2minpjct 2Min Pjct

Após as aulas da faculdade, Jimin costumava ensaiar para participar das audições de uma das maiores escolas de dança do país, pretendendo assim focar em seu sonho de ser dançarino profissional. No primeiro teste o mesmo acaba ficando nervoso e desiste de continuar com a apresentação. A fim de desabafar ele liga para seu melhor seu amigo, no entanto, alguém mais o ouviu. Após isso Jimin começa a receber diversos bilhetes de um admirador secreto.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#admirador-secreto #minmin #sugamin #yoonmin #suji #jimin #2min #yoongi #2minpjct #minimini
2
2.9k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

How many secrets can you keep

Escrito por @subliminnie/@loftyjimin.

Capa por @yoonckyn.


~~~~

O movimento parecia perfeito, o modo com que se movia e deslizava pelo chão liso era tão suave que parecia estar flutuando. Era raro que em seus ensaios isso acontecesse, sempre havia uma cobrança sobre si, mas outras vezes a dança fluía naturalmente. Não faltava muito para que as audições começassem e Jimin sentia-se cada vez mais ansioso. Ele​ não se permitiria cometer qualquer erro​, preparou aquela coreografia havia meses e a ensaiava toda semana. O garoto podia dizer que sabia os passos de olhos fechados e qualquer um que já o viu dançando diria que não há uma imperfeição sequer em seus movimentos, mesmo que ele pensasse o contrário.

Tinha sido uma longa semana de provas e conciliar os ensaios com os estudos estava sendo uma tarefa difícil para Jimin. Embora seus amigos tentassem ajudar, nada fazia o garoto colocar a faculdade acima daquele teste. Park estava quase terminando o curso e, para os outros, correr o risco de reprovar por conta de algo, que o mesmo não tinha certeza dos resultados, era uma perda de tempo. Não importava o quanto ele tentasse explicar o quão importante aquilo era e como o deixava feliz, ​nunca eram motivos suficientes para que o apoiassem.

— O professor vai querer falar com você sobre suas notas, sabe disso, né? — Taehyung aguardava o amigo em frente a porta da sala, sempre com a mesma expressão de reprovação.

— Eu sei, mas eu tenho meus motivos — Disse dando de ombros.

— Seus motivos nem são válidos, Jimin. Você nem sabe se vai conseguir.

— Muito obrigado, o que eu mais preciso nesse momento é de alguém para me colocar para baixo — Ironizou se arrastando até a cadeira.

Por mais que estivesse acostumado seu corpo doía uma vez ou outra. O cansaço impedia que focasse na aula e, consequentemente, chamava a atenção dos outros alunos. Jimin não tinha dificuldades para entender as matérias, mas naquele momento ele estava lutando por algo que sonhava há muito tempo e nada era mais importante.

— Jimin, posso falar com você? — Não demorou para que o professor, por fim, chegasse e cumprisse o que Taehyung havia dito minutos atrás. Com uma certa dificuldade, o garoto se levantou da cadeira e foi em direção a saída da sala, sendo seguido pelo mais velho.

— Antes que o senhor comece com o sermão, deixa eu falar… — Jimin não teve tempo de terminar a frase quando o professor levantou a mão, indicando que ele parasse.

— Você tem se alimentado direito? Dá para notar que está muito cansado, se não comer direito não terá energia para nada. — Antes que qualquer coisa, Min colocava o bem estar e

a saúde de seus alunos em primeiro lugar, mesmo que muitos dos professores daquele lugar não o fizessem.

— Talvez eu não esteja me alimentando tão bem assim, tem razão. Mas sobre a nota, eu prometo que recupero, no momento estou muito ocupado. — Park​ encarava o mais velho com uma careta triste, algo que pudesse comover o outro. Yoongi suspirou enquanto ajeitava os óculos em seu rosto, tentando buscar uma solução para o mais novo.

— Eu vou fazer outra prova,​ ​tente ao máximo recuperar essa ou irá reprovar.

Jimin apenas assentiu e retornou a sala. Ninguém parecia entender o que aquilo significava para ele e cada dia mais se sentia sozinho. Era o seu sonho, algo que ele amava, ​nada daquilo parecia ser suficiente.

— Sei que não é o momento, mas você ​deve ter adorado que logo o professor que você tem uma quedinha está preocupado com você, né?! — Jimin não pode deixar de sorrir ao ouvir a provocação do amigo.

