oi_k4w4 Nyco Oikawa

Ágape era a palavra que os gregos usavam para definir o que chamamos de amor incondicional. Para Sasuke, Madara e Itachi eram seu ágape e não importava o que a sociedade achava disso. ↬ Essa história segue o sistema de classificação indicativa do Governo Federal Brasileiro 🎨 editado de donaldakron.lofter.com Twoshot| Universo Alternativo| PWP| MadaItaSasu| +18


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 18 ans.

#bdsm #pwp #+18 #itasasu #madaitasasu #madasasu #madaita
0
187 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Σε αγαπώ

NOTAS INICIAS

Não será admitido comentários diminuindo ou ridicularizando qualquer situação aqui apresentada, passível de ser apagado e denunciado.

Para comentar e criar conteúdo sobre essa história em outras redes sociais usem #ÁgapeKawa pra ficar mais fácil de eu ver e interagir <3

Classificação indicativa: NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS.

PHILAUTIA

Sasuke encarava a porta fechada do quarto que dividia com o irmão mais velho e seu tio com uma raiva clara nos olhos escuros, os três tiveram uma discussão séria sobre o relacionamento que eles estavam tendo há seis meses. Sasuke era o mais novo dos três com quase vinte e um anos, mas aparentemente ele era o único que estava pensando decentemente já que os outros dois, que deveriam lhe escutar antes de sair tomando decisões no relacionamento deles, acharam uma ótima ideia o chutar para fora daquela relação tão gostosa que eles tinham.

O Uchiha sentia o corpo queimando de raiva, apesar dele entender de onde tinha surgido toda aquela preocupação e receio, ser tratado como uma criança que não sabia nada do mundo lhe irritava mais que qualquer outra coisa e, Madara e Itachi dizerem que ele não estava pronto para aquele relacionamento complexo e muito complicado era o cúmulo para si, ainda mais sendo uma semana e meia antes de seu aniversário.

Sasuke queria jogar o objeto de vidro mais próximo contra aquela maldita porta que ele mesmo tinha trancado, mas felizmente seu autocontrole ainda lhe barrava de quebrar as decorações que Madara tinha feito com tanto carinho.

O Uchiha foi distraído de sua raiva pelo som de seu telefone vibrando sobre a cama, ele deu uma longa respirada e andou até o aparelho o desbloqueando para ver a mensagem de Naruto pedindo para ele lhe ligar. Se sentando na cama completamente cansado, Sasuke ligou para o amigo e abaixou o rosto ao colocar o telefone no ouvido esperando o loiro atender.

- Oieeee! – A voz animada de Naruto soou do outro lado junto ao barulho de carros e pessoas falando levando o Uchiha a crer que o outro devia estar saindo da faculdade.

- Oi, tá na faculdade? – Sasuke respondeu com uma tristeza aparente em cada nota da voz e sendo o melhor amigo dele lógico que Naruto reparou.

- To sim... aconteceu alguma coisa? – O outro questionou franzindo o cenho do outro lado da ligação preocupado com o tom de Sasuke esquecendo totalmente o motivo inicial da ligação.

- Eu posso ficar na sua casa até a gente ir para Tóquio? – Sasuke perguntou num sussurro com receio de um dos outros dois Uchihas na casa estarem do lado de fora da porta escutando a conversa dele.

- Claro, está tudo bem Sasuke? – Naruto questionou confuso e agora bem preocupado enquanto pegava sua bicicleta e a guiava sem montá-la.

- Não, a gente brigou feio, te conto quando chegar – o Uchiha contou com os olhos enchendo de lágrimas de novo e com a voz embargada.

Se fez um silêncio na ligação enquanto Naruto processava a informação e Sasuke tentava se recompor da tristeza, o Uchiha respirou fundo e esfregou os olhos para afastar as lágrimas.

- Pode sim, você quer que eu pegue mochi de morango da loja que você gosta? – Naruto perguntou com a voz doce enquanto empurrava a bicicleta para fora da faculdade.

- Pode ser, eu vou... terminar de arrumar as malas e ir – Sasuke disse mais para si mesmo do que para o amigo que suspirou do outro lado da linha.

- Tudo bem, não brigue mais okay? Até mais, eu te espero em casa.

Sasuke apenas confirmou com um barulho da garganta e então a ligação foi encerrada, apesar de querer sair daquela casa logo, ele estava profundamente cansado e estressado por isso enrolou mais um pouco para finalmente se levantar e terminar de dobrar as roupas que ele estava planejando levar na viagem para Tóquio que faria na próxima semana com Naruto.

Aquela viagem já estava programada há muito tempo e mesmo que não estivesse o Uchiha não deixaria de ir, em grande parte porque aquele tinha sido um presente de Naruto e em outra porque o que eles fariam seria de muito útil para ele no futuro, mesmo que não seguisse o relacionamento com Itachi e Madara.

Pensar naquela possibilidade era assustador e por isso Sasuke logo afastou aquelas reflexões para terminar de guardar as roupas e objetos eletrônicos na mala pequena. O homem não demorou mais que vinte minutos para terminar sua mala e mochila, se arrumar tentando tirar as expressões de choro e mandar uma mensagem ao amigo avisando que estava saindo de casa ao mesmo tempo que passava pelos cômodos sem olhar pra nada que não fosse o chão de madeira.

O Uchiha até ouviu a voz dos dois lhe chamando em suas costas, mas Sasuke sequer se preocupou em se virar, apenas saiu batendo a porta em suas costas indo de forma apática até o elevador para que pudesse descer até o térreo do prédio que morava e pegar um táxi para o levar até a casa que Naruto dividia com o namorado Konohamaru que aquela altura já devia estar sabendo que ele estava indo.

O caminho até a casa de Naruto levava no máximo vinte minutos porque o loiro morava perto da faculdade e nesse tempo, Sasuke se contentou em bloquear os dois namorados ou ex-namorados, ele não sabia bem, de todas as redes sociais que tinha e não satisfeito bloqueou o acesso à essas redes no próprio celular, se impedindo de abrir e se torturar com qualquer coisa que fosse.

Apesar de Sasuke estar com muita raiva de toda aquela situação ele não conseguia odiar Itachi e Madara, ele acreditava que na verdade nada no mundo faria isso acontecer porque aqueles dois velhos idiotas eram tudo que ele tinha, toda a família que tinha lhe restado e as únicas pessoas no mundo que ele desejava romanticamente e sexualmente.

A maioria das pessoas veriam a relação daqueles três como um pecado horrível e que os levaria direto pro inferno, mas Sasuke não era do tipo que se importava com opinião de gente hipócrita, ainda mais quando estava ocupado sendo mimado por Itachi ou cozinhando com Madara e, no fim das contas quem tava sendo comido era ele mesmo.

Por mais que houvesse uma diferença gritante de idade entre eles, nem Sasuke nem Itachi eram crianças inocentes que precisavam ser defendidas como se Madara fosse um abusador, pelo contrário. Madara era quem mais tinha engolido todo o sentimento que começou a desenvolver primeiro por Itachi quando ele entrou na faculdade e depois por Sasuke, quando percebeu que a criança fofa que ele tinha criado não tinha praticamente nada a ver com o homem que o caçula estava se tornando. O mais velho dos três precisou de longos meses de muita auto-reflexão e pesquisa em fóruns na internet para aceitar grande parte do furacão de emoções que seus sobrinhos lhe causavam, nenhum dos dois sabia com certeza, mas Sasuke desconfiava que o tio tinha passado pelo inferno durante aquele período de pura confusão, culpa, raiva e nojo de si mesmo.

