zelosnation_ bia

Taeil e Bia eram dois estrangeiros nas ruas de Osaka. Ambos namoravam e passavam a vida fazendo apostas por causa das coisas novas que viam no solo japonês, já que estávamos férias e quem os guiava era o melhor amigo de Taeil, Nakamoto Yuta, nativo daquela mesma cidade. Um dia, eles apostam sério, quem ganhasse teria um desejo que o outro não poderia negar, fosse o que fosse. Taeil não queria perder de jeito nenhum, mas ele acaba perdendo, quase gritando de surto quando ela lhe revelou o que queria. Ela queria ter uma transa em que não só estava o seu próprio namorado, como o melhor amigo do mesmo. capa por: @xsuibian


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#pwp #nct #nakamoto-yuta #moon-taeil #nct127
2
1.2k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

𝘂𝗻𝗶𝗰𝗼 ; 𝗵𝗼𝘁 𝘄𝗶𝘀𝗵

Moon Taeil e Bia Jung. Dois estrangeiros naquelas zonas de Osaka. Os dois namoram, um namoro de quase três anos se para ser mais exato.

Desde que pisaram o Japão, vivem fazendo apostas, o que já custou de uns belos desafios e até desejos. Um deles assustou os dois e não esperavam. Foi quando Taeil ganhou e quis ir a uma casa assombrada, mas ela saíram de lá gritando de medo, jurando nunca mais pisando uma casa assombrada, sobretudo as do Japão.

Tinham feito mais uma aposta, já era a segunda do dia. Na anterior, Taeil ganhou e Bia lhe pagou o almoço. Usando seu método de aegyo, ela comprou duas porções só para ele. Comilão, era o que sempre dizia do mais velho.

Eles estavam sendo guiados pelo melhor amigo do garoto, Nakamoto Yuta, eu japonês nativo de Osaka. Um japonês lindo por assim dizer, nem parecia que estava completando quase vinte e cinco anos.

Bia era a mais nova entre ela. Seu namorado contém vinte e cinco e ela está próxima dos vinte e um. Contêm apenas quatro anos de diferença, mas parece que são da mesma idade, pois já quem diz que partilham o mesmo neurónio.

Eles nesse momento esperavam o japonês, e foi com isso que eles fizeram uma aposta. Bia apostou que Yuta não sairia primeiro que um homem que continha moletom verde vestido, mesmo que Yuta estivesse na frente quando entrou. Ao Yuta ter ido pegar mais algo por ter se esquecido, esse homem saiu primeiro que ele, dando a vitória a Bia.

— Diz lá o que quer.

— Lembra que você não pode negar, apostamos a sério desta vez, e somente conta desejo. — Taeil assentiu. Bia estava completamente animada por ter ganho, era a altura exata para pedir um desejo que nunca lhe passou pela cabeça conseguir realizar, pois além de ter sido somente um sonho, ela nunca conseguiria convencer o namorado. — Eu quero transar.

— Já estou habituado a querer transar, amor.

— Mas eu nem terminei. — Sorriu de lado. — Quero transar com você e o Yuta.

— VOCÊ ESTÁ LOUCA, BIA? TEM NOÇÃO QUE NÓS NAMORAMOS? — Taeil acabou surtando.

— Tenho. — Ri. — Mas não era você que tava tão certinho que ia ganhar que apostou a valer? Eu ganhei e agora quero isso e você jurou não negar, ou seja... Eu vou transar com você o Yuta.

— Você sabe lá se ele namora, sua tarada.

— Você mesmo diz para ele arranjar uma namorada. — Cruzou os braços. — Vá, é só uma vez mesmo. Logo logo estamos saindo de Osaka, eu quero aproveitar bem este desejo.

— Sério, porque eu fui apostar sério. — Taeil reclamou, vendo que Yuta estava regressando. — Yuta temos um compromisso.

— Como assim? — Entregou os pedidos de cada em suas mãos. Taeil respirou fundo.

