monidieu vani is

Enquanto Jimin arrumava os fios de cabelo loiros na testa e se encarava no espelho, ele questionava em silêncio, encarando os próprios olhos pelo reflexo: como ele havia entrado nessa situação? A situação é a seguinte: em torno de 15 minutos ele vai participar de um gangbang com caras que ele nunca viu em toda sua vida.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#pwp #kim-taehyung #jeon-jungkook #park-jimin #kim-namjoon #jackson-wang #jung-hoseok #jikook #minjoon #vmin #universoalternativo #gangbang #boyxboy
5
3.1mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

OneShot

Enquanto Jimin arrumava os fios de cabelo loiros na testa e se encarava no espelho, ele questionava em silêncio, encarando os próprios olhos pelo reflexo: como ele havia entrado nessa situação?

A situação é a seguinte: em torno de 15 minutos ele vai participar de um gangbang com caras que ele nunca viu em toda sua vida.

Depois de semanas que havia confessado para Taehyung um dos seus fetiches mais reprimidos em meio à uma de suas noites de bebedeira e de verdades reveladas, seu melhor amigo organizou um gangbang com homens que Jimin não conhecia.

De início, Jimin recusou firmemente, mas Taehyung era tão bom na arte da persuasão que meia hora depois eles estavam na farmácia ao lado do complexo de apartamentos no qual Jimin morava comprando alguns "suprimentos" para o ato.

E agora, ele estava aqui. Suas mãos tremiam enquanto ele segurava a pia fria de seu banheiro. Ele queria lavar o rosto para se sentir menos quente, mas não queria estragar a maquiagem que havia feito, embora talvez, não fosse necessária para o que ele estava prestes a fazer.

— No que está pensando?

Ele ouviu a voz e pulou, um breve susto fazendo seu coração bater mais rápido quando ele se virou para se deparar com o melhor amigo de cabelos cinzas, os fios contrastando lindamente com o tom caramelo de sua pele.

— Pensando se vou precisar usar o banheiro por estar tão nervoso. — Jimin riu de nervoso e Taehyung gargalhou.

— Sem chances, depois daquela chuca, não tem mais nada aí dentro, pode ficar tranquilo. — Taehyung assegurou e Jimin franziu o cenho, lembrando dos momentos dolorosos de uma hora atrás da "limpeza profunda" que Taehyung havia sugerido, já que segundo ele, Jimin tinha que estar preparado para todos os paus que iria levar.

— Desagradável. — Jimin disse, tentando empurrar Taehyung para sair do banheiro, mas sendo segurado pelo mais alto.

— Você que entrou no assunto! — Taehyung segurou o rosto de Jimin com delicadeza e o olhou de perto, observando os belos detalhes da maquiagem muito bem feita: olhos esfumados em um rosa salmão e pálpebras inferiores marcadas com um rosa um pouco mais claro, dando um ar angelical ao rosto imaculado de Jimin. Os lábios. — Jesus Cristo! — estavam de tirar o fôlego, a camada fina de gloss os faziam brilhar e aquilo era o suficiente para destacar o quão carnudos e apetitosos eles eram.

— Gays não vão pro céu. — Jimin respondeu com um sorrisinho malicioso e Taehyung girou os olhos, libertando o loiro de seu abraço.

— Eu discordo. Se Deus não ama os gays, por que continuamos vencendo? — Taehyung perguntou com as mãos nos quadris e as sobrancelhas erguidas e Jimin riu, desfazendo o robe amarrado na cintura para expor seu corpo semi-nu, apenas vestido com uma cueca branca com cós cinza estampado em letras pretas com o nome "Calvin Klein".

— Talvez você tenha razão, Tae. Agora mexa sua bunda daí e me ajude a escolher entre uma dessas calças. — Jimin encarava com afinco uma calça de couro preta e outra estilo social, mais soltinha, mas que deixava sua bunda um pecado capital.

— Vai ser difícil tirar essa de couro. — Ele segurou o tecido de couro e jogou longe, deixando apenas a calça social escura para Jimin na cama. — Essa é perfeita, sua bunda parece a porra de um pêssego nela! — Taehyung falou e Jimin riu alto, pegando a calça e a vestindo rapidamente.

— E a camisa? — Jimin mostrou duas opções para Taehyung, sendo uma branca e lisa e outra de botões.