E Madara só começou a se envolver de fato com Itachi logo depois dele voltar de um estágio do doutorado em Biotecnologia que fez em outro país, ele estava com seus 26 anos e Sasuke ainda se lembrava perfeitamente do dia que ele estava chegando da faculdade e encontrou Madara chorando sozinho deitado no chão da sala, coisa que ele jamais viu acontecer antes.

Foi um parto fazer aquele teimoso conversar consigo sobre o motivo de todo o choro, mas para a sorte e azar daqueles dois, Sasuke era ainda pior no quesito insistência e teimosia - ossos do ofício de ser amigo de infância de Naruto - o caçula ainda estava no comecinho da faculdade naquela época com 19 anos, mas conseguiu ajudar o tio da melhor forma que podia tentando não ligar pro sentimento esquisito que começou a mexer consigo e só se intensificou quando os dois lhe contaram sobre o relacionamento amoroso quatro meses depois, em setembro.

Foi uma conversa muito estranha para os dois lados, mas Sasuke não ter condenado o tio pelos sentimentos que ele não tinha como controlar foi o que deu à ele a confiança necessária para tomar alguma atitude em relação aos desejos intensos que ele nutria por Itachi, que a cada dia parecia mais atraente.

Sasuke suspirou pesadamente olhando a confusão de carros na avenida naquela hora de pico, pensar naquelas coisas era ainda mais doloroso para si, mas ele não podia evitar, gostava da sensação de nostalgia que vinha sempre que pensava como tinha sido complicado lidar com a hesitação daqueles dois velhos que morriam de medo de como os sentimentos românticos e a atração física entre eles era forte.

Sozinho no banco do carro, o Uchiha sorriu tristemente ao perceber que novamente sua idade estava sendo um problema em sua vida. Em sua cabeça ele ter só quase 21 anos e quase não ter mudado muito o rosto era o motivo daqueles dois idiotas estarem dizendo que ele só estava curioso e confundindo o seu fetiche em gente velha com amar romanticamente eles.

Só de lembrar nos argumentos estúpidos e absurdos que ele tinha ouvido fez os olhos escuros de Sasuke queimarem com as lágrimas de raiva e tristeza, tudo bem que ele não era o maior entendedor de expressar os seus sentimentos sem ser do jeito que ele sempre fazia na infância, mas isso não queria dizer que ele só estava com aqueles dois só porque eles transavam bem, se fosse só isso o Uchiha mais novo poderia facilmente arrumar um outro velho pra comer ele.

Mas ele não poderia dizer que estava totalmente surpreso com aquela atitude, afinal ele e Naruto quase sempre eram os mais novos de qualquer ambiente que frequentavam então era algo constante dizerem que eles eram inocentes, inexperientes, incapazes de tomar decisões racionais ou serem super impulsivos, só por serem pessoas bem resolvidas consigo mesmas numa idade onde isso não era tão comum.

Era um verdadeiro saco e esse era o principal motivo pelo qual ele odiava estagiar com médicos muito mais velhos que ele, entretanto apesar de Madara e Itachi serem mente aberta para muita coisa, eles ainda eram velhos caquéticos para certas questões e definitivamente o Sasuke de quase 21 anos querendo casar com eles era uma questão bem forte.

O celular do garoto começou a tocar o retirando dos pensamentos reflexivos que estava tendo, seus olhos desceram até a tela vendo o apelido de Naruto, o Uchiha franziu o cenho e atendeu rapidamente.

- Que foi? - Perguntou enrolando uma parte de seu cabelo de tamanho médio em seu dedo.

- Onde você tá? - Naruto o questionou e ao fundo Sasuke identificou o som da chaleira apitando, provavelmente ele tinha acabado de chegar e já ia fazer aquele lámen horrível.

- Acho que deve faltar uns cinco minutos pra eu chegar. Por quê?

- Konohamaru saiu pra ir no mercado e eu queria aproveitar pra te contar uma coisa sem ter ele por perto.

A curiosidade de Sasuke o fez erguer as sobrancelhas e morder o lábio inferior, sempre que Naruto vinha com esses papos era porque era uma fofoca das boas e sendo o bom fofoqueiro que era ele adorava e, se o outro não tinha lhe contado por telefone tudo indicava que seria melhor ainda.

- Porra Naruto, eu já to chegando, pede pra ele fazer compra do mês lá pra demorar bastante - Sasuke sugeriu se sentando corretamente ao perceber que o motorista estava entrando na rua da casa do melhor amigo.

- Exatamente isso que eu fiz, ele ficou com cara de cu porque odeia ir no mercado e ainda mais sozinho, mas foi só oferecer meu corpinho que ele concordou.

Sasuke apesar de estar triste com toda a situação que estava vivendo foi incapaz de segurar uma risada gostosa que acalentou o coração de Naruto, o Uchiha ainda conseguia se surpreender com o quão maluco seu melhor amigo era.

- Já vi que vou ter que dormir bem longe de vocês, credo - Sasuke disse entre as risadas gostosas enquanto se preparava para pagar a conta da corrida.

- Se quiser sobreviver sem traumas, sim - o loiro o respondeu com diversão.

- Credo, eu já cheguei, vou desligar pra descer do carro, seu zé ruela - o garoto terminou a ligação assim que ouviu a despedida de Naruto do outro lado.

Agradecendo o motorista e carregando sua mala e mochila, Sasuke desceu do carro bem mais calmo que tinha entrado, mas pronto pra chorar suas pitangas para Naruto que o esperava na porta da enorme casa que tinha herdado de seus pais.

- Boa noite gatinho - o loiro o cumprimentou rindo da cara que o amigo fez antes de lhe entregar a mochila para que ele carregasse para dentro da casa.

- Boa noite, bonitão - Sasuke o respondeu entrando na casa surpreendentemente desarrumada com quadros brancos e latas de tintas espalhados pelo chão da sala. - Nossa, que furacão passou aqui? - Questionou aceitando o abraço apertado que Naruto lhe deu assim que fechou a porta.

- Konohamaru pegou uma encomenda de um quadro que é composto por mais cinco, ele está surtando tentando acertar o desenho pra se completar certinho - explicou deixando um beijo na bochecha de Sasuke antes de o puxar para a cozinha. - Ele está insuportável, você precisa ver.

- Eu consigo imaginar, ele nunca foi um dos maiores exemplos de paciência que a gente conhece - Sasuke respondeu o amigo enquanto puxava uma das cadeiras da mesa de jantar. - E boa sorte lidando com ele mais tarde.

- Nem me fale disso - o loiro resmungou pegando os copos de chá sobre a pia e estendendo um para Sasuke enquanto se sentava na cadeira ao seu lado. - Mas nada de falar sobre isso agora, vamos me conte o que diabos aconteceu pra você ter atendido daquele jeito?

Naruto ser direto quando queria conversar já tinha deixado de ser uma surpresa pro Uchiha há muitos anos e ele até preferia que fosse assim porque acabava com a ansiedade insuportável que ele sentia se não contasse logo, então o garoto deu uma respirada funda, deitou a testa na madeira da mesa e começou a contar os detalhes do que tinha acontecido naquele fatídico fim de tarde. Por mais que doesse repetir cada frase e narrar cada acontecimento, Sasuke o fez bravamente entre longas pausas para controlar o bolo em sua garganta e Naruto que estava sentado ao lado dele tinha uma expressão de pura indignação no rosto.

