Jungkook [terminada] Todos os direitos reservados. Plágio é crime.


Fanfiction Érotique Interdit aux moins de 18 ans. © Eloah

#jungkooktops #jiminbottom #gay #50640 #pjm #jjk #erotic #conto #oneshot #lgbt #mingguk #bangtam #bts #smut #lemon #jungkook #jimin #jikook
Histoire courte
0
1.6mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Amigos Fodem de Vez Em Quando


Friends (Can) Fuck Sometimes

Depois de uma cansativa entrevista de mais ou menos uma hora num canal de TV e sessão de fotos, estávamos em nossos apartamentos novamente. Eu e Jeon no mesmo quarto, como sempre.

Não me lembro exatamente de como começamos a dormir no mesmo quarto. Provavelmente fora em uma vez em que, quando Jungkook ainda tinha dezessete anos, entrou em meu quarto no meio de uma noite chuvosa, alegando que tinha medo de trovões. Foi a primeira vez que vi o lado indefeso dele.

Eu estava jogado em minha cama mexendo em meu celular enquanto ele estava jogando videogame confortavelmente na dele. Era tarde da noite, quase 2 da manhã, mas ainda estávamos acordados. Éramos crianças noturnas.

Olhei para o meu celular e mastiguei meus lábios, tendo uma ideia boba. Irei encher o saco dele. Fazer o que, se eu estou com tédio?

Deixei meu celular de lado e levantei da cama, indo até a dele e subindo na mesma. No mesmo instante ele me olhou.

— O que foi? — Indagou, ainda jogando.

— Estou com tédio.

— Quer jogar então?

— Hmmm, não, prefiro só assistir mesmo — falei, rindo e me sentando ao seu lado. Eu era terrível em jogos de videogame, principalmente nestes de tiro que pareciam ser os preferidos de Jeon.

Ele deu de ombros e parecia super concentrado no jogo, atirando precisamente na cabeça dos soldados inimigos que tentavam lhe matar.

Olhei para ele e o admirei silenciosamente. Maknae sempre fora extremamente atraente para mim, óbvio que ele não sabia disso, mesmo que talvez algumas de minhas ações me entregassem. Provavelmente ele achava que tudo não se passava de uma consequência por sermos melhores amigos.

— Jeon?

— Hmm?

— Beijo na bochecha? — Apontei para minha bochecha.

Ele arqueou uma das sobrancelhas para mim e continuou a jogar. Fiz um bico.

— Por favor, Maknae.

— Você tá carente Jimin? — Riu baixinho.

— Não — suspirei, cruzando os braços — não estou.

Ele riu e pausou o jogo, segurando meu rosto e beijando minha bochecha por exatamente dois segundos. Talvez eu tenha gostado um pouco demais de seus lábios quentes na minha pele.

Se na bochecha foi bom, imagine em um beijo.

— Pronto, ChimChim.

Então ele deu play no jogo novamente e voltou a jogar. Suspirei.

E se eu tentasse algo... como ele reagiria? Tentar não machuca.

Mordi meu lábio e pus minha mão em seu joelho, acariciando com a ponta dos dedos em movimentos circulares, porém ele não ligou. Subi lentamente para a sua coxa e a deixei lá, apertando suavemente entre meus pequenos dedos. Olhei para ele e o mesmo retribuiu, mas não disse nada e continuou a apertar os botões do controle sem parar.

Tentei conter o sorriso e pus minha mão na parte interna de sua perna, perigosamente perto de seu membro. Senti seu corpo estremecer um pouco.

— Jimin? — Disse um pouco baixo.

— Sim?

— O que você...?

— Nada, oras — tirei minha mão, rindo baixo.

Ele suspirou.

— Eu só quero a sua atenção — inventei uma desculpa.

— Mas eu estou te dando atenção — me olhou.

— Ah, não está não — revirei os olhos.

— O que você tem hoje, ein? — Ele reclama, bufando — você nunca é assim, Jimin.

— Tá, eu já entendi, Kook.

Me levantei da cama para ir embora, mas ele me puxa pelo moletom para voltar e eu acabo caindo em seu colo.

— Fica aqui. Desculpa, ok? É que eu quero muito zerar esse jogo — disse me olhando, passando seus braços ao meu redor.

Eu suspirei.

— Okay.

Ele sorriu e eu deitei sobre seu peito, e tive a oportunidade de olhar sua mandíbula, pescoço e clavícula. Eu estava com tanta vontade de tocá-lo...

