starnorte ↳ 𝐈𝐒𝐀[𝐃𝐎𝐑𝐀]

+Noart | Você já se imaginou casada com alguém que você nunca suportou na vida? Sina também nunca havia imaginado isso, muito pelo contrário. Era para ter sido uma manhã normal, ela acordaria, tomaria café da manhã com a sua família, depois iria para a escola e ganharia um novo motivo para odiar mais ainda Noah Urrea. Infelizmente para ela...isso não aconteceu. Qual não foi sua surpresa ao acordar naquela fatidica manhã praticamente nua, com ninguém menos do e Noah Urrea agarrado ao seu corpo, também nu? E pior... Sina acabou descobrindo algo que não poderia ser real. Já imaginou se um dia você simplesmente acordasse ao lado da pessoa mais detestável da face da terra e descobrisse que havia se casado com ele? ▸ Cover by @f-fairyurrea(No wattpad) ▸ Obra original by @dameliohudson(No wattpad) and @Horsinha(No wattpad) ▸ Adaptation S-STARNORTE


Romance Romance jeune adulte Tout public.

#Urreart #Sinoah #Nona #Noart #Deinert #Sina #Urrea #Noah #NoahUrrea #SinaDeinert
2
1.5mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les jours
temps de lecture
AA Partager

Cap. 1

POV Sina Deinert


Eu odeio Noah Urrea, ODEIO!


Tudo nessa criatura me irrita, o jeito arrogante de ser, o modo que anda como se fosse dono do mundo e principalmente o fato dele sempre arrumar um jeito de perturbar minha vida. Em algum lugar que eu ia, ele estava lá. As vezes parecia me seguir.


Sério, será que ele não tem outra coisa pra fazer não?


- Sina, para de apertar o pobre do taco, ele não tem culpa se você está estressada. - ouvi alguém dizer, e de início não soube distinguir quem era, mas logo descobri ser Heyoon.


Desviei minha atenção da mesa dos "populares", onde aquele estrupício está sentado e olhei para minha irmã. Ela olhou para minhas mãos e voltou a olhar para o meu rosto, só então me dei conta que tinha apertado o taco mexicano em minha mão e agora estava tudo lambuzado. Que meleca.


- Estragando comida outra vez, Si? - Any perguntou rindo ao se juntar a mim e Heyoon na mesa que estávamos. Apenas revirei os olhos e depois fiz uma careta de nojo ao sentir meus dedos colando.


Ótimo!


Agora, além de ficar sem lanche, estou com as mãos sujas. E a culpa é de quem? Do estrupício chamado Noah.


- O Urrea trancou ela na sala de teatro outra vez. - Heyoon contou, ou melhor, fofocou para Any, que riu alto ao ouvir aquilo, sendo acompanhada pela minha irmã. Quem precisa de inimigas tendo Any como melhor amiga e Heyoon como irmã mais velha?


- Quantas vezes ele fez isso nessa semana mesmo? - eu apenas ouvia as duas zombando de mim enquanto limpava minhas mãos com um guardanapo. Que ótimo, agora eu vou ficar cheirando a comida o resto do dia. - Acho que foram 7.


- Foram oito na verdade. - digo e as duas explodiram em gargalhadas. Bufei e peguei outro guardanapo para limpar minha mão.


As duas idiotas ficaram caçoando de mim até que o time de basquete entrou na cantina, aí elas rapidinho mudaram o foco da conversa, e começaram a falar sobre os jogadores.


Desnecessário ficar ouvindo "qual tem o bumbum mais durinho" desses idiotas trogloditas.


- Ah, o Josh...ele parece ficar mais gato a cada dia que passa - Any diz com um brilho não olhos.


E lá estava ela, a Any idiota que é apaixonadinha pelo Josh desde a sexta série. Sim, ele é irmão mais velho do babaca do Noah. Mas diferente dele, é um cara legal, super simpático e adora ajudar os outros. Sem contar que é super inteligente.


Era difícil acreditar que os dois eram mesmo irmãos. Mas batava olhar os dois juntos, que não tinha como negar, era cara de um, focinho do outro. Enfim, voltando à paixonite da Any.


Ela é apaixonada pelo Josh desde a sexta série, ele vive olhando pra ela e sorrindo, o que quase mata minha melhor amiga do coração. Eu só me pergunto porque raios ela nunca vai falar com ele. Estupidez ficar sofrendo por um amor que pode nem ser correspondido.