O loiro tinha acompanhado aqueles três desde que se lembrava como gente, seus pais eram melhores amigos dos pais dele então ele, Sasuke e Itachi estavam sempre juntos correndo pra cima e pra baixo sobre a supervisão de Madara enquanto seus pais conversavam, por isso Naruto sabia e entendia bem toda aquela confusão que os dois mais velhos tinham arrumado.

Não que ele concordasse com aqueles absurdos, mas ao menos ele entendia. E era o suficiente para ele conseguir consolar Sasuke que parecia estar completamente sem rumo ao seu modo. Sem fazer muita cerimônia, o loiro abraçou o amigo pelos ombros deitando seu rosto nas costas dele.

- Isso é uma bosta Sasuke - Naruto sussurrou acariciando os cabelos lisos do outro. - E agora? O que você vai fazer?

- Eu não quero pensar muito nisso porque tá me doendo muito - respondeu limpando as lágrimas grossas com a palma da mão. - Eu bloqueei eles de tudo, acho que eu vou passar esses dias fingindo que não tenho eles.

- Sasuke... tem certeza? - O loiro questionou sabendo que aquilo seria praticamente impossível.

- Tenho... é só até eu me acalmar - se defendeu mordendo o lábio inferior enquanto fungava tentando afastar os sinais do seu choro.

Os dois sabiam que aquela era uma ideia idiota e que provavelmente não duraria uma hora, mas Sasuke queria ao menos fingir que ele conseguia sobreviver sem a presença de Madara e Itachi. Ainda bem que Naruto tinha comprado uma caixa grande de mochis.

- Sabe que se quiser conversar eu to aqui né? - Naruto disse se afastando de cima do outro para olhar em seus olhos. - Eu sempre vou estar aqui pra você, mas só porque eu sei que você sempre vai estar aqui pra mim também - completou em um tom carinhoso ainda acariciando os cabelos do amigo.

- Sim senhor - respondeu de maneira sarcástica, contudo, havia um sorriso mais aliviado em seus lábios.

Realmente falar com seu amigo sobre aquilo ajudou muito ele a colocar a cabeça no lugar pelo menos minimamente, afinal Sasuke nunca tinha sido bom em tomar decisões sozinho ele sempre precisava de uma segunda opinião e, sem nenhuma surpresa, quase sempre Naruto lhe ajudava nisso.

- Agora me diz qual a famosa fofoca que você não pode me contar por telefone? - Sasuke questionou arrumando sua postura na cadeira e olhando para os lindos olhos azuis de Naruto.

Foi inevitável sentir uma animação quando viu o outro arregalar os olhos e dar um sorriso malicioso antes de levantar e procurar seu celular pela cozinha, Sasuke apenas esperou e se preparou para o possível choque que viria daquela fofoca.

- Lembra que eu fiz uma conta anônima para financiar as artes +18 do Konohamaru? - Naruto o perguntou se sentando enquanto desbloqueava o celular e entrava no Twitter da tal conta.

- Lembro, o que você fez? - Questionou já segurando a risada animada ao ver o amigo morder a boca fazendo uma cara de quem tinha aprontado.

- Ontem ele postou um trabalho que ele pegou de outra pessoa né, olha isso aqui Sasuke - o loiro disse animado colocando o celular em sua mão.

O Uchiha arregalou os olhos e abriu a boca incrédulo ao ver que o personagem da ilustração era a cara do seu melhor amigo e ele estava retratado de uma forma tão impura e pervertida que Sasuke se arrepiou todo enquanto tampava a boca com a mão livre.

Caralho, Konohamaru desenhava demais.

- Naruto... ele é idêntico a você - disse incrédulo para o loiro que estava super animado, claro que não era totalmente igual ao seu amigo, mas não era nada que uma tinta de cabelo ruiva, uma maquiagem bem feita e umas lentes não resolvessem.

- Sim! Eu descobri de onde é esse personagem. É de um daqueles jogos online que ele curte e advinha onde tem uma loja que vende coisas desse jogo, inclusive roupas - explicou o Uzumaki com um sorriso travesso nos lábios e não foi difícil Sasuke juntar as peças e notar o que o loiro iria aprontar.

- Tóquio - respondeu já rindo todo animado com a possibilidade de matar Konohamaru do coração com aquela surpresa.


Era mais forte que ele, afinal o namorado de Naruto era do tipo que adorava surpreender o loiro com as coisas mais aleatórias e fofas que Sasuke conseguia pensar, mas ele era extremamente difícil de se surpreender, em grande parte porque Naruto era um livro aberto facílimo de ler que acabava contando as coisas antes do tempo certo.


- Exatamente, e por pura coincidência é perto do lugar que nós vamos ficar - Naruto disse animado enquanto Sasuke lhe devolvia o telefone com um sorriso tão parecido com o seu.


- Sabe que ele vai descobrir que você sabe da conta né? - O Uchiha o questionou antes de beber um gole do chá morno em sua frente procurando a sacola de mochis com os olhos.


- Vai nada, eu vou falar que vi ele jogando com esse personagem e vai ficar tudo bem - o loiro respondeu rindo enquanto olhava os comentários na fanart de seu namorado.


- Naruto, você não presta cara - o Uchiha disse antes de dar mais uma de suas risadas gostosas exclusivas à sua família.


- Presto sim, agora vamos lá pra cima ver alguma coisa pra você afogar as mágoas enquanto enche o bucho de mochi - o loiro disse se virando para abrir a geladeira e pegar a caixa cheia dos doces que comprou para Sasuke.


Como o Uchiha sabia que discutir não era uma nem uma opção, ele só aceitou seu destino e seguiu o loiro escada a cima levando suas malas junto e sabendo que os próximos dias seriam infernais.


LUDUS


Para a sorte do Uchiha, o final daquela semana e a outra, passaram mais rápido do que ele tinha esperado, tudo bem que ele fugiu de Itachi no campus da faculdade igual um louco, mas isso era só um detalhe. Inclusive o garoto estava muito agradecido ao Sasuke do passado por não ter pego a disciplina que seu irmão estava ministrando, ele não conseguiria imaginar o quanto doeria e seria irritante ter que aguentar as aula de Itachi do jeito que estava.


Mas finalmente era a sua última sexta-feira com vinte anos de idade, apesar de ter acordado triste naquele dia, a animação de Naruto pra eles viajarem logo estava lhe contaminando aos pouquinhos ao longo do dia e quando finalmente deu a hora deles embarcarem no trem para Tóquio, Sasuke já estava rindo das bobeiras de Naruto que corria na frente dele e de Konohamaru em direção à estação.


- Quem chegar por último me paga um lámen - o loiro gritou lá da frente rindo alto com a mochila preta batendo em suas costas.


- Céus, ele parece uma criança - Konohamaru murmurou antes de sair correndo atrás do namorado o xingando por ter gritado quando estava tão longe sabendo que seria difícil deles o alcançarem.


Sasuke apenas negou com a cabeça, arrumou a própria mochila e saiu correndo atrás dos dois sabendo que chegaria por último sem dúvida, em grande parte porque correr não era um dos seus maiores talentos, na verdade não estava nem entre os vinte primeiros.


Naquele momento, sua preocupação e receio sobre aproveitar aquele fim de semana sem as duas pessoas que, para si, valiam mais de 7 bilhões de vidas somadas foi esquecido conforme ele se aproximava da entrada da estação onde Naruto estava rindo alto da cara de Konohamaru que não poupava no sermão sobre ele ser escandaloso e acabar incomodando as pessoas que estavam voltando cansadas do trabalho.