Pus uma de minhas mãos em seu rosto e comecei a acariciá—lo, do queixo até o pescoço com a ponta dos dedos.

— Jiminnie, você tá me desconcentrando.

— Tô? Desculpa — virei minha cabeça, beijando seu pescoço demoradamente.

Ele estremeceu mais uma vez, apertando firmemente minha cintura.

— J-Jimin...

Me virei de frente para ele e voltei a sentar em seu colo. Ele estava estático, sem expressar nada exatamente, mas os lábios levemente abertos enquanto olhava todos os meus movimentos.

— Kookie... — Sussurrei, aproximando meu rosto do dele.

— O que você tá fazendo? — Sussurrou de volta.

— Sendo honesto, eu não sei — falei, olhando para seus lábios rosados e umedecendo os meus, sorrindo levemente.

— Se isso é uma brincadeira, eu acho melhor acabar com isso agora —rosnou, engolindo a seco.

— E se eu não quiser? — Provoquei, rebolando em seu quadril lentamente — O que você vai fazer, Jungkook? — Olhei em seus olhos fixamente.

— Eu vou...

A porta foi aberta bruscamente por Yoongi. Eu e Jeon nos olhamos, sua face em desespero. Apenas ri e saí de seu colo.

— Estou interrompendo alguma... coisa? — Ele perguntou da porta, meio chocado e confuso ao mesmo tempo.

— Não. Eu estava apenas enchendo o saco de Jeon. — Olhei para JK, que tinha uma feição engraçada no rosto. — Não é, Kookie?

Ele apenas concordou com a cabeça, tenso, olhando para baixo.

— Vocês dois são estranhos. Enfim — ele mexeu em seu cabelo e eu ri —estão afim de comer pizza? O Namjoon pediu três por telefone.

— Claro! — Eu disse, batendo palmas — Já estamos indo.

— Ok — concordou e saiu pela porta.

Me virei para Jungkook novamente e ele desviou o olhar de mim. Sorri e me aproximei do mesmo, beijando sua bochecha.

— Jeon?

Me encarou, sem dizer uma palavra.

— Livre—se disso antes de ir — apontei para o seu membro ereto dentro da calça — eles podem achar que você estava se masturbando ou algo assim.

Ele cobriu suas partes no mesmo instante e seu rosto ficou vermelho como um tomate. Que adorável.

— Tchau, te espero lá.

Pulei de sua cama e fui em direção à porta, saindo do quarto. Com um sorriso vitorioso no rosto.


× × ×


3 dias depois.

— Nossa, fazia um bom tempo que não íamos as compras sem as nossas estilistas — J—hope falou animado e sorrindo.

— É verdade — concordei, sorrindo — as únicas compras que andei fazendo eram todas pela Internet já que a gente não têm tempo pra quase nada.

— Eu já gastei 1000 reais em comida, então posso dizer que fiz compras —Namjoon falou, como se estivesse orgulhoso.

— Você comprou comida para dois meses, Nam — Jin o cutucou — e você comeu metade em três semanas.

— Oras, eu preciso alimentar o bebê.

— Que bebê? — Perguntamos em uníssono, curiosos.

— Eu, ué — ele disse e pôs as mãos na própria barriga.

Revirei os olhos. Namjoon sendo ele mesmo.

Jungkook estava do meu lado, mais calado do que o normal. Nos últimos três dias ele estava desse jeito, e eu não sei exatamente porque. Eu fingia que nada tinha acontecido. Talvez ele estava assim pelo meu episódio de carência naquela madrugada, mas nós sempre fomos muito íntimos, então porque só agora importaria?

Sei que Jeon é o mais novo, mas ele não precisa ser sempre o "sou piamente heterossexual, não faço gracinhas com outros caras", até porque ele não é nem um pouco assim. Quando ele está carente, consegue ser pior que eu.

Apenas suspirei. Ele estava com os fones de ouvido, mexendo em seu Twitter o caminho inteiro. Ah, esses adolescentes dos dias de hoje.

Entramos em uma loja onde amávamos ir. Lá eles vendiam roupas sem restrição de gênero, eram peças que serviam tanto em homens quanto em mulheres. Era meu paraíso na terra. Geralmente eu amo usar moletons, e a maioria dos modelos que gosto só existem para modelos femininos, mas aqui não há isso. É simplesmente maravilhoso.

