camimlrco

"Kook queria tentar algo novo com seu Tae após encontrar um vídeo na internet." Oneshot. NÃO ESTÃO AUTORIZADAS ADAPTAÇÕES E/OU REPOSTAGEM. A história é totalmente fictícia e não tem relação alguma com os idols mencionados e suas vidas particulares. O intuito dessa obra é entreter e nunca, jamais, ofender alguém. >Disponível também no Wattpad<


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#yaoi #oneshot #bts #jungkook #lemon #vkook #taekook #kookv #taehyung #pwp #cumcontrol
2
5.4mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Único

Já fazia mais ou menos oito dias que Jungkook tentava juntar alguma coragem para conversar com seu marido.

Mais de uma semana atrás, o Jeon estava mexendo na internet navegando por alguns vídeos pornô amadores, os quais eles julgavam verdadeiros e realmente excitantes, quando uma prática até então desconhecida por si o chamou atenção.

Era uma vontade comum do casal realizar algumas de suas vontades e fantasias, nunca realmente entrando no BDSM, mas tentando de forma consciente algumas práticas que eles sabiam ser mais desenvolvidas dentro da comunidade.

A prática favorita do Jeon era amarrar o marido em sua cama e sentar em seu membro teso até que o outro implorasse para que ele soltasse pelo menos uma mão. Já o Jeon mais velho, Taehyung, gostava muito de ver o marido com orelhas de raposa, acompanhadas de um plug anal com um extenso e peludo rabo laranja.

Mas o que Jungkook viu era algo que nem tinha passado pela mente dos dois ainda, e aquilo o fez ficar duro assim que se imaginou naquela situação com o seu homem.

É certo de que os dedos longos e a palma quente do mais velho faziam maravilhas quando masturbavam o mais novo, o fazendo gemer manhoso e logo depois implorar que seu marido o levasse para qualquer lugar privado e o fodesse fundo.

Por isso, a imagem de um homem sendo masturbado enquanto tinha suas mãos e pés amarrados na cadeira, além de sua boca amordaçada, o fez viajar e fantasiar sobre como seria estar amarrado a uma cadeira.

E, por mais que a ideia pudesse parecer estranha, já que normalmente era o Jeon mais velho que ficava amarrado, ele decidiu que precisava matar aquela curiosidade, aquele tesão.

— Amor.

Jungkook estava deitado no sofá, entre as pernas do marido enquanto suas costas descansavam no peitoral bronzeado e definido. Os dois escolheram um filme para assistir naquela tarde de terça, já que era o primeiro dia de férias de final do ano.

— Oi, meu bem.

Taehyung descolou os olhos da tela e passou a prestar atenção no homem ali acolhido em seu peito. Seus fios, agora pintados de rosa, tinham o cheiro característico do shampoo de pêssego que ele tanto gostava, além de estarem macios como nunca foram.

O mais novo virou devagar, mirando suas orbes escuras e intensas do marido de fios castanhos.

— Tem algo que eu quero conversar com você.

Jungkook ficou de lado entre as pernas do marido, jogando as próprias por cima de uma delas. Uma das mãos de Taehyung passou a acariciar a coxa branquinha exposta pela ausência de short, enquanto a outra repousava nas nádegas redondinhas do mais novo.

— Pode falar, meu amor.

O mais velho ofereceu seu sorriso retangular, encorajando o marido a continuar com aquela conversa, já sabendo bem onde aquilo iria parar.

Quando Jungkook ficava tímido e ao mesmo tempo manhoso, Taehyung já sabia que ele iria propor uma nova fantasia para que os dois realizassem, ou ia mostrar algum vídeo para si. Foi assim quando o mais novo queria ser fodido pelo marido vestido em um uniforme de piloto, ou quando ele quis sentar no mais velho no banco de trás do carro deles, em um estacionamento deserto.

— Eu vi na internet... Um vídeo... – o sorriso do mais velho assumiu um tom de malícia quando o mesmo confirmou estar certo sobre suas suspeitas. – Foi um daqueles amadores que eu gosto, sabe?

— Sei sim. – Taehyung apertou a nádega durinha do marido, se aproveitando do rumo que a conversa estava tomando.

— E eu vi uma coisa nova, chama cum control. Eu pesquisei um pouco na internet sobre isso, e vi que o objetivo é manter um nível de excitação bem alto, quase atingindo o máximo, mas sem chegar em um orgasmo de fato.