- Vamos logo Sasuke, o trem já vai sair!!!! - o loiro berrou ao ver o amigo se aproximando.


O Uchiha nem respondeu, só voltou a andar apressado respirando fundo na tentativa de recuperar o ar que lhe fugiu devido ao exercício físico. Nesse meio tempo, Naruto se despediu do namorado da forma mais carinhosa que conseguia sem chamar muita atenção das pessoas na estação, para os dois, foi horrível se despedirem e nem sequer poderem trocar um beijo, mas infelizmente o mundo que viviam era assim, extremamente preconceituoso.


Naruto tinha pena de imaginar o quanto de pressão Sasuke sofria diariamente por ter os namorados que tinha.


- Tchau Konohamaru, boa sorte com seu quadro! - O Uchiha desejou educadamente ao outro quando ele soltou Naruto do abraço comedido que trocavam.


Sasuke estava tentando ao máximo não se perder na própria mente que insistia em imaginar o quanto ele queria que Madara e Itachi também estivessem ali se despedindo dele com abraços apertados e carinhos no seu cabelo enquanto mandavam ele ter cuidado e o lembrar de passar nos pontos turísticos que eles sempre visitavam quando iam passear juntos em Tóquio.


- Até mais! Cuide dele Sasuke! - A voz de Konohamaru o tirou de seus pensamentos e ele respondeu apenas com um menear de cabeça por estar mexido demais com os sentimentos conturbados dentro de si.


Por estar daquele jeito, ele apenas agradeceu que Naruto o guiou pela estação lotada sem comentar mais nada e o levou direto para as roletas de embarque já que quem estava com os bilhetes era ele.


O loiro não precisou de muito para perceber que todo o avanço que ele fez durante o dia para tirar pelo menos um sorriso do amigo foi por água abaixo, mas ele não se abalou por isso. Não mesmo.


Eles ficaram nesse silêncio mórbido até que o trem-bala chegasse na estação e eles entrassem num vagão praticamente vazio porque além deles só tinham mais duas moças no outro lado enorme vagão.


- Ei Sas - Naruto chamou ao se sentar do lado do outro. - O que foi?


- Saudade - o respondeu levianamente enquanto encarava a estação cada vez menos vazia pela janela de vidro.


O loiro não se surpreendeu com aquilo, não poderia de fato quando conhecia tão bem o Uchiha, mas ainda era extremamente frustrante o ver daquele jeito.


- Quer saber de uma coisa? Vem cá - o loiro o chamou agitadamente enquanto pegava o celular caro que tinha e abria o Instagram colocando nos stories.


Sasuke observou tudo ainda confuso com o que Naruto iria fazer, mas quando assistiu o outro começando a falar com a câmera do telefone percebeu que aquela viagem teria uma cobertura praticamente 24 horas no perfil dele.


- ... e olha quem tá aqui comigo!! - Então ele virou a câmera na direção de Sasuke que tinham uma expressão tímida no rosto. - Dá oi pra turma Sasuke! - Naruto disse bem humorado e rindo de assistir o outro cumprimentando o celular com muita vergonha e sorrindo timidamente.


Ao perceber que aquilo o acordou pra vida, Naruto voltou a câmera para si e começou a tagarelar sobre o quão animado ele estava para visitar Tóquio junto com Sasuke enquanto prometia muito conteúdo pros seus seguidores.


O Uchiha estava assistindo aquilo se sentindo orgulhoso do amigo, ele sabia o quanto o outro gostava de criar conteúdo para Internet e acompanhou desde o começo a carreira de Naruto que a cada dia crescia mais.


Sasuke achava divertido aquele hobbie do amigo, não era para si, mas ele gostava de assistir os vídeos bobos do amigo reagindo a coisas estúpidas que vagavam na Internet ou os vídeos mostrando a rotina deles. O Uchiha quase sempre aparecia de um jeito ou de outro nos vídeos de Naruto e por isso seu Instagram era tão grande quanto o do loiro que já tinha chegado na marca dos cem mil seguidores, por mais que ele só usasse a rede pra postar algumas fotos bonitas que ele mesmo editava.


E só isso já era extremamente bizarro para Sasuke, imaginar que cem mil pessoas gostavam de acompanhar o que ele e Naruto faziam da vida era de outro mundo.


- Olha Sasuke, tem um monte de gente perguntando se você está solteiro - o loiro comentou divertidamente gravando o momento que Sasuke deixou de olhar a paisagem na janela para virar o rosto para o loiro.


- Olha nem eu sei mais, mas minha DM tá sempre aberta - brincou achando que o loiro já tinha parado de gravar e então deu uma risadinha.


Naruto sendo a peste que era não só postou o vídeo como marcou o perfil de Sasuke nos stories, em menos de um minuto o som das notificações começaram a chegar no celular dos dois.


Só então Sasuke percebeu a merda que tinha se enfiado, pelo menos daria pra fazer muita fofoca com Naruto que ria abertamente da cara que ele fazia enquanto lia as obscenidades que lhe enviaram na DM do Instagram.


Em cinco estações depois, as duas mulheres que dividiam o vagão com eles finalmente desceram e deixaram o lugar só pra eles. O que foi perfeito já que Naruto estava se coçando para fazer uma sessão de fotos ali dentro, não demorou para que ele fizesse a proposta para o garoto ainda muito distraído com as coisas que estava lendo nas suas solicitações de mensagem.


Sasuke não precisou ouvir duas vezes a proposta e logo fechou o Instagram para abrir a câmera do celular todo animado para registrar o amigo que sempre era um ótimo modelo para ele treinar seus dons fotográficos.


Aquela ideia poderia ter dado muito errado, mas, para a felicidade de Naruto, o clima triste que pairava sobre o rosto de Sasuke sumiu completamente e ele já estava rindo de novo enquanto o trem ia velozmente em direção à capital japonesa.


E aproveitando o embalo animado de Sasuke, o loiro tomou o telefone das mãos dele e fez o garoto posar para as fotos com a desculpa de que ele também era famoso e devia postar mais fotos dele.


Foi um ótimo jeito de distrair Sasuke de suas inseguranças e da tristeza.


Quando o trem começou a se aproximar de Tóquio o vagão voltou a encher obrigando os dois se sentarem novamente e voltarem a ficar quietos pra não incomodar as outras pessoas. Sasuke usou aquele momento pra começar a editar as várias fotos novas em seu celular e por estar concentrado nisso perdeu o sorriso malicioso do loiro enquanto olhava para a tela do próprio telefone.


O motivo? Era Itachi mandando mensagem para ele perguntando como Sasuke estava. O loiro, que estava esperando esse momento desde o dia em que Sasuke apareceu em sua casa, começou a dar um sermão digno de dona Kushina Namikaze e ainda obrigou o irmão mais velho do amigo a mostrar tudo que ele estava dizendo para Madara porque aquele velho teimoso merecia aquele sermão também.


Naruto não quis nem saber se os dois iriam ficar chateados consigo, ele só falou toda a verdade que os dois idiotas queriam fingir que não estava ali e não se arrependeu nem um pouco, não quando ouviu o chamado animado de Sasuke ao mostrar o resultado da primeira foto completamente alheio aos planos de Naruto.


PRAGMA


Os dois chegaram em Tóquio às dez da noite de sexta-feira, assim que saíram da estação se maravilharam na cidade super iluminada com leds de todas as cores e aproveitaram para registrar algumas fotos e vídeos na saída da estação muito bem decorada.