Jimin não conseguia negar que o mais velho mexia com ele. Era difícil encontrar alguém como Min ​Yoongi​, o professor de olhar intenso, voz grossa e extremamente ‘sexy’. Park ​ podia jurar que toda vez que seus olhos cruzavam com os do mais velho ele sentia arrepios percorrerem seu corpo. Ele não sabia se o rapaz era tudo aquilo mesmo ou era seu gosto por caras mais velhos, ou até mesmo o fato de Yoongi ​ ser seu professor. No entanto, ele sabia que mesmo que tentasse nunca teria uma chance sequer, nem mesmo de ganhar um simples beijo.

— Ele está preocupado com as minhas notas, não comigo. — Disse por fim, ao mesmo tempo que tentava convencer a si mesmo.

Jimin tinha outras coisas com o que se preocupar e naquele momento sua queda por alguém inalcançável só iria atrapalhar.

Por toda a aula, Yoongi e Jimin se entreolharam algumas vezes, ou muitas. O moreno sentiu como se o mais velho estivesse conferindo se ele​ estava prestando mesmo atenção na explicação e isso o fazia se sentir pressionado, mesmo que não fosse essa a intenção do mais velho. Yoongi estava tentando cuidar de seu aluno, já que, para ele, Jimin acabaria desperdiçando seu potencial em qualquer coisa que tentasse fazer, apenas por estar cansado.

Assim que as aulas acabaram, Jimin saiu o mais rápido possível da sala para evitar outro sermão. Ele estava focado em se preparar para se apresentar ​mais tarde e queria estar certo de que não erraria nenhum passo.

Logo após dançar com música, sem música, lento e rápido, Jimin tratou de descansar e guardar a pouca energia que havia sobrado.


Jimin se preparava para entrar no palco, ele enfim iria apresentar seu número e mostrar o quanto se esforçou para aquele momento. Ele esperava que os jurados pudessem ver isso, que seu talento, aquele ​o qual ele quase não acreditava por conta da insegurança, pudesse surpreendê-los de alguma forma. Mesmo que ele precisasse saber se seus esforços estavam gerando algum resultado, nenhum dos amigos ou familiares de Jimin o viram dançando. Ele se apresentava para ele mesmo em frente aquele grande espelho, sendo sempre seu próprio crítico, o mais severo possível. Park respirava fundo para tentar afastar o nervosismo, para que o mesmo não atrapalhasse naquele momento. Quando seu corpo começou a tremer, ele precisou fechar os olhos e se convencer, o mais arduamente possível, de que tinha total controle sobre o mesmo. Assim que seu nome foi chamado ele conteve todas as emoções que aquela voz provocou, prendeu o medo dentro de si, fingiu não estar preocupado com sua aparência e com a tensão em seu corpo.

Puxando o ar mais uma vez para seus pulmões, ele se colocou em posição e deixou sua mente esvaziar. Quando a​ música​ começou, Jimin se sentiu leve, seus pés deslizavam pelo chão liso, logo arrancando aplausos dos participantes que assistiam a apresentação. Conforme a música tocava e sua confiança aumentava, ele podia sentir seu corpo ficando mais relaxado, tornando aquele momento mais agradável do que quando havia chegado ali. Por fim, Jimin começava a se sentir aliviado e feliz por, finalmente, estar realizando seu sonho, ele não via a hora de contar para seus pais e seu melhor amigo sobre sua experiência. Foi então que as coisas começaram a se complicar. Jimin sabia que ficaria nervoso caso as pessoas que ele conhecia tão bem o vissem daquela forma, sendo tão ele mesmo, mostrando um lado tão apaixonado que só ele conhecia. No entanto, ele queria aquele apoio, ele queria sair correndo daquele palco após o final da apresentação e abraçar as pessoas que ele amava, pediu por isso, mas só recebeu desculpas como resposta.

Foi quando percebeu estar sozinho no momento mais importante da sua vida que Jimin deixou todos aqueles sentimentos virem à tona de uma vez só. Sua mente se encheu de incertezas e a insegurança voltou com mais força. Seus pulmões ardiam por conta da dificuldade de respirar, seu coração estava extremamente acelerado e sua visão turva por conta das lágrimas que surgiam. Quando percebeu já estava sentado no chão, provavelmente por ter perdido o equilíbrio e caído. Todos o olhavam com preocupação, menos os jurados, que ainda o avaliavam e com uma expressão nada boa. Jimin pensou em continuar a performance, mas nada passava pela sua cabeça, nada além de vergonha e mágoa. Naquele momento ele percebeu ter perdido a chance que provavelmente ele não teria novamente.


