agustdeadtown Vick

❝Onde Jungkook odiava não ser bom em matemática e Namjoon vai até o seu apartamento lhe ensinar as operações❞. [Yaoi | Romance & Hot | au!¡ | One Shot Fanfic | Jk!¡bottom | Nj!¡tops] [18+ Contém sexo homossexual] ©2017 agustdeadtown Todos os direitos reservados!


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#yaoi #namjoon #bts #jungkook #lemon #rm #namkook
1
1.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

único: mathematician

📷

Era oito da manhã e ele sentia dores de cabeça. Questionava como haviam tantos alunos no bar em frente ao campus e como eles conseguiam ser tão barulhentos. Quando se inscreveu em edificações, pensou que um curso técnico em uma faculdade pública seria capaz de lhe ensinar a crescer no mercado de trabalho e como homem. No segundo semestre, Jungkook já queria morrer de tanto estresse.

Mordeu mais um pedaço do folhado de queijo, o bico nos lábios pelo descontentamento, os fones de ouvido tocando uma faixa eletrônica em uma falha tentativa de dar-lhe motivação para as próximas aulas. Ao seu lado, sentado à mesa, Jimin tagarelava com Namjoon, mostrando um conjunto de desenhos para uma das aulas de representação técnica.

Namjoon era o cara mais inteligente que havia se aproximado de si. Jimin vinha em segundo lugar. Quando colegial, Jeon era bom nos esportes, ficando hiperfocado em taekwondo e natação. No último ano, porém, as modalidades perderam certo encanto para si. Foi a grande decepção e uma semana acamado questionando o que estava acontecendo consigo que levou a mãe do garoto incentivá-lo a buscar outra coisa que gostasse.

Jungkook passou um par de meses encarando as ruas atrás de profissões que lhe dessem curiosidade e, encarando uma construção perto do metrô que pegava para visitar o primo mais velho, foi que se encantou com o processo civil.

Correu para a mãe para perguntar o que sabia sobre os rapazes que trabalhavam lá e como os prédios se erguiam tão rápido com a ajuda das máquinas grandes. Semanas depois, estava se inscrevendo para um vestibular. O objetivo era engenharia, mas queria ir com mais calma, medo de outro hiperfoco que acabaria ainda mais rápido que o primeiro.

Mas voltando a Namjoon, sua estrela, foi no primeiro dia que o conheceu. Perdido demais no campus enorme e parecendo uma criança com aqueles olhos gigantes, avistou o Kim sentado em um banquinho com a pintura branca descascada, perto do chafariz, lendo um livro que ele nem se recordava o título, fora a cor da capa: verde escuro. Parecia ser gentil e foi com esse pensamento que Jungkook se aproximou do veterano.

Não precisou abrir a boca para ter os olhos de dragão para si e um sorriso caloroso. - Tá perdido, criança? - Concordou em silêncio. Aish, vergonhoso.

Descobriu que Namjoon era bolsista e estava no campus a duas semanas, além disso era da mesma turma que si, o que foi um tremendo alívio, pois o Kim logo lhe acolheu. Apesar de ser frequentemente chamado de criança por ele, Jungkook gostava muito da presença do Kim.

Ele gostava mesmo de Namjoon, seu hyung era um pedaço de mal caminho, e ele era um dos poucos alunos que olhavam para ele daquela forma. Isso porque o mais velho sempre apresentou um comportamento muito tranquilo e suave com todos, restando poucos traços que o colocassem em uma posição de romance.

Jungkook aproveitou aquele pequeno intervalo para retirar da bolsa o caderno fino. Levantou-se do seu banco para dar a volta na mesa e sentar ao lado do Kim. - Namjoon hyung, pode me dizer o que eu fiz errado? O desenho saiu muito diferente do que a professora passou, mas eu fiz o cálculo certo!

Namjoon folheou o caderno do rapaz e passou a observar o que havia de errado ali... e porra, se pudesse, faria Jungkook repetir todo o fundamental. - Jungkook tem alguns... muitos erros. - Disse baixo e o menor abaixou a cabeça. Havia se esforçado tanto para fazer aquele projeto e havia errado tão feio assim?

- Desculpa hyung, vou fazer de novo. - Impulsionou o corpo para se levantar e assim que ele estendeu seus braços para pegar o caderno na mesa, Namjoon o parou.

