josueluiz Josué Luiz

Alex, um garoto que está para se mudar para sua nova casa, em uma nova cidade, em um novo estado. Nessa cidade, Alex imagina ter novos amigos, mas o que acaba acontecendo é que ali, há uma pessoa que busca fazer da vida de Alex, a pior que exista.


Fiction adolescente Déconseillé aux moins de 13 ans. © Josué Luiz

#adolescentes #aventuras #escola #alex #segredos #mistérios #desafios #acampamentos #rivalidade #dualidade #alice #origem #millennium #arlyok #rocketstudios #josué
1
3.8mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les samedis
temps de lecture
AA Partager

Piloto

Em algum lugar do Universo:

Numa sala escura e desordenada, um ser enigmático trajando um manto encapuzado desloca-se com uma aura sombria. No epicentro do aposento repousa um imponente relógio antigo, e o ser dirige-se solenemente em sua direção. Os ponteiros do relógio movem-se com extrema lentidão, quase imperceptíveis. O ser percebe que o momento em que ambos se alinharão, apontando para o topo, está prestes a acontecer.

O ser se vira, e fecha seus olhos, e em um pedido ansioso, ele diz:

— Nas vastidões cósmicas, entre os eventos possíveis da existência, aguardamos a aparição do herdeiro do poder, aquele cujo advento foi profetizado, para que ele se revele como Zharasda, o pacificador. Antes que o tempo acabe.



Ano de 2042, Oakville, Halley:

Numa pacata tarde em Oakville, no Canadá, reside Alex, um jovem de dezessete anos, cuja vida é permeada por uma tranquilidade aparente. Contudo, um manto sombrio paira sobre sua morada quando, repentinamente, a família é atingida por uma avassaladora notícia: o avô materno de Alex, Benjamin Bradbury, de oitenta e seis anos, exala seu último suspiro em seu lar. O peso da idade já o havia confinado em um repouso expectante, e, como uma previsão sombria, o dia fatídico de sua partida finalmente chegou.

Curiosamente, apenas um dia antes, Emily Bradbury, mãe de Alex e filha do idoso Benjamin, visitara o pai, sem imaginar que o destino lhes reservava uma despedida inevitável em breve. Nesse encontro, nada parecia prenunciar o desenlace que se abateria sobre eles tão implacavelmente.

Após receber a dolorosa notícia, Emily mergulhou em profundo sofrimento. Miguel, pai de Alex, e o próprio Alex, dedicaram-se a consolá-la incansavelmente ao longo de vários dias, aguardando pacientemente até que ela pudesse encontrar algum conforto na aceitação do ocorrido.

No dia seguinte, realizou-se o enterro de Benjamin, e nele, compareceram famílias e amigos que não eram vistos há anos. Emily teve a oportunidade de conversar com eles sobre o ocorrido, e muitos revelaram sentir-se aliviados com a partida do falecido. Embora espantada com tais expressões, ela optou por não dar importância a esse aspecto, concentrando-se em dedicar algumas horas para se despedir do seu pai.

Nessa ocasião de despedida, o misto de emoções e perspectivas dos presentes constituía um retrato intrigante da complexidade humana. Enquanto alguns manifestavam alívio por razões próprias, Emily enfrentava uma tempestade interna de sentimentos, assimilando a perda de seu querido pai.

Após alguns dias, um advogado chega à residência de Alex, representando os interesses de Benjamin Bradbury. Sua incumbência é clara: fazer a distribuição dos bens de acordo com as disposições deixadas no testamento, contemplando cada um dos beneficiários ali mencionados.

Com serenidade, o advogado informa que todos os bens destinados às outras famílias já foram entregues conforme estabelecido no testamento. E agora, chegou o momento de contemplar a família de Emily, pois foi a última a ser mencionada nos arranjos deixados por Benjamin.

— Senhora Emily, seu pai foi extremamente determinado ao expressar o desejo de entregar diretamente à sua família, que inclui seu marido e seu filho, os bens que ele destinou. O testamento informa claramente que ele deixou para você a casa localizada em Grayville, no estado de Sunnydale. Além disso, algumas mobílias foram especificamente designadas para serem entregues especialmente a você. É importante que sejam realizados os procedimentos legais para efetivar a transferência desses bens, de acordo com a vontade expressa por seu pai. Estou aqui para lhe auxiliar em todo o processo e responder a quaisquer dúvidas que possam surgir.