O Jeon mais novo já respondia aos toques que recebia. Era difícil não mexer o próprio quadril quando as mãos do marido estavam em seu corpo, uma apertando sua bunda com vontade e a outra acariciando sua coxa e seu membro coberto somente pela cueca box.

— Mostra o vídeo pra mim, bebê.

A voz do mais velho pareceu mais grave ao dar voz ao pedido, fazendo o Jeon mais novo se arrepiar. Ele se levantou do sofá e subiu até o quarto, buscando o celular e logo voltando para se aconchegar entre as coxas do marido.

Depois de poucos toques na tela do celular, e muitos em sua pele por parte do mais velho, Jungkook escolheu um vídeo de quase vinte minutos, o mesmo que assistiu dias atrás ao descobrir a nova prática.

Os dois se ajeitaram e Taehyung fez questão de puxar o marido e encaixar a bundinha redondinha do mais novo bem no meio de suas pernas, deixando que o mais novo soubesse como seu membro já estava duro só com a ideia de fazer uma brincadeira nova com seu homem.

Jungkook segurava o celular com uma mão, quase o derrubando em alguns momentos, e com a outra ele apertava a coxa bronzeada ao lado de seu corpo. Taehyung não perdeu a oportunidade e resolveu que seria muito mais interessante para os dois que uma de suas mãos ficasse por dentro da camiseta de algodão do marido, brincando com o mamilo durinho, enquanto a outra se ocupasse em apertar a ereção que já crescia na cueca do mais novo.

Ficar parado enquanto assistia um vídeo pornô que seu marido gostou, o mesmo estando visivelmente excitado, não era uma opção.

Durante os torturantes vinte minutos, o mais velho prestou o máximo de atenção aos atos dos homens daquele vídeo. Ele conseguiu ver que o homem que era estimulado estava amordaçado, tinha os membros presos o suficiente para não permitir que ele se estimulasse sozinho, mas frouxa o suficiente para que ele conseguisse projetar o quadril para frente inúmeras vezes.

O outro homem, o qual quase não aparecia no vídeo, o masturbava de forma lenta e pausada, sempre tomando cuidado para que o companheiro não gozasse tão cedo, e o tocava em outras partes do corpo também. Os mamilos e os testículos eram estimulados, além dos momentos em que ele penetrava um ou dois dedos na entrada do outro, arrancando gemidos arrastados apenas por deixá-los ali, sem de fato mexer.

Ao final do vídeo, o mais novo já estava todo mole com o corpo apoiado no seu e respirando pesado. A cueca azul contava com uma pequena mancha formada pelo pré-gozo do mais novo, o membro parecia implorar por algum tipo de alívio e o lábio inferior tão clarinho já estava bem vermelho.

Jungkook já ficaria excitado somente de ver o vídeo, ou somente de ter seu homem o tocando, quando os dois aconteciam ao mesmo tempo, seu cérebro parecia que ia derreter por não conseguir processar toda a informação que recebia.

— Fala pro seu hyung, você quer fazer isso como? Uh?

As duas mãos bronzeadas estavam agora no quadril enfeitado por algumas gordurinhas do mais novo, o incentivando a rebolar e se esfregar contra o membro teso que era prensado contra sua bundinha.

— Ah Tae... – um gemido foi inevitável quando o mais velho usou de seu músculo úmido para lamber o pescoço do marido e terminar chupando o lóbulo de sua orelha. – M-Me amarra, hyung.

Meio segundo foi o tempo necessário para que Taehyung entendesse que o marido estava pedindo para ser amarrado e torturado daquela forma gostosa que viu no vídeo. Seu coração parecia ter desaprendido a bater quando um sentimento eufórico tomou seu peito ao perceber que finalmente poderia fazer com o mais novo o que ele fazia consigo.

Ele iria devolver tudo aquilo que sentiu ao estar amarrado na cama, totalmente incapaz que apertar o corpo gostoso que quicava sem dó em seu membro.

Claro que seus pensamentos não o levavam a uma vingança ruim, onde ele traumatizaria o mais novo. Ele tinha em seus planos o fazer sentir a dor de querer algo e não poder fazer, e logo depois o prazer imensurável de finalmente receber da outra pessoa aquilo que tanto queria.

— Vamos subir pro quarto, bebê.

