ladyhades Ione Hadys

Um amor eterno, histórico e imortal. um amor que ultrapassara milênios


Fanfiction Livres Interdit aux moins de 18 ans.

#mitologiagrega #casal #hadesfem #persefonemale #sexo #amor
0
1.8mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Toutes les semaines
temps de lecture
AA Partager

Dentes de leão

A rainha do submundo caminhava pelos campos de trigo de Deméter, a cabeça aeria, flutuando como nuven.


"Talvez seja a maneira como você diz meu nome. Talvez seja a maneira que você joga o seu jogo...Mas é tão bom, eu nunca conheci ninguém como você".

Fazia dois meses que Persephone avia partido e ela estava se sentindo perdida sem ele. Quando ela o viu pela primeira vez no Olimpo, seu coração falhou uma batida, então ela se aproximou do cativante deus da primavera, ficaram amigos e era tão mágico. Então Afrodite resolveu se intrometer e mandou Eros flecha-la, que enlouqueceu e raptou o deus de cabelos ruivos. Deméter surtou e devastou a terra, diversos mortais e animais morreram, lotando o submundo pelos meses que o filho sumiu. Zeus foi atrás dela para devolver o filho e acalmar a fúria de Deméter.

Ela não queria, mas aqueles olhos verdes olharam nos seus negros, prometendo que voltaria, mas que não queria ficar sem a mãe, que não podia deixar aquela situação continuar. Então ela sedeu, mas com a condição de ele comer a romã que não permitiria ninguém de impedi-lo de voltar para ela.

E assim foi feito, agora Persephone passaria seis meses com Deméter e quatro com ela, pelo resto de eternidade a felicidade de uma seria a tristeza da outra.


"Mas é tão bom, eu nunca sonhei com ninguém como você"


As ninfas olhavam de longe e cochichavam. O que a senhora dos mortos fazia ali ? Uma das ninfas correu para avisar ao deus da primavera que sua esposa estava por ali.


"E eu ouvi falar de um amor que vem uma vez na vida. E eu tenho certeza de que você é esse amor meu"


- Malditos deuses do amor intrometidos. Maldito Eros e suas flechas. - Sussura a deusa do mortos.


A deusa se afasta cada vez mais do campo e entra na floresta, e se joga no chão, entre um vasto campo de dentes-de-leão.


"Por que eu estou em um campo de dentes-de-leão ? Desejando em todos que você seja meu"?


- Meu...e eu vejo o para sempre em seus olhos.


Eu me sinto bem quando vejo você sorrir.E que sorriso bonito.


- Maldita Afrodite.


A mão pálida de dedos finos e delicados colhe um dente de leão e assopra.


- Por favor não me esqueça, por favor não me odeio até o outono. Ah que tolice a minha. Mas...sua maldita, isso é culpa sua. Então não o tire de mim.


" E aqui estou eu, a grande rainha dos mortos. Orando a deuses que um dia você seja meu. Fazendo desejos a dentes-de-leão".


- Será que um dia você será meu ?Verdadeiramente meu ?


A deusa pegou outro dente de leão e torna a soprar, uma risadinha escapa pelos lábios da deusa.


- Tinha me esquecido como isso é divertido.


"Eu acho que você é único para mim. Porque fica tão difícil respirar.Quando você está olhando para mim".


- Que beleza, quando que eu iria imaginar que um pirralho, iria causar em mim o que deuses ou mortais muito mais velhos e experientes não chegaram nem perto de conseguir.


Os olhos escuros olham para o céu entre os galhos das grandes árvores.


"Eu nunca me senti tão viva e livre. Quando você está olhando para mim...eu nunca me senti tão feliz".


- Será que você sente o mesmo ? Ou é tudo coisa da minha cabeça ? Eu sei que não é só a flecha...mas as vezes penso que ela nevoeia minha cabeça, me faz pensar que você está apaixonado por mim...quando não está.


Hades apanha outro dente de leão e olha para ele.