Entrei saltitando na loja, cumprimentando as vendedoras que já nos conheciam de tanto que vínhamos aqui — especialmente pelo fato de que sempre gastávamos muito com compras nesse lugar.

Entramos todos juntos em uma área de roupas pretas, que era por onde sempre começávamos Jeon finalmente largou seu celular para conferir as peças junto a mim.

— Ah! Como eu amo essa sessão — Suga exclamou, pegando quatro peças pretas de uma vez.

— Claro, você é o gótico trevoso daqui — Tae riu dele, e recebeu um empurrão do mesmo.

— Oras, eu também gosto de preto — protestei.

— Ah, Jimin, o problema é que você consegue ser fofo até vestido de preto — Suga me abraçou de lado e beijou meu cabelo. Senti minha bochecha esquentar no mesmo instante.

— Cala a boca — falei baixinho, rindo e o empurrando.

Olhei para Jeon e o mesmo encarava tudo com um olhar com raiva, especialmente para Suga. Ele estava com ciúme?

Mordi o lábio.

— Jeon, carrega pra mim? — O olhei, com um sorriso.

Ele voltou a olhar pra mim e sua expressão suavizou, murmurando um "claro" e pegando as duas blusas que eu havia escolhido.

Em seguida o puxei para um pouco longe dali, na área das roupas mais coloridas. Ele colocou nossas roupas em cima de umas cadeiras ali e veio para o meu lado.

— O que você acha dessa? — Perguntei, segurando um moletom rosa pastel escrito "forever young" em chinês.

— Combina com você. Tipo, com o cabelo e tal — ele riu.

— Ah, é verdade — ri ao reparar naquilo, mexendo em alguns fios do meu cabelo.

Ouvi um barulho de conversa e percebi que os garotos estavam chegando perto. Senti Jungkook segurar minha cintura, o que me surpreendeu por um instante. Nesses três dias ele não havia tocado um dedo sequer em mim. Nem abraço, nada.

Os garotos chegaram e eu me virei para eles junto a Jeon, sorrindo.

— Vocês demoram muito — Jeon falou.

— Nós não demoramos, ele demorou — Jin apontou para Yoongi.

— Ah, me deixa, carai — ele disse.

Eu deixei uma risada escapar e percebi que Kook riu também. Balancei a cabeça e fui até um dos cabides onde haviam mais roupas e comecei a procurar algo que me agradasse.

Senti o toque de Jungkook novamente em minha cintura, dessa vez eram as duas mãos dos dois lados de meu corpo.

— Jeon? Tá tudo bem com você? — Perguntei, ainda mexendo nas roupas.

— Sim, por que não estaria? — Falou, um pouco próximo do meu ouvido.

— Porque você não gosta de toques — falei, tirando uma peça de um cabide — e porque estamos na frente dos garotos.

Ele riu baixinho e pôs as mãos debaixo da minha blusa, segurando de maneira firme minha pele, esfregando seu quadril contra a minha bunda. Jungkook, esse é realmente você?

Se for, por favor, não para.

— Você que começou com isso dias atrás. Não se faça de desentendido agora — sussurrou rouco, esfregando com mais intensidade, de maneira que eu conseguisse sentir seu membro perfeitamente encaixado em minha bunda.

Santo Deus...

Rebolei em seu quadril e dei um sorriso.

— Eu não estou, Jeon. Acredite.

Ele riu em meu pescoço e me deu um abraço por trás, descansando o queixo em meu ombro. Eu estava particularmente adorando isso.

— Você não vai pegar nada daqui? — Perguntei, tentando olhá-lo.

— Não.

— Então ok — falei, pegando as roupas que escolhi. — Nós acabamos por aqui — avisei.

— Então vão esperar a gente acabar. Sentem aí — J-hope apontou para as cadeiras.

Me virei para Jungkook e o empurrei até as cadeiras, fazendo ele se sentar e em seguida eu sentar em seu colo. Ele sorriu, um pouco feliz demais.

— O que aconteceu? Dias atrás vocês não estavam nem se falando —Hoseok observou, com uma sobrancelha levantada.

— Nada — Jungkook prontamente respondeu, pondo uma de suas mãos em minha perna.

— É, nada. — Concordei, fingindo que nada estivesse acontecendo.

Hoseok estreitou os olhos e riu, voltando sua atenção para as roupas.

Dei um risinho e senti Jungkook se afastar, deitando-se na costa da cadeira. O olhei por cima do ombro e o mesmo me encarava. Ele desceu as mãos para o meu quadril e eu sorri, começando a rebolar lentamente em seu quadril, o que o fez fechar os olhos em deleite por alguns segundos.