Jungkook se levantou com o corpo ainda mole, dando espaço para que o marido se levantasse também, mas não foi para a direção das escadas. Caminhando devagar, ele puxou uma das cadeiras da sala, buscou uma almofada no sofá e a colocou sobre o assento de madeira. Taehyung observava tudo aquilo de forma curiosa quando o mais novo voltou a falar.

— A corda tá atrás do sofá, meu amor. Pega ela pra gente.

Uma risada soprada saiu dos lábios do Jeon mais velho quando ele viu a corda amarela de algodão colocada no chão atrás do sofá. Seu marido já tinha pensado em tudo aquilo e parecia verdadeiramente decidido a convencer o mais velho, caso ele não se convencesse no segundo em que viu o vídeo.

— Você quer muito isso, não quer?

O mais novo assentiu rapidamente, olhando nos olhos do marido com uma expressão de desejo e tentando implorar de forma silenciosa que ele parasse de o provocar daquela forma. Ele não aguentava mais lidar somente com a ideia de ter Taehyung o tocando daquele jeito, ele precisava tornar tudo aquilo real o quanto antes.

— Então tira sua roupa e senta nessa cadeira, eu vou te amarrar direitinho.

Seria mentira se Jungkook dissesse que não tremeu com o comando do marido, o mais velho só costumava falar daquela forma quando tinha o marido de quatro na cama com um plug anal em sua entrada. Era maravilhoso ver como ele era mandão e duro em suas ordens, mas o tocava com tanto amor e carinho.

O mais novo fez como pedido e logo se acomodou na almofada, pensando um pouco que talvez depois ele teria que se livrar dela, já que ela provavelmente ficaria encharcada com seu suor, seu gozo e com o lubrificante.

Sem mais nenhuma ordem, Taehyung fixou as pernas do marido nos pés da cadeira. Os nós eram justos o suficiente para que a corda não ficasse frouxa acima do tornozelo branquinho, ao mesmo tempo em que não apertavam a carne para que o mais novo não acabasse machucado ou com sérias lesões.

O mais velho agradecia por ter prestado muita atenção quando o casal foi devidamente ensinado a fazer aquilo, e por prestar atenção na forma em que Jungkook imobilizava seus punhos e tornozelos na cama, já que o mais novo era quase um mestre por fazer aquilo com uma certa frequência.

— Tá confortável, meu bem?

Taehyung perguntou assim que terminou de atar as mãos do mais novo, as deixando presas uma a outra e depois usando o pedaço restante de corda para as prender atrás do encosto da cadeira. Jungkook assentiu em resposta.

Se afastando um pouco, o mais velho tomou algum tempo para apreciar realmente a cena que tinha na sala de sua casa.

Com a postura reta, o mais novo tinha os membros presos, limitando seus movimentos, os joelhos afastados um do outro, a pele enfeitada por uma fina camada de suor e o membro teso. Mesmo sem receber os toques do marido, Jungkook não conseguiu deixar de estar excitado ao se dar conta de que aquilo finalmente iria acontecer, por isso Taehyung tinha uma visão perfeita da clara excitação do marido ao ver seu estado.

O membro que se assemelhava à pele clara do mais novo já estava incrivelmente vermelho, com a glande pintada por algumas gotas de pré-gozo e as veias saltadas.

— É lindo ver que você tá desse jeito sem que eu toque em você. – Taehyung se aproximou do marido e ficou em pé a sua frente, deixando que o mais novo pudesse ver a ereção apertada em sua cueca.

A mão bronzeada do mais velho tocou a bochecha corada do mais novo, levantando seu rosto e o fazendo admirar aquelas orbes negras que pareciam implorar por algo. De forma suave, Taehyung se abaixou e juntou seus lábios aos lábios do mais novo, o beijando de forma carinhosa inicialmente.

Por não conseguir conter o próprio tesão, Jungkook logo tentou transformar aquele toque em algo menos romântico e mais carnal, mais carregado de luxúria e prazer, já que em seu íntimo eram aqueles sentimentos que o queimavam no momento. O mais velho aceitou de bom grado, deslizando sua língua para a boca do marido e a entrelaçando com a língua do outro.

O beijo acontecia de forma afoita, quase animal, provocando barulhos altos e deixando que saliva escapasse pelos cantos dos lábios. Os dois sentiram suas ereções fisgarem e decidiram dar continuidade ao que faziam, ao invés de continuarem a se torturar.

— Pega o lubrificante, Tae.

Apenas sorrindo para o marido, Taehyung foi até o móvel da TV e pegou o frasco com o líquido transparente, logo voltando com ele e uma cadeira para se sentar em frente ao marido.