- Eu irei te ensinar algumas coisas de novo, Jungkook. Posso ir à sua casa no final dessa tarde?

Jungkook levou uma das mãos até o queixo e tentou lembrar se tinha algum compromisso marcado para aquele dia, mas sua agenda estava vazia. O moreno balançou a cabeça aceitando o convite. Jimin do outro lado da mesa sorriu ladino, logicamente o hyung iria treinar matemática com o caçula deles, mas sabia que depois ele teria outros planos.

- Ok, tente fazer novamente. Estude um pouco a relação de escalas no módulo dois ok? - Jungkook assentiu e correu novamente até sua bolsa para retirar um par de lápis grafite e seu livro, recomeçando o projeto do zero.

[...]

Quando o último bloco de aulas deu-se por fim, Jungkook atravessou o campus e voltou para seu apartamento encima de um skate totalmente preto. Apesar da personalidade, Jungkook era um tanto quanto gótico no modo de vestir. Era um bom contraste para quem o conhecia.

Morava sozinho há algum tempo, os pais estavam morando em outro país graças a um bom projeto de startup que deu certo. O porteiro, era o homem responsável em dedurar caso o rapazinho aprontasse alguma muito ruim, como no dia em que bebeu além da conta e chegou tropeçando os degraus da portaria.

Fora isso, o morador do oitavo andar era um bom menino e lhe cumprimentava sempre que entrava e saia do prédio. Jeon entrou no apartamento com certa pressa, recolhendo a bagunça gerada pela sua noite de estudos e pizza. Namjoon já avisara sobre estar a caminho e que estava levando lámen apimentado para comerem.

Com o lar mais apresentável, Jungkook se jogou no sofá e ligou a televisão, ansioso demais pela visita do hyung. Assistiu o programa de batalhas de hiphop, a imaginação fazendo-o pensar como seria Namjoon em cima de um palco. Kim era trainee em uma empresa pequena, era um sonho secundário: ser rapper famoso. Já havia visto um par de letras do hyung. Talentoso.

Ouviu a porta ser batida e estranhou o ato, seu porteiro costumava avisar as visitas. Mesmo assim, tomou iniciativa. Poderia ser a vizinha, senhora Lee, querendo lhe dar mais dos quitutes que fazia para o neto de consideração, não é?

Desligou a televisão e andou até a entrada. Assim que abriu a porta seus olhos viram Kim Namjoon e naquele momento Jeon teve certeza: Namjoon era um pornô.

- Pode entrar, hyung. Desculpa se tá meio bagunçado e cheirando a apartamento de adolescente, não sabia que ia receber visita.

- Tudo bem, criança. Vamos comer primeiro, ok? - Fechou a porta atrás de si.Não se acanhou e partiu até a cozinha, colocando água na chaleira para ferver. Depois, andou até o meio da sala espalhando alguns livros pela mesinha central.

Enquanto Jungkook arrumava o próprio material, Namjoon preparou os potinhos de lámen. Lembrava exatamente de como os lábios de Jeon ficavam inchados e vermelhos por conta da pimenta. Queria saber como seria chupá-los durante um beijo.

- Aqui, Goo. - Estendeu o potinho para o mais novo. Sentou em frente a mesinha.

- Hyung, você não está com fome?

Namjoon apenas negou com a cabeça e sentou no chão batendo em suas pernas em seguida. Jungkook estranhou por um momento e ficou parado onde estava, em pé.

- Sente-se saeng - Bateu nas coxas novamente. Jungkook receoso andou até o homem fazendo o que o mesmo havia pedido - Vou te ensinar como deve fazer as contas do zero.

- Ah... mas eu sou bom com cálculos básicos. Eu só tenho aquele problema com as escalas.

Namjoon revirou os olhos e apenas arrancou uma folha do caderno. Desenhou algumas plantas, todas iguais porém em escalas diferenciadas e mostrou para Jungkook.

- Quanto maior o número por qual você divide, menor será o seu desenho. Suponhamos então que esse primeiro esteja em um para cem e esse em um para cinquenta. Qual vai ser o maior?

- Um para... cinquenta!

- Isso mesmo. Primeiro quero que faça essas contas. Se você conseguir dividir os valores pelas escalas, vai errar menos na hora de desenhar. Por isso, estamos trabalhando com multiplicação e divisão primeiro. Depois partimos para alguns desenhos.