Já Heyoon era diferente, minha irmã mais velha é namorada do capitão do time, Lamar Morris. Ela diz que ele é o amor da vida dela, os dois são um doce quando estão juntos. Quando ele vai lá pra casa eu sinto vontade de morrer de tanto mimimi. Principalmente quando eles ficam se amassando no sofá.


- Oh meu deus, oh meu deus! O Josh está vindo pra cá! - Any começou a se exaltar, olhei para ela e notei seu rosto vermelho. Será que ela tá tendo algum tipo de ataque do coração?


- Any, respira pelo amor de Deus! - pedi agoniada de vê-la daquele jeito. Por que as pessoas costumam agir como idiotas quando gostam de outra?


Revirei os olhos e deixei que Heyoon acalmasse Any, só ela que tinha paciência pra aquilo.


Apoiei os cotovelos na mesa e coloquei meu queixo apoiado em minhas mãos. Não era somente Josh que estava vindo até nossa mesa, Lamer também. Que delícia, eu adoro ficar de vela!


Estava prestes a levantar quando um braço me impediu, olhei para o lado apenas para ver aquele cosplay de fantasma sentar ao meu lado sorrindo. Não!


- E aí, gata? Vim te fazer companhia, sabe? Pra você não ficar sobrando. - abriu um enorme sorriso, eu até acharia bonito, se não fosse o estupido do Noah Urrea ali - Sinta se privilegiada, milhares de garotas gostariam de estar no seu lugar.


E ali estava, o enorme ego idiota dele. Era justamente por coisas assim que eu não o suportava, ele tinha mesmo que achar que todas as garotas caem aos seus pés?


- Primeiro, tire as suas patas imundas de mim - ele negou com a cabeça e eu bufei. Infantil! - Não estou brincando, imbecil. - fui mais firme dessa vez e ele fez sinal de rendição, mas não saiu de perto, apenas soltou meu ombro. - Segundo, não te chamei aqui, pode ir embora. E terceiro, e não menos importante, você não faz o meu tipo.


Debochei e cruzei os braços, olhando para frente. Pelo canto do olho pude ver Josh conversando com Any, que por obra de Deus já estava calma, e Heyoon e Lamar aos beijos. Ew!


- Pequena, eu faço o tipo de todo mundo. - Noah voltou com o braço nojento. Não me encosta, que merda! - Principalmente das que tem uma bunda grande assim como a sua.


Arregalei os olhos e senti minhas bochechas esquentarem.


O Noah soltou uma gargalhada e eu fechei a cara, saltei sobre o banco ao sentir um aperto na minha bunda. Esse filho da... ele realmente pegou na minha bunda? Sério mesmo?


- Nunca mais, ouviu bem? Nunca mais me encoste essa mão imunda.


Gritei, nem me importando com a cena que estava fazendo. Completamente irritada me levantei daquela mesa, já não tinha fome alguma mesmo e não aguentaria ficar perto daquele ser por muito tempo.


Eu odeio Noah Urrea, do fundo do meu coração!


[...]


Estava parada há mais ou menos quinze minutos esperando a tapada da Any. Heyoon tinha ido pra casa do namorado e a trouxa disse que eu ficaria e esperaria a Any, porque eu sou uma ótima melhor amiga. Mas a babaca simplesmente sumiu, onde ela se meteu?6- Veja só o que temos aqui... - ah não, isso é alguma brincadeira da vida? Porque não tem graça nenhuma - É perigoso ficar aqui sozinha em frente à escola uma hora dessas, gatinha.


Mordi o lábio inferior com força, mas minha vontade era de virar e dar um soco bem no nariz daquele escroto para ver se ele aprendia a ser gente. Coloquei um sorriso irônico nos meus lábios e me virei pra ele, que estava gloriosamente sentado na sua moto.


Moto idiota e barulhenta, igual o dono.


- Não é mais perigoso do que ficar perto de você por três segundos.


- Boa - ele riu nem dando importância pro meu comentário. Não seja estupido, rebata isso, anda! - Sobe aí. - falou pegando outro capacete, arregalei os olhos. - Que foi? Vou te levar pra casa, não posso deixar uma dama sozinha na rua.


- Nem fodendo eu vou sentar nesse troço.


Bati o pé e cruzei os braços, Noah bufou e fechou os olhos por alguns segundos. Parecia estar buscando paciência. Não busque paciência, idiota, discuta comigo.