Jungkook ficou observando enquanto a outra cadeira igual a sua era colocada a sua frente, seu marido se posicionava nela deixando suas costas longe do encosto e os cotovelos apoiados nos joelhos. Os olhos sempre tão profundos encararam os seus de uma forma predadora, dando certeza ao mais novo de como seu marido se sentia naquele momento.

— Você quer colocar um tempo mínimo, ou a gente só solta um cronômetro e vê o quanto você aguenta?

— Solta o cronômetro, Tae. Eu to empolgado demais com isso pra durar muito.

Taehyung fez como o marido pediu e soltou o cronômetro em seu celular, o deixando no chão ao lado dos dois para que o Jeon mais novo também pudesse ver a tela.

— Mais algum desejo, meu amor?

— Sim, Tae. Começa logo, por favor.

O mais velho sorriu ladino e fez como pedido, contendo sua ansiedade em fazer o mais novo gozar logo e o ver todo mole e manhoso amarrado àquela cadeira.

Um pouco de lubrificante foi despejado na palma do mais velho, e logo depois o frasco foi deixado no chão ao lado do casal. Taehyung usou sua mão livre para acariciar a coxa pálida enquanto a outra tomava a ereção do mais novo de forma calma.

Vendo que seu marido já estava em um nível alto de excitação, e indo contra a própria vontade de o fazer gozar de imediato, Taehyung fechou seus dedos no membro do marido e começou a movimentar a mão de forma lenta e torturante. Seu intuito era apenas espalhar o líquido pela extensão em sua palma, evitando de forma proposital a glande, parte que ele sabia ser uma das mais sensíveis para seu homem.

Um simples toque na glande, feito de forma leve, já era suficiente para que o Jeon mais novo gemesse arrastado. Anos de prática já tinham tornado os dois conhecedores dos segredos e pontos de prazer do corpo um do outro.

Nenhum gemido tinha escapado dos lábios claros, os quais teimavam em permanecer presos entre os dentinhos de coelho que os apertavam. O mais novo estava fazendo um esforço enorme para resistir aos prazeres que aquela prática estava mostrando ter.

— Você vai machucar essa boquinha linda, bebê.

O corpo pálido se arrepiou por completo quando o mais velho usou o seu tom mais sedutor para o provocar propositalmente. Por mais que no vídeo original poucas falas foram trocadas, ele sabia que o homem amarrado a sua frente era sensível à sua voz rouca e suas falas sujas durante aqueles atos.

— Ah Tae, nã-

A fala foi cortada e substituída por um gemido sofrido quando o mais velho passou o polegar pela fenda melada. Era a primeira vez que ele o tocava naquele lugar desde que começaram.

— Você lembra de como me pedir pra parar?

Atualmente, o casal conhecia o conceito de palavra de segurança e o quanto ele é importante, por isso resolveram não abrir mão de uma frase de segurança. No começo da vida sexual de ambos, o mais velho descobriu que Jungkook pedia para parar muitas vezes, mesmo que não quisesse de fato parar.

Em uma conversa, o mais novo explicou que isso era um fetiche seu, na ausência de palavra melhor para definir. Ele deixou claro que muitas vezes iria proferir a palavra "para" enquanto estivessem na cama sem a real vontade que o, na época, namorado fizesse. Por serem ainda totalmente leigos em qualquer coisa que envolvesse um sexo seguro de fato, ambos acharam importante que um comando bem diferente de "para" fosse dado quando o mais novo realmente quisesse dar fim ao que faziam.

O que se tornou ótimo, porque nunca mais Taehyung ficou confuso sem saber se poderia continuar ou não, já que ele definitivamente não queria ultrapassar nenhum limite.

Assentindo, o Jeon mais novo respondeu.

— "Um café com leite, por favor". – anos com a mesma frase, mesmo sendo usada pouquíssimas vezes, não poderiam ser esquecidos.

— Ótimo.

Ao ter o sinal verde para dar continuidade, Taehyung deixou sua mente viajar em todas as possibilidades que poderiam se tornar reais naquele momento. Seu olhos foram para no membro teso do marido que estava perfeitamente envolvido em seus dedos longos e sua palma.

O lubrificante dava um brilho a mais ao membro que parecia estupidamente bonito para o mais velho. Cada detalhe deixava o mais velho doido de tesão e de vontade que fazer mais do que simplesmente o observar enquanto o masturbava, mas ele se contentaria com aquele gesto, pelo menos enquanto aquela prática durasse.