Emily, surpresa com a generosidade de seu pai, volta o olhar em direção a Miguel para ver sua reação. Ao encontrar um sorriso reconfortante no rosto de seu marido, ela corresponde com um sorriso de gratidão e alegria. Sentindo-se emocionada e tocada pelo gesto do pai, ela então decide formalizar sua aceitação dos bens deixados em herança.

Com uma assinatura firme e decidida, Emily conclui o ato de aceitação do testamento. Ao assinar o documento, Emily sente a presença e a memória de seu pai permeando cada traço, reafirmando o vínculo indelével que os une mesmo na ausência física. Com o apoio de Miguel ao seu lado, ela sabe que a jornada que se inicia será guiada pelas lembranças afetuosas e pelo legado de Benjamin.

Miguel sente a necessidade de buscar um novo começo para sua família, agora que se tornaram os legatários da casa em Grayville. Com esse propósito, ele toma uma decisão importante: enviar uma mensagem para seu chefe solicitando uma transferência para a filial da empresa localizada na cidade de Grayville.

Em seu pedido, Miguel explica a situação e a relevância dessa mudança para sua família, e seu chefe compreende plenamente a gravidade do ocorrido. Embora triste por perder um excelente colega de trabalho e amigo, ele reconhece que a prioridade de Miguel é estar próximo da nova herança deixada por seu sogro.

A empresa acata a solicitação de transferência, mostrando empatia diante da situação delicada vivenciada por Miguel e sua família. Dessa forma, a mudança se revela não apenas como uma transição profissional, mas também como um capítulo significativo na vida de Miguel, abrindo as portas para uma nova jornada em Grayville.

Alex, não estava presente no momento, pois havia saído para se encontrar com seus amigo, e quando ele chega em casa, Miguel e Emily chamam ele para contar a notícia. Reunidos na sala de estar, eles falam sobre a casa que seu avô havvia deixado de herança para a família, e que Miguel e Emily decidiram se mudar para essa casa em Grayville. Alex, fica pensando sobre essa decisão, porém não era algo que ele pudesse mudar, então ele aceita ter que se mudar para a casa antiga de seu avô.

À medida que os dias avançam, a família de Alex está cada vez mais próxima de realizar a mudança. A casa está sendo cuidadosamente empacotada e os pertences estão sendo colocados no caminhão, preparando-se para a jornada rumo à nova morada em Grayville. Com tudo pronto, o caminhão parte, iniciando o trajeto em direção ao novo lar.

No entanto, Alex faz um pedido aos seus pais antes de partirem de carro. Ele pede para esperarem um pouco, pois deseja se despedir de seus amigos antes de deixarem a cidade. Seus pais concordam em esperar.

Ao chegar no local onde seus amigos estavam reunidos, ele compartilha a notícia de que terá que se mudar para Grayville. Sendo o líder do grupo, ele entende que é necessário passar a liderança para outro garoto, considerando que ele não estará mais presente para guiar o grupo.

Após uma breve reflexão, Alex toma a decisão de escolher Seyk, o mais velho dos garotos, para assumir a liderança. Ele confia plenamente na capacidade de Seyk e sabe que seus amigos estarão em boas mãos. Com respeito e apoio mútuo, o grupo aceita a decisão de Alex, reconhecendo a importância da nova etapa que cada um deles enfrentará.

Com um misto de nostalgia e esperança, eles se despedem, prometendo manter o contato e preservar os laços que construíram ao longo do tempo. Alex retorna ao encontro de seus pais, que o esperam pacientemente. Juntos, eles iniciam a viagem rumo à nova casa em Grayville.

Com uma hora e meia de viagem, Alex e sua família finalmente chegam ao distrito de Sunnydale. Enquanto o carro percorre as ruas, Alex observa pela janela o centro da cidade, que recebe o nome de Bornonville. Em seguida, seus olhos se fixam em uma majestosa floresta que se estende à distância. A estrada corta essa densa vegetação de pinheiros, proporcionando uma visão verdejante e serena.

Enquanto a paisagem desfila diante dele, Alex é atraído pelo cenário encantador da floresta. Seus olhos capturam um lago de águas cristalinas que reluz sob a luz do sol. A pouca distância, uma graciosa corça se sacia com a água fresca. A cena evoca lembranças do passado em Alex, momentos vividos em meio à natureza e talvez até aventuras com seus amigos de Oakville.