- Não fala assim da Sky. - ele fingiu estar ofendido e acariciou o tanque da moto. Revirei os olhos. Quem dá nome pra uma moto? - Vamos, Sininho, é só uma carona, prometo ir devagar. Aliás, a Any já foi embora.


Eu não podia acreditar que aquela mald...ei espera.


- E por que eu acreditaria em você? - Noah revirou os olhos e molhou os lábios com a língua.


- Meu irmão levou ela. - deu de ombros como se não fosse nada. Meu queixo caiu, Any deve estar tendo um infarte nessa momento - E então, vamos? Sua casa é muito longe para você ir andando sozinha essa hora.


Eu não queria ter que aceitar sua carona, mas sabia que se não aceitasse teria que ter coragem para ir andando para casa, porque Heyoon está na casa do Lamar, Any não viria me buscar nem se eu pagasse, os ônibus aqui demoram e meus pais ainda estão trabalhando. Que ótimo, vida, muito obrigada!


- Fazer o que? Não tenho opção mesmo. - o sorriso vitorioso do Noah quase me fez desistir. Quase. - mas se você fizer qualquer gracinha, eu corto seus dedos fora, entendeu?


Ele fez uma expressão inocente e beijou seus dedos cruzados como tivesse jurando que se comportaria. Espero que ele se comporte mesmo!


[...]


EU.NUNCA.MAIS.ANDAREI.NISSO.NA.VIDA


Eu estava tremendo quando Noah estacionou em frente à minha casa, meus braços estavam em volta de sua cintura enquanto eu ainda tentava acreditar que estava viva. Esse filho da puta me enganou, no começo ele estava indo devagar e de repente a rua virou um borrão diante dos meus olhos.


- Ah, qual é Sininho? Um pouquinho de adrenalina faz bem. Voltei a realidade aos poucos, soltei sua cintura e lutei para que minha pernas não bambeassem quando desci da sua moto.


O idiota estava rindo, rindo de mim, estupido!


- Vai tomar no cu, idiota! - esbravejei, mas isso nem o abalou, ele continuou rindo. Bufei sem paciência e me virei para sair dali - Tomara que você caia quando estiver voltando pra casa.


- Sua mãe não te ensinou que não se deve desejar o mal aos outros? - mostrei o dedo do meio pra ele. - Sina! Ou! - ele ficou me gritando, não tive opção que não fosse me virar para que ele parasse de gritar.


- O que que é?


- Meu capacete, gatinha, preciso dele. - apontou para minha cabeça e corei na hora. Será que eu posso cavar um buraco pra enterrar minha cara?


- Você que ele? - sorri diabolicamente enquanto soltava o capacete. Urrea sorriu e esticou a mão - Então toma. - taquei no gramado do meu quintal e gargalhei da expressão incrédula dele


- Porra Sina, essa merda é cara, sabia? Se arranhar eu vou fazer você pagar. - cruzei os braços negando com a cabeça enquanto observava ele descer da moto e ir até seu capacete.


- Coitado de você - desdenhei. Noah pegou seu capacete e começou a analisá-lo.


- Aqui, arranhou, está satisfeita? - assenti com a cabeça, e Noah bufou - Vai ter que pagar, gatinha.


- Me obrigue. - atrevida, eu? Sou mesmo. Os olhos dele escureceram, eu até ficaria com medo daquela expressão dele, mas o Noah nunca me deu medo. Ele é só um idiota.


- Eu já sei como você vai me pagar. - ele declarou e começou a caminhar na minha direção, dei um passo para trás e olhei para ele sem entender. - Eu aceito um beijo.


- Um beijo? - perguntei apenas para confirmar se nos estava ouvindo coisas. Noah assentiu sorrindo daquele jeito safado dele de ser.


Semicerrei meu olhos, eu não beijaria ele nunca, mas nunca mesmo.


- Um beijo, de língua. - ele parou na minha frente eu mantive minha expressão de nada enquanto ele sorria com expectativa. Tudo bem, Urrea. Dois podem jogar esse jogo.


- Você que um beijo? - Noah assentiu e eu abri um enorme sorriso, falso - Então ok, fecha os olhos.


Noah pareceu surpreso ao me ver cedendo, mas logo fechou os olhos. Tive que prender o riso para não gargalhar.


Lentamente eu comecei a dar passos para trás, esperei estar longe o suficiente dele e comecei a rir.


Noah abriu os olhos, mas era tarde, eu já estava na porta de casa.