"Dente-de-leão, para dentro do vento você vai

Você não vai deixar meu querido saber ? Dente-de-leão, para dentro do vento você vai

Você não vai deixar meu querido saber que!"


E assopra com os olhos fechados, e um sorriso melancólico.


"Estou em um campo de dentes-de-leão

Desejando em cada um que você seja meu, meu"


Patético.


.....


O deus da primavera estava de costas com sua mãe, plantando sementes atrás da casa quando uma ninfa veio correndo.


- A rainha dos mortos está aqui, a rainha dos mortos está aqui.


O ruivo se levanta e encara a ninfa.


- Como !?

- Sua esposa, ela está aqui.

- O que aquela mulher está fazendo aqui? - Diz Deméter também se levantando.

- Não sei, mas ela está aqui.


Persephone sorri e já estava seguindo em direção a ninfa quando a mãe agarra seu braço.


- Aonde pensa que vai mocinho?

- Ver minha esposa.

- Não, é minha vez de ficar com você. Ela não tem que estar aqui.

- Mas...

- Não!

- Mãe, ela não se opôs com suas visitas.

- Mas eu me opus as dela.

- Mãe...por favor, eu só quero vê-la.

- Por que ?

- Porque eu preciso...preciso dizer a ela.

- Dizer o que Persephone ?


O deus da primavera passa as mãos pelo cabelo nervoso.


- O que não tive coragem de dize-la quando parti. Que...que eu a amo.

- Como pode ama-la, se só a viu uma vez no Olimpo antes de ela rapta-lo ?

- Bem...


A deusa da agricultura estreitou os olhos.


- Persephone...

- Eu já a conhecia antes.

- Como ? - A deusa agarrou o braço do filho com mais força.

- Quer dizer, não antes do Olimpo, depois. Eu...naquela noite só nos comprimentamos, mas outro dia...eu...eu estava nos jardins de Hera a pedido dela, restaurando. Então eu a vi, e fui falar com ela, e...bom desde então passamos a nos ver de vez enquando. E então ela me raptou depois que Afrodite mandou Eros flecha-la.


Os olhos de Deméter de arregalaram.


- Então não foi culpa dela...

- É, não foi.

- Oh pelos jardins suspensos. E eu a culpando, eu...eu achei que ela...

- Mamãe !?

- Olha eu e Hades costumava-mos ser bem próximas. Então Zeus fez as separações dos reinos e ela se afastou um pouco, mas quando Zeus a baniu do cargo de Olimpiana...ela se afastou de vez da família. Ela só vem as vezes, porque Zeus de vez enquando quer bancar o generoso, e ela sabe que se recusar ele fará um escândaloso.E para ver Hestia e Hera.

- Claro que fará. - O ruivo revira os olhos.

- Ela se rescente por eu não ter me juntado a Hestia e falado em nome dela. E eu entendo, não fui justo. Depois disso ela cortou todas as minhas tentativas de reaproximação, e eu parei de tentar.

- Eu...nossa.

- Então quando ela te levou, eu fiquei furiosa, de verdade. E...oh meu filho se eu soubesse que você e ela estavam próximos, eu não teria negado.

- Não !? - Questionou o deus da primavera confuso.

- Não! Ela provavelmente seria a mais descente que você poderia arrumar como esposa...bom na verdade ela é. Tirando o fato que ela te sequestrou, mas pelo que me contou, nem foi tão culpa dela assim. Entendo porque ela fez, entrou em pânico. Dizem que uma flechada do cupido deixa a pessoa desorientada e bombardeada de sentimentos.

- Oh.

- E para alguém que não sabe lidar com eles, que os sufoca e suprime dentro de si. Eu realmente acho que ela ter te raptado foi o menos imprudente do que se poderia esperar.


Persephone piscou várias vezes confuso. Sua mãe estava aceitando bem a situação ?


- Então...a senhora está aceitando bem ?

- Você a ama ?

- Sim.


