lullabywoonder Lullaby Woonder

Jimin e Jungkook são amigos . Mas tudo muda quando Jimin decide contar seu segredo secreto para seu melhor amigo, mas o Park não sabia que iria gerar tanta repercussão. "- Você não faz meu tipo." [Plágio é crime!]



Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 21 ans. © V(n)fmt

#nudez #lgbt #bissexualidade #yaio #boyslove #bl #Jikook
2
1.5k VUES
En cours - Nouveau chapitre Everyday
temps de lecture
AA Partager

capitulo 01

『Autora』

☪ Três anos atrás ☪

O ensino médio, talvez a época escolar mais desejada por muitos e também a mais odiada. O ensino médio é onde fazemos descobertas; amigos que provavelmente levaremos para a vida inteira; a época onde descobrimos nosso estilo e nossas ambições para o futuro.

Jimin tem seus 15 anos, ele mora em Daegu, uma cidade metropolitana da Coreia do Sul junto ao seu querido pai. Ele estuda em um colégio particular, mas o pequeno Park não era esnobe como os outros adolescentes, mas ele é um garoto bom e muito gentil.

— Jimin. — Min-ho o chamou indo até o mencionado.

O garoto de madeixas azuladas era colega de sala do Park, eles não eram muito próximos, mas Min-ho sempre tentava puxar assunto com o loiro.

— Oh, oi Min-ho. — Jimin o cumprimentou.

— Jimin, queria te chamar para sair comigo... — O mais velho colocou suas mãos na nuca envergonhado. — Podemos ir ao parque ou a uma sorveteria…

Jimin olhou confuso para o outro, ele estava tão nervoso apenas em o chamar para sair?

— Pode ser. — Jimin concordou com um sorriso no rosto.

— Eu irei te buscar na sua casa, às três horas.

— Estarei te esperando — Jimin sorriu.

Min-ho se despediu e foi até seu grupinho de amigos com sorriso vitorioso estampado em seus lábios.

『Park Jimin』

Assim que as aulas acabaram eu fui direto para minha casa. Nem ao menos me despedi dos meus amigos.

Eu fiquei surpreso por Min-ho me chamar para sair, ele é um garoto popular no meu colégio.

Meus amigos falaram para eu não sair com ele, Min-ho é Gay. Meus amigos não gostam dele devido a sua sexualidade... O que eu acho sem sentido.

Mesmo sabendo que ele é gay eu vou sair com ele, só porquê ele tem uma orientação sexual diferente da minha não quer dizer que ele não seja legal. Não é?!

Quando entrei em casa, deixei meus sapatos ao lado da porta e coloquei meus sapatos de usar na casa. Senti o cheirinho delicioso do almoço, papai sabia mesmo fazer comidas deliciosas.

— Jimin, você chegou. — Disse o meu pai vindo até a mim. — Como foi seu dia de aula?

— Foi bom. — Eu falei. — Vou levar minha mochila para o quarto.

— Não demore, estarei na sala de jantar te esperando para almoçarmos.

Eu concordei e subi as escadas indo direto para o meu quarto.

Meu pai é jornalista, sempre a tarde/noite ele sai para trabalhar. Logo nós vamos nos mudar, ele encontrou uma proposta de emprego melhor em Busan.

No momento só sou eu e meu pai, mas isso pode mudar a qualquer momento, papai sempre está acompanhado por uma mulher, muitas desistem ao saber que ele tem filho (no caso eu) o que me faz sentir culpado...

Mamãe não mora conosco, ela se separou de papai quando eu ainda era muito novo. Lembro-me vagamente daquela época em que papai e mamãe sempre brigavam...

Segundo o meu pai, em uma discussão mamãe falou querer sair do país para finalmente realizar seu sonho como modelo, mas papai descordou. Ele falou que nós tínhamos tudo o que precisamos e sair do país estava fora de cogitação.

Então mamãe nos deixou, uns dois anos depois ela voltou com o pedido de separação, papai aceitou. O amor entre eles acabou muito rápido, mas nunca entendi o real motivo...

Eu nunca fiquei com ela, nem mesmo um dia. Papai fala que não é para eu gastar o tempo dela. O que eu acho meio injusto...