Taehyung pensou por um segundo, mas acabou escolhendo a camisa lisa e branca. — Vai combinar ensacada e então, você pode usar esse casaco e esse sapato. — Taehyung correu até o pequeno closet de Jimin, voltando com um casaco de pelúcia azul e um all-star de cano médio preto com detalhes brancos.

Jimin se sentiu com calor só de olhar para o casaco, mas aceitou de bom grado, já que o dia estava meio frio e ele costumava deixar as janelas abertas para arejar bem seu apartamento. — Obrigado, Tae. — Jimin sorriu e terminou de se vestir rapidamente.

— Perfeito, parece a porra de um anjo! — Taehyung falou, batendo o pé no chão como se estivesse irritado, o que fez Jimin gargalhar alto.

Até a campanhia tocar.

— Quem é? — Jimin paralisou, totalmente em choque.

Taehyung riu. — São eles! — Ele confirmou após checar no celular uma mensagem no grupo que havia criado para essa ocasião.

Jimin sentiu seu peito acelerar e começou a suar, hiperventilando em ansiedade.

— Ei, ei! Calma. — Taehyung se aproximou a acariciou o rosto do loiro, que buscou conforto nos olhos do melhor amigo. — Você confia em mim? Eu nunca permitiria que alguém indigno tocasse você, eu tenho tudo sob controle, eu prometo.

Jimin assentiu, respirando fundo, seu coração começou a se acalmar e ele sorriu para o amigo, mesmo que fraco. — Espero que os paus deles sejam dignos. — Ele fez uma piada para tentar acalmar o clima e Taehyung riu alto.

— Bom, se os deles não forem grande coisa, você sabe que tem um consolo. — Taehyung piscou para Jimin, que revirou os olhos e o seguiu relutante para a sala. — Você quer ir escolhendo o vinho enquanto eu atendo? Eles já devem estar achando que desistimos.

Jimin assentiu, engolindo seco e correndo para a cozinha, buscando conforto na grande parede que separava os cômodos.

Ele ouviu a porta se abrir, passos, cumprimentos, vozes altas diferentes e então ele sentiu suas pernas se transformarem em gelatina e um arrepio forte subir em sua espinha. Com quantos homens ele iria transar hoje? Tae não lhe deu nenhum detalhe sobre, o que o excitava tanto quanto o assustava.

Ele tentou se recompor, se apoiando no balcão enquanto pegava duas garrafas de vinho tinto suave e colocava seu melhor sorriso no rosto para ir até a sala. Quando ele chegou lá, viu 4 cabeças de costas para ele, sentados no sofá conversando com Taehyung, que estava na poltrona oposta, rindo sobre algo, mas logo notou sua presença.

— Oh, aí está você! — Taehyung se levantou rápido para ajudar Jimin com as garrafas e no mesmo instante os quatro pares de olhos se viraram para o encarar e Jimin pensou que iria desmaiar.

Porra, eles são lindos.

— Venha, eu quero te apresentar alguns amigos que você ainda não conhecia. — Jimin sentiu as pernas tremerem quando Taehyung o puxou, mas se manteve firme enquanto o acompanhava.

— Esse aqui é o Jungkook, o mais novo dessa turma, ele tem 23 anos. — Jimin se permitiu observar o homem, que embora fosse grande, realmente tinha uma feição muito jovial. Quando ele se levantou para cumprimentar, Jimin sentiu as pernas falharem de novo. Embora eles provavelmente não tivessem tantos centímetros de diferença de altura, os ombros largos e peitoral claramente musculoso assim como todo o resto do corpo de Jungkook o fez se sentir minúsculo.

Jimin estremeceu com o aperto da mão de Jungkook na sua, provando um pouco da força do maknae. Jimin não pode deixar de observar a mão tatuada do homem e demorou alguns segundos para assimilar a ordem das letras em seus dedos. Quando ele juntou tudo arregalou os olhos, a palavra "fuck" escrita em negrito do dedo indicador até o anelar. Ele continuou a observar as tatuagens que subiam pelo braço do homem e sumiam na manga da camisa preta de grandes proporções mas reaparecia no lado direito do pescoço, o que fez a respiração de Jimin engatar.

Jimin tem um fraco por homens tatuados.