Deméter suspira e retira o chapéu de palha.


- Então vá atrás dela. Deve estar perdida com ela mesma e com sua ausência.

- Como sabe ? - Pergunta confuso.


A deusa da agricultura ri anasalado.


- Hades é uma coisinha desnorteada quando as coisas saem do seu controle. Principalmente se for os sentimentos dela.


Persephone sorri e abraça a mãe com força.


- Obrigado mamãe, obrigado obrigado.

- Vá atrás de sua esposa criança.


O deus da primavera desfaz o abraço e segue a ninfa.


....


- Ela foi por ali. - Diz uma outra ninfa, quando chegaram aos campos de trigo. - Entrou na floresta.

- Parecia perdida. - Diz outra.

- Obrigado meninas.


O ruivo se afasta das ninfas e entra na floresta. Não demora muito para encontrar a esposa deitada entre um campo de dentes-de-leão.Ela arrancava alguns e soprava, as vezes soltava risadinhas ocasionais.

Com passos silênciosos o ruivo se abaixa para a deusa que estava de costas pra ele. Ela estava de olhos fechados. Persephone aproveita a distração da esposa e sela seus lábios. A rainha dos mortos se levanta alarmada.


- Olá querida.

- Persephone...que susto você me deu. - Diz ela com a mão no peito.

- Sinto muito se a assustei. O que faz aqui ?

- Vim pensar...em um lugar que me lembrasse você. Bom eu não pretendia vir até aqui, mas acabei vindo parar aqui de qualquer maneira.


O ruivo sorriu e se aproximou da morena.


- Senti sua falta minha rainha.


A deusa sorri e coloca uma mecha de cabelo do marido atrás da orelha dele.


- Eu também.


Persephone morde o lábio inferior e acaricia o rosto pálido.


- Eu...bom eu tenho uma coisa que queria te contar. Está com tempo ?

- Urrun.


O deus da primavera suspira e sela seus lábios com os da mais velha, lenta e demoradamente.

Quando o beijo chega ao fim Hades olhava confusa para o mais novo.


- Sei que tudo entre nós aconteceu muito rápido, e confuso. Afrodite e Eros acabaram se entroncamento e embaralham e aceleraram o ritmo que estávamos construindo.

- Sim.

- E ai você me sequestrou.


Hades desviou os olhos corada e riu baixinho.


- Sinto muito por isso, aliás. Não que...não que eu me arrependa. Mas acho que seria educado me desculpar.

- Nan, eu supero. Mas...bem os meses que passei com você no submundo foram incríveis. Você é incrível.


Algo se apertou no peito da deusa.


"Por favor não me deixe, por favor por favor. Não tire ele de mim sua vadia".


- Se vai me dar um fora, fassa logo.

- Que !? - Pergunta Persephone bastante confuso. - Não, não não.

- Não ?

- Não! Pelo contrário.

- Oh.


"Okay, ainda está tudo sob controle".


- Eu queria...eu queria...

- Sim !?

- Dizer o que eu não te disse antes de partir.

- Pode dizer.


"Mãe, porque eu nasci tão ansiosa" !?


- E-eu...eu...

- Você ?

- Ah droga Afrodite. Bom eu...

- Você !?


"Não me tortura assim garoto"


Persephone rosnou e segurou a cintura da deusa e a empurrou contra a árvore mais próxima, a beijando ansiosamente. As mãos da deusa foram até os ombros largos do marido, se segurando neles.

Quando o beijo teve fim ambos respiravam com dificuldade.


- D-deu pra entender ?

- Uh...que você gosta de me beijar ?

- Sim...não! SIM...ah bom não era bem isso que eu estava tentando me dizer.

- Que sentiu saudades ?

- Sim senti mas não é isso.

- Então o que ?

- Q-que...que. "Coragem, coragem Persephone. Tenha coragem". - Eu te amo.


O coração de Hades desparou a mil por hora com a decoração.


- Você...

