M
MilyBi Bi


Ela sempre foi um erro, isso era fato. Não que por isso fosse má ou impiedosa, mas simplesmente não deveria existir. Desde pequena teve que lidar com o fardo de não ser normal, não poder ficar perto de sua família, de carregar mil anos de inimigos e maldições nas costas. Ela nunca se deixou abalar por isso, mas depois da morte de sua mãe, seu pai e tio. Podemos dizer que seu psicólogico não está dos melhores. Fechou-se para o mundo, não queria amigos e se afastou dos poucos familiares que tinha, por um simples motivo, o medo. Medo do inevitável destino. Ela era um erro e a natureza não deixava isso impune, sabia que mais inimigos uma hora ou outra iriam atrás delas. Quem ficasse perto dela, seria mais um alvo prestar a ser abatido. "Meu nome é Hope Mikaelson, é eu venho de uma longa linhagem de vilões lutando todo dia para ser uma pessoa boa."


Fanfiction Série/ Doramas/Opéras de savon Déconseillé aux moins de 13 ans.

#rivalidade #alcateia #Ethan #Alaric #Saltzman #Josie #Lizzie #LandonKirby #legacies #FreyaMikaelson #poderes #assassinos #bruxas #vampiros #lobisomens #Labonair #mmikaelson #inkspiredstory #Hopemikaelson
1
1.9mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les dimanches
temps de lecture
AA Partager

CAPÍTULO 001

CAPITULO 01 - A FESTA


Quando tinha seus 6 anos, onde começava a entender o que era, qual seus poderes, e como era a história de sua família. Hope imaginava que com seus 15 anos sua família estaria reunida e feliz, ela não precisaria mais de apetrechos para controlar sua magia e estaria cheia de amigos e ajudando as pessoas que amava a reconstruir o legado Mikaelson... Bom, isso não aconteceu.


Depois da morte de três pessoas importantes para a mesma, com seus 16 anos, estava deitada na cama em um hotel qualquer, se escondendo do mundo, com um pote de sorvete na mão assistindo "Friends". Esperava que aquilo fosse o suficiente para não pensar que mais um ano havia se passado sem os sorrisos de sua mãe, os abraços de seu pai e sem uma oportunidade de conhecer seu tio Elijah melhor.

Tinha diversas coisas que ela não perguntou a eles, por exemplo:

"Qual foi seu primeiro amor? Qual foi seu último amor? E qual seu amor épico? Quem era o mais travesso dos irmãos? Qual o maior desejo nunca realizado?"

Hope suspirou e se afundou mais na cama, como se aquele grande colchão do hotel pudesse suga-la para um universo paralelo em que ela teria todas essas oportunidades.

- Achei ela! - Hope franziu o cenho quando Lizzie entrou no quarto, junto de Josie e Landon.

- Como vocês conseguiram me achar? E a porta não estava trancada? - Ela indagou cerrando os olhos, enquanto Lizzie deu de ombros com um sorrisinho como se dissesse "Tenho meus truques, baby". Os três se jogaram com tudo na cama fazendo a mesma balançar e Hope dar um pulinho. Landon tirou de sua mochila refrigerantes e salgadinhos, assim como Josie trouxe mais sorvete, a ruiva sorriu por ter a sorte de ter amigos como eles.

A amizade deles era um tanto improvável por causa de suas personalidades totalmente diferentes, e começou de um jeito natural, ou nem tanto...Lizzie e Josie eram irmãs filhas do diretor, e consequentemente populares entre os corredores da escola. Ambas eram totalmente opostas, na visão de Hope eram as próprias definições de Yin e Yang. Enquanto Lizzie era extremamente mandona, falante e um tanto "pegadora". Josie era reservada, quieta e passaria batido entre os alunos se não fosse sua fama de capacho da própria irmã.

Hope realmente achava que às vezes Lizzie passava do ponto em querer mandar nas outras pessoas, principalmente em sua irmã. Mas isso era assunto delas, e não lhe cabia resolver. Depois que seu pai e tio morreram, foi inevitável a revelação da verdadeira face de Hope. Com isso, sendo a lendária princesa de New Orleans, e única Tri Híbrida existente, ela começou a ficar conhecida na escola, o que não foi bom pois teve que aturar murmurinhos e sussurros por toda a escola até que uma pessoa em especial decidiu mexer com ela, Penélope Park.