Jimin se sentia aliviado de não ter mais os olhares preocupados das pessoas sobre si, mas também se sentia arrasado por ter falhado na única coisa que ele deu tudo de si. Por todo o caminho, que nem sequer havia prestado atenção, Park repassava mais e mais vezes as cenas recentes em sua cabeça. Ele se perguntava o que teria acontecido se tivesse apenas se concentrado na música até o final, ou fizesse daquela dor um incentivo para que não cometesse nenhum erro. Mas naquele momento ele apenas conseguia se culpar e se sentir fraco.

Toda aquela pressão havia deixado seus pensamentos perturbados, ele se sentia perdido e,​ por mais que tentasse controlar os mesmos, nada era capaz de tirá-lo daquele estado. Jimin deveria ter seguido o caminho de casa, entrado pela porta, tomado um banho quente e se jogado na cama. No entanto, ao invés disso, ele se via parado em frente ao espelho da sala que usava para ensaiar. Já estava quase na hora da faculdade fechar, mas Jimin não conseguia mexer um músculo sequer. Somente quando seu celular tocou, ele se permitiu levar o aparelho até a orelha e atender a chamada. Ele e Taehyung conversaram durantes alguns minutos e Jimin contou tudo o que havia acontecido. Mesmo que o amigo tivesse lamentado não estar presente para o moreno naquele momento, não mudava nada para Jimin.

Quando sentiu que aquele sentimento surgir novamente, ele fechou os olhos, respirou o mais fundo que conseguia e então voltou a encarar seu reflexo no espelho. Jimin estava decidido a não deixar que mais nada o magoasse, nem ninguém. Antes de finalmente ir embora, ele dançou novamente. Mas desta vez, Jimin escolheu uma de suas músicas favoritas e se permitiu apenas senti-la e ser guiado pelo ritmo da mesma.


{•••}


— Ei, como você está? — Taehyung abraçou imediatamente o amigo quando se aproximou. Queria confortar o rapaz de qualquer forma, ainda mais por se sentir culpado de não ter estado com o mesmo naquele momento.

— Eu estou bem, Tae. Eles me ligaram essa manhã, disseram que o início da minha performance foi bom e entendem que o nervosismo as vezes pode ser um problema — dizia enquanto se movia até seu lugar na sala de aula, sendo acompanhado por Taehyung. — Então eles vão me dar mais uma chance.

— Isso é ótimo! — disse Taehyung animadamente.

— Não sei… se eu falhar desta vez não terei mais chance alguma. — Jimin estava desanimado pois sabia que qualquer coisa que errasse... nenhum motivo seria aceito.

— Certo, vamos começar a aula! — Ao ouvir a voz alta do professor que vinha detrás de si, Jimin se assustou. Não havia percebido a presença do mesmo quando se dirigiu ao seu lugar e tampouco sabia se o mais velho havia escutado a sua conversa com Taehyung.

Como naquela semana, Yoongi e Jimin ainda trocavam olhares, cada um por um motivo diferente. Por via das dúvidas, o garoto preferiu focar sua atenção em cada explicação feita pelo professor, porém a atenção do mesmo era totalmente voltada para Jimin. Não que ele estivesse reclamando, mas os outros alunos com certeza já haviam percebido que o Min não tirava os olhos do Park, o que provavelmente iria gerar diversos rumores mais tarde.

Jimin juntou todas as forças para se levantar daquela cadeira e fazer o que estava acostumado a meses. Por mais que estivesse feliz por ter uma nova chance, não podia negar que sua motivação fora arrancada de si e não importava o que fizesse, nada o animava. Antes de chegar a sala na qual ensaiava, ele parou por alguns minutos para pensar no que fazer. Queria entrar naquele lugar decidido ou provavelmente desistiria.

— Eu não sei o que eu faço. Crio algo novo ou danço como fiz ontem a noite? — sussurrava para si mesmo.

Ser o único espectador de si próprio tornava as coisas mais difíceis do que já eram. Jimin era indeciso, desde sempre e precisava ter opiniões que o ajudassem a seguir um caminho. Após meia hora pensando, ele decidiu apenas entrar na sala e fazer a primeira coisa que viesse a cabeça. No entanto, assim que Jimin virou para o espelho viu​ que havia um papel amarelo colocado sobre o mesmo. Por um momento temeu que alguém houvesse reservado a sala, o que estragaria todos o seus planos, e isso começava a deixá-lo aflito.