À medida que seguem por mais alguns quilômetros na estrada sinuosa entre a floresta, finalmente alcançam a cidade de Grayville. Com o coração acelerado pela expectativa, eles estacionam em frente a uma majestosa casa, a qual pertence ao pai de Emily. Essa residência, agora destinada a ser o novo lar da família, representa um marco significativo nessa nova fase de suas vidas.

Ao chegarem, deparam-se com o caminhão já estacionado, repleto de pertences cuidadosamente empacotados. A equipe que ajudará no transporte já aguarda, pronta para auxiliar na tarefa de descarregar o caminhão e colocar as mudanças na casa.

Enquanto a mudança na casa de Benjamin Johnson está em pleno andamento, um garoto curioso da casa em frente percebe a agitação e os movimentos na propriedade vizinha. Intrigado com o que está acontecendo, ele chama sua mãe.

— Mãe, está tendo uma mudança na casa do Sr. Benjamim.

— Como? — Pergunta a sua mãe que vem olhar pela janela o que estava acontecendo.

Enquanto observa pela janela, a mulher da casa em frente nota Emily entre as pessoas que estão se mudando para a antiga casa de Benjamin Johnson. Ela sente uma conexão com o rosto familiar e rapidamente reconhece Emily, uma amiga de longa data que não via há muitos anos. Com um sorriso afetuoso, ela decide ir até a família de Alex.

Ao se aproximar, a mulher chama o nome de Emily, e os olhos de ambas se encontram. Em um momento emocionante, elas se reconhecem e seus rostos se iluminam com a alegria do reencontro. Os abraços se seguem, envolvendo-as em uma cálida sensação de carinho e saudade.

— Emily, querida, quanto tempo não nos vemos! Como você está? — pergunta a mulher com ternura.

Emily, tocada pela recepção calorosa, responde com entusiasmo:

— Estamos todos bem, e você? Parece que foi ontem que brincávamos juntas aqui no bairro.

As memórias compartilhadas preenchem o ar, reavivando os laços que foram tecidos no passado. Ambas recordam as aventuras e risadas que compartilharam durante a infância, criando uma amizade verdadeira que o tempo não apagou.

Com as coisas mais importantes organizadas em seus devidos lugares, Alex decide ir até o seu novo quarto. Ao entrar, ele nota a estante instalada na parede, repleta de livros trazidos de sua antiga casa. Seus olhos se fixam em um livro especial: “Kray-Plus”. Esse é o mesmo livro que ele estava lendo durante a viagem e que compartilhou com seus amigos em Oakville. Em meio às mudanças e novidades, o livro é um elo entre o passado e o presente, trazendo um sentimento de continuidade em sua vida.

Alex abre o livro em uma página marcada e encontra um trecho intrigante: "Uma bruxa chega até Dayrin, trazendo-lhe palavras sábias para sua jornada pelas terras de Fargan:

— Inimigos se aproximarão e você terá que enfrentá-los. Cuidado é a palavra-chave agora. Use sua sabedoria para discernir entre o bem e o mal daqueles que o cercam.

Dayrin recebe as palavras e segue em direção às terras de Fargan".

Intrigado com a mensagem, Alex reflete sobre o significado das palavras em sua própria vida. Ele percebe que a jornada à frente pode trazer desafios e testes de sua sabedoria. Ciente da importância do discernimento, ele se prepara para enfrentar as adversidades com cautela e prudência.

Com a história de Dayrin ecoando em sua mente, Alex sente-se inspirado a abraçar as lições do livro, sabendo que as palavras contidas nele podem guiar sua própria jornada em Grayville. O encontro com a bruxa em "Kray-Plus" assume um significado especial, pois compreende que a sabedoria e o cuidado serão valiosos aliados na sua nova jornada. Determinado, ele fecha o livro.

Sentado em sua cadeira, no novo quarto, Alex reflete olhando para o teto:

— Novidade, sempre tenho problemas aonde vou, por que aqui seria diferente? O importante é não voltar, de jeito nenhum, ao meu antigo eu. Eles não estariam preparados para este dia.

Apesar dos desafios que enfrentou em suas jornadas anteriores, Alex está determinado a seguir em frente, abraçando as mudanças e o crescimento pessoal que essa nova fase lhe proporcionará. Ele reconhece a importância de avançar e se tornar uma versão aprimorada de si mesmo, mesmo que isso signifique deixar para trás velhos padrões e hábitos.