— Perdi numa aposta com ela. E apostamos a sério, pensei que ia ganhar e me ferrei.

— Ai meu Deus. Qual é o desafio que ela te deu?

— Não é bem desafio, é um desejo.

— Não estou a compreender nada, já.

— O desejo que ela tem, eu não posso intervir, mas ainda assim me envolve, e a você também.

— Porque me envolveram?

— Então... Ela pediu uma transa... Com nós dois.

— Hã? Nós dois fudendo ela? Vocês namoram, eu não quero que discutam depois.

— Eu não posso fazer nada, apenas deixar.

— Bia, você por acaso é doida? Ou melhor... Você aguenta dois?

— Yuta! Fala baixo! — Taeil puxou o garoto, começando a ir em direção ao aparamento que alugaram.

— Desculpa se do nada estou envolvido num desejo que praticamente é um sexo a três com o namorado e o melhor amigo do namorado.

— Ele pode negar? — Referiu-se a Bia.

— Bom... Não sei, depende. Se você namorasse eu não escolheria você, mas se tiver saindo com uma garota que eu sei que não está, eu escolheria outro amigo do Taeil, mas acabaríamos esquecendo.

— Então eu posso negar?

— Por favor nega, sério, eu prefiro esquecer. Se você é meu melhor amigo vai me compreender.

— E se eu não negar?

— Yuta!

— Taeil, meu caro amigo, por causa das vossas apostas meio infantis, acabei de ganhar oportunidade de foder a sua namorada.

— Que supostamente devia negar! Porque ela é minha namorada!

— Juro que entretanto começo a falar Japonês se continuar gritando feito louco e depois reclama de mim! — Yuta abriu a porta de entrada, logo entrando no elevador. — Agora tenho as minhas perguntas, sem ser a se você aguenta dois. — Taeil se encostou na parede do elevador, revirando os olhos. — Eu posso te beijar, ou só te dou o meu pau?

— Credo, quem transa sem beijar?

— Eu entretanto! Tem noção que eu e o Yuta vamos fazer beijo indireto certo?

— Ai Taeil você disse que não iria ficar contra. É só essa vez mesmo.

— Tá, tá! Mas nada do que vai acontecer nesse apartamento vai sair para fora.

— Então é hoje? Eu não tenho camisinhas.

— Eu tenho. — Taeil respondeu e foi o primeiro a sair do elevador, logo pegando sua bolsa ao entrar na casa, onde tinha camisinhas. — Aqui. Onde ela se meteu?

— No quarto do Yuta! — Bia exclamou, ao ouvir os garotos conversando. Os dois foram até ela, sentando na cama. Taeil respirou fundo mais uma vez, já Yuta se levantou para fechar a porta e fechar mais das persianas, assim tendo só a luz do quarto acesa. Seria melhor para eles.

— Eu posso começar? — Yuta pergunta. Taeil deu de ombros, tirando seu casaco e o colocando em cima de uma pequenina poltrona que Yuta continha no quarto.

O japonês tirou sua blusa moletom, subindo de joelhos em cima da cama e empurrando a garota para se deitar, tomando seus lábios de uma forma intensiva.

Taeil mordeu o lábio, nem acreditava que isto estava acontecendo. Viu que uma das mãos dela tentava encontrar o namorado. Taeil mais uma vez respirou fundo, logo subindo na cama como Yuta estava, beijando a namorada assim que Yuta deixou de a beijar.

— Você beija bem. — Yuta comentou quando viu o casal parar de se beijar. — Vem aqui. — Yuta se sentou com as costas encostadas na cabeceira da cama, batendo em suas coxas. Taeil arregalou os olhos de primeira, mas ele não podia reclamar, ele que fez a porcaria da aposta e conseguiu perder.