— Jungkookie, eu amo quando você traz algo novo pra gente tentar, sabia?

Os movimentos da canhota do mais velho eram feitos de forma lenta demais, quase como se acariciasse algum objeto delicado que poderia quebrar a qualquer momento, o que fazia o mais novo querer gritar e gemer de frustração.

Taehyung voltou a evitar a glande do mais novo de forma proposital, amando ver a expressão sôfrega que ele tinha e a forma com que seu cenho ficava constantemente franzido. O olhar do mais novo alternava entre a palma quente que envolvia seu membro e os olhos bonitos que o avaliavam.

Decidido a acabar com a tortura, Taehyung pegou mais um pouco de lubrificante e espalhou o líquido nas duas palmas, levando uma de suas mãos de volta ao membro teso do marido e usando a outra para tocar de forma suave os testículos dele, onde somente a ponta de seus dedos estimulavam aquela pele.

A respiração do mais novo começou a acelerar e seus glúteos contraíam e relaxavam continuamente, o movimento fez com que o corpo dele escorregasse pelo assento e seu tronco ficasse arqueado, mantendo somente a bunda dele em contato com a almofada.

Jungkook apertou os olhos e teve que se concentrar para tentar abaixar o nível de sua própria excitação. Ao ver como seu marido reagia, o mais velho parou com os movimentos.

— Tenha calma, meu amor.

O mais novo voltou a abrir os olhos e os mirar para o marido, podendo admirar o sorriso que enfeitava aqueles lábios e que deixava claro o quanto aquilo estava sendo excitante para ele também. Somente as pontas dos dedos longos voltaram a tocar a glande inchada, ainda sem colocar pressão no contato, apenas o provocando.

Devagar, os toques foram descendo por toda a extensão do membro até chegarem nos testículos, sendo acompanhados pela mão livre do mais velho. De forma quase inconsciente, Jungkook remexia o quadril em uma tentativa de incentivar um contato maior e mais firme, mas acabou perdendo o contato mais uma vez.

— Tae, por favor...

— O que você quer, meu bem?

— Mais, Tae...

Ao buscar mais lubrificante, na tentativa de deixar aquilo molhado o suficiente para ouvir os barulhos pornográficos que seriam causados, o mais velho conseguiu ver o cronômetro no celular e se deu conta de que já tinham se passado cinco minutos. Lembrando de que o vídeo que seu marido mostrou tinha uma duração de vinte minutos, ele decidiu que faria o mais novo gozar em menos.

Taehyung deixou sua canhota com o formato exato que ela assumia ao abrigar a ereção do marido, a usando para simular uma penetração. Passando pela glande, descendo por toda a extensão e chegando até a a base do membro, somente para fazer o caminho de volta e depois perder o contato, a mão do mais velho não perdia em momento algum o formato.

O mais novo sentia como se realmente estivesse penetrando algum brinquedo ou a boca quente do marido, que sempre o abrigava muito bem.

E pensar na boca do mais velho, ao mesmo tempo em que era tocado daquela forma, foi o suficiente para que ele não conseguisse mais controlar os sons que saíam de sua boca.

Jungkook passou a gemer arrastado livremente, sentindo seu corpo todo se agitar e as articulações presas pela corda serem castigadas pelo tecido que as limitava. Ele precisava desesperadamente tocar a própria ereção, ou colocar seus dedos em sua entrada e a estimular, finalizando aquilo e tendo um orgasmo forte.

Mas, mesmo que pedisse, Taehyung não soltaria sua mão.

O olhar do mais velho estava fixo nos movimentos que sua mão fazia, seus lábios estavam entreabertos e era possível ver que sua ereção pulsava dentro do tecido daquela cueca. A prática estava sendo excitante para os dois, e entender isso o deixou com mais vontade ainda de gozar.

— Ah Kookie, você é tão gostoso. Seu pau é tão gostoso, tão bonito.

Sua destra subiu para tocar o mamilo duro do marido, brincando com ele entre seu polegar e seu indicador, provocando um gemido mais alto do marido e um leve arfar seu. Jungkook parecia uma obra de arte naquele momento, sendo tocado daquela forma e reagindo de um jeito tão manhoso, tão entregue.

— Tae...

Mais uma vez o contato foi perdido e isso vez com que uma expressão emburrada aparecesse no rosto do mais novo. Seu corpo estava quente demais, implorando que a corrente elétrica de um orgasmo o percorresse logo e ele pudesse descansar.