- É, eu te amo. Muito! Eu sei que foi muito pouco tempo, mas eu te amo Hades. Como nunca amei ninguém antes.


A deusa apertou os ombros do marido e sorriu.


- Também te amo deusinho bobo.

- Verdade ?

- Não teria deixado você fazer um jardim no meu palácio se não te amasse, e definitivamente não teria criado um paraíso porque você sugeriu.

- Ah.

- É.


O ruivo sorriu e abraçou apertado a esposa, a girando e rindo.


- ELA ME AMA HÉLIO, ELA ME AMA.

- Pelas almas do Tártaro, pare de gritar. - Diz a deusa tentando se soltar dos braços fortes que a prendiam.

- Desculpe. Me empolguei. - Diz dando vários selinhos na esposa.

- Tudo bem tudo bem.


Persephone ri e para de girar a deusa do submundo. E sorri e junta as testas de ambos.


- Senti sua falta.

- Eu também.


Os dedos do ruivo foram de encontro as costas da amada, brincando com as cordas de fita que prendiam o corpete do vestido.


- Todas as noites, sonhando com você ao meu lado. - Os dedos ágeis vão afrouxando as amarras do vestido, treinado com a três semanas juntos se amando por todo o castelo.

- Você jura...aqui !?


O mais novo ri anasalado e beija o pescoço de pele alva.


- Não pode culpar um deus apaixonado por sentir falta da esposa.

- Sua mãe pode nos encontrar.

- Então é melhor nos apressarmos não !?

- Eu te estraguei, você costumava ser inocente.


O ruivo ri e se afasta da esposa, vendo com os olhos brilhantes o vestido cair no chão.


- Linda.


As mãos calejadas tocam a cintura fina e curvelinea, puxando a deusa contra si, e a deita contra o campo de dentes-de-leão.

Ela sorri e afasta os cabelos ruivos do rosto do amado.


- Vai ficar apenas olhando ?

- Admirando a beleza da minha esposa.

- Ela agradece. - A mão pequena e delicada se emaranha nos cabelos bagunçados e o puxa pra mais perto. - No entanto, não estou querendo sua admiração neste momento meu amor.

- E o que minha bela esposa deseja ?

- Deusinho insolente.

- Deusinha mandona.

- Pirralho.

- Controladora.

- Insolente.

- Perfeccionista.

- Selvagem.

- Caótica.


O mais novo sorri malicioso e passa a distribuir beijos pelo pescoço e ombros da beleza abaixo de si.


- M-maldito.


Ela abre as pernas para acomodalo melhor.

Uma das mãos dele deslisa até o seio direito, massageando e apertando.


- Algum problema querida?

- I-isso não vai ficar assim pirralho.

- Estarei no aguardo minha rainha.


Os lábios vão descendo até o outro seio, deixando um forte chupão.


- Aa-ah.


Com um sorriso arrogante, Persephone vai descendo a boca pela barriga da esposa, até chegar em sua intimidade.


- Você é deslumbrante.

- Sem enrolação ruivo maldito.


Com uma risada divertida, o mais novo lambe lentamente a intimidade da deusa dos mortos.


- Aaaah.


Ela em resposta abre mais as pernas, dando livre acesso para o marido.

Persephone agarra as coxas pálidas e as coloca em seus ombros, puxando ela para mais perto, chupando com maestria, tal como ela avia lhe ensinado.


- Ah ah ah o-oh malditas almas do Tártaro.


A língua do ruivo entra fundo e sai, voltando a chupar, e ocasionalmente dando mordidinhas.


- Ah i-isso a-ah.


A morena se contorcia e segurava com força em alguns dentes de leão, os arrancando com a força com que os segurava. O pirralho ficou realmente muito bom naquilo.


- M-mais m-mais.


As mãos grandes e calejadas alcançaram os seis pequenos e firmes, enquanto a boca trabalhava na intimidade encharcada da esposa.


- Aaaahh ah ah.