A tristeza de Sasuke estava esquecida no apartamento no último andar de um prédio no centro de um dos bairros mais tranquilos de Osaka, por isso ele conseguiu conversar euforicamente com Naruto sobre o motivo deles estarem ali.


Sasuke e Naruto, há uns sete meses atrás descobriram que existia um clube de BSDM na cidade deles e que Itachi, Madara e Konohamaru iam frequentemente a ele. Quando eles questionaram aos três sobre o que se tratava o clube e todo aquele assunto receberam a mesma resposta: "Você não tá pronto ainda".


Óbvio que aquilo acendeu um fogo nos dois garotos que foram pesquisar na Internet do que se tratava e, infelizmente, a Internet não é o melhor lugar para se aprender sobre isso e os dois saíram extremamente traumatizados dos diversos sites e vídeos que acharam, Sasuke mal conseguia chegar perto de transar com os namorados de tanto medo, mas felizmente Konohamaru teve o mínimo de senso e, depois de um sermão, esclareceu aos dois que aquilo que eles viram era apenas a parte mais extrema e que as coisas não eram assim.


Naquele dia, Naruto e Sasuke praticamente imploraram para o mais velho levar eles ao clube, entretanto receberam a mesma resposta de sempre. Claro que não deu certo e no fim de semana seguinte lá estava os dois entrando no clube disfarçados, o acordo entre eles era Sasuke fingir ser o submisso de Naruto para eles não serem incomodados, eles usaram nomes falsos, perucas e roupas tão absurdamente diferentes das que eles usavam para que fosse difícil de os reconhecer.


Para a sorte deles, aquele plano cheio de furos acabou funcionando e eles entraram no clube sem muita dificuldade, os dois estavam mais que animados e saíram andando de um lado pro outro juntos, Sasuke estava fazendo o melhor que podia para se manter submisso de cabeça baixa enquanto ouvia Naruto conversando com os mestres e dominadores mais velhos naquele lugar usando e abusando de seu carisma natural.


Enquanto isso, Sasuke apenas olhava ao redor o mais discretamente que conseguia por trás dos fios longos da peruca ruiva que usava na tentativa de entender o que estava acontecendo, por isso, ele foi o primeiro a localizar Madara, Itachi e Konohamaru.


O Uchiha jamais esqueceria da visão espetacular que de seu irmão praticamente nu, amordaçado e ajoelhado no chão com uma coleira chamativa presa a uma guia enrolada na mão esquerda de Madara que tranquilamente conversava com Konohamaru sobre alguma coisa séria porque Sasuke conhecia bem aquelas expressões do tio.


Os dois estavam vestidos de uma forma normal até, com ternos pretos nada chamativos, mas a cada segundo parecia que Madara estava se irritando mais e mais enquanto, no chão, Itachi dava pequenos espasmos se esfregando nas pernas do dono para chamar sua atenção.


O garoto sentiu a alma saindo do corpo e voltando enquanto Naruto trocava o número de telefone com uma dominatrix cujo nome era Cherry. Com o máximo de descrição possível Sasuke chegou perto de Naruto e lhe sussurrou que tinha encontrado os três.


Assim que ele informou ao loiro, Naruto se despediu da dominatrix e se afastou para chegar mais perto de onde estava o trio, mas longe o suficiente para ele e Sasuke terem privacidade para conversar.


Naruto era o mais desconfiado dos dois porque ele queria saber se Konohamaru estava traindo ele ou não, ele necessitava dessa resposta e o tempo que eles ficaram naquele cantinho foi ótimo para sanar a dúvida do loiro. No intervalo de uma hora, eles contaram pelo menos seis submissas e dois submissos se aproximando do trio na tentativa de chamar a atenção de Konohamaru, mas o outro nem ao menos se dignou a parar a conversa que estava tendo com Madara.


E Sasuke não tirava os olhos de seu irmão, ele estava totalmente surpreso com as ações dele, nunca em sua vida Sasuke um dia imaginaria que Itachi poderia ser tão... Promíscuo, ele não reconhecia aquele Itachi praticamente de quatro no chão da casa noturna se tremendo inteiro para segurar um orgasmo. Seu Itachi não era assim, o Itachi que Sasuke conhecia era todo fofo e meio tímido, cheio de manias e completamente seguro do que ele iria fazer não importando o quanto Madara iria surtar com suas ações. Seu Itachi não se importava em tomar decisões para agradar ele ou Madara, era sempre do jeito dele, inclusive no sexo.


Sasuke era incapaz de se lembrar de qualquer vez em que eles transaram onde Itachi ou ele não mandavam em tudo ou tomavam a maior parte da iniciativa. Por isso aquela cena e toda a submissão de Itachi tinha dado um nó forte na mente de Sasuke, além de plantar diversos questionamentos e inseguranças que ele provavelmente guardaria só para si.


Por estarem completamente distraídos nos próprios pensamentos, Sasuke e Naruto não notaram a tal Cherry se aproximando do trio para se juntar a conversa, foi naquele momento que os três se viraram para eles curiosos com o novo casal do clube.


Nunca antes Sasuke desejou tanto ser invisível quanto no momento em que os olhos febris de Itachi brilharam em reconhecimento quando ele olhou no fundo de seus olhos. O rosto cheio de maquiagem ficou extremamente corado e Naruto não estava muito diferente, a sorte deles é que antes que um dos três viessem falar com eles os anfitriões da festa da noite anunciaram que iria começar a primeira sessão pública tomando toda a atenção do quarteto para o palco mais à frente.


Foi naquele momento que os dois fugiram do clube e esconderam todos os indícios do "crime" deles em um dos muitos quartos da casa do loiro.


Desde então, Naruto vinha trocando mensagens com a tal Cherry e pelo que ele disse, foi daquele jeito que conseguiu aquele curso intensivo em Tóquio com um dominador chamado Canino Branco, aquele era o verdadeiro presente de Naruto para Sasuke, não uma mera viagem a Tóquio como ele disse tantas vezes para Konohamaru.


Atualmente, os dois estavam muito animados de finalmente terem uma iniciação decente no mundo do BDSM e mal podiam esperar para completar logo aquele curso e voltar pra casa prontos para confrontarem seus namorados, pelo menos era esse o plano.


Após chegar no hotel, a dupla rapidamente ajeitou suas coisas e logo saiu para andar na cidade registrando cada coisa interessante em seus stories, Sasuke menos que Naruto, mas até ele se rendeu a postar um ou outro vídeo do loiro brincando nas muitas máquinas de vídeo games que aquela parte da cidade tinha.


PHILIA


As aulas que os dois tão esperavam começaram bem cedo no sábado e Naruto estava tão animado que acordou antes de Sasuke. Isso deveria ser impossível! Mas aparentemente não era e isso deixou Sasuke ainda mais apreensivo com seu futuro.


Ao chegar no lugar marcado, os dois já mal se aguentavam nas próprias calças de tanta ansiedade, eles não faziam ideia do que esperar porque as experiências que tiveram com o BDSM até então não tinham sido das melhores, mas ao mesmo tempo, eles queriam muito conhecer aquele mundo novo e tão atraente, entender o que aquilo tinha de tão interessante.


O curso durou dois longos dias, mas foi o suficiente para eles saberem um pouco além do básico e estarem seguros o suficiente para começar a praticar algumas coisas com seus próprios parceiros, conforme iam conversando e trocando conhecimento com o ótimo professor que tinham a sua disposição eles conseguiam dar um passo além no entendimento do papel que eles exerciam na comunidade.