Não era segredo para ninguém que Lizzie não ia com a cara da Morena de cabelos longos e cacheados, ex- namorada de sua irmã. É como dizem: " O inimigo do meu inimigo, é meu amigo". Com isso, Lizzie, Hope, e consequentemente Josie se uniram para pregar uma pegadinha na Park, que ela nunca esqueceu, afinal seu cabelo sempre sedoso e cheiroso, ficou verde e fedido durante 2 semanas. As garotas riram até hoje por lembrar disso.

- Então, vamos começar pelo sorvete ou salgadinho? - Landon perguntou enquanto eles analisavam as opções. Landon Kirby... pois bem, logo aí o buraco já é mais baixo.

Ele e Hope já se conheciam na época em que ele sempre a atendia numa lanchonete onde a mesma sempre ia. Acabaram por se separar, e reencontrar 6 meses depois quando Rafael, irmão adotivo de Kirby, se transformou em lobisomem fazendo com que Hope e o diretor da Salvatore School, Alaric Saltzman tivessem que o ajudar.

A Salvatore School era uma escola que funcionava com patrocínio de terceiros e com a mensalidade de pais ou até mesmo alunos preocupados que achavam que lá seria um bom lugar para os sobrenaturais jovens sem experiência e controle se escondem enquanto aprendiam sobre o mundo em que vivemos, sendo ele sobrenatural ou não.

Logo Landon que não era um ser sobrenatural não poderia ficar lá correndo sérios riscos. Mas depois de uma experiência muito agradável com M.G (um vampiro jovem com potencial para ser estripador) e uma morte dolorosa e lenta, descobriu-se que Kirby não era tão normal quanto parece, afinal ninguém morre, pega fogo, e ressuscita logo depois, certo?

Ele gosta de Hope desde que trocaram seus primeiros olhares nos primeiros dias da primavera, numa lanchonete parada em Mystic Falls. Mas nunca tinha conseguido dar o primeiro passo para uma declaração, pois sabia que na visão de Hope que ela o considera mais ou amigo do que outra coisa.

- Na minha opinião nenhum dos dois deveria nos arrumar e ir para uma festa, dançar, beber e beijar na boca! - Lizzie disse animada, se remexendo na cama e batendo as mãos de encontro uma à outra. Josie revirou os olhos e disse:

- Primeiro: Ainda temos 15 anos, somos novas demais para isso. E segundo: Hope não está num dia bom, ela com certeza não quer...

- Na verdade eu vou ter que concordar com a Lizzie. Já fiz 16 anos e nunca fui a uma festa da escola no moinho, e já faz um ano que faço sempre a mesma coisa quando fico mal... Talvez hoje deva fazer diferente - Hope disse olhando para a janela do quarto de hotel, era 20h50 daria tempo de se arrumarem e irem.

Hope olhou para seus amigos que a encaravam atônitos. Ela nunca havia aceitado um convite para qualquer festa ou reunião que fosse onde houvesse mais de cinco pessoas.Lizzie logo abriu um sorriso e os puxou porta a fora, sentindo que naquela noite as coisas iam ser diferentes.

[...]

Assim que Hope passou pela porta junto de seus amigos, adentrando o antigo moinho abandonado nos arredores da Salvatore School, foi inevitável não olhar para eles.Por dois motivos, a Mikaelson nunca aparecia em festa, e porque eles estavam totalmente diferentes.

Landon, que geralmente sempre vestia camisetas flanela e jeans, usava uma jaqueta de couro preta por cima de uma camiseta branca simples e uma calça jeans escura.

Lizzie estava belíssima como sempre, trajando um vestido branco e preto apertado na cintura, com um coque largo e com mechas soltas na cabeça, enquanto Josie estava com uma saia preta, e uma blusa regata com decote, que parecia ser de uma maciez enorme.

Já Hope... essa sim estava irreconhecível. Sendo vista sempre com um rabo de cavalo despojado na cabeça e uniformes escolares, raramente alguém via ela sem as saias e blusas padronizadas da escola. Mas naquele dia ela usava um vestido vermelho emprestado de Lizzie, com uma jaqueta, e meia calça preta enquanto sua bota lembrava um vermelho sangue reluzindo na luz do luar.

A festa foi indo enquanto Hope só comia e bebia até que um garoto chegou nela.

- Hope, certo? - Ele perguntou e ela o reconheceu com sendo Jed, o alfa da matilha Salvatore School. - Acho que você precisa de bebida de verdade, toma. - Ele entregou a ela um copo vermelho e btranco, com um líquido transparente dentro, assim que o cheiro forte adentrou suas narinas ela soube que era Whisky.