— Meu nome é Jungkook, prazer em te conhecer. — Ele deu um sorrisinho malicioso, demonstrando ter notado o quão entretido Jimin ficou com suas tatuagens.

— O-oh, você já deve saber, mas meu nome é Jimin, prazer em te conhecer. — Jimin gaguejou e corou, pigarreando após cumprimentar o homem com um aperto breve de mãos e seguir para próximo com Taehyung rindo divertido ao seu lado.

— Esse aqui é o Hoseok. Ele tem 26 anos. — Taehyung mostrou o próximo de cabelos ruivos acobreados. A primeira coisa que chamou a atenção de Jimin foi seu sorriso enorme e bonito, em seguida, suas tatuagens coloridas que fechavam seu braço esquerdo.

— Prazer em te conhecer, Jimin. — Hoseok estendeu a mão e ofereceu um sorriso gentil, Jimin demorou alguns segundos para responder, seu interior esquentando em antecipação enquanto ele só conseguia pensar em uma coisa:

De onde caralhos Taehyung tirou tanto homem bonito???

— O prazer é meu, Hoseok. — Jimin brevemente balançou as mãos juntas e sorriu, sabendo que seu rosto estava tão vermelho que os homens provavelmente já haviam notado, mas por sorte, não disseram nada.

— Vocês já podem ir ficando à vontade e se servirem, meninos, agora só falta o Jackson e o Joon. — Jungkook e Hoseok assentiram e pegaram taças em cima da mesa de centro da sala de estar, ambos conversando mais baixo enquanto abriam uma garrafa de vinho.

Taehyung agarrou Jimin pela cintura e o puxou para o lado, parando bem na frente de um homem estatura idêntica à sua, mas com um corpo definido e um pouco mais forte, e por fim, cabelos castanho escuro. — Esse é o Jackson.

Jimin estremeceu com a aura do homem. O sorriso malicioso estava estampado na cara de Jackson e só de olhar para ele, Jimin sentiu vontade de tirar a roupa.

— Prazer em te conhecer, Jackson. — Jimin disse baixo, estendendo a mão para Jackson, que segurou de forma convencional mas virou a palma para baixo, pousando um beijo nos dedos de Jimin, o que fez seu rosto esquentar em níveis imensuráveis, assim como resto de seu corpo.

— O prazer é todo meu, anjo. — Jackson piscou e Taehyung riu alto, tirando Jimin de seu torpor.

— Jackson, você não tem jeito mesmo. — Taehyung deu um tapa no ombro de Jackson, que riu de volta e piscou, indo de encontro aos demais para se servir de uma taça de vinho.

— E por fim, esse aqui é o Namjoon. — Jimin havia se distraído brevemente ao olhar para trás e reparar o olhar dos três homens nele, ou melhor, em seu corpo. Sem perceber, Jimin retirou seu casaco azul que estava o matando naquele instante e então o entregou para Taehyung antes de se virar para se deparar com o peitoral completamente deliniado pela blusa justa e preta de manga comprida que Namjoon usava, e então ele olhou um pouco mais acima, observando os detalhes do rosto do homem de cabelos castanho claro com algumas nuances mais claras de loiro.

Se ele havia achado que Jungkook era grande, foi porque absolutamente ele não deu uma boa olhada em Namjoon antes.

— O-oi. — Jimin gaguejou, um pouco chocado e intimidado com a estatura de Namjoon. De um jeito bom, claro.

Ele era alto e muito forte.

— Olá. — Namjoon respondeu com um sorriso tímido que mostravam suas covinhas. Ele estendeu a mão e Jimin limpou o suor das mãos nas calças antes de segurar a de Namjoon. Sua sala de estar estava infernalmente quente agora.

Jimin olhou por cima do ombro e viu que a janela estava aberta, mas nem a brisa fria da noite estava sendo eficiente contra a temperatura elevada de seu corpo. Ele se afastou de Namjoon sem jeito e o homem seguiu até Jungkook, que o aguardava com uma taça de vinho.

— Bom, agora que todos nos conhecemos, vamos beber um pouco para relaxar. — Taehyung jogou o casaco azul de Jimin em uma cadeira e pegou duas taças que Jungkook havia servido para ele e Jimin e entregou para o loiro, que pegou avidamente e tomou todo o conteúdo da taça num gole, ganhando um "wow" quase em uníssono de todos presentes na sala. — Relaxe, Min. Vou encher mais uma pra você. — Taehyung falou com um sorriso divertido, enchendo mais a taça para Jimin, dessa vez, com menos da metade do que a anterior, ele não queria que Jimin estivesse embriagado quando chegasse a hora, mesmo que soubesse o quão difícil era para o loiro chegar nesse ponto.