Ao fim do curso, o Canino Branco presenteou Sasuke com a corda vermelha que ele tanto brigou para aprender o mínimo de shibari e para Naruto ele deu um de seus chicotes favoritos. Os dois agradeceram imensamente aos presentes e prometeram entrar mais vezes em contato com o homem de meia idade gentil que tinham conhecido.


Ao saírem do clube no fim da tarde de domingo, a dupla foi direto para um sex shop que lhes fora indicado para fazer compras, para a felicidade deles, a loja ficava no mesmo shopping que Naruto queria ir para comprar a tal fantasia do personagem que tinha visto Konohamaru desenhar.


Desde que saíram, Sasuke estava extremamente contemplativo e preso na própria mente enquanto Naruto seguia atento a cidade para evitar que eles se perdessem, entretanto ao entrar no shopping, o loiro não quis saber se iam olhar eles torto ou não, simplesmente entrelaçou sua mão na de Sasuke e saiu puxando o garoto para a loja de doces mais próxima.


Porque os doces sempre resolviam os problemas de Sasuke.


Pelo menos, naquele momento, funcionou para fazer o Uchiha acordar pra vida e voltar a interagir consigo, eles não conversaram sobre o que afligia a mente do aniversariante para evitar que outras pessoas acabassem prestando atenção em sua conversa, mas havia um acordo mútuo e silencioso de que em algum momento eles debateriam aquilo, de preferência quando estivessem sozinhos.


Depois de comer parte dos doces que compraram, os dois foram em direção ao sex shop que lhes foi indicado e Naruto achou extremamente engraçado como Sasuke ficou muito envergonhado ao ver a variedade de coisas expostas nas prateleiras.


- Sasuke, você precisa ver sua cara! Parece que vai sair correndo - o loiro disse logo antes de dar uma gargalhada não muito alta.


- Cala a boca, eu não sou um safado igual você. - Mentira, era muito pior, mas Naruto não precisava saber desse detalhe.


A conversa entre eles se cessou quando uma atendente gentil veio os atender, primeiro ela questionou se eles eram um casal e toda a timidez de Sasuke se amplificou de um jeito que ele deixou só Naruto responder às perguntas dela enquanto ele vagava em silêncio olhando a sessão das coleiras da loja. Ele tinha entendido que aquele adereço cheio de significados em breve estaria constantemente em seu pescoço e na curiosidade de saber se ele realmente gostaria de portar uma parecida, o Uchiha pegou a coleira que mais lhe chamou atenção e a vestiu levianamente.


Ela não pesava como ele achou que pesaria, era bem confortável e quando ele se olhou no espelho deu um sorriso tímido, mas satisfeito com a imagem delicada que viu. Ele não tinha ficado absurdamente sexy como se lembrava de Itachi ter ficado, Sasuke estava bem fofo na verdade, mas ele tinha gostado daquela sensação. O Uchiha, que estava com a cabeça cheia de pensamentos sobre o que fazer com Madara e Itachi, suspirou tristemente enquanto retirava a coleira e colocava no lugar andando devagar até onde Naruto estava com uma cesta cheia de coisas que ele não tinha nem ideia para o que servia.


- Cara, olha o nível que a gente chegou, comprando pau de borracha juntos - Naruto sussurrou para Sasuke quando a atendente se afastou para pegar um produto que ele tinha pedido.


Sasuke que ainda estava meio aéreo deu uma risada espontânea tão alta que até Naruto teve que mandar ele ficar quieto entre as próprias risadas.


- Nossa cara, você é ridículo, sério - disse ainda rindo gostosamente da cara de pau do amigo.


- Mas é verdade!


- Ai Naruto, cala a boca - mandou em tom de brincadeira ainda rindo baixinho.


- Cala você, agora você vai querer alguma coisa ou vai ficar com essa cara de pastel aí?


- Cara de pastel seu cu, mas eu não vou querer nada - murmurou a resposta ao ver que a atendente voltando com uma caixa roxa fechada.

- Tem certeza? Aproveita que é seu presente.


- Tenho, não vou querer nada não - Sasuke respondeu com as bochechas ainda vermelhas desviando o olhar para o chão.


Naruto apenas revirou os olhos reconhecendo muito bem o comportamento do melhor amigo, às vezes ele até pensava que Sasuke um dia deixaria de ser tímido consigo, mas era naqueles momentos que o loiro notava que seria praticamente impossível Sasuke viver sem a timidez dele.


- Eu vou te esperar lá fora tá bom? - O Uchiha declarou ao ver que Naruto já estava se encaminhando pro caixa para pagar as coisas e o loiro só riu e concordou sabendo que o outro deveria estar praticamente explodindo em vergonha por dentro.


Uma coisa era ele ser safado, outra completamente diferente era as outras pessoas saberem disso.


A timidez de Sasuke deixou de ser uma surpresa pro loiro há muito tempo, ela era bem mais branda nos dias atuais, mas quando eles eram mais novos chegava a um ponto que o outro não conseguia ficar sozinho consigo por ter medo de conversar e por isso Itachi estava sempre com eles, mesmo sendo oito anos mais velho. Com um sorriso nostálgico nos lábios e negando com a cabeça, Naruto andou até a estante com as coleiras e pegou a que viu Sasuke experimentando para colocar junto na sua cesta recheada de coisas para que ele usasse com o namorado.


Quando o loiro finalmente saiu da loja, pegou Sasuke olhando o perfil de Itachi que tinha acabado de postar uma foto antiga que tinha com Madara e Sasuke, Naruto quis xingar aqueles dois, mas se contentou em puxar o amigo para a próxima loja falando sem parar, sem deixar que ele tivesse tempo de pensar sobre o que viu. O mais engraçado daquela segunda loja é que enquanto Naruto via as opções de roupas eles tinham sido reconhecidos pela primeira vez por um grupo de fãs.


Foi um momento muito estranho e ao mesmo tempo muito legal ver que de fato haviam pessoas atrás daqueles números e pessoas gentis que foram super educadas ao pedir uma foto com eles, até mesmo com Sasuke.


Não é preciso dizer que Naruto saiu daquela loja parecendo um raio de Sol ambulante de tão leve e animado, os dois estavam na verdade, mas Sasuke era mais um sentimento de puro orgulho do melhor amigo que outra coisa, eles pouco se importava se as pessoas estavam admirando seu trabalho de edição tanto quanto admiravam e gostavam de Naruto por ser um ótimo em entreter.


Grande parte desse sentimento era porque ele não conseguia conceber uma realidade onde um mero hobbie seu poderia virar um trabalho de verdade e ele não mais precisaria ficar preso em um consultório de psicologia cuidando de caso por caso, por mais que houvessem muitos exemplos, ele só conseguia enxergar Naruto alcançando tal nível de conforto.


Sasuke sabia que a Fonoaudiologia era uma paixão do amigo, mas ele o conhecia bem demais e sabia que se em algum momento o loiro precisasse escolher entre a medicina e a vida como pessoa pública, ele com certeza escolheria a segunda opção.


Era nisso que Sasuke refletia enquanto assistia o loiro interagindo com o público pelo celular enquanto esperavam na fila para entrar na estação de trem. Após finalmente conseguirem entrar no vagão, a volta pra casa mal foi sentida porque eles conversavam sem parar sobre o quão incrível foi conhecer aquelas pessoas que acompanhavam de fato o trabalho de Naruto e sobre as coisas legais que eles fizeram em Tóquio durante o fim de semana.