Quando arrancou o pequeno papel do vidro, Jimin se surpreendeu com a mensagem, automaticamente olhando ao redor na tentativa de encontrar o responsável por aquilo.

"Se​ isso ajuda, dance como ontem. Quando o vi, daquele jeito, meu coração disparou imediatamente. Eu senti você apenas olhando na forma como dançava, e foi incrivelmente lindo."

Ele agradeceu mentalmente a pessoa por ajudá-lo em sua decisão, por mais estranho que fosse. A ideia de ter alguém o espiando era assustadora, mas talvez fosse apenas o acaso. Talvez coincidentemente alguém o viu dançar naquela noite. Como estava no papel, Jimin colocou a mesma música e seu corpo correspondeu a mesma imediatamente, reproduzindo a mesma coreografia. Ele simplesmente sentia que aqueles eram os movimentos certos, então seguia cegamente os seus instintos. Pela primeira vez, desde que havia iniciado aqueles ensaios, ​ele sentiu prazer de verdade no que estava fazendo, até mesmo podia dizer que estava gostando dos resultados.


{•••}


— Quer dizer que você recebeu um bilhete de um desconhecido dizendo que você dança bem e isso não te assustou nem um pouco? — Taehyung olhava incrédulo para o amigo que mantinha um sorriso bobo no rosto ao mesmo tempo que lia diversas vezes aquela mensagem.

— Mas foi tão fofo. Acho que a pessoa é inofensiva, poderia ter sido mais obsessivo, se fosse o caso.

— E a pessoa se apaixonou só porque viu você dançando?

— Não, só ficou com o coração disparado, isso foi a coisa mais linda que alguém já me disse. — Taehyung riu da expressão boba no rosto de Jimin. Pelo menos algo estava o deixando mais tranquilo depois do que aconteceu, o moreno precisava daquilo.

— Park, no final da aula eu quero falar com você. — Yoongi estava parado em frente a mesa de Jimin, imediatamente ele guardou o bilhete no bolso. Não queria que Min Yoongi visse-o como se ainda estivesse na quinta série, todo​ mexido por conta de um pedaço de papel. Jimin não disse nada, apenas concordou com a cabeça e esperou até que o professor se afastasse.

Park havia completado seus vinte anos a pouco tempo, mas isso não o impedia de querer conquistar o cara de vinte e seis anos, que obviamente só o via como uma criança. Mesmo que tentasse, ele acabava uma vez ou outra deixando esse lado mais infantil aparecer, ainda mais quando ele e Taehyung faziam comentários sobre Yoongi e como o cabelo ou as roupas estavam deixando ele mais sexy a cada dia.

Por mais que Jimin quisesse uma conversa casual com Yoongi, sabia que o mesmo apenas queria falar sobre a prova que aconteceria em breve. Provavelmente perguntaria se o garoto estava estudando ou pelo menos prestando atenção na aula. Isso desanimava um pouco Jimin, embora ele nem devesse exigir mais que isso de seu professor.

Assim que o fim da aula chegou, Jimin esperou que todos saissem da sala e por fim levantou para falar com Yoongi. Mesmo que não fosse mais do que uma conversa comum entre professor e aluno, o mais novo ainda se sentia timido.

— O que o senhor queria falar comigo?

— Senhor? Eu já me sinto bem velho, com você me chamando assim me sinto ainda mais — Brincou.

— Desculpa, não foi a minha intenção. O senhor, quero dizer, você não é velho. Na verdade parece bem novo, as vezes parece que temos a mesma idade. E mesmo que parecesse velho, seria um velho bonito. Não! Não foi isso o que eu quis dizer também. — Jimin falava rápido e tropeçava nas palavras, fazendo Yoongi dar uma risadinha em resposta.

— Calma! Eu agradeço pelo elogio e fico feliz em saber que pareço tão jovem para você. — Yoongi sorria para o garoto que agora parecia constrangido pela própria fala, mas para ele, aquilo era a coisa mais doce que já tinha visto. — Então… eu vi que você parece bem mais animado e disposto do que semanas atrás. Eu fico feliz que algo esteja te fazendo bem, Jimin.

— É verdade, eu estou melhor, mas não é nada demais, só que alguém me mandou um bilhete e eu fiquei feliz. — Explicou timidamente.

— Um bilhete… Você sabe quem mandou?

— Não, e nem sei se vai mandar mais, mas não importa. De qualquer forma, a pessoa me ajudou e foi muito lindo o que ela me disse. — Jimin falou com sinceridade, seguido de um sorriso bobo nos lábios e imediatamente fazendo Yoongi sorrir também.