- Ah, isso faz muito sentido. - Balbuciou, os lábios já inchando enquanto reclamava do nível de pimenta.

Apesar de tudo, não era esquisito ficar no colo dele daquele jeito. Namjoon era quente e aconchegante. O Kim sorriu e pegou mais uma folha. Começou a revisar as teorias básicas com o mais novo, sempre tomando notas em um caderninho.

- Faça essas contas pra mim. Quando terminar, irei corrigir e se você se sair bem, terá uma recompensa - Jungkook concordou e pegou a lapiseira fina do estojo do mais velho.

[...]

Jungkook não perdeu a concentração em nenhum momento, estava disposto a deixar seu hyung orgulhoso, pelo menos uma vez naquele dia. Fez todas as contas com calma, usando os macetes que o Kim havia passado durante a revisão. Pareceu mais fácil realizar as contas com o rapaz ali consigo, entretanto sem o pressionar.

Namjoon se concentrava em um vídeo de ópera no celular, mas na verdade ele queria era estar assistindo algum pornô, mas provavelmente ele ficaria duro com o mais novo no seu colo.

Hora ou outra, Jungkook se mexia no colo do mais velho e Namjoon se concentrava em pensar que aquilo era somente algo que o saeng estava fazendo sem perceber.

Porém não era bem assim que o bonde tocava na mente de jungkook. Tudo era proposital.

- Eu terminei, hyung. - Namjoon bloqueou o celular e pegou a folha e uma caneta para corrigir. Jungkook havia devorado dois potes de lamen e já implorava pelo terceiro. Faminto de tanto pensar, segundo ele.

Assim que o processo se encerrou a nota nove e meio foi escrita no canto direito da folha, dentro de um círculo.

- Você foi ótimo, saeng. - Sorriu para o mais novo. Jungkook virou-se de frente para o mais velho, deixando uma perna de cada lado do corpo alheio. Estava contente demais, parecia bem mais fácil estudar com o Kim. Era divertido.

- E qual é a minha recompensa? Eu gosto de chocolate, hyung.

Namjoon concordou, as mãos apertando a cintura fina com certa força. Era bonitinho ver Jeon perdendo o ritmo da respiração com algumas insinuações. Estava cedendo.

- Eu levo chocolate 'pra você na segunda, ok? - Aproveitou a deixa para se aproximar mais do rosto. Os lábios finos atraindo seus olhos. - Você-

- Tudo bem, hyung. - Interrompeu. Jungkook tomou a iniciativa e beijou-lhe, agarrando os músculos dos braços de Namjoon em nervosismo. Minha nossa!

A boca dele era gélida, o que parecia melhor do que todos os outros meninos que havia beijado antes. Namjoon era calmo, acariciando a cintura por dentro da camisa, as pontas dos dedos mais geladinhos que o restante da mão não lhe incomodava. Não percebeu seu quadril começar a rebolar instintivamente. Namjoon chupou seus lábios, ouvindo-o reclamar em um gemido.

- Jungkook você já pensou em alguém te satisfazendo? - O menor travou totalmente e Namjoon desceu a mão da cintura para o íntimo sem ereção do mais novo.

- N-não, ah hyung. - Tombou a cabeça para trás ao sentir a mão do homem adentrar seu jeans e sua cueca. Jungkook gemeu em êxtase ao sentir o mais velho lhe estimulando, nunca pensou que os fetiches imaginados pelas noites escuras poderiam ser realizados, ainda mais por Kim Namjoon.

As mãos do mais novo desceram pelo peitoral de Namjoon, abrindo os botões da camisa branca. Sua boca salivou ao inspecionar rapidamente o peitoral definido em sua frente. Namjoon realmente falava sério quando dizia malhar para aliviar o estresse.

- O hyung é sensível aqui? - Perguntou baixinho, a destra alisando o peitoral e parando sobre os seios. Brincar um pouco ali fez o sunbae se arrepiar algumas vezes, além do membro começar a endurecer de forma mais rápida. - Eu posso... chupar?

Namjoon subiu a destra até os fios castanhos, guiando o rosto do rapaz para realizar o que ele quisesse. Jungkook aproveitou da textura da pele, sugando quase faminto, fazendo o mais velho rosnar. Kim sabia que o Jeon gostava de manter a boca ocupada sempre, então aquilo estava sendo prazeroso para ambos.