Era uma cena excitante de se ver.

— Ow, vocês dois. Chega. — Suga chamou minha atenção — vamos.

— Ah, claro — me levantei de cima de Jungkook.

Ele ainda estava lá, jogado, me olhando e com um bico em protesto. Se eu pudesse, me jogava em seu colo.

— Vamos, Maknae — puxei sua mão.


× × ×


— Quanto foi que nós gastamos dessa vez? — Jin perguntou, enquanto andávamos pelo corredor do nosso prédio.

— Acho que mais do que da última vez — V respondeu, rindo e levantando suas sacolas para cima — COMO É BOM SER RICO! — Gritou, de forma que fizesse um eco.

— Eu não fiz muitas dessas vez — falei, comparando minhas três sacolas às oito que ele tinha.

— É claro, maior parte do tempo você estava sentadinho no colo do João Biscoito — Suga ironizou, me olhando e piscando.

Meu rosto esquentou de uma maneira incrível. Escondi meu rosto com minha sacola.

— Não enche, Suga!

— O que foi, Su? Quer sentar também? — Jeon provocou o outro.

— Não, obrigado. Deixo esse trabalho pro Jimin mesmo — ele gargalhou.

— Não falem como se eu não estivesse aqui — revirei os olhos.

— Vocês dois são incrivelmente gays um com o outro — Namjoon riu enquanto me olhava — vai dizer que não, Jiminnie?

— Isso na minha terra se chama: brotheragem — Hoseok disse, fazendo todos rirem.

Balancei a cabeça negativamente. Crianças.

Finalmente eu e Jeon chegamos no nosso quarto, demos tchau aos outros e entramos. Coloquei minhas sacolas no chão e me joguei na cama, respirando fundo.

— Eu estou tão cansado — bocejei e me espreguicei como um gato sobre o tecido macio e aconchegante.

— Vai dormir então? — Me olhou do banheiro.

— Acho que sim, e você? — Me virei de bruços na cama, apoiando o queixo nas mãos, o olhando escovar os dentes.

— Talvez.

Me levantei da cama e comecei a me despir. Será que não iria rolar mais nada hoje? Ele só estava me provocando por diversão? Boa jogada, Jeon, boa jogada.

Tirei minha calça e fui até o pequeno som que ficava no criado—mudo entre nossas camas. Liguei e Or Nah¹ começou a tocar, não propositadamente, mas acabou criando um certo clima quente no quarto.

Jungkook saiu do banheiro e se jogou em sua cama ainda vestido, com uma das mãos atrás da cabeça e me olhando, especificamente minhas pernas que agora estavam desnudas, para ser direto.

Acho que tive uma ideia.

— Você se importa se eu dançar? — Perguntei.

— Essa música? — Ele perguntou, parecendo surpreso e eu assenti. —Fique a vontade.

É claro que ele se importava.

Sorri e comecei a dançar suavemente nas batidas da música, balançando meu corpo, especialmente meu quadril em movimentos sensuais e quentes de outras danças que eu sabia que eram boas. Passando meus dedos pelos meus cabelos e os puxando em seguida, traçando um caminho pelo meu pescoço, peito e abdômen. Espiei pelo canto do olho e Jungkook me observava fixamente, hipnotizado.

Virei de costas e comecei a fazer os mesmos movimentos de antes, mas dessa vez rebolando minha bunda propositadamente, passeando minhas mãos pelo meu corpo e apertando com as unhas, o olhando por cima do ombro. A este ponto Jeon já estava sentado em sua cama, quase pulando em mim como um predador.

Ouvi seus passos em minha direção e em seguida seu corpo grande atrás do meu, se movimentando em sincronia comigo na música, uma das mãos quentes em meu quadril me puxando para si e a respiração pesada em meu pescoço. Sorri e continuei rebolando, subindo minhas mãos para seu cabelo e o puxando levemente, arranhando seu pescoço.

Era como se estivéssemos numa balada, se esfregando e dançando, mas na verdade era uma pequena festa particular de provocação.

Eu me virei para ele e pus as mãos em seus ombros, me aproximando e sorrindo.

— Você gostou tanto da dança para vir dançar comigo? — Abracei seu pescoço, olhando diretamente em seus olhos escuros.

— Sim — abraçou minha cintura automaticamente — eu gostei, principalmente da parte em que a sua bunda rebolava em minha direção sem parar.