Antes de começar, ele tinha consciência de que seu objetivo era resistir o máximo possível, mas após começar aquilo ele teve certeza que não duraria muito, principalmente na primeira tentativa.

Pegando mais lubrificante pela última vez, e decidindo não passar dos quinze minutos, Taehyung deixou de lado toda sua aura provocadora e assumiu uma postura predatória. Ele faria seu homem gozar logo e gozar forte, acabando com as forças de seu marido.

Sua destra começou a masturbar o membro teso do mais novo de forma contínua, colocando uma pressão média em seu toque e dando a devida atenção para a glande inchada. Ele inclinou o tronco para frente e deixou que sua língua tocasse o mamilo do marido, arrancando uma arfada dos lábios vermelhos.

Taehyung circulava, chupava e mordia aquele ponto do corpo do marido, vendo como seu peitoral subia e descia de forma rápida e afoita, como seu corpo tinha espasmos e como sua pele ficava cada ver mais vermelha devido ao calor.

— Olha bem, seu pau tá pulsando na minha mão e eu nem to mexendo rápido, seu mamilo tá tão durinho na minha língua, seu corpo todo ficando arrepiado.

Usar sua voz rouca daquela forma poderia ser considerado crime pelo mais novo, o qual começava a resistir aos impulsos de simplesmente se desmanchar logo e acabar com aquilo. Ele queria, precisava, aguentar o máximo que conseguia, ver até onde seu domínio sobre seu corpo permitia que ele impedisse o próprio orgasmo.

— Olha isso, meu amor. A cabecinha do seu pau tá tão vermelhinha, cheia de pré-gozo, implorando pra mim que eu faça alguma coisa com ela.

Taehyung não deixou de reparar que seu homem tinha uma expressão sôfrega e tinha seu corpo todo contraído, era claro que ele tentava desesperadamente resistir a tudo aquilo e prolongar o máximo que podia. Mas os planos dele eram outros, ele queria e faria Jungkook se desmanchar logo.

— E que vontade de fazer, que vontade de lamber ela todinha, de sentir seu pau gostoso na minha língua, o seu gosto, a sua cabecinha batendo na minha garganta.

O mais novo gemeu alto ao ouvir aquilo enquanto ainda sentia o ritmo constante no qual seu marido o masturbava. Taehyung estava falando em voz alta o que ele mesmo estava imaginando poucos minutos atrás. Poderia parecer provocação, mas o mais velho realmente queria poder tocar a ponta de sua língua na glande inchada, depois a passar pela fenda que expelia pré-gozo continuamente e ver como o mais novo reagiria.

Ele desejava chupar somente a glande vermelhinha, formando um vinco em suas bochechas, ao mesmo tempo que bombeava toda a extensão do membro. Ele desejava sentir o gozo quente encher sua boca, para logo depois engolir todo o líquido expelido.

— Que vontade que tirar a minha cueca agora e quicar gostoso no seu pau.

Sua mão assumiu uma pressão maior no membro, ainda mantendo o mesmo ritmo. Seu tesão parecia somente aumentar a cada segundo e ele não foi capaz de desejar outra coisa além de sentir o membro duro indo fundo em sua entrada.

Jungkook apertou a cadeira em suas mãos e começou a gemer mais alto, aos poucos perdendo o controle do próprio corpo e tornando seus espasmos mais frequentes, mesmo que ainda lutasse para resistir.

— Ah, meu amor, que saudade de sentir você dentro de mim. Já faz tanto tempo, não faz?

O mais novo murmurou algo em resposta, alguma frase ininteligível que nem ele mesmo soube dizer com certeza o que era. Sua mente começava a ficar nublada, sua audição abafada e por um momento pareceu que tudo que existia no mundo era a mão de seu marido em volta de seu membro, o estimulando tão bem e tão gostoso.

— Eu quero tanto ficar de quatro pra você e te sentir me arrombando bem gostoso, sentir você surrando sem dó o meu ponto de prazer e me fazendo gozar gostoso.

Taehyung voltou a chupar com vontade os mamilos duros, enquanto sua canhota se mantinha incansável no membro teso e sua destra passou a estimular os testículos do mais novo.

Jungkook soltou um grito quando os três estímulos se fizeram presentes em seu corpo ao mesmo tempo, reunindo as últimas forças que tinha em uma tentativa de resistir aos toques. Mas seu corpo estava sensível demais para ignorar aquilo.