— Obrigado. — Jimin pegou a taça da mão do amigo e se sentou na poltrona em frente ao sofá onde todos os outros estavam sentados, mordendo o lábio inferior nervosamente enquanto pensava em algo para dizer em meio ao silêncio da sala. — Como vocês se conheceram? — Ele perguntou com interesse, molhando os lábios após bebericar o vinho e senti-los um pouco secos.

Namjoon ouviu a pergunta de Jimin e se prontificou a responder. — O Taehyung foi o intermediário entre eu e o Jackson com o Hoseok e o Jungkook. O Jungkook e o Hoseok são tatuadores e trabalham no mesmo estúdio onde o Taehyung fez um piercing. Eu e o Jackson trabalhamos com produção e empreendedorismo, respectivamente. Eu produzo para artistas e ele tem uma marca de roupas, nos conhecemos por acaso. — Namjoon explicou fluidamente e os outros concordavam, parecendo relaxar em seus lugares com as taças de vinho. — Já quanto ao Jackson, Taehyung e eu, nos conhecemos em uma festa de amigos em comum e quando nós estavamos em busca de um tatuador, o Tae indicou eles dois. — Namjoon apontou para Jungkook e Hoseok que sorriram e assentiram.

— Ele nunca me falou de vocês, estou chateado com isso. — Jimin fez beicinho e todos riram.

— É porque quase nunca nos reunimos, então eu sempre me esquecia de citar eles para vocês, mas lembra aquela vez que eu disse que o cara que furou meu piercing era gato? Então... — Ele apontou para Hoseok e Jimin ficou vermelho, escondendo o rosto com a mão enquanto todos riam.

— Tae! Não fala essas coisas! — Jimin repousou a taça de vinho na mesa de centro, sentindo o álcool ou talvez a timidez surgirem em suas bochechas em um tom rubro.

— Por que não? Em breve vocês vão ficar íntimos. — Jimin se encolheu na poltrona com a fala de Taehyung, seu rosto queimando no mais profundo tom de vermelho agora que ele tinha a atenção de todos os homens da sala para si.

Jimin pigarreia. — Eu preciso beber água. — Ele se levanta, sentindo as pernas meio bambas. Ele quase conseguia sentir olhares queimando em sua bunda e isso fez suas calças começarem a ficar apertadas.

— Merda... — Jimin molhou as mãos e deu batidinhas suaves em suas bochechas quentes, enchendo um copo de água, mas não conseguindo mais do que bebericar.

O que ele deveria fazer? Como ele poderia começar isso quando suas pernas tremiam tanto que ele sentia que iria desmaiar a qualquer momento?

A ereção em sua calça agora era tão visível que Jimin se sentiu constrangido de voltar para a sala. Sua mente voltava em todos aqueles homens em seu sofá, esperando com a intenção de fode-lo e isso o fazia se encolher um pouco contra a geladeira na cozinha, buscando um pouco da frieza do inox para seu corpo quente.

— Jimin?

Jimin entrou em pânico quando ouviu uma voz que não pertencia a Taehyung na cozinha. Ele olhou e observou uma cabeça se mostrar entre a parede que dividia a sala e a cozinha: Jungkook.

— Será que posso tomar um copo de água? — Ele pediu, dessa vez, entrando completamente na cozinha. Jimin nunca se sentiu tão fraco, seu pau pulsava tanto que ele pensou que talvez o pré-gozo já estivesse deixando uma mancha no tecido escuro.

— C-claro. — Jimin pegou um copo de vidro e encheu na porta da geladeira, as mãos tão trêmulas quando ele foi entregar o copo para Jungkook que a água caia em abundância no chão. — M-me desculpa! — Jimin aproximou mais o copo de Jungkook e quando o homem segurou, Jimin acabou derrubando grande parte o líquido na roupa do outro, mais precisamente em sua calça. — Puta merda, eu sinto muito! — Jimin deixou Jungkook segurar o copo e abriu uma gaveta para pegar um pano de prato e sem raciocinar no quão sugestivo o ato era, ele começou a enxugar a água da calça cargo preta que Jungkook vestia.