Eu esbocei um sorriso gigante.

— Você? Jungkook dizendo esse tipo de coisa? Você costumava ser tão tímido, Jeon... — deslizei meus dedos até seu peito, o encarando — onde foi parar o meu menino inocente de antes?

— Ele está bem aqui na sua frente, te querendo muito — sussurrou para mim, sustentado nossos olhares, cheio de desejo.

Eu senti meu peito afundar, foi maravilhoso ouvir aquilo vindo de sua boca. O puxei pela camisa que ele usava e mordi os lábios, ficando próximo dos seus, os admirando. Totalmente rosados e perfeitos, o lábio superior ironicamente menor que o inferior.

— E o que você quer fazer agora? — Arqueei uma sobrancelha para o menino.

Ele me escorou na parede do quarto, me surpreendendo um pouco e fazendo minhas costas arderem pelo impacto repentino. Colou nossas testas e ficamos daquele jeito por um segundo, até que ele levou seus dedos até minha boca e os enfiou fundo, me fazendo suspirar e automaticamente passar a língua pelos dedos grossos e longos, enquanto ele olhava sem parar para os meus lábios, mordendo os seus, provavelmente imaginando como seria a sensação em seu pau.

Ele começou a movimentar lento e vigoroso os dois dedos dentro de minha boca. Segurei seu pulso e tirei os dedos, beijando a ponta dos mesmos e dizendo manhoso:

— Jungkook...

— Aish, Jimin...

Então ele encurtou os centímetros entre nossos lábios e finalmente me beijou. Acabei soltando um gemido de alívio por finalmente sentir seu beijo, que era suave e quente, porém demonstrava claramente o desejo. Ele puxou uma de minhas pernas para cima de seu quadril e desceu seus lábios pelo meu pescoço, beijando e sugando com certo desespero minha pele sensível, me fazendo gemer baixinho.

— N-não me marque — pedi em tom baixo. Ele riu e continuou com os chupões.

Argh, criança selvagem.

— Você me faz me sentir tão errado, Jimin — ele começou a roçar nossos quadris no ritmo da música que ainda tocava no fundo — por que você faz isso comigo? — Voltou a me olhar.

Eu sorri em satisfação.

— Não é errado se você achar que é certo — sussurrei.

Desenlacei minha perna de seu quadril e pus as mãos em seu peito, o empurrando lentamente para cama, o fazendo cair na mesma.

— Hyung? — Me encarou.

— Vamos continuar a dança na cama — falei risonho, subindo na cama e engatinhando até ele.

Subi em seu quadril e comecei a sutilmente rebolar sobre seu membro que já estava completamente duro dentro da camada de roupas íntimas. Suas mãos curiosas e ásperas começaram a tocar minhas coxas e então minha bunda, apertando—a com vontade.

— Jimin... — ele sentou na cama, agarrando minha bunda e me olhando.

Era incrível o fato de que mesmo que ele estivesse sedento por prazer, ele ainda conseguia soar inocente quando me olhava.

— Hm?

Ele subiu minha blusa rapidamente e eu levantei meus braços, ajudando-o no processo. Ele jogou a camisa em algum lugar e eu sorri, fazendo o mesmo com ele, podendo observar seu corpo magro e musculoso, e esse idiota era apenas dois anos mais novo que eu. Deslizei delicadamente a ponta dos dedos pelo caminho entre os seis gominhos deliciosos.

O empurrei para deitar novamente na cama e me abaixei um pouco sobre seu corpo, ficando de frente a sua virilha, que continha um grande volume dentro da calça apertada, que parecia sufocar seu amiguinho. Dei um sorriso malicioso e abri seu zíper, pondo meus dedos sobre o cós de sua jeans e abaixando a mesma rapidamente.

Aproximei meu rosto e passei minha língua pelo seu pênis grande marcado na boxer preta, delineando com a ponta.

— Jimin—ssi... — ele se contorceu, gemendo manhoso.

Ri baixinho e baixei sua cueca, vendo o pequeno—grosso jungkook pular do tecido, pulsando e se mexendo a cada respiração pesada que Jeon dava.

Segurei com minha mão e encostei a glande em meus lábios, o olhando.

— Você quer isso? — Perguntei, deixando um beijo na cabecinha rosinha e quente.

Ele choramingou.

— Por favor, Jimin, me chupa.