Se sentou da desta forma, desapertando um pouco do seu cinto, logo vendo Bia se dirigir para o colo dele, rebolando fraco em seu membro. Fechou os olhos mordendo os lábios, quando os abriu, viu a garota abrindo a sua camisa na frente dele, isso fez ele ficar totalmente excitado, ele não resistia à namorada se despindo de forma sedutora à sua frente.

— Eu sei que isto é errado, mas eu imaginei seus seios exatamente desse tamanho. — Yuta mordeu seu lábio, passando sua mão por seu membro. — Nem vesti box. — Riu.

— Quando que veste mesmo.

— Você já está excitado? — Yuta pergunta para Taeil, que assente que sim, sem menos o olhar uma única vez. — Ela te chupa, e eu chupo ela. Ou ao contrário, como preferir.

— Eu quero os dois. — Bia responde saindo do colo de Taeil, finalizando de tirar a sua roupa. — Tirem as vossas roupas também. — Eles obedecem, tirando as roupas, não deixando nenhuma no corpo. — Nossa como vocês são gostosos. — Sorriu, mordendo seu lábio e subindo na cama, gatinhando até Yuta, que estava do outro lado fora da cama. Sentiu Taeil se acomodar debaixo dela, bem com a sua face debaixo de sua intimidade.

— Está molhada e praticamente não fizemos nada. — Taeil fala passando o dedo pela área sensível, colocando-o de seguida da boca.

— Vem, ele quer a sua atenção. — Yuta segurou seus cabelos, sentindo os primeiros toques da boca da garota em seu membro, mordendo o lábio e ainda se arrepiando todo. Arfou, não aguentando. A mão dela, que era bem pequena, segurava a base do seu membro, enquanto chupava a cabeça do membro do garoto, se contorcendo ainda, por causa da boca de Taeil que abocanhou sua intimidade.

Quando começou a abocanhar, sentia gemidos contra seu membro, algumas vezes até parando os movimentos devido a se contorcer devido à boca de Taeil, que cada vez aumentava a intensidade.

— Posso? — Ela não entendeu o que Yuta estava pedindo permissão. Segurou melhor cabelo e movimentou seu quadril bem devagar para a frente. Bia assentiu com a cabeça quando ele lho tirou da boca.

Bia rebolou fraquinho na cara de Taeil, estava sentindo seu corpo totalmente quente, parecia que podia gozar em poucos minutos só com Taeil a chupando.

Yuta começou a estocar sua boca. Algumas vezes ela se engasgava, mas ele rapidamente tirava para ela se recuperar. Mesmo que ela fizesse boquetes em Taeil, não estava habituada a ter alguém estocando sua boca, pois Taeil nem era de fazer isso. Ele só forçava as vezes a sua cabeça um pouco mais para baixo, para tentar que ela consiga abocanhar seu membro um pouco mais, mas isso quando ele enlouquece de vez no ato do boquete. Ela gostou quando ele fez isso, tanto que depois de alguns movimentos conseguiu quase o colocar todo, mas ele nunca a estocou como Yuta estava fazendo.

O mais velho logo se retirou, empurrando de leve Yuta.

— Troca de lugar.

— Vira de barriga para baixo. — Dirigiu-se a Bia. — Assim. — Colocou sua cabeça na ponta da cama, sorrindo.

— Ela vai se engasgar.

— Eu acabei de estocar a boca dela. Deixa ela se acostumar, é uma visão boa, você chega a ver o seu membro aqui nela. — Apontou para a garganta dela. — Sei que parece estranho, mas é sinal que ela conseguiu abocanhar todo. Ela consegue garganta funda, só não está habituada.

— Eu não costumo fazer com ela.

— Anda logo, eu quero experimentar. — Taeil colocou os cabelos de Bia todos para fora da cama, aproximando seu membro de sua boca, que logo foi sentida a língua dela passar por sua glande.

— Isso amor. — Deu carinho em sua bochecha, logo ouvindo um gemido da mesma. Yuta estava entre as pernas dela, deitado de bruços, chupando-a. Viu ela se contorcendo e puxando os cabelos de Yuta. Com isso, impulsionou o seu quadril para a frente segurando seu membro para o colocar direito. Ele praticamente entrou todo, mas ele não quis. Fez movimentos lentos, mas repara Yuta ajeitar um pouco ela, após colocar a camisinha.