— Não precisa se preocupar, eu não pretendia ficar com ela a noite toda. — Jimin sentiu sua respiração engatar, olhando para cima para observar um mínimo sorriso que carregava uma malícia extrema. Os olhos escuros de Jungkook pareciam ainda mais profundos em pura luxúria, Jimin se sentiu ainda mais fraco.

— Desculpe, eu estou um pouco nervoso. — Jimin largou o pano e se apoiou no balcão quando sua excitação atingiu um ápice tão grande que ele podia sentir seu pau e seu cu pulsando, e porra, ele queria tanto, por que todos os homens que Taehyung trouxe precisavam ser tão intimidadores?

— Eu entendo, eu também estou. — Jungkook coçou a nuca e mordeu o lábio inferior, mostrando bem o bíceps definido, o que fez Jimin querer ficar na ponta dos pés e lambe-los. — Porra, acho que eu só estou te deixando mais nervoso, não é? Eu sinto muito, Jim-

Jimin finalmente teve um pico de adrenalina e a coragem tomou seu corpo quando ele deu dois passos à frente e ficou na ponta dos pés para beijar os lábios de Jungkook, envolvendo os braços em torno dos ombros fortes.

O contato dos lábios se selou com um gemido abafado partindo de ambos, que estremeceram com a fricção das virilhas, ignorando a bagunça molhada de água em suas calças. Jimin estremeceu quando os braços fortes descerem até sua cintura e o apertou com tanta força que o fez estremecer e puxar os cabelos escuros do outro, abrindo a boca para dar espaço para a língua exigente de Jungkook enquanto ele o empurrava contra a bancada e descia as mãos para a parte traseira de suas coxas, erguendo-o do chão em questão de segundos, como se ele não pesasse nada.

Jimin tinha um fraco ainda maior por homens fortes.

— Hum... — Jimin ouviu na porta da cozinha e quase gritou quando ele e Jungkook se afastaram rápido. A adrenalina percorria todo seu corpo, ele nunca se sentiu tão bem, já fazia um tempo desde que ele não se sentia assim, como se estivesse fazendo algo errado e fosse pego de propósito.

— Tae... — Jimin mordeu o lábio inferior, agarrando as bordas do balcão de mármore.

— Vamos continuar na sala? — Ele perguntou com um sorriso malicioso e Jungkook assentiu, parecendo bastante abalado. Agora a ereção era evidente em sua calça.

Jimin assentiu também, erguendo a mão para a mão estendida de Taehyung e voltando para a sala para ser recebido com risadas e conversas altas. Claro que todos perceberam como eles voltaram, Jungkook com os cabelos um pouco bagunçados e lábios avermelhados, assim como Jimin.

Antes que Jimin pudesse soltar a mão de Taehyung e se sentar no sofá, seu amigo o puxou pelo pulso, fazendo-o bater contra o peitoral definido. Jimin suspirou com as mãos de Taehyung descendo de imediato até sua bunda, o fazendo sibilar com o aperto forte. — Tae-ah... — Jimin sussurrou, cravando as unhas minimamente crescidas mas bem lixadas no peitoral de Taehyung, que respondeu com um "hum?".

A sala ficou em silêncio.

Ter uma amizade com benefícios era de fato muito conveniente. O melhor era que eles nunca ficariam tímidos ou estranhos depois de se beijar ou até mesmo após fazer sexo. Isso era algo que eles haviam combinado há um tempo, embora não fosse sempre, eles sentiam tesão um no outro e estava tudo bem se aliviarem juntos às vezes.

Em segundos, suas bocas se chocaram de forma agressiva, iniciando um beijo quente e necessitado, onde Taehyung puxava a bunda de Jimin com força para cima, girando-o de costas para o agrado dos homens. Jimin quase se sentiu tímido por ser tão exposto para quatro caras que ele conheceu há meia hora, mas agora ele estava tão excitado que nem conseguia pensar em mais nada se não em chupar a língua de seu amigo com o máximo de fervor.