Os olhos negros da rainha se fecham com força, as mãos largam as pobres plantinhas. Uma vai até os cabelos ruivos do marido, e a outra para o pescoço.


- Persephone ah ah. T-tão p-perto.


O corpo da rainha se convuncionou com a chegada do orgasmo. Ela morde a mão evitando que seu grito chamasse a atenção das ninfas, ou de Deméter.


- Aaaaah.


Persephone lambe os lábios e se afasta da esposa, com um sorriso torto.


- Oi. - Diz cheirando seu pescoço.

- O-oi.

- Bem ai ?

- Sim. - Diz a morena meio trêmula.

- Bom.

- Bom!


O ruivo entrelaça as pernas da esposa em sua cintura.


- Posso ?

- Deve.

- Certo.


Devegar, mas com força o mais novo adentra o interior quente e apertado da esposa.


- Aaah. - A deusa geme baixinho arranhando as costas do marido.

- Você é maravilhosa.


O deus da primavera se move devagar, mas com firmeza dentro da intimidade da deusa do submundo.


- Aah ah Persephone.


A deusa arranhava as costas do marido, gemendo baixinho no ouvido dele.


- A-ah oh minhas almas perdidas.

- Minha rainha. - O ruivo puxa a cintura dela contra ele, e a outra se apoia contra o chão, para dar firmeza nas estocadas.

- Ah ah.


Depois de dois meses sem ele, tê-lo assim com tanta intensidade a levava a beira de outro orgasmo.


- Persephone Persephone.

- Diga, minha rainha. É só dizer. - Sussura baixinho ao pé do ouvido.

- M-mais aah ah m-mais.


Hades nunca, jamais. Entregou o controle de seu corpo a alguém. Mas aquele pirralho tinha algo, que a fazia enlouquecer em todos os sentidos da palavra.

O jeito que ele poderia transitar entre alegre e doce, a selvagem e intenso em pouquíssimo tempo. A deixava excitada.


- Você é tão linda, a mulher mais linda que eu já vi na minha vida.


A mais velha se engasga com o gemido manhoso. A voz dele emitia sinceridade.


- E-e Afrodite !?

- Não me interessa. - Diz beijando e chupando o pescoço dela. - Pra mim a única que impor é você, a mais bela, a mais poderosa.

- Ah uuh. - Ela se agarra ainda mais no mais novo para se âncorar.

- Eu sou rendido por você, sou todo seu minha rainha.

- M-meu amor. - Diz ela meio ofengante. - P-por favor...meu rei.


Ela não sabia o que estava implorando, mas ela queria tudo que ele pudesse dar a ela.


***


- Senti sua falta. - Diz o deus da primavera acariciando os cabelos negros e compridos da esposa.

- Eu também. - Responde ela abraçando o dorso bronzeado do marido.

- O que devo a honra da sua visita?

- Não sei, estava meio perdida. Cheia de paranóia na cabeça.

- Entendo, mas...sobre ?

- Você, eu...nós.

- Espero ter ajudado a resolver essa questão.

- Sim, ajudou Ajudou muito. - Diz fechando os olhos. - Eu nunca imaginei que fosse possível amar alguém como eu amo você.

- Eu também nunca pensei em algo assim.


Os dois ficaram um bom tempo ali, deitados na grama entre os dentes de leão. Apenas apenas aproveitando a presença um do outro.


- Eu devo ir. - A deusa diz fazendo desenhos no pescoço do amado, com a unha.

- Não vá, fica mais um pouco.

- Tenho trabalho vida minha.

- Ah...promete que virá me visitar ? Eu tenho sentido tanto sua falta.

- Não prometo nada, não quero confusão com Deméter.

- Não terá.

- Não pode prometer isso minha flor.

- Na verdade, posso sim.



A deusa se sentou, bastante confusa.


- Do que está falando !?

- Ela sabe...

- Sabe o que Persephone ?

- Afrodite, Eros, flechas.

- Contou a ela ?

- Eu tive...ela não queria me deixar ver você.