- Ei, eu tava pensando numa coisa... - Sasuke começou quando Naruto parou de falar para responder Konohamaru. - Eu tava pensando em chegar com um contrato preenchido e assinado pra entregar pros dois assim que chegasse em casa, o que você acha?


Naruto franziu o cenho enquanto pensava numa resposta para dar à Sasuke ao mesmo tempo que terminava de digitar a despedida ao namorado. Entregar o contrato direto aos dois sem nenhuma conversa seria complicado demais e o loiro sabia que apesar deles estarem errados em como agiram, haviam sim pendências a serem conversadas entre eles porque Sasuke era sim o mais inexperiente e, inevitavelmente, o mais dependente emocional daquela relação.


- Hm... Sinceramente eu acho melhor você levar o contrato vazio e preencher com eles do seu lado, porque eles vão te explicar melhor como eles enxergam a prática e o que eles gostariam de fazer ou não - sugeriu em um tom sério, mas não o suficiente para ofender Sasuke. - Sem contar que nessa conversa você vai poder provocar eles dizendo como e o que gostaria que eles fizessem consigo - completou como uma tentativa de descontrair o clima estranho que tinha se estabelecido.


- É verdade... Mas eu ainda to com medo deles não quererem falar comigo por ter sumido esse tempo todo.


- Eles não vão brigar com você Sasuke - Naruto disse com uma confiança quase arrogante que fez o outro ficar alerta.


- O que você fez?


- Nada demais.


- Naruto… - O Uchiha chamou olhando para o outro que abriu um sorriso travesso.


- Talvez eu tenha dado um esporro neles, talvez...


- Naruto! - Sasuke exclamou incrédulo ao outro ganhando uma risada baixinha por conta do vagão lotado.


- Eu não resisti, eles foram muito abusados!


- Eu não sei o que eu faço contigo, abusado! - Sasuke respondeu se segurando pra não dar um tapa no braço do outro.


- Olha, se tudo der errado você sempre pode denunciar eles - Naruto brincou já rindo já cara indignada do amigo.


- Eu nunca denunciaria eles, nunca!


- Claro, onde já se viu, denunciar os próprios pais.


Dessa vez Sasuke não segurou o tapa.


STORGE


Os dois amigos se despediram na saída da estação de trem que eles tinham embarcado alguns dias atrás, infelizmente, não havia ninguém esperando a dupla que saía animada das portas de vidro.


Contudo, naquele momento, era melhor assim. Porque Naruto teve tempo de dar seus últimos e esperançosos conselhos ao amigo que ainda parecia meio confuso e amedrontado e Sasuke não precisou fingir que estava bem.


Apesar da enorme vontade de se despedir com um abraço, os dois amigos tiveram que se concentrar com acenos de longe devido à lotação do lugar. Naruto foi o primeiro a se encaminhar para casa porque precisava chegar mais cedo que o namorado que tinha ido ao estúdio de animação que trabalhava como animador para uma reunião sobre um novo projeto que o loiro provavelmente amaria só porque tinha um toque ou outro das mãos de Konohamaru.


Por isso, Sasuke assistiu o loiro se afastando e entrando no primeiro táxi vazio que viu. Perdido na própria angústia e receio, o garoto de cabelos escuros vagou algumas ruas até o shopping mais próximo com os pensamentos presos no apartamento que ele sabia que deveria ter duas pessoas lhe esperando preocupadas.


Será que dessa vez eles tinham pedido algum sabor diferente de bolo ou era aquele mesmo e delicioso morango com chocolate de sempre?


Só tinha um jeito de saber, mas o Uchiha mais novo não se sentia pronto para enfrentar mais uma rejeição. As pernas magras de Sasuke o guiaram até a praça de alimentação do estabelecimento onde ele pediu um milk-shake de blueberry para ter a desculpa de se sentar em um dos bancos altos e não ser incomodado enquanto mexia novamente nos seus papéis dentro da pasta bem cuidada.


O Uchiha, mais uma vez, examinou minuciosamente os dois contratos vazios com a voz de Naruto rodando em sua mente. Ele estava muito indeciso com qual ação deveria tomar e se deveria tomar alguma, então suspirou fundo em um claro desânimo e levantou seus olhos para a praça de alimentação para olhar a dinâmica das outras pessoas, sempre lhe acalmava e talvez lhe desse até uma resposta.


Os olhos escuros passaram de um lado ao outro enquanto ele tomava o líquido gelado com o sabor que ele jamais esqueceria de tão gostoso, alheio às outras pessoas ele observou o momento que uma criança derrubou a placa de um restaurante que exibia um personagem de anime em tamanho real. O Uchiha precisou segurar uma risada para não se engasgar com o milk-shake e desviou o olhar daquele local porque senão ele iria passar mal com a cara de susto da mãe que claramente iria dar um sermão no pirralho.


Sasuke se perguntou quantas vezes ele não tinha feito algo parecido à Madara e Itachi, mesmo ele sendo uma criança super tranquila, o Uchiha tinha noção de que ele era uma criança e uma hora iria aprontar uma coisa ou outra. Ele tirou bons minutos para relembrar algo que possa ter aprontado com os dois mais velhos enquanto encarava os dois contratos, mas tudo que ele conseguiu pensar foram nos momentos em que ele estava triste e os dois mais velhos estavam sempre lá.


Madara menos que Itachi porque ele estava trabalhando o dobro, quase o triplo para conseguir sustentar as duas crianças em seu apartamento, mas Sasuke ainda se lembrava perfeitamente das noites que ele acordava assustado e se agarrava ao tio com todas as forças chorando baixinho pra não acordar Itachi que estava completamente exausto de revezar entre estudar e tomar conta de si.


O caçula não conseguia se lembrar de um momento em que ele tenha quebrado alguma decoração da casa, mas ainda estava vívido em sua mente como tinha sido emocionante todas as formaturas de Itachi e a sua própria formatura do colegial. Eram nesses momentos que ele sempre via Madara ser extremamente emotivo, Sasuke sempre se perguntava o que o tio estava pensando enquanto assistia ele ou Itachi na cerimônia pra ficar tão emocionado como ficava, talvez tivesse a ver com os irmãos dele.


Com a coragem renovada e o coração quentinho com o amor que sentia pelos dois, Sasuke recolheu suas folhas e as enfiou na pasta novamente para então guardá-las em sua mochila lotada de coisas. Nem dez minutos depois ele já estava saindo do shopping às pressas para pegar a primeira condução que passasse para sua casa.

ÁGAPE


- Madara, ele não vem? - A voz de Itachi continha uma enorme carga de preocupação e uma leve nota de indignação, podia-se ouvir os passos pesados de um lado para o outro.


- Ele vem, se acalme - mandou o outro, mas era visível, mesmo pela voz, que ele também estava agitado com toda a situação.


- Madara, já são quase nove horas!


- Ele vai chegar Itachi, ele não passaria o aniversário longe da gente. - O "eu espero" estava implícito no final da frase e era isso que preocupava Itachi.


O professor não queria, não via possibilidade, não achava muito menos viável passar aquela data sem o seu Sasuke, o seu menino fofo que ele pegou no colo antes mesmo que seu pai, pelo menos era nisso que ele acreditava. Itachi tinha passado o dia inteiro transtornado com a ausência de Sasuke, Madara sabia que aquilo aconteceria no momento que ouviu a porta de madeira se fechando na semana passada, era quase instantâneo. Itachi sem ter contato algum com Sasuke até conseguia se manter por alguns dias, mas após o quarto dia sem dormir com o garoto entre eles, o outro começou a ficar cada vez mais arredio e irritado.