- Você trapaceou - exclamou indignado, cruzou os braços, eu dei com desdém dando de ombros.- O mundo é dos espertos, tapado. Achou mesmo que eu ia te beijar? Me poupe.- gritei de volta para ele ouvir. Noah negou com a cabeça e sorriu.


- Você ainda vai me implorar pelos meus beijos, Sina.


- Nunca!


- Nunca diga nunca, gatinha. - ele mandou um beijo no ar pra mim e virou se com aquele ar de "sou foda", mas me olhou novamente e completou. - Nós ainda iremos nos casar, pequena, guarde isso na memória.


Ele nem me deu chance de rebater, colocou o outro capacete no compartimento de trás da moto e subiu nela.


Tudo que se pôde ouvir foi o barulho ensurdecedor da moto.


Entrei em casa cuspindo fogo, odeio perder para o Urrea.


Quem dá a última palavra sou eu!


Subi pra tomar banho e vesti uma roupa qualquer, iria tirar um cochilo e ligaria para a Any. Apesar de tudo eu queria saber se ela e Anthony tinha dado em alguma coisa.


"Nós ainda iremos nos casar, pequena" a voz de Noah ressoou na minha mente, eu soltei uma risada nasal.


Me joguei na minha cama e agarrei Tom, meu ursão de pelúcia.


- Eu nunca vou nem te beijar, Urrea, quem dirá casar. - falo comigo mesma antes de fechar os olhos e deixar o sono vir.


Prefiro morrer solteira do que casar com o Noah Urrea.


13 anos depois...


Grunhi antes de abrir os olhos, minhas costas ardiam e minha cabeça parecia pesar uma tonelada. Por Deus! Que soneca foi essa?


Parecia que eu tinha bebido todas na noite passada e hoje estava com uma ressaca fodida.


Tentei me esticar, mas paralisei ao sentir um braço segurando com firmeza minha cintura. Arregalei os olhos e olhei para baixo, me deparando com um braço branco como leite.


Oh Meu deus! Alguém invadiu minha casa e abusou de mim durante minha soneca!


Pensei apavorada e saltei da cama. Quase caí ao tropeçar em um chinelo que estava no chão, olhei para a cama e pude então ver o ladrão pedófilo.


- Mãe! Pai! AHHHHHH SOCORRO!


Comecei a gritar e correr pelo quarto, eu não conseguia encontrar a porta. Cadê a porra da porta do meu quarto?


Estava olhando tudo em volta e paralisei. Eu não reconhecia merda nenhuma ali. Meu Deus! Ele me sequestrou, ele me fez de escrava sexual! Eu preciso ligar pra polícia, merda, merda, merda!


- Hummmpf, amor? - meu coração batia descompassado. Merda, ele acordou. - Por que você está gritando como uma louca? Eu estou morrendo de dor de cabeça, e minhas costas doem - eu me recusava a olhar para trás, mas sabia que o homem me observava. Um vento frio bateu no meu corpo e só então eu me dei conta que...Puta merda. - Bebê, volta aqui pra cama, vem. Você acabou comigo noite passada, mas eu quero mais. - soltou uma risadinha sonolenta, mas ao mesmo tempo safada. Meu estômago embrulhou na hora.


Bebê? Acabei com ele noite passada? Esse desgraçado me dopou e se aproveitou de mim.


Me virei com os olhos fervendo em fúria, estava prestes a gritar com aquele louco e exigir que ele me levasse para casa, que me devolvesse para minha família. Afinal, eu era muito jovem e tinha muita coisa pra fazer. Comecei a catar minhas roupas íntimas pelo quarto e vestir. Mas toda minha pose caiu ao me deparar com ninguém menos que...


- Noah!?


Não acredito! O estrupício além de tudo é um psicopata que sequestra garotas inocentes e indefesas. Eu sabia que não devia ter aceito aquela carona.


Aquilo só poderia ser algum tipo de brincadeira. O que esse imbecil acha que está fazendo?


- Noah! Por que você está gritando com uma louca? E para de ficar rodando igual um peão, já estou ficando tonto.


Parei no lugar, minhas mãos em punho. Eu aqui buscando uma explicação para esse estrupício ter feito o que ele fez e eu sou a louca por estar gritando? ELE ME SEQUESTROU!!


Virei-me para ele completamente revoltada, capaz de estar saindo fumaça pela minha cabeça. Noah me olhava fixamente, seus cabelos pretos estavam um pouco bagunçados.