Orgulhoso de suas conquistas, Alex já ganhou 5 medalhas em leituras, mostrando sua paixão e dedicação pelo mundo dos livros. Essa conquista é um reflexo de sua mente inquisitiva e sua busca constante por conhecimento e sabedoria.

Com a noite caindo, Alex retorna ao seu quarto e, movido pela curiosidade, dirige-se à varanda. Ao olhar para a cidade, iluminada pelas luzes noturnas, ele se sente imerso na nova atmosfera de Grayville. Enquanto seus olhos se voltam para o céu estrelado, algo acontece: uma estrela-cadente risca o firmamento.

Ao testemunhar esse breve espetáculo celestial, Alex é levado a refletir sobre o que deixou para trás em Oakville. Uma sensação de nostalgia e melancolia o envolve, mas ele também se lembra das palavras da bruxa em "Kray-Plus": a importância de não voltar ao seu antigo eu. Após um jantar acolhedor com sua família em sua nova casa, Alex compartilha momentos de alegria e cumplicidade. Após descansar, ele retorna ao seu quarto, e dorme.



Dia Seguinte:

Na manhã seguinte, Alex acorda revigorado após uma noite de descanso. ele se arruma e se prepara para conhecer os arredores de Grayville. Enquanto desce as escadas, algo chama sua atenção: Jéssica, a mulher que conheceu no dia anterior, está conversando com Emily.

Curioso sobre o encontro das duas, Alex se aproxima com um sorriso.

— Bom dia! Como estão? — saúda ele com entusiasmo.

Emily responde alegremente: — Bom dia, Alex! Estávamos apenas conversando sobre a mudança e as novidades da cidade. Jéssica é uma vizinha muito simpática e nos deu algumas dicas sobre Grayville.

Jéssica acena em cumprimento. — É verdade. Eu e minha família moramos aqui há algum tempo, e ficamos felizes em recebê-los em nossa comunidade. Se precisarem de qualquer coisa, é só chamar!. — diz ela com gentileza.

Com um sorriso amigável, Alex se aproxima de Jéssica e faz sua pergunta: — Na verdade, eu queria saber se o seu filho, aquele garoto que apareceu na janela de sua casa ontem, enquanto fazíamos a mudança, poderia me mostrar a cidade.

Jéssica parece alegre com o pedido e responde: — Claro, Alex! Meu filho é o David, e tenho certeza de que ele adoraria te mostrar os melhores lugares de Grayville. Pode chegar em casa que ele está por lá, ele não é de sair muito, mas com o tempo pode ser que você mude isso nele.

Alex fecha os olhos e sorri.

Alex chega à janela de Jéssica e chama por David. O garoto logo aparece e os dois se cumprimenta, apresentando-se mutualmente. Alex pergunta a David se ele poderia mostrar a cidade para ele, e David aceita.

Assim, os dois saem pelas ruas de Grayville. David compartilha histórias sobre os lugares que visitam, mostrando os pontos turísticos, as praças e os locais especiais da cidade. Alex escuta atentamente, maravilhado com as descobertas que faz a cada esquina.

Durante a caminhada, Alex pergunta para David sobre a floresta que ele viu durante o caminho para sua nova casa. David começa a falar um pouco recolhido, e explica que a floresta se chama Woodkall e é um local conhecido na região. Ele diz que muitos garotos costumam ir até lá ocasionalmente para explorar e se aventurar.

David diz sobre um relato de aparições de seres na floresta de Woodkall, o que deixa Alex um pouco desconfiado, mas, ao mesmo tempo, ele fica intrigado com a história. Ele questiona David sobre quem foram os garotos que contaram essa história e como eles souberam dos supostos seres.

David explica que alguns dos garotos que costumam ir à floresta foram os responsáveis por divulgar as histórias sobre as aparições. Segundo eles, um dos meninos saiu correndo da floresta após ter supostamente presenciado algo assustador e inexplicável.

Ao ouvir a história de David sobre os supostos seres na floresta, Alex se esforça para conter o riso, pois a narrativa lhe parece surpreendentemente familiar. Ele compartilha com David que já ouviu uma história muito parecida em sua cidade anterior e explica os detalhes dela.