Sentir a língua quente e úmida trabalhando em seus mamilos, os deixando babados para que logo depois fossem chupados, o fazia se lembrar de que Taehyung fazia exatamente aquilo quando o chupava. A mão em seu membro diminuiu um pouco a pressão ao mesmo tempo em que aumentou a velocidade, assumindo o ritmo que mais o dava prazer. Já a mão em seus testículos os massageava de forma possessiva e intensa.

Tudo era feito do jeito que o mais novo mais gostava, e isso tornava impossível que ele durase mais tempo.

— Goza pra mim, Kookie, vem bem gostoso, eu quero tanto cair de boca no seu pau. – Taehyung se afastou e desceu seu olhar para o membro em sua mão, vendo como ele pulsava constantemente, quase acompanhando o ritmo do corpo do mais novo que tremia e tencionava por inteiro a cada segundo. – Seu cuzinho tá piscando pra mim, que vontade de me afundar gostoso nele.

Mais três movimentos foram necessários para que o Jeon mais novo gemesse alto e jogasse seu quadril para frente, deixando somente suas costas e suas coxas apoiadas na beirada do encosto e do assento da cadeira. Sua cabeça caiu para trás e seus olhos se fecharam quando seu limite foi atingido.

Jungkook veio em jatos fortes que atingiram seu peitoral e chegaram a sujar seu queixo, seu corpo todo tremia e depois era acometido por espasmos violentos enquanto a palma quente ainda evolvia seu membro, mesmo sem se movimentar mais. Ele tentou pensar em algum outro momento em que tinha gozado com tanta força, mas poucos vieram à sua mente ainda nublada.

O calor que tomava todo seu corpo parecia derreter qualquer pensamento lógico que ele poderia ter durante aqueles segundos do seu ápice.

Quando a corrente elétrica do orgasmo teve fim e seu membro foi solto, seus músculos finalmente relaxaram e sua bunda voltou a ter contato com a almofada. Seu peito subia e descia de forma rápida, seu coração parecia que ia explodir e sua pele estava avermelhada.

O mais novo fitou o olhar carregado de tesão que o marido tinha, além de seu sorriso ladino, ao finalmente abrir os olhos. Ele tentava normalizar a própria respiração e os batimentos, ao passo que sua mente já parecia novamente sã, sem os efeitos que seu orgasmo tinham.

Ambos ali sabiam que não tinham praticado aquele fetiche de acordo com as reais intenções da prática, mas eles também tinham consciência de que aquela era a primeira vez fazendo daquela forma. Para o casal, o conceito das práticas escolhidas podiam ser adaptados para se encaixar ao que eles buscavam, desde que mantendo a segurança.

Jungkook fechou os olhos novamente, respirando pela boca e sentindo o próprio gozo escorrer para seu abdome quando um novo espasmo violento o atingiu. Seus olhos abriram no mesmo segundo e ele conseguiu ver que seu marido voltou a envolver a glande ainda vermelha em sua palma, fazendo movimentos circulares somente na ponta.

Sua garganta quase seca voltou a expulsar seus gemidos que agora deixaram de ser somente manhosos e passaram a ser altos e escandalosos. Ele acabara de ter um dos orgasmos mais fortes de sua vida, e menos de um minutos depois já voltava a ser tocado bem em sua parte mais sensível.

Taehyung viu o marido contrair todo seu corpo e tentar o fechar, porém logo sendo impedido pela forma que estava amarrado. Os músculos do abdome do mais novo estavam totalmente contraídos, assim como seus glúteos e os músculos de suas coxas.

Seus gemidos soavam como súplicas e seu corpo todo fervia em superestimulação.

— Para, Tae. Para, para. Por favor.

Mas aquilo só fez com que Taehyung aumentasse seus movimentos, aproveitando para inserir o dedo médio e o anelar na entradinha piscante do mais novo, a qual foi esquecida até o momento.

— P-Para.

Era a única fala que saía dos lábios maltratados no mais novo e, por mais que só isso fosse pronunciado, ele não tinha a real vontade de pedir para que seu marido parasse usando a frase de segurança.

Seu corpo parecia entrar em pane conforme sua glande era estimulada pela palma quente, e os dedos longos de seu marido se ondulavam dentro de si, estimulando somente sua próstata. Tudo parecia uma bagunça, parecia demais, mas isso quase servia de incentivo para si.