Conti um sorriso e lambi o topo vagarosamente, em seguida começando a masturbá-lo e a por metade em minha boca, sugando com força. Jungkook gemeu rouco e agarrou meu cabelo.

Levei meu olhar ao dele, enquanto fazia todo o serviço, ele olhava fixamente para mim, cheio de tesão e desejo.

Soltei seu membro rígido e beijei sua coxa, chupando e deixando uma marca ali, o que o fez estremecer.

Subi sobre seu corpo novamente e Jungkook me puxou para si, me fazendo deitar sobre seu peito. Ele segurou meu rosto e atacou meus lábios, enquanto sua outra mão deslizava por minhas costas até a única peça que me restava, abaixando-a por minhas coxas e apalpando minha bunda com força, me fazendo arfar em sua boca.

— O que eu deveria fazer? — Disse quando nosso beijo se partiu, ofegante.

— Apenas foda como sempre fodeu alguém.

— Você quis dizer... te fazer gritar a noite inteira? — Arqueou uma das sobrancelhas, com um sorriso sujo.

— É — sorri de volta.

Jeon agarrou meu quadril e num movimento ágil me jogou na cama, trocando nossas posições. Levantou minhas pernas e as entrelaçou em seu quadril, começando a friccionar seu pênis em minha entrada, o que me fez gemer baixinho.

— Jeon... — suspirei.

— Hmm? — Murmurou, beijando meu queixo e lábios suavemente, continuando o movimento sem parar.

Aquilo estava me matando por dentro.

— Por favor, põe logo — sussurrei em sua orelha, entrelaçando seus cabelos entre meus dedos.

O ouvi rir baixinho.

— Como quiser — sussurrou de volta.

Sua glande subitamente entrou em mim, e um pequeno grito escapou de minha garganta, me fazendo tapar a boca.

— Não faça muito barulho, nós temos vizinhos ao lado, amor.

Disse aveludado, entrando lentamente em meu interior. E eu adorei a forma como a palavra "amor" soou.

— Mas J—Jung... Aah! — Gemi manhosamente, agarrando seu pescoço e arranhando seu couro cabeludo. — Você é grande, e—eu não consigo... me segurar...

— E você é tão apertado — respirou em minha orelha, me fazendo arrepiar por inteiro. — Você é virgem aqui, Hyung? — Perguntou, se referindo à minha bunda.

— Me respeita, i—idiota.

E eu era, mas ele não precisava saber.

Ele começou a se movimentar dentro de mim, aumentando a velocidade gradualmente, me fazendo gemer a cada vez que ele estocava.

Estava tudo muito lento e intenso, mais gostoso do que eu jamais imaginaria. Jungkook era grande, então ele não precisava se esforçar demais para me satisfazer. Eu o sentia pulsando dentro de mim.

— Jimin, me desculpe, mas eu não consigo mais segurar.

— Uh? — falei confuso.

Então Jeon seguro meu quadril com força e começou a me penetrar mais rapidamente, me fazendo fechar os olhos e gemer alto.

— Jeon! Porra... isso é... Mhmmm.

— Isso é bom? É gostoso assim? — Continuou seu ritmo, mas fodendo com força desta vez.

Eu gritei de prazer, concordando com a cabeça, arranhando seus ombros e costas com as unhas com força, tentando descontar meu prazer em algo.

— Jimin—ssi... não me machuque desta forma — ele pegou minhas mãos e as segurou em cima de minha cabeça, aproximando seu rosto do meu e beijando meus lábios — controle-se.

— Eu não consigo — sussurrei com sua boca ainda perto da minha.

O vi sorrir e se afastar novamente, voltando a me foder com toda a força que tinha. Me dei a chance de o olhar enquanto o fazia.

Seu rosto estava suado, o cabelo molhado e colado sobre a testa e laterais; ele arfava no ritmo que metia, às vezes fechando os olhos e soltando gemidos roucos que escapavam de seus lábios rosados. Seu corpo brilhava pelas gotas de suor que escorriam lentamente, era como se alguém tivesse passado óleo por toda sua extensão. Seus músculos se tencionavam, principalmente seu quadril, indo e vindo, sem descanso. Sua linha V line extremamente marcada era minha perdição, fazendo o perfeito caminho de seus pequenos pelos até seu pênis.

Jungkook era uma obra de arte naquele momento. Me fodendo e me dominando. Ele era literalmente bom em tudo que fazia.

Mordi meus lábios com força, tentando segurar meus gemidos estridentes.