Taehyung brincava com as nádegas de Jimin para o deleite dos quatro homens no sofá, apertando-as, erguendo-as para cima e soltando para que os outros apreciassem o chacoalhar celestial da mesma. Ele também os provocou desabotoando a calça de Jimin e enfiando as mãos dentro da mesma para abrir as nádegas sob o tecido escuro, o que arrancou suspiros e farfalhares vindos do sofá.

Taehyung sorriu contra os lábios de Jimin, decidindo deixar os homens ainda mais estupefatos ao puxar as mãos para fora da calça de Jimin e dar um tapa tão forte na bunda empinada que o loiro estremeceu forte e choramingou alto, descendo os lábios para o pescoço de Taehyung. — Tão carente... mais um seria bem-vindo aqui, não é, Jiminie? — Jimin assentiu contra o pescoço de Taehyung e empinou a bunda para trás, deixando Taehyung balançar seus quadris com as mãos de forma convidativa, o que embora tenha atraído todos. O mais rápido a se levantar foi Jackson, que quase correu para ficar atrás de Jimin.

Quando Jackson grudou os a virilha na bunda de Jimin o loiro gemeu tão alto que todos da sala estremeceram. Se com tão pouco contato ele gemia assim, como ficaria quando tivesse um pau dentro dele?

— Porra, que delícia... — Jackson agarrou os quadris estreitos do loiro com certa brutalidade, puxando-o para trás e Jimin aceitou de bom grado, forçando a bunda contra a ereção de Jackson em uma necessidade absurda. — Tire a camisa dele. — Jackson desensacou a camisa de Jimin da calça com facilidade e puxou-a pela bainha para cima, deixando que Taehyung terminasse de tira-la e a jogasse no chão.

Jimin podia jurar que ouviu um ou dois palavrões vindos do sofá, o que o fez se sentir desejado. Seu corpo estava tão entregue que ele nem se importava de estar sendo despido no meio de cinco homens e esfregando a bunda no pau de um deles como estava alguns segundos atrás.

— Você quer gozar? — Taehyung perguntou quando Jimin começou a se esfregar freneticamente entre ele e Jackson e o loiro assentiu fervorosamente, sibilando um "por favor", o rosto vermelho e um pouco suado. — Ainda não. — Taehyung parou os quadris de Jimin e riu com o choramingo intenso do loiro. — As calças.

Jimin entendeu o que Taehyung quis dizer e deixou que Jackson deslizasse suas calças por suas coxas. Ele estremeceu ao sentir o homem abaixando atrás de si e deixando rastros de beijos em suas costas, bunda e parte externa e interna das coxas. Cada toque dos lábios de Jackson faziam Jimin se arrepiar e suspirar baixinho, quando o homem acabou, Jimin já estava apenas de cueca e os dois se afastaram dele, deixando-o sozinho no meio da sala.

— Puta merda, ele tem um piercing. — Jungkook falou e os outros sibilaram com a visão do piercing prateado em formato de arco no mamilo direito.

Jimin estava completamente arfante no centro da sala, a mancha úmida na frente de sua cueca já havia deixado o tecido branco praticamente transparente.

— Tire a cueca. — A voz de Namjoon soou rouca e firme, chamando a atenção de Jimin, que estava quase se sentindo chateado por ter tantos olhares e nenhum toque. Ele assentiu e agarrou o cós da cueca em ansiedade, empurrando-o para baixo para libertar seu pau duro e vazando, ansioso para agradar. Ele ouviu mais alguns suspiros e palavrões engasgados quando ficou completamente nu, sentindo a brisa da noite fria vinda da janela aberta bater em seu corpo quente.

Antes que ele pudesse de fato encarar os homens novamente, seu corpo foi içado do chão por um par de braços fortes em torno de sua cintura e Jimin tratou de enrolar as pernas ao redor da cintura do homem grande.

— Onde é o quarto? — Namjoon perguntou, encarando os olhos de Jimin de forma sedenta.

— Por ali. — Taehyung apontou, sua voz parecia um pouco mais rouca que o normal.

Seria eufemismo dizer que Namjoon andou rápido, ele quase correu com Jimin nos braços, deitando-o na cama tão rápido quanto possível e atacando seus lábios com um desejo que deixou Jimin ainda mais sedento.

Ele ouviu todos entrando no quarto, mas não conseguia prestar atenção exatamente no que estava acontecendo enquanto se esfregava no pau vestido de Namjoon, choramingando contra os lábios grossos e apetitosos do homem de cabelos castanho claro enquanto seu pau sensível roçava o tecido ríspido do jeans.