Voltei para o andar de baixo e fui até a sala de jantar. Papai já estava lá, ele me serviu.

— Obrigado. — Eu agradeci e me sentei em sua frente. — Pai, hoje eu vou saiu com um amigo... Tem problema?

— Claro que não. — Ele respondeu. — Só não volte tarde, sabe que fico preocupado.

— Eu não voltarei tarde. — Sorri. — O senhor vai ter que ir trabalhar hoje?

— Infelizmente sim, vou chegar às 21h como todos os dias. — Ele respondeu.

— Ok.

•••

Eu estava quase pronto para ir, só faltava terminar de arrumar meus cabelos.

Ouvi batidas na porta do meu quarto.

— Pode entrar.

— Filho, seu amigo está lá embaixo. — Papai me avisou.

— Eu já vou descer. — Eu respondi.

Eu terminei de me arrumar e desci as escadas pulando alguns degraus.

— Min. — O chamei.

Ele estava muito bonito. Ele usava um casaco vermelho e uma blusa branca, a calça dele era jeans, mas não ficava colado em seu corpo, o que deixava ele mais bonito.

Ele sorriu ao me ver.

— Jimin... — Ele falou baixinho. — Vamos? — Ele me perguntou e eu concordei.

Me despedi de meu pai e sai de casa com Min-ho.

— Você está muito bonito! — Ele me elogiou.

— Você também está muito bonito, Min. — Ele sorriu, ele ergueu seu braço minimamente e eu entrelacei nossos braços.

— Aonde vamos primeiro? — Perguntei

— Vamos para a sorveteria e depois para o parque. — Ele falou animado.

•••

O dia com Min-ho foi divertido, ele não é como no colégio, ele é um garoto extrovertido e muito alegre.

Ele me fez rir quase o dia inteiro.

— Acredito que já vou indo. — Eu falei assim que começou a anoitecer.

— Eu te acompanho se quiser. — Ele ofereceu.

— Eu vou aceitar sua companhia. — Falei e ele sorriu.

Andamos em silêncio até a minha casa. Min-ho tinha um sorriso enorme no rosto.

— Sabe Jimin, sempre admirei você. — Ele confessou. — Você é um garoto de sorte.

— Sou?

— Você sempre está rodeado de pessoas, todos amam você, por quem você é...

Eu não entendi onde ele queria chegar naquela conversa...

Assim que chegamos na frente da minha casa ele respirou fundo e fechou seus olhos.

— Jimin eu gosto de você... — Ele falou baixinho.

— Você... Gosta de mim? — Perguntei surpreso.

— Eu gosto muito de você, Jimin... Há muito tempo.

Eu não sabia o que responder, ele estava se declarando para mim. Eu não sabia que Min-ho sentia paixão por mim.

Ele se aproximou de mim e olhou nos meus olhos, nossos rostos estavam tão próximos... Ele não se moveu, parece que ele dava tempo para mim me distanciar dele. Mas eu não conseguia me mexer.

Ele fechou seus olhos e selou nossos lábios, foi apenas um selinho demorado, mas parece que significou muito para ele. Ele sorriu assim que se distanciou.

— Talvez você não me ame... Mas eu vou te esperar Jimin, irei respeitar seu tempo... — Ele pegou um papel de seu bolso e colocou em minha mão. — Me mande uma mensagem assim que tiver sua resposta final...

Ele sorriu e seguiu o caminho, provavelmente para sua casa. Eu olhei o papel com o número dele, eu guardei em meu bolso e entrei em casa.

A casa estava totalmente vazia, eu subi para o meu quarto e me joguei em minha cama.

Eu toquei meus lábios, e fiquei olhando o teto do meu quarto.

— Ele gosta de mim... — Falei sozinho. — Ele me beijou... — Eu me sentei na cama e fiquei sério. — E eu gostei. Mas eu não posso gostar! Ou posso? — Me deitei na cama novamente. — O que isso significa? — Eu me virei na cama.

Notas Finais
Mais uma vez aqui 💜
Bom quando aos dias das postagens eu não tenho tanta certeza com os dias, mas planejo postar a cada dois dias. Vou pensar sobre isso😉

27 Juin 2021 16:42:45 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant capitulo 02

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 60 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!