- Nem adianta eu tomar, não consigo ficar bêbada - Deu de ombros ainda encarando a bebida.

- Tem um pouco de verbena e acônito na mistura, o suficiente para enfraquecer sua imunidade a álcool do sangue de vampiro e lobo baixar e você ficar bêbada - Ele disse enquanto bebia um pouco da bebida que pegou da mesa. Olhou para ela e trocou um olhar significativo com Penélope logo em seguida, no final eles estavam certos ela não era tão corajosa assim, assim como Josie ambas eram as meninas certinhas que não quebravam as regras.

Antes que ele pudesse seguir com o plano de humilhá-la em publico na festa, a mesma virou o copo e tomou todo o líquido ali presentes. O gosto saboroso explodiu em sua lingua assim como o cheiro parece ter se intensificado.

- Onde consigo mais dessas? - Ela perguntou e o garoto em choque ficou apenas a encarando assim como Penélope ficou chocada atrás dela. - Ei! Está me ouvindo ou a bebida já fez estragos permanentes na sua mente? Perguntei onde arranjo mais desse, quero ficar bêbada hoje!

- É... Bom... - Ele coçou a cabeça em dúvida gaguejando. O que deveria fazer agora? O plano era derrubar a bebida nela, não deixar a garota realmente bêbada.

- Como você está sóbria ainda? Coloquei mistura bebida o suficiente para te embebedar, e acônito para no mínimo te machucar! - Jed olhou surpreso para Penélope depois disso, ela não havia comentado aquela última parte com ela. Enquanto as pessoas da festas já observavam com atenção a possível discussão da festa.

- O que? Você enlouqueceu? E se ela se machucasse? Você que iria lidar com a família dela! - Gritou assustado. Todos já tinham ouvido falar da jornada de mortes e torturas impiedosas que a família Mikaelson acabou por fazer com quem se metia com um deles. Alguns dos alunos já começavam apostar o motivo e quem iria ganhar a briga, e todos apostaram na morena enquanto a mesma se aproximava cada vez mais mais de Hope dizendo:

- O que? Porque eu teria medo do nobre Elijah enterrado a sete palmos da terra? Ou da mamãezinha lobo assassinada? Ou então do grande e mal... - Ela não conseguiu mais falar quando a mão de Hope foi parar no seu pescoço e todos os alunos olharam surpresos para a ruiva.

Apesar da fama de sua família e de sempre tirar notas boas em todas as matéria provando seu potencial como bruxa e loba, todos achavam que ela era fraca, Afinal nunca brigava, nunca reagia as piadas de mal gosto ou dava um jeito nos murmurinhos maldoso que passeavam pelas bocas dos alunos e a história que ficava contada nas aulas e marcada nos livros da biblioteca. Sua família e a alcateia dos crescentes, assim como o grupo de vampiros de New Orleans e as bruxas do quartel francês comandado por Vincent, sempre lutaram suas lutas por elas e resolviam seus problemas.

Mas agora ela havia chegado a seu limite e ia mostrar quem é a verdadeira Hope Mikaelson, o poder e o legado que ela carrega.

- Chega! - Disse entre dentes, apertando cada vez mais o pescoço fino de Penélope e todos começaram a se afastar quando seus olhos brilharam num dourado forte. - Não lhe dei permissão para falar de mim e da minha família, muito menos chegar perto de mim. Se você ou qualquer um ousar abrir a boca ou sequer pensar nesse assunto novamente, eu mesma vou fazer questão de ver vocês... queimaram- Assim que terminou de falar jogou a morena para longe, e instantaneamente seu cabelo começou a pegar fogo.

Desesperada, ela saiu correndo e rolando no chão na esperança de acabar com o fogo. Todos olharam assustado para Hope, que sorriu e arqueou uma sobrancelha, dali em diante as coisas realmente seriam diferentes.

Diário de Hope Mikaelson


Hoje acordei sentindo-me diferente, talvez pela promessa que fiz a mim mesma de me descobrir e superar o passado. ou talvez, pelo cansaço da rotina de pobre menina amaldiçoada que não aguenta mais que falem delas pelas costas.


De agora em diante pegarei meu lugar de direito.

19 Mai 2021 16:26:17 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant INFORMAÇÕES

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 2 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!