Foram poucas as vezes que um dos dois gozou duas vezes seguidas, por isso o Jeon mais novo decidiu que tentaria aquilo mesmo que seu corpo estivesse parecendo a ponto de colapsar.

O som molhado da palma do mais novo bombeando a glande ainda inchada poderia ser ouvido de longe, e só não era mais alto porque os gemidos falhos que escapavam do controle do mais novo podiam se assemelhar a gritos. A entrada continuava a piscar e quase esmagar os dois dedos que a penetrava, mas isso não era motivo para que o mais velhos os tirasse dali.

— Taetaetaetaetaeaaaaah...

Jungkook gozou pela segunda vez, chamando pelo apelido do marido e depois abrindo sua boca em um gemido mudo. Seu corpo novamente se tencionou e seu troco foi jogado para frente, fazendo com que sua testa ficasse apoiada no ombro descoberto e suado do mais velho, ao mesmo tempo em que seu gozo era expelido, dessa vez que forma mais calma.

Taehyung tirou sua mão do membro do mais novo para ver o líquido esbranquiçado sair pela fenda e logo escorrer pela extensão, seus dedos já não estavam mais na entrada do mais novo desde que o corpo pálido se encolheu em um espasmo violento.

Olhando para o celular que estava no chão, o mais velho viu que sua meta tinha sido atingida. Jungkook gozou duas vezes em menos de quatorze minutos.

— Kookie, deixa eu te soltar, meu amor.

Taehyung tocou de forma terna as costas largas do mais novo, chamando a atenção do mesmo para si e o fazendo levantar o rosto para o encarar. Somente com aquela proximidade, Taehyung foi capaz de ver que os olhinhos redondos do mais novo tinham lágrimas nos cantos.

Jungkook deixou um selar calmo e carinhoso nos lábios do marido antes de se encostar novamente. O mais velho foi ágil na tarefa de livrar seu homem daquela limitação, desfazendo de forma fácil os nós que tinha dado e logo deixando a corda de lado.

Os braços do mais novo caíram ao lado do corpo melado de gozo e Taehyung logo entendeu que teria que ajudar seu marido a sair dali. Sem mais palavras, o mais velho pegou Jungkook no colo facilmente, caminhando com ele nos braços até o andar de cima e o colocando na cama do casal.

— Tá tudo bem, meu amor?

Jungkook fitou o mais velho e se deixou viajar naquele olhar apaixonado que tinha para si. Seu coração ficava quente sempre que ele se dava conta de que já eram dezessete anos juntos e aquele sentimento e cuidado nunca deixaram de fazer parte da rotina dos dois.

— Tá sim, Tae. Obrigado.

Deitado na cama, com Taehyung de joelhos ao seu lado, o mais novo passou os braços pelos ombros do marido e o puxou para si, o envolvendo em um beijo afoito. Conforme as línguas se enroscavam, o Jeon mais novo se ajeitou na cama e arrumou as posições para que seu marido ficasse entre suas pernas.

Sem perder tempo ou deixar que o mais velho fugisse, Jungkook cruzou seus pés às costas do marido e o puxou para seu corpo, sentindo perfeitamente a ereção que ainda estava dentro de sua cueca, e que muito provavelmente estaria doendo como o inferno depois de tanto tempo.

— Me fode, Tae. – o pedido saiu baixo e foi feito ao ouvido do mais velho, o que o fez se arrepiar.

— Você tá cansado, meu amor.

— Tae, eu tenho certeza que tá doendo e que você precisa se livrar disso. – Jungkook ondulou o quadril apertando o membro teso do mais velho entre seus corpos. Taehyung não conseguiu fazer nada além de gemer sôfrego. – Me come gostoso, fode meu cuzinho e goza dentro de mim, hyung.

— Mas...

— Por favor, Tae. Eu quero você dentro de mim.

O Jeon mais velho bufou em frustração e logo depois arfou.

Seu homem estava cansado, ele sabia disso, mas aquela voz naquele tom manhoso o pedindo, por favor, para o foder foi demais para si.

— Você vai me deixa quicar no seu pau amanhã?

— Eu deixo, Tae. Agora se enterra em mim e me faz perder a voz depois de tanto gemer seu nome.

30 Mai 2021 03:15:55 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

97 line | Ela/dela | Duo ||| Nenhum tipo de comentário ofensivo será tolerado. ||| Mesmo user no Wattpad e no Spirit

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~