— É bom ouvir isso, você merece esses agrados. — Após dito isso, Yoongi levou uma das mãos até o rosto do mais novo e apertou levemente a bochecha do mesmo, recuando imediatamente ao perceber a expressão surpresa do mesmo. — Era isso, só queria saber se estava bem mesmo, que continue assim. Em breve terá a prova e não deixe de estudar.

Os dois pareciam constrangidos por conta do ato, mas não havia qualquer arrependimento de ambas as partes. Talvez não tenha sido tão ruim Jimin ter falado demais, visto que a​ reação de Yoongi foi tão natural e o mesmo pareceu adorar ser elogiado da forma que só o Park conseguia fazer.


Foram inúmeras as vezes em que Jimin havia encontrado bilhetes quando entrava na sala para ensaiar. Até mesmo quando ele decidia fazer outra coisa com o seu tempo livre ele passava naquele lugar apenas para pegar as mensagens. Os elogios, com o passar do tempo, não eram mais dirigidos somente para o talento de Jimin, mas também para sua personalidade e aparência. Quando a curiosidade do moreno atingiu um novo nível, ele mesmo começou a escrever os próprios bilhetes, os deixando no lugar dos que recebia. Uma tentativa de conhecer melhor a pessoa por trás das mensagens fofas. Ele não conseguia nem sequer dar um rosto aquela pessoa, estava tão fascinado pela forma que a mesma conversava e como sabia usar as palavras nas horas certas e na intensidade certa.

Mesmo que Jimin uma vez ou outra pedisse para que aquele alguém se revelasse, sempre recebia respostas como: ​“Mesmo que eu quisesse não poderia e não pergunte o porquê.” ou ​“Amar você de perto seria maravilhoso, mas amar você de longe também é incrível para mim.” Não importava qual argumento usasse para fazer com que mudasse de ideia, parecia haver um medo, mas Jimin conseguia entender, pois também sentia.

Mesmo que nunca pudesse conhecer a pessoa por trás das mensagens, Jimin a considerava importante, pois o apoio que recebeu da mesma foi muito maior do que recebeu de quem estava próximo a ele. Suas notas melhoraram, ele acreditava mais em si mesmo e começou a amar de verdade sua dança, não porque a pessoa dizia coisas boas sobre ele, mas porque ela mostrava coisas que ele não conseguia ou se negava a ver.

“Por favor, pare de andar por aí como se não fosse o dono de todo o talento do mundo e dono do meu coração. Você deveria desfilar por esses corredores e não ficar com o rostinho tapado por esse capuz.” ​ ​

O coração de Jimin parecia que ia explodir toda vez que recebia alguma mensagem do tipo. Para ele ser o dono do coração de alguém que nem mesmo chegou a ver era estranho, mas gostava da sensação que aquilo proporcionava.

Já que Jimin não podia ver seu admirador secreto, pelo menos queria ter algo para imaginar, então pediu que o mesmo se descrevesse, até os mínimos detalhes.

​“Vamos​ ver… eu tenho cabelo preto na altura dos olhos. Meus olhos são pequenos e dizem que parecem olhos de gato. Minha boca é cheinha, mas quando sorrio, meus lábios ficam finos, ​ao contrário dos seus que continuam lindos e cheios. Minha altura, bem, isso não importa, só que sou mais alto que você. Acho que isso já é o suficiente.”

​Por mais que fosse errado, Jimin só conseguia imaginar Yoongi com aquela descrição.​ Isso traria problemas para ele caso um dia conhecesse essa pessoa e se apegasse demais a esse pensamento.


{•••}


Após obter um bom resultado na prova, Jimin poderia finalmente dar mais atenção aos seus ensaios. Desta vez ele tomaria cuidado para fazer somente o que agradasse a si mesmo e controlaria mais suas emoções.

Taehyung passou a acompanhar Jimin nos últimos dias, antes de sua segunda apresentação e enfim entendeu o porquê de seu melhor amigo amar a dança. Nunca havia visto alguém fazer algo com tanta paixão como Jimin fazia. Ele se transformava quando a música tocava e aquilo emocionou o rapaz. Taehyung desejou ter visto antes e ter dado todo o apoio que seu amigo merecia. Se sentia uma péssima pessoa por não ter estado ao lado de Jimin aquele tempo todo.