Ele finalmente soltou minhas mãos e eu o empurrei, e ele me olhou confuso, eu ri baixinho.

— Agora eu quero cavalgar um pouco, Kookie. — Ele me ouviu dizer aquilo e no mesmo instante sorriu. — Senta.

Ele sentou e puxou meu corpo junto, fiquei de joelhos em sua frente e agarrei seu cabelo. Jeon sorriu antes de beijar meu abdômen e passar sua língua quente por ali, deixando um rastro de sua saliva, em seguida pondo meu membro em sua boca, o sugando. Aquilo me surpreendeu em níveis altos. Jungkook fazendo boquete em um homem? Era ao mesmo tempo sexy e gostoso. Ele era bom para um iniciante.

— Jeon... — gemi, mordendo meus lábios com força. — Eu vou acabar gozando na sua boca.

— Vem, senta em mim.

Largou meu pênis e separando minha bunda, para que seu pênis se encaixasse em minha entrada:

— Empina — estalou um tapa forte em minha bunda, sentindo minha bunda arder no mesmo instante. Mas era uma ardência boa, que me fazia querer mais.

— Aah — gemi manhoso, empinando minha bunda e sentindo seu pênis entrar sem dificuldade em mim enquanto eu sentava sobre o mesmo.

Comecei a subir e descer sobre seu quadril, fechando os olhos ao sentir ele encostar em meu máximo. O mais novo agarrou minhas coxas e guiou meus movimentos, para que ficassem mais intensos e profundos, o que me fez começar a gemer auto como antes, sentindo meu corpo inteiro esquentar e correntes elétricas percorrem por minha virilha e abdômen. Eu estava quase lá.

— J-jungkook... — agarrei seu pescoço, gemendo sem parar — e-eu...

— Jimin—ssi... — ele começou, enquanto mexia nossos quadris juntos, arfando da maneira mais sensual do mundo — eu não sei o que você fez comigo, eu não sei como nunca percebi, mas acho que realmente gosto disso. Me perdoe por antes ter relutado quanto a admitir que te queria por perto...

Eu estava chocado com suas palavras, ainda quicando sobre seu pênis, o olhando. Pus as mãos sobre seu rosto e o puxei para um beijo intenso e desesperado.

— Cala a boca e me fode, Jungkook.

— Eu gosto de você, Jimin — sussurrou, me fodendo forte e rápido — não se esqueça disso.

— Eu não vou — falei com um sorriso.

Senti meu pênis se contorcer e uma onda quente tomar conta de mim. Cravei minhas unhas nos ombros de Jeon.

— Eu vou gozar, Jeon, eu... — choraminguei, fechando os olhos e respirando rapidamente — Aah! Mhmm — joguei a cabeça para trás mordendo minha boca com força, sentindo o leve gosto de sangue.

Senti a mão do outro em meu pênis me masturbando e gozei em seus dedos, sentindo meu corpo amolecer no mesmo instante.

Mas Jeon não parou e intensificou estocadas, gemendo rouco e me fazendo gemer cada vez mais fino quando ele acertava minha próstata. Eu sentia que poderia gozar mais uma vez.

— J-jimin, porra, ah...

Ele soltava vários "aah"s prolongados e excitantes. Ele estava quase lá.

— Goza dentro de mim, Jungkook — falei entre gemidos, sentindo meu membro ficar ereto mais uma vez. — P—por favor, goza, mhmmm...

Jeon agarrou minha cintura com força e me estocou fundo, me fazendo gritar e tapar minha boca, sentindo seu líquido quente jorrando dentro de mim em jatos fortes, em seguida sentido escorrer por minha entrada e coxas. Ele me penetrou mais três vezes até que parasse completamente.

Ele estava ofegante e acabado, como um bom coelho no cio, ele não havia parado nem por um segundo.

Nos encaramos por alguns segundos. Como num ato espelhado, nos aproximamos para nos beijar. Minhas mãos em seu rosto e seus braços ao meu redor, me abraçando. O beijo estava lento — por conta do cansaço —embora gostoso, quente e satisfatório. Ele mordeu meu lábio inferior suavemente e o sugou. Eu sorri.

Ele deitou devagar na cama comigo em cima de si e fechou os olhos. O admirei daquela maneira, sereno, vulnerável e exausto. Ele era lindo.

Passei meus dedos pelo seu rosto e segurei o mesmo. Ele virou para mim, abrindo os olhos novamente. Me inclinei e selei nossos lábios em um selinho demorado, em seguida deitando em seu peito forte.