Porém, o rapaz não perdurou muito naquilo e logo se afastou. Levantou do colo do colega de faculdade e lhe ajudou a levantar também, direcionando-o corredor a dentro. Fechou a porta do quarto escuro com o pé e deitou o mais novo na cama, subindo sobre o corpo dele. Os lábios avermelhados eram atrativos demais para Namjoon, deixavam Jungkook sexy, a inocência dos olhos jabuticaba que brilhavam brigando com o sorriso ladino nos lábios finos, os cabelos jogados pelo travesseiro branquinho e a respiração descontrolada fechavam o combo com graça e divindade.

Jungkook ajudou o hyung com cada uma das peças de roupa, tirando uma por uma sem pressa, deixando apenas a cueca no corpo dele. Namjoon desvendou cada parte do corpo com os olhos dragão, os ombros largos, a presença de músculos surgindo no abdômen e a cintura mais fina, o quadril criando uma curva incrível para se admirar.

- Tá tudo bem, hyung. - Voltou a garantir.

Levantou-se da cama para retirar as roupas do mais velho. Com calma, retirou a camisa que estava aberta e estudou o tórax largo, a respiração evidenciando o peito subindo e descendo. Em tudo era assim, Jeon sem desespero e o Kim com toda a ansiedade que existia em si.

Livrou-se dos sapatos e da calça, desejando ajoelhar entre as pernas torneadas do Kim, para lamber e mordê-las. Controlou-se, deixando a cueca alheia nele, almejando degustar mais tempo daquele ato. Entrelaçou os braços nos ombros do mais alto, a destra amarrando alguns fios do cabelo macio entre os dedos para puxar com suavidade.

- Eu 'tô me saindo bem, Joonie? - Questionou rente aos lábios carnudos.

- Você está se saindo perfeitamente bem. - Elogiou.

Namjoon voltou a deitar Jungkook no colchão casal, a destra apertando a cintura para domar os lábios novamente. Sentia o próprio membro dolorido, não esquecendo-se do alheio marcando na cueca do Jeon.

Levou três de seus dedos aos lábios de Jungkook, as informações mais que claras resultaram nas falanges sendo babadas e sugadas com força. Namjoon evitou imaginar como era o oral que aquele jovem faria se tivesse a oportunidade, afundou os dedos na garganta, vendo-o arregalar os olhos e engasgar, baba escorrendo por seu queixo. Afastou-os após, fazendo uma liga de saliva se pender dos lábios vermelhos do Jeon.

De repente Jungkook ficou ansioso, adiantou-se em remover a cueca que usava, expondo o membro pingando pré-esperma. Despreparado totalmente, buscou pela mão inicialmente lubrificada, direcionando-a onde era alvo.

Forçou o dedo para dentro, um por um, fazendo paradas consideráveis entre eles para acostumar o músculo íntimo com o novo corpo. Já havia feito aquilo antes, sozinho, então pareceu bom para si que pudesse controlar aquela etapa, deixando Namjoon com os posteriores passos.

Gemeu baixinho, quando Namjoon passou a controlar os movimentos por si mesmo. Buscou os olhos escuros, conectando-os em silêncio. O Kim lhe incentivou a não se censurar, extravasando os gemidos e suspiros que guardava.

Mais relaxado, o mais velho se afastou, retirando a cueca de si. Bombardeou o membro com dificuldade, a ausência da lubrificação natural que fora sugada pelo tecido da roupa íntima.

- Hyung, na gaveta. - Avisou sussurrado, apontando para a cômoda camiseiro. Os olhos fechados para evitar repetir os movimentos do Kim em seu próprio pau. - Tem tudo na gaveta.

Namjoon foi rápido em ir até a mobília, abrindo a primeira gaveta. Ignorou a caixinha do vibrador entre as cuecas limpas e buscou o tubinho de lubrificante e as camisinhas que estavam próximas, retornando a cama após.

Sentou-se no colchão, costas apoiada na cabeceira. Vestiu o preservativo com cuidado, estendendo o lubrificante para Jungkook, deitado ao seu lado. O estudante ergueu-se e se ajoelhou entre as pernas esticadas. Despejou do líquido translúcido no membro protegido, para então estimular ali, espalhando-o.