— Você é bem gostosinha. — Yuta disse, apertando os seios de Bia. Taeil mordeu os lábios quando começou a ver o membro dele no exato lugar onde Yuta apontou. Era estranho, mas era uma visão erótico ver seu membro entrando e saindo da sua garganta.

Yuta penetrou, não se limitando a fazer movimentos lentos, mas sim já firmes. Taeil sentiu o gemido dela contra seu membro, o que lhe provocou mais tesão. Ele nem esperava fazer isto, mas estava sendo bom demais.

Ele nem estava acreditando que estava sendo excitante ver a sua namorada debaixo do seu melhor amigo.

Tirou seu membro da boca da namorada, ouvindo um grunhido dela em reclamação.

— Calma meu amor. — Passou seu polegar pelos lábios da mais nova. A mesma lambeu seu dedo, chupando a ponta, deixando Taeil ainda mais excitado, era impressionante o quanto ele estava excitado, queria foder ela até não aguentar mais.

— Posso te chamar de amor nesse momento também? — Yuta perguntou passando seu polegar também na boca dela, recebendo uma resposta positiva num abano de cabeça.

— Mas só nesse momento, ouviu Yuta?

— Certo. — Sorriu e passou a estocar mais rápido. Taeil subiu na cama e ficou do lado da garota, voltando a colocar seu membro perto da boca da garota, que o segurou, dando algumas chupadas.

Yuta logo saiu de dentro dela e seu lugar a Taeil, que a virou de bruços, com sua bunda empinada. Yuta se sentou na frente da garota, com seu membro bem perto dela. Segurou seus cabelos os puxando de leve quando sentiu novamente os toques de sua língua ao tirar a camisinha.

Taeil coloca uma, logo a penetrando e estocando rápido.

— Estava aqui pensando, já vi vários vídeos porno onde a mulher leva com os dois de uma vez.

— Você... Quer eu fique sem andar? — Bia perguntou com um pouco de dificuldade devido aos gemidos.

— Você é claramente doido Yuta. Vai lhe doer.

— Se ela quiser, podemos experimentar.

— Você quer amor?

— Se doer, nós tiramos.

— Vamos experimentar. — Taeil acabou arregalando os olhos ao ela aceitar, mas apenas aceitou a decisão dela e se doesse, ele tiraria sem pensar duas vezes.

— Quem fica em baixo?

— Eu fico. Se lhe doer, é para você tirar, entendeu? — Yuta assentiu positivamente com a cabeça, esperando Taeil se colocar na posição. Pegou outra camisinha e ficou por cima da garota, beijando seus seios e sua barriga. Taeil penetrou e fez alguns movimentos lentos, ouvindo os gemidinhos da garota.

Yuta esperou um pouco encarando a cena, logo posicionando seu membro, mas sem o penetrar. Taeil sentiu isso e parou, dando a entender a Yuta que podia. O japonês deu um pequeno beijo no clitóris de Bia, pegando em seu membro e pressionando a cabeça contra sua intimidade já preenchida por Taeil.

— Calma... — Bia falou mordendo seu lábio. — Yuta tirou, olhando a garota. — Não tira, só disse para ir com calma.

— Ficou bem apertado e só entrou um pouco da cabeça dele. Tem certeza que quer?

— Tenta de novo. — Pediu baixinho. Yuta pegou em seu membro novamente, pressionado contra a entrada preenchida, conseguindo colocar a cabeça. Sem a tirar logo, olhou a garota, que mordia o lábio com força e ainda estava com os olhos fechados.

— Quer que eu tire?

— Não! Ele entrou, deixa eu me habituar.

— Mas está te doendo?