Alex descreve como alguns garotos descobriram um local na floresta e o batizaram de "Deviant". No entanto, outros garotos, mais novos e curiosos, souberam sobre esse lugar secreto e resolveram investigar. Para pregar uma peça nos mais novos, os garotos criaram um monstro e se vestiram como tal.

Quando os garotos pequenos chegaram à floresta, viram o suposto monstro e, tomados pelo medo, correram de lá em pânico. Os mais velhos, então, disseram-lhes que iriam atrás do monstro, mas que não era para os garotos se aproximarem do local novamente. Com isso, os garotos mais novos ficaram assustados e mantiveram distância.

David ri ao ouvir a história de Alex e diz: — É incrível como histórias semelhantes podem surgir em lugares diferentes.

Alex revela que o garoto que teve a ideia do monstro, era o líder do grupo dos jovens, e que por sinal, era o próprio Alex. Surpreso com a revelação de Alex, David olha para Alex, e diz: — Então, você era o líder do grupo e também o responsável pela ideia do monstro? Isso é incrível! — Diz David, impressionado.

Alex ri levemente e confirma: — Eu tive a ideia de criar o monstro para assustar os garotos mais novos. Na época, parecia uma brincadeira inocente, mas agora vejo o quanto foi engraçado e também um pouco travesso.

Com a percepção aguçada de Alex, ele começa a conectar os pontos e a notar as semelhanças entre a história do monstro que aconteceu em sua cidade anterior e a história dos seres na floresta de Woodkall em Grayville. Ele compartilha suas suspeitas com David, expressando que acha muito curioso como as duas histórias são tão parecidas.

— É como se alguém na cidade de Grayville soubesse da história do monstro que aconteceu em minha antiga cidade e a recriasse aqui. — diz Alex, pensativo. — Parece que existe alguém aqui que me conhece ou, pelo menos, conhece essa parte de minha história.

Ao perceber que a história dos seres na floresta de Woodkall era falsa e que ele foi enganado pelos garotos, David se sente um pouco decepcionado e envergonhado por ter acreditado nela. Ele se indaga como pôde cair em algo tão fraco e ingênuo.

Alex diz que a história é velha demais, e que era para ser difícil alguém cair. Alex começa a refletir mais profundamente sobre a história do monstro e suas semelhanças com a história dos seres na floresta de Woodkall. Ele começa a suspeitar que essa história pode ter sido criada intencionalmente como uma espécie de resposta ou teste direcionado a ele.

Ele compartilha seus pensamentos com David, dizendo: — Estou começando a pensar que essa história do monstro pode ter sido criada de propósito, como uma forma de resposta a minha presença na cidade. Parece que alguém que me conhece aqui em Grayville quis testar minha reação ou me assustar de alguma forma.

Alex percebe que sua intuição pode estar certa. No entanto, Alex decide não deixar que isso o perturbe ou tire seu foco. Ele entende que, independentemente das intenções por trás da história do monstro, ele pode escolher como reagir e enfrentar qualquer desafio que surgir em seu caminho.

Curioso para saber mais sobre a escola em Grayville, Alex pergunta a David sobre sua localização e como é a vida escolar na cidade. David explica que a escola se chama ESG (Escola Secundária de Grayville) e está localizada no centro da cidade, não muito longe de onde eles estão.

Ao ouvir as palavras de David sobre a escola, Alex sente que há algo mais complexo acontecendo por trás das aparências acolhedoras. Ele nota a seriedade no tom de David e percebe que pode haver algo preocupante na dinâmica da Escola Secundária de Grayville.

— Entendo. — diz Alex, atento às informações, enquanto David diz o que realmente acontece na escola: — Na verdade, há uma pessoa influente na escola que exerce um poder sobre os outros alunos. Alguém que faz com que todos façam o que ela quer.

Alex tenta encaixar os pontos que David compartilhou com o que ele já sabia sobre a história do monstro e as semelhanças com a sua cidade anterior. Ele começa a suspeitar que essa pessoa influente pode estar relacionada com as histórias intrigantes e os testes aparentes que ele encontrou em Grayville.

Enquanto os dois continuam explorando a cidade, Alex mantém seus sentidos aguçados e sua mente aberta para descobrir mais sobre essa pessoa misteriosa e a dinâmica da escola.

28 Juin 2022 19:37 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Descobertas

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 6 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!