Na visão de Itachi, a culpa era toda de Madara, o seu garoto não estar mais ali com eles até agora era única e exclusivamente culpa do medroso do Madara que tinha começado com essa história do Sasuke ser muito novo e influenciável.


- Madara, se ele não chegar... Eu juro, eu juro que vou até Tóquio de carro procurar ele até embaixo da tampa de lixo.


- Itachi, se acalma, ele não faria isso com a gente.


Sasuke, que ouvia o diálogo do hall de entrada do apartamento, sabia que aquela não era uma ameaça vazia. Ele estava ali já tinha um tempo, depois de entrar sem fazer barulho, com as duas vias do contrato na mão pensando se deveria ou não se pronunciar.


O seu medo tinha voltado e fazia o coração esmurrar seu peito, a mão que segurava a coleira, dada de presente por Naruto, estava encharcada de suor frio, mas havia um sorriso fofo em seus lábios. Ouvir os dois tão preocupados e necessitados da sua presença era um ótimo alento depois de tantos dias de dor, silêncio e insegurança.


Tomando aquilo como a última coragem que ele precisava, Sasuke se encaminhou até o corredor que o levaria à sala de onde as vozes estavam vindo, ele foi fazendo exercícios de respiração e se segurando para não amassar o papel em suas mãos.


Mas quando ele apareceu no batente da porta e viu as duas pessoas que ele mais amava depois daquela semana infernal, teve vontade de jogar tudo no chão e se jogar em cima deles. Contudo, o Uchiha teve que se segurar, porque eles não namoravam mais e os dois disseram que tocar nele era perigoso para eles.


- Tadaima - murmurou baixando o olhar para o chão de madeira cara e muito bem encerada, sua coragem parecia ter sido evaporada ao cruzar os olhos com Madara e Itachi.


- SASUKE! - Itachi exclamou ao ver o garoto parado na porta da sala que dava para o corredor principal.


Itachi não quis nem saber se o irmão mais novo ainda estava com raiva deles ou não, ele só correu e abraçou o garoto pelos ombros o puxando contra seu corpo sem se importar com o som de folha amassando quando Sasuke devolveu o abraço de forma desajeitada. Um suspiro de alívio saiu dos lábios de Madara enquanto ele assistia a interação dos dois irmãos se segurando para não ir se juntar ao abraço, o mais velho estava realmente preocupado e considerando ligar para Naruto caso o garoto não tivesse chegado a tempo.


Enquanto Itachi recepcionava o irmão com todo o carinho que sua saudade exigia, Madara tomou tempo para analisar o comportamento de Sasuke, ele estava realmente curioso sobre o que o garoto tinha feito durante a última semana, principalmente em Tóquio. Os olhos atentos do Uchiha se demoraram nas folhas e na coleira nas mãos de Sasuke que estava cada vez mais envergonhado com o sermão que levava de Itachi por não ter avisado nem que estava voltando pra casa.


Madara estava com sentimentos mistos dentro de si, ele queria muito se deixar levar por todas as formas amor que tinha por Sasuke assim como tinha feito com Itachi, mas ele ainda julgava ser muito cedo, mesmo com aquela semana inteira de gelo e todos aqueles comentários que leu na internet sobre a beleza do sobrinho, ele não sentia que Sasuke teria a frieza ou os culhões necessários pra tratar de assuntos complicados dentro do relacionamento deles como por exemplo impor seus próprio limites.


Para Madara, estava claro que Sasuke simplesmente ignoraria o próprio desconforto se isso significasse que ele e Itachi estaria bem e a longo prazo o mais velho sabia que isso não daria certo, ele já tinha visto relacionamentos demais acabarem desse jeito e a última coisa que Madara queria era que eles terminassem de um jeito tão patético quanto aquele.


Infelizmente para Madara, Sasuke tinha chegado pronto - ou o quão pronto ele poderia ficar - para enfrentar a resistência dos dois namorados, ou ex-namorados ele ainda não sabia bem, pelo menos ele acreditava que a confiança que ele tinha cultivado todos aqueles dias funcionasse pra pelo menos fazer os dois velhos escutarem.


Por mais que fosse difícil, eles realmente precisavam conversar sem deixar que toda a visão paterna de Madara e Itachi interferissem no julgamento deles, os três precisavam de uma conversa entre namorados e não uma conversa familiar.


Seria doloroso dizer que ele não queria ouvir o irmão ou o tio, mas sim os seus namorados, Sasuke sabia que seria extremamente necessário para fazer eles entenderem que apesar de tudo, ele não era mais o bebê da casa.


Posteriormente, Sasuke nem se lembraria direito de como ele conseguiu afastar Itachi para começar a tão temida conversa, o que importava era que ele tinha conseguido, se tremendo inteiro, gaguejando um pouco e bastante envergonhado, mas ele tinha conseguido começar.


Não podemos dizer que foi fácil para Sasuke expor o turbilhão de coisas que se passava dentro de si durante todo o tempo que ele teve pra pensar sobre tudo ao redor daquele relacionamento, principalmente com Madara e Itachi em um silêncio mortal apenas escutando o que ele dizia.



O caçula não queria chorar, porque na cabeça dele daria uma impressão dele ser fraco, mas ele não conseguiu evitar. Não quando começou a relatar como tinha se sentido quando teve que ouvir os absurdos sobre a própria imaturidade, que no final não estavam totalmente incorretos.


Entretanto, também não foi fácil para os dois assistir de perto o quão machucado o menino deles tinha ficado pela falta de uma conversa clara entre os três. Naquele momento, Itachi e Madara perceberam que não adiantava muita coisa eles serem extremamente sinceros e abertos entre si, mas quando chegava na vez de conversar com Sasuke eles tiravam grande parte do que realmente sentiam na expectativa de fazer o mais novo sofrer menos.


No fim, havia erro dos dois lados e felizmente os três conseguiram entender isso. O que já era o suficiente para que as coisas começassem a mudar, obviamente não seria da noite pro dia, eles sabiam disso, contudo era o suficiente para um estopim.


Quando Sasuke finalmente terminou de falar, ainda houve um longo silêncio na casa antes que Madara finalmente se pronunciasse, o mais velho dos três - apesar de convencido pelo discurso do caçula - propôs um acordo aos outros dois homens na casa: nada de mentiras, nada de esconder sentimentos, nada de vergonha e se algo estiver incomodando ou deixando triste eles tratariam daquilo juntos, os três juntos.


Era uma proposta que, para os três, seria extremamente difícil porque parecia estar no sangue deles o hábito de guardar tudo para si e tentar resolver sozinho, mas não custava nada tentar, era pelo relacionamento deles afinal.


Depois dos três concordarem, finalmente Madara teve seus dois garotos em seus braços, Itachi teve seu coração em paz e Sasuke pode sorrir mais aliviado enquanto sentia o beijo de Madara em sua testa.


E o bolo era o bom e velho morango com chocolate de sempre.


NOTAS FINAIS


E é isso! Mentira, ainda temos mais um capítulo que vai ser exclusivo do último tipo de amor entre eles, o capítulo já está em produção e em breve ele virá.


Até lá, não se esqueçam de valorizar todos os tipos de amor porque todos eles são válidos.


- Kawa

14 Avril 2023 04:03 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Eros

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 1 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!