Assim que se certificou de que seus pais e seu melhor amigo estivessem com ele naquele momento, Jimin se arriscou em pedir o mesmo ao seu admirador. Ele deu o endereço do lugar e aguardou por sua resposta que, como sempre, estava lá no dia seguinte: "Me​ deixa feliz que tenha me convidado para esse dia tão importante e eu estarei lá, mas logo após a apresentação passe na sala novamente, deixarei algo para você."


Park aguardava seu nome ser chamado, a apresentação antes da sua estava quase sendo finalizada. Ele olhava para a platéia, encontrando rapidamente os rostos familiares de seus pais e amigo. Com um pouco de esperança, ele procurou mais um pouco a fim de encontrar alguém com a descrição de seu admirador, porém não obteve resultado e logo que ouviu seu nome teve que desistir.

Desta vez a ansiedade pela espera da música tomava o lugar da insegurança e nervosismo, ele estava feliz e daria seu melhor, mesmo que não fosse aceito. Pelo menos desta vez ele iria fazer tudo direito.

Yoongi estava no fundo do auditório, não queria que Jimin o visse e perdesse a concentração. Não sabia se o garoto havia descoberto que era ele quem mandava as mensagens, mas não queria arriscar. Não era a primeira vez que ele veria Jimin dançando, mas nem por isso deixava de se sentir nervoso pelo mesmo. O intuito de Yoongi no começo era incentivar o mais novo a continuar com o seu sonho e ajudá-lo quando ele estava precisando. Na noite em que viu Jimin dançando na sala vazia, ele ficou encantado com a forma que o garoto estava se entregando a música. Para ele, o único jeito de fazer isso era tocando, cantando ou compondo. Essa era a visão de um professor de música que não conhecia tudo que pensou conhecer.

Quando Jimin começou a responder seus bilhetes, Yoongi ponderou por toda a noite pensando se era melhor se envolver mais do que já havia feito. No entanto, sua curiosidade em conhecer mais afundo o rapaz foi mais forte e quando se deu conta, já havia se envolvido mais do que queria. Yoongi​ não tirava os olhos do mais novo, que executava a performance perfeitamente e no final arrancou gritos e aplausos altos de todo o lugar. Ele não conseguia expressar o quão orgulhoso do garoto ele estava. Um pouco antes da apresentação acabar, Yoongi deixou o local para preparar a surpresa da qual havia falado.

Após colar os pequenos pedaços de papéis pelo espelho, Yoongi se afastou um pouco para poder ver se havia feito direito. Ele queria que a noite do mais novo fosse perfeita, mais do que já estava sendo. Assim que alguns dos funcionários o ajudaram a levar o piano para a sala de ensaio de Jimin, o mesmo se sentou em frente ao instrumento de madeira. Quando ouviu a voz do garoto, ainda que longe, ele começou a tocar. Yoongi finalmente entendeu o que Jimin sentia toda vez que dançava e ao mesmo tempo tinha que controlar suas emoções. O mais velho estava nervoso e​ ​ pela primeira vez estava com medo de errar.

Jimin ouvia a música vinda da sala, temia que alguém pudesse encontrar sua surpresa e tira-la de lá, mas não foi o caso. Quando entrou pela porta, se deparou com Yoongi em frente ao piano. Ele tocava a música que o mais novo acabara de dançar, porém em um ritmo mais calmo. No espelho, várias folhas de um bloco de notas amarelo formava uma frase e Jimin imediatamente entendeu quando olhou para Yoongi.

Os dois entendiam o quanto seria difícil uma relação entre eles, Yoongi ainda mais. Mas naquele momento, diante de tudo e das coisas que realmente importavam, nenhuma dificuldade era tão relevante a ponto de fazer Min Yoongi mudar de ideia e não era Jimin que o impediria de tentar.

Por mais que as coisas fiquem difíceis, temos que continuar tentando. Acreditar em si mesmo é algo extremamente importante. Não irei dizer que se não for assim ninguém irá acreditar em você, isso não importa. Temos que saber que na maioria dos momentos teremos apenas a nós mesmos e isso terá que bastar, mas tenha alguém que saiba mostrar a você todo o potencial que talvez não consiga ver por conta de algum problema que teve ou seja esse alguém. Para você ou até mesmo para outra pessoa. Acredite que nada está perdido mesmo que pareça estar, tudo um dia acaba e os problemas vão embora, mas nunca deixe que eles te atrapalhem e façam você desistir.


온 세상이 어제완 달라

그냥 그냥 너의 기쁨으로


“The whole world is different from yesterday just with your joy.”


“O mundo inteiro está diferente do que era ontem apenas com sua alegria.”

1 Juillet 2021 19:51:20 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~