— Hmhm, mas entrou amor. — Taeil distribuiu selares por onde conseguia do seu pescoço, também passando suas mãos em seus seios, fazendo carinho. — Ah... — Gemeu fraquinho, também sentindo o dedo de Yuta circular pelo seu botãozinho.

Depois de poucos minutos, Yuta tentou empurrar seu membro, sorrindo quando conseguiu. Ambos os membros estavam dentro dela, e o local estavam totalmente apertado, mas gostoso para ambos.

— Tentem se movimentar. — Taeil impulsionou seu quadril para cima e Yuta para a frente, começando movimentos leves, fazendo a garota gemer, tombando a cabeça para trás. Taeil segurou seu pescoço bem de leve, enquanto a mão livre ainda estava em seus seios.

— Que apertada, puta merda. — Yuta falou palavrões enquanto fazia os movimentos. Segurava na cintura da garota.

Quando aumentaram um pouco os movimentos, o membro de Taeil acabou saindo, mas logo o voltou a colocar, entrando agora muito mais facilmente.

— T-Taeil... Y-Yuta... — Gemeu o nome dos dois, arqueando suas costas. — Eu vou...

— Goza amor. — Falaram em uníssono e a garota gozou. Ambos sentiram, tirando seus membros. Yuta teve a excelente visão do gozo saindo de sua intimidade. Passou seus dedos, chupando-os, logo vendo os de Taeil lá, entrando e saindo algumas vezes.

— Tão gostosa. — Yuta comentou dando uma chupada na intimidade melada, logo subindo sua boca e beijando a garota.

Quando o beijo se separou, Taeil saiu de baixo dela e saiu da cama, a puxando devagar para se ajoelhar. Yuta atravessou a cama e se levantou, tirando a camisinha e começando a se masturbar. Taeil seguiu pelo mesmo ato e ambos gozaram na boca da mais nova. Teve algum que acabou indo para sua face, mas ela própria tirou e passou na boca.

— É errado eu querer repetir mais alguma vez no futuro.

— É, mas também é errado eu querer um trisal. — Taeil olhou o japonês inacreditável.

— Nem pensem. Foi só esta vez.

— Apostem mais vezes, eu estou aceitando. — Bia assentiu, recebendo um pequeno tapinha da nuca de Taeil. — Sempre quis comer a sua namorada, mas não queria que acabassem, e muito menos ela te traísse. Então se vocês fizerem mais apostas, pode ser que tenha mais alguma vez.

— Espero que não.

— Ah vá lá, Taeil! Você gostou! — Yuta falou risonho, enquanto via o mais se sentar.

— Posso fazer um último pedido?

— Qual é o desta vez? — Taeil, questiona.

— Posso beijar vocês dois? Ao mesmo tempo.

— Bia! Nem pense que eu vou partilhar a minha saliva com o Yuta! Você não está muito tarada?

— Ela bebeu da fonte, dê um desconto. — Yuta riu, se sentando do lado do coreano. — Faça o pedido dela, ela olhando assim parece um cachorrinho abandonado.

— Vem cá, sua tarada. — A garota subiu um pouco seu corpo e os dois garotos juntaram ambas a boca na dela, dando assim o beijo triplo. Bia tira sua língua para fora quando Taeil se separou, mas Yuta o puxa para a chupar junto, que acaba revirando os olhos quando sentiu a língua de Yuta na sua.

— Ai credo, eu beijei o Yuta.

— E eu transei com vocês dois. — Bia comenta feliz, subindo na cama e os puxando para se deitarem juntos com ela. — Foi maravilhoso.

— Que bom que gostou, meu amor. — Taeil fala. Embora ele não tivesse gostado nada da ideia, ver a sua namorada feliz foi o mais importante nesse momento, ela teve o seu desejo, mesmo que esse desejo tenha sido transar com seu namorado e ainda com o melhor amigo do mesmo.

19 Juillet 2021 10:30:08 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

bia ZelosNation_ no wattpad. Wooevill no twitter.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~