Histoire courte
1
1.7mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Sepulcro

“Vês! Ninguém assistiu ao deplorável enterro de tua última quimera”. Pobre, triste alma ao lamentar no ventre da terra. Seu pranto sepultado a ecoar em um tumulo vazio. Preso a uma falsa existência, cópia cruel da vida, arrasta grilhões por corredores obscuros.
O seu não caminhar evoca o canto das tabuas de madeira. Um cântico sombrio a emergir da escuridão fria, refletindo nos corações tormentosos dos que, através de tal infortúnio, ainda habitavam a umbrosa residência.

Um luto agonizante escorria pelas paredes, vertia das pinturas e era refletido em casa janela. Velhas trepadeiras batiam contra os vidros na noite tempestuosa. As dóricas colunas apresentavam desgaste decorrente de profana energia.

Com o décimo segundo badalar, forma-se a figura a pairar sobre a obscuridade da prisão de madeira, a arrastar suas correntes, levando temor ao âmago da alma. Com gemidos lamentosos a refletir eternamente pelas paredes. Não há reflexo no espelho, não há calor ao tocar o fogo.

O véu cobria seu rosto, que tal qual vela a derreter, vertia pesar de seus olhos vazio. O branco vestido, de uma transparência fantasmagórica, flutuava suavemente, contrastando com as trevas ao seu redor.

Todos tremem em suas camas, apavorados, oram, clamam, rogam para que está maldição se quebre, pois, não há manto sagrado que possam protegê-los.

O tumulo precisa ser preenchido. Do comodo abraço da morte, a alma querida foi arrancada. Apenas os demônios vindos do inferno, onde repousa o mal eterno, emergiram do enxofre e do fogo para festejar seu velório. Tocam as trombetas e abrem-se os portais do umbral de tormento sem fim! Não há espírito para ser clamado. A emissária da morte segue então seu caminho pelos corredores. Que abram-se os sepulcros, há de se preencher o vazio no ventre da terra! “Servirá na morte, enfim, pr’alguma coisa.”

29 Juillet 2021 15:34 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

Pandora Noir Olá! O meu nome é Pandora, sou uma aspirante a escritora. Minha obra é "Prólogo do Céu", e ficaria muito feliz se você pudesse ler! Um pouco sobre mim... Eu amo desenhar e pintar tanto quanto amo escrever. Minha técnica é aquarela. Não sou capaz de apontar um escritor favorito, mas adoro histórias góticas, sobrenaturais e/ou celestes. Acredito que meu poeta favorito é o Augusto dos Anjos, mas no momento estou apaixonada pelo Jonh Milton. Também adoro debater sobre mitologia.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~