— Jimin? — Me chamou, enquanto acariciava meu cabelo.

— Hmm? — Murmurei sonolento.

— O que acabou de acontecer?

— Nós transamos.

— Sim, mas...

— Amigos podem foder, Jeon.

— Podem?

— Podem.

— Então como nunca fizemos isso antes?

Ri baixinho e o olhei.

— Porque você era novinho demais para entender isso.

Ele ficou calado por alguns segundos.

— Você tem razão.

— Mas agora... — sorri e beijei seu queixo — nós podemos foder quando nós quisermos — sussurrei.

Ele sorriu malicioso, me encarando por vários segundos. O que esse garoto tem de errado.

— O que foi? — Arqueei uma sobrancelha.

— Eu ainda estou dentro de você.

Arregalei os olhos e tirei seu pênis de dentro de mim, sentindo um certo vazio em meu interior.

Ele fez um bico e eu saí de cima do mesmo e de sua cama.

— Onde vai?

— Tomar banho — falei, tirando minhas roupas do chão. — Sabe, o seu leite está derramando entre as minhas coxas e é desconfortável.

Ele se levantou da cama rapidamente.

— Segunda rodada no chuveiro então?

— Nem pensar — joguei minha blusa em sua cara

× × ×

De manhã.

Estávamos no restaurante do hotel comendo nosso café da manhã tranquilamente. Eu estava quebrado, não conseguia andar nem sentar corretamente, mas tentei disfarçar o máximo para que os outros não percebessem.

Coloquei um ovo frito, bacon e pão em meu prato. Para beber, peguei um café, porém ele estava totalmente sem açúcar, e o açúcar estava em uma mesa afastada de nós e eu não podia me levantar.

Droga.

— Kookie, pega o açúcar para mim? — Apontei para o açúcar.

Ele sorriu. Ele sabia que eu estava dolorido.

— Claro.

Jungkook se retirou da mesa e foi até lá.

— Por que você não levanta e vai pegar, Jimin? — Tae perguntou enquanto mordia uma maçã, confuso. — Você não costuma ser preguiçoso.

— Bem, eu.... — senti minha bochecha esquentar, tentando pensar em uma desculpa viável.

— Porque Jimin é uma princesa indefesa e Jungkook é seu príncipe buscador de cubos de açúcar — Suga provocou, arqueando uma sobrancelha, comendo um pedaço de pudim.

Olhei reprovador para ele.

— Aqui, amor.

Ele voltou e me entregou o pote com cubos de açúcar, o silêncio automaticamente tomou conta do lugar. Todos olhavam para Jungkook, que não parecia ter entendido muito bem.

— O que foi? — Ele perguntou, confuso.

Ele me olhou e viu o desespero em meu olhar. Então ele arregalou os olhos, se dando conta do que havia falado. Kook nunca era carinhoso, até eu me surpreendi.

— O que você acabou de di... — J-hope começou, mas eu imediatamente o interrompi.

— CALOR, ele disse calor. Que calor... — fingi me abanar, sorrindo sem jeito.

— Mas está fazendo 17 graus Jimin — Jin falou.

— Você sabe como ele é, calorento e tal — Jungkook resolveu me ajudar.

— Principalmente no rabo — J-hope riu.

— Falando nisso, ontem a noite vocês estavam fazendo muito barulho — V disse, pegando algo com seu chokara e pondo em sua boca — eu não consegui dormir por um tempo.

— O que exatamente você ouviu? — Perguntei, com medo.

— Uma música, murmúrios e barulho de coisas movendo e depois alguns gritos...

— Agora estou curioso — Suga se pronunciou — O que vocês estavam fazendo ontem à noite?

Eu te odeio Yoongi.

Jungkook imediatamente me olhou, procurando ajuda.

— Ontem, nós estávamos...

— Dançando — falei Jeon arqueou uma sobrancelha para mim, tipo "sério mesmo?" — É. Estávamos dançando.

— Passos novos então? — Namjoon perguntou — Mostrem pra gente depois.

Eu ri, quase me engasgando. JK ao meu lado fazia o mesmo.

— Eu acho melhor não — Respondemos em uníssono.


× | × | ×


Gostaram? Espero que sim

Pretendo fazer uma parte dois mas em um livro diferente, o que acham?

Até a próxima e fiquem com esse GIF do Jimin pedindo beijo pro Jungkook

📷


4 Août 2022 23:46:53 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~