— Eu quero que você me foda. — Jimin susssurrou contra os lábios de Namjoon, ouvindo o homem suspirar e quase rosnar contra seus lábios em resposta.

— Eu também quero te foder, loirinho. — Namjoon empurrou a ereção realmente dura contra a bunda de Jimin, que gemeu alto em resposta e choramingou um pouco. — Mas você ainda tem que ser preparado.

— N-não! — Jimin agarrou o rosto de Namjoon, beijando seus lábios fervorosamente outra vez e a mente nublada o suficiente para já implorar para um cara que ele conheceu nem meia hora atrás que o fodesse. — Não precisa... eu quero seu pau... — Jimin enfiou uma das mãos entre o corpo deles e Namjoon observou, parecendo divertido e muito afetado com o pedido do loiro.

Assim que Jimin alcançou o volume duro na calça de Namjoon, ele ouviu a voz de Taehyung.

— Mas já? Pra que tanta pressa? Você tem cinco paus pra te foder pelo resto da noite mas já está agindo feito uma puta sedenta nas preliminares. — Taehyung riu, apontando para Hoseok. — Pode preparar ele.

Ele viu Taehyung passando uma garrafa de lubrificante para Hoseok, que pegou de bom grado e abriu ansiosamente, se aproximando e dando alguns tapinhas na panturrilha de Namjoon para ele se mover.

Namjoon relutantemente se levantou, antes deixando muitos beijos nos lábios e rosto de Jimin e o encarando e sussurrando: — Quando for minha vez, eu vou te foder te foder de um jeito que você nunca vai se esquecer, eu vou te fazer sentir meu pau por dias... — Jimin suspirou e sentiu as bochechas esquentarem com o aviso, seu corpo se arrepiando por completo em pura antecipação.

Jimin estava de pernas abertas, seu pau vazando contra o abdômen e uma tonalidade rosada escura na ponta melada de pré-gozo. Ele se sentiu pequeno, o único nu no meio de todos os homens vestidos, ele quase fechou as pernas quando a timidez o atingiu em meio ao seu estado de êxtase, mas foi impedindo pelas mãos de Hoseok, que as abriram novamente.

— Não fique tímido, fofo. Você é tão lindo.

Taehyung se mudou quase que relutante para o outro lado da sala, fazendo Jimin o seguir com o olhar. Ele se abaixou e pegou uma mochila no canto do quarto que Jimin não havia visto antes, trazendo-a para perto dos outros e abrindo o zíper para mostrar o interior para Jungkook e Jackson.

— Esse! — Jungkook retirou um anel peniano da mochila e Jimin choramingou audivelmente, chamando a atenção de todos os homens que tinham um olhar nada menos que faminto. — Shhh. — Jungkook caminhou até a cama e se sentou ao lado de uma das pernas abertas, enquanto Hoseok estava do outro, aquecendo o lubrificante entre os dedos. — Seja bom pra nós e vamos te deixar gozar em breve. — Jungkook pressionou suavemente o polegar na fenda melada de Jimin e circulou a glande, fazendo o loiro assiviar de prazer e se contorcer na cama. Seu prazer foi breve já que em seguida, Jungkook prendeu o anel peniado na base de seu pênis e ao redor de seus testículos. — Você vai ser bom? — Jungkook perguntou com a voz baixa, embargada de luxúria, descendo e subindo a mão lentamente por toda a extensão do pênis de Jimin, que embora não fosse muito grande, compensava em circunferência.

Jimin assentiu ansiosamente, empurrando os quadris na mão de Jungkook, o barulho molhado do pré-gozo que vazava de seu pau em abundância desde que haviam começado tornando o deslize mais fácil na mão de Jungkook. — S-sim, eu prometo, eu serei muito bom. — Jimin fodia a mão de Jungkook em desespero, mas sentiu mãos em seus quadris, o prendendo na cama com agressividade.

— Então por que já está sendo mau? Está tentando ser punido? É disso que você gosta, não é? — Hoseok disse com a voz ríspida, mas ainda com malícia presente.

Oh.

Como ele adivinhou?

Jimin procurou o olhar de Taehyung e quando achou, ele estava sorrindo, como se soubesse exatamente o que Jimin estava pensando.