Respirei fundo, com 16 anos já posso ser presa nesse país.


- Isso é algum tipo de piadinha imbecil? Está achando legal me drogar, abusar de mim e me trazer para essa casa que eu não faço ideia de onde é? - a cada palavra dita, ou melhor, cuspida, a confusão no rosto do Urrea aumentava. - Qual a porra do seu problema, garoto?


Chase arregalou os olhos após meu grito, ele parecia surpreso com a minha explosão. Eu estou aponto de arrancar os meus cabelos e os dele também. Meu deus!


Meus pais devem estar loucos atrás de mim. Por que esse garoto tinha que fazer essa estupidez justo comigo? Eu sempre soube que ele é meio retardado, mas não a esse ponto.


Estava tão concentrada em surtar e traçar planos de assassinato, que só voltei pra realidade quando Chase chegou na minha frente e segurou meus ombros.


Quando foi que ele ficou mais alto ainda e o cabelo dele cresceu?


- Eu acho que você bebeu demais noite passada, eu avisei que não era para ter bebido tanto. - soltou uma risadinha sem humor. Qual é a graça, imbecil? Tem ninguém rindo aqui. - Você teve algum sonho noite passada? Por que eu te drogaria?


Acariciou meu rosto com seus polegares e me olhou.


- Tire suas mãos imundas de mim agora! - sibilei entredentes, Noah me soltou, me olhando com mágoa? - Eu quero ir embora, meus pais devem estar atrás de mim. Eu estava quase entrando em colapso de novo, o panaca continuava me olhando com aqueles olhos verdes sinistros. E se ele me matar?


- Você ligou pros seus pais? Eu não acredito, Sina. Você vai embora pra onde? Aqui é a sua casa!


Ele está louco, preciso sair daqui antes que eu vire uma prisioneira!


- NÃO! AQUI NÃO É A PORRA DA MINHA CASA E VOCÊ SABE DISSO!


- Por que você está gritando e me dizendo essas coisas? Achei que estivesse tudo bem entre nós dois. Foi só uma briguinha idiota, amor. Você me disse que estava tudo bem ontem à noite, ficamos fazendo amor por horas e agora você quer ir embora? - ele falava sem parar gesticulando freneticamente. Será que ele tá drogado? - Amor, você não pode falar essas coisas pra mim. Sabe que eu não saberia ficar sem você, Sininho. Ontem você me disse que estava tudo bem, o que mudou?


- Você tá retardado, garoto? Eu nem te vi ontem depois daquela carona estúpida - ele voltou a ficar confuso. Drogas causam retardo nas pessoas. - Eu sabia que não devia ter aceitado aquela carona maldita, olha só onde eu me meti agora.


Eu preciso sair daqui, já!


- Amor, tem certeza que você está bem?


Amor. Esse garoto é doente mesmo. Por que diabos ele insiste em ficar me chamando de amor? Louco!


- Amor? Tá ficando doido, Noah? A gente nem se suporta. Me leva embora daqui, eu quero minha casa e meus pais. E eu quero... - congelei por uns segundos. Que horas são? Meu teste de matemática, puta merda! - Imbecil, estrupício, eu perdi meu teste de matemática por sua causa!


Noah juntou as sobrancelhas e veio andando na minha direção. Por que a pele dele parece menos jovem? Senti minhas costas colidirem com a parede e engoli seco, estava presa. Noah encostou as costas da mão na minha testa e depois no pescoço, como se estivesse medindo a minha temperatura. Qual o problema dessa criatura?


- Você está se sentindo bem? Que teste de matemática é esse? Está falando até como se ainda estivesse no colegial. - começou a rir daquela mesma forma debochado de sempre que eu tanto odeio. Desgraçado! Agora está tentando me fazer de louca?! Quem ele pensa que é.


- Mas eu ainda estou no colegial, seu psicopata!


Noah parou de rir na mesmo hora que eu gritei, ele me olhou como se eu tivesse no mínimo umas quatro cabeças.


- Ainda está no colegial? Sina, você terminou o colegial quase nove anos atrás, amor.


Arregalei meus olhos. Ele é mais louco do que eu pensei. Agora além de ter me sequestrado, abusado de mim e me drogado, ele também age e fala como se estivéssemos viajado no tempo. Eu preciso sair daqui urgentemente!18- Você é completamente louco! - esbravejei e o empurrei para trás, nem me importei com a minha seminudez, apenas queria sair dali o mais rápido possível. Achei a maldita porta! Corri até ela e agradeci por não estar trancada, meu coração saltava no peito, a adrenalina estava presente.