Namjoon lambuzou mais da entrada do Jeon, antes de deixar que ele pairasse sobre seu pau, descendo e penetrando-se no ritmo que era-lhe mais confortável. Grunhiu pelo aperto da cavidade, a cabeça pendendo para trás.

Jungkook aproveitou do pescoço exposto para deixar a língua percorrer ali, o gosto de suor misturado com o amargo deixado por algum perfume. Passou a movimentar-se, o incomodo da penetração sendo suportável.

- Namjoon - O menor travou ao que abriu os olhos e olhou para o mais velho ali, começando a elevar os quadris, o fodendo.

O menor não fez nada apenas agarrou a nuca do Kim e o trouxe para mais um beijo. Namjoon diminuiu a velocidade ao perceber que o Jeon estava incomodado com algo. Jungkook era virgem?

- Está tudo bem? - Jungkook assentiu.

As pernas cansadas, foram notadas pelo Kim, que inverteu as posições, deixando-o deitado para que pudesse aumentar o ritmo e ondular os quadris com mais facilidade. Beijou os lábios de Jungkook, em um vício que era incapaz de controlar.

Selou o pescoço e ombros, a mão descendo entre os corpos para alcançar o membro do Jeon e dar-lhe prazer naquela região. Ouviu com encanto os gemidos e os suspiros do mais novo, estocando os quadris contra o aperto da mão em seu pau.

Por ser algo novo, Jungkook não demorou muito para atingir o ápice, olhos revirando e nublando-se ao que sentia os jatos de porra deslizarem pau a fora. Namjoon aproveitou do aperto e as contrações para gozar também, a camisinha enchendo-se em um par de jatos bem vindos.

Namjoon procurou o banheiro e livrou-se da camisinha corretamente, buscando no armário da pia uma toalha limpa. Umedeceu o tecido para retornar ao quarto e limpar o corpo de Jungkook, que resfolegava baixinho, recuperando a energia gasta. Arrumaram-se na cama, Jeon aconchegando a cabeça no peitoral do Kim, olhando o abajur apagado que havia do outro lado do quarto.

Nos livros, perder a virgindade com alguém que se admira era tão bom e inesquecível.Parecia tão esquisito.

- Eu fiz algo errado, hyung?

- Não, Kook. - Namjoon alisou os cabelos castanhos, um cafuné que lhe acalmava. - Você foi muito bem. Agora durma, deve estar cansado.

O Jeon concordou com a cabeça enquanto sentia a pele quente em sua bochecha. Fechou os olhos e pouco tempo depois adormeceu sobre os braços de um Namjoon sorridente, contente consigo mesmo.

[...]

A luz solar em seus olhos não era o jeito que gostaria de acordar aquele dia. Jungkook esticou os braços, a procura do corpo quente de Namjoon pela cama. Permaneceu tateando a colchão.

Espreguiçou-se, a dor na lombar e nas coxas fazendo-o reclamar em gemidos sofridos e lamúrias indecifráveis. Caminhou até o banheiro a procura de um banho que lhe tirasse aquela sensação esquisita. Sensação de ter sido usado.

Parou em frente ao espelho e observou os pequenos chupões deixados de lembrança por Namjoon. De certa forma ele estava chateado, pois havia perdido algo com alguém que apenas o contou como mais um.

Pegou uma cueca limpa e uma bermuda para si, vestindo-as longe do reflexo julgador do espelho. Atravessou o corredor indo até a cozinha atrás de um copo d'água. Encontrou sobre a bancada uma pequena bandeja com uma garrafa de café novo, torradas com geleia e uma maçã, além de remédio para dor.

Pegou o bilhete e deu uma mordida na fruta vermelha, lendo o que estava escrito ali. A caligrafia delicada e um tanto caprichada fez com que Jeon acabasse por sorrir, geralmente Namjoon não tinha aquele cuidado todo com a letra.


"Não pude ficar com você até que acordasse, me sinto feliz em saber que me esperou para ter sua primeira vez.

Aproveite o café e estude mais, ou terei que estudar com você novamente.

Pergunte aos seus pais que dia posso jantar na casa deles, quero te pedir em namoro na frente dos mesmos ;)

Kisses my mathematician.

- Kim Namjoon".

6 Juin 2021 18:47:49 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~