- E...e o que ela disse ? O que ela acha ?

- E paraceu entender suas rações. - Diz o ruivo se sentando e acariciando os ombros da espoça.



Hades se aconchega nos braços do mais novo.



- Nunca pensei que um dia ouviria issom. - Diz a deusa rindo baixinho.

- Vocês era próximas né?

- Bastante, até ela me abandonar.

- Sinto muito.

- Tudo bem.


O ruivo segura o rosto dela com carinho e sela seus lábios num selinho demorado e afetuoso.


- Eu nunca vou te abandonar minha rainha.

- Você não pode prometer isso.

- Posso sim, temos a eternidade para estarmos juntos.

- Você está literalmente preso a mim.

- Eu não dou a minima.

- A eternidade é muito tempo, até lá você pode deixar de me amar.

- Nunca, nunca deixarei de te amar. Mesmo com altos e baixos, jamais seremos como meu pai e Hera. Eu te amo, de verdade.

- Eu acredito em você.


Os dois sorriem e se beijam carinhosamente, sem se importar, naquele momento, que Demeter poderia aparecer, nnfas oideriam estar espiando. Ou os fofoqueiros do Hermes, Hélio e Íris.


- Fica ?

- Uuh, bem que eu gostaria. Mas não posso deixar Thanatos sozinho com todo o trabalho.

- Tudo bem, mas vai vir me visitar não é? - Pergunta vendo a esposa se leantar e se vestir.

- Veremos minha flor, veremos. Vista-se.

- Sim senhora. - Resmunga vestindo as próprias roupas. - Ei sabia que eu tenho dois irmãos!? Eles nasceram enquanto eu estava lá com você.


***

- Te vejo em breve ? - O mais novo pergunta abraçando a cintura da amada.

- Te vejo em breve ruivinho!


O sorrisobrilhante que alcançou o rosto do deus da primavera aqueceu o coração da mais velha.


- Até breve minha rainha.

- Até breve meu amor...meu rei.


Com muito custo eles se separam do abraço, cada um segindo seu caminho. Ao olhar por cima do ombro, Hades vê Demeter olhando para ela. A deusa da agricultura morde o lábio infrior e ascena para a irmã.

Hades franze a testa, mas retribui, antes de sumir nas sombras. Talvez uma visita a Hera e Hestia.


***


- Eu tenho que ir.

- Volte mais vezes. - Pede Hestia esperançosamente.

- Claro.


Ela não faria força alguma para voltar mais cedo, as três sabiam disso.


- Alias, meus parabéns Hades.


A deusa dos mortos olha confusa para a rainha do Olimpo.


- Pelo que !?

- Oh...bom. Não é nada, nada demais.

- Sei...até.

- Até querida.

- Cuidado na viagem querida. - Diz Hera sorrindo e olhando a irmã de cima a baixo.


Quando a rainha dos mortos desaparece nas sombras, Hestia olhou com para uma Hera muito sorridente.


- Ela está...

- Ah sim, e isso vai ser deveras engraçado e interessante.

- Ela vai pirar.

- Por isso mesmo Hestia, por isso mesmo.

- Por mãe Reia.


Ah tem tantas águas para passar por essas pontes. Tantas histórias a serem contatas, muitas crianças a serem nascidas. Muitas almas a serem condenadas.

Muitos nomes para entrar para a história.


Mas por hora, paramos aqui.


***

também postado na minha conta do Wattpad : NinaPevensie








7 Janvier 2022 02:34:59 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
À suivre… Nouveau chapitre Toutes les semaines.

A propos de l’auteur

Ione Hadys Ela/dela ✨ Bissexual 💗💜💙 Cabin 3 🌊🔱 Hufflepuff 🦡💛🖤 Narniana 🦁⚔️🛡️ Spirit - Arlequinaforeve 💚 Wattpad - NinaPevensie 🧡 Tik Tok : Ioneblacklupin https://vm.tiktok.com/ZMRB2a5gA/

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~