Ouvi Noah me chamando, mas apenas ignorei. Dei de cara com um corredor, corri pra um lado e não achei nada que não fossem portas e janelas. Corri para o outro lado e vi uma escada, estava quase descendo o primeiro degrau quando uma vozinha me chamou a atenção.


- Mommy?


Olhei para o meu lado esquerdo e me deparei com um garotinho. Ele coçava um olho com sua pequena mãozinha, os cabelos castanhos estavam um pouco bagunçados, na outra mão ele tinha uma ovelha de pelúcia que estava arrastando no chão, a chupeta azul com um brasão estava quase caindo da sua boca. Quem é essa coisa fofa? Ele parou de coçar o olho e me olhou, bocejando um pouco.


Meu deus, que casa é essa? Será que o Noah me trouxe pra um lugar que ele invadiu? Porque pelo o que eu me lembre ele não tem nenhum irmão além do Josh.


- Sina? Sina!? - ah não! Em segundos um Noah afobado surgiu atrás do garotinho, já vestido.


Ele ia falar alguma coisa, mas ao ver o pequeno ali em pé, se calou. Ele agora olhava para ele. - Oi pequeno! Já acordado a essa hora? Que milagre.


Noah abaixou-se pra pegar o menino no colo, ele soltou uma gargalhada gostosa de se ouvir. O som lembrava a gargalhada do Noah, mas não a risada debochada. Deve ser parente dele.


Confesso que a cena dele agarrado no pescoço do Hudson rindo enquanto ele o enchia de beijos foi extremamente fofa.


- Seu sobrinho? - perguntei curiosa. Tudo bem que eu queria fugir dali, mas o que custa perguntar? Eu sou curiosa.


- O que? Sobrinho? Sina, você não está bem mesmo!


- A mommy precisa de chocolate quente!


O pequeno exclamou e Noah sorriu pra ele, os dois fizeram um toque com as mãos e depois voltaram a me olhar.


Mommy? Quem é mommy?


- Quem é ele, Noah? De quem é essa criança?


Perguntei já nervosa, só faltava ele ter sequestrado a criança e agora estava fingindo ser uma família feliz comigo. Ele é retardado mesmo.


- Como de quem é ele, Si? É nosso filho, nasceu de você! - disse como se fosse óbvio, seus olhos demonstravam preocupação, e os do pequeno estavam confusos. Depois de ouvir aquilo, tudo começou a embaralhar na minha mente. Tive que me segurar no corrimão da escada para não cair, eu tentava voltar a ficar consciente, mas tudo estava escurecendo. Eu ouvia ao longe alguns gritos finos desesperados e os gritos do Noah, uma mistura de "Amor? O que esta acontecendo?" e "Mommy".


Minhas pernas fraquejaram e meus olhos reviraram, senti braços firmes me segurarem e então eu simplesmente...apaguei.



5 Juillet 2021 16:37:33 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
À suivre… Nouveau chapitre Tous les jours.

A propos de l’auteur

↳ 𝐈𝐒𝐀[𝐃𝐎𝐑𝐀] 𝐼𝓈𝒶 ぽホ ꗃ 𝙨-𝙝𝙚𝙧⬪ 𓂅· ִֶָᵎ 𝒩𝑜𝑎𝑟𝑡 𝔰𝔲𝔭𝔯𝔢𝔪𝔞𝔠𝔶 ꒰ 🛐 ꒱ ˖˚ 𖠿 ‣𝒜𝑞𝑢𝑎𝑟𝑖𝑜 ❫ ⭒ᵎᵎ 𝗖𝗿𝘆 𝗅𝗂𝗍𝗍𝗅𝖾 𝗴𝗶𝗿𝗹 ⿻ ᨒ ℍ𝕖𝕥𝕖𝕣𝕠 ↷❐ ❛❛𝗕𝗲𝗲𝗽 𝖱𝗂𝖼𝗁𝗂𝖾❜❜ ✞. ⛓ 𝗘𝗥𝗥𝗢𝗥. ♒ 𝗗𝗘𝗠𝗢𝗡. 柔塔艾和大布柳. 🏹 Nenhuma das obras aqui são minhas, então não mereço crédito algum! Todas as fanfics aqui são de Noart, se não gosta e só não ler!

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~