— Sistema de faróis, certo? Verde para continuar, amarelo para desacelerar e vermelho para parar. — Taehyung anunciou, começando a desabotoar a própria camisa florida, o que fez Jimin engolir seco e assentir. — Verbalize, Jimin.

— S-sim...

— E qual sua cor agora? — Jungkook já havia retirado a mão de seu pau e a voz pertencia à Hoseok, que agora estava entre suas pernas, deslizando os dedos molhados de lubrificante entre suas nádegas.

— Verde! — Jimin respondeu ansiosamente, ganhando risadinhas breves enquanto abria mais as pernas para Hoseok.

Quando Hoseok empurrou o primeiro dedo no anel de músculos apertado, Jimin soltou um gemido baixo, já fazia um tempo desde a última vez. Os movimentos do dedo logo tomou um ritmo e logo apenas um não era mais o suficiente.

— Mais... — Jimin pediu, abrindo mais as pernas e ouvindo suspiros e farfalhar de roupas, embora ele não conseguisse nem abrir os olhos, embriagado demais no próprio prazer a cada vez que os dedos longos de Hoseok batiam em sua próstata. — Mais! — Ele parou de pedir, exigindo e o terceiro dedo o fez engasgar com a dor, mostrando a necessidade de mais lubrificante, que logo foi despejado em abundância em sua entrada enquanto Hoseok beijava a parte interna de uma de suas coxas como um gesto de desculpas.

— Sinto muito, anjo. — Hoseok pediu, voltando a movimentar os dedos cautelosamente, mas em poucos minutos Jimin já estava acostumado, empurrando contra os dedos do homem e gemendo alto enquanto suas pernas tremiam.

Embora fosse extremamente prazeroso, Jimin queria chorar por sentir o fluxo de sangue do seu pau sendo interrompido pelo anel, impedindo seu orgasmo que estava tão próximo. Mas ainda sim, a ideia de estar à mercê dos cinco homens o excitava muito, ele sabia que quando fosse autorizado a gozar, seria uma experiência inigualável.

Agora quatro dedos de Hoseok batiam violentamente em sua próstata, fazendo-o gemer continuamente enquanto fracamente tentava se apoiar nos cotovelos apenas para cair logo em seguida, incapaz de se manter em outra posição que não fosse deitado, mesmo que seu corpo implorasse para acabar com a agonia. — É d-demais... para! — A super-estimulação o estava enlouquecendo, mas não de um jeito ruim. A verdade era que Jimin gostava de brincar com a essa palavra durante uma sessão intensa e provavelmente essa não seria a última vez que ele pediria isso, quando na verdade, queria o contrário.

Hoseok parecia estar ciente disso ao continuar e Jimin se perguntou brevemente se Taehyung havia dado um guia para os homens sobre: Como cuidar de Park Jimin na cama.

— Qual sua cor? — Ele perguntou enquanto movia o braço com força, fazendo Jimin dar pulinhos involuntários cada vez que era atingido com força num ponto de prazer dolorosamente bom.

— V-ver... de... porra! — Jimin respondeu quase irritado pela mesma pergunta sendo repetida outra vez, embora ele soubesse que era importante. Com um vislumbre dos outros homens que estavam pouco menos de 5 passos afastados da cama, Jimin percebeu que todos eles estavam se masturbando enquanto o assistiam ser fodido impiedosamente pelos dedos de Hoseok. — P-por favor... — Ele engasgou, sentindo a sensação do ápice o atingir, mas absolutamente nada sair de seu pau, gozando completamente seco.

Isso era completamente inédito para Jimin. Ele já tinha ouvido falar sobre orgasmos em seco, mas nunca tinha acontecido com ele. Hoseok pareceu notar a hipersensibilidade e lentamente retirou os dedos de seu interior, ação que Jimin respondeu com um suspiro de alívio.

Jimin arfava e tentava parar de tremer quando sentiu mãos firmes em seus quadris, o manuseando facilmente para ficar de bruços na cama. Ainda meio grogue do orgasmo, Jimin mal percebeu que agora seu corpo estava atravessado na cama e Taehyung estava bem na sua frente, ainda vestido embora sua calça estivesse visivelmente desfeita, provavelmente para se tocar enquanto o assistia ser fodido pelos dedos de Hoseok.

— Hey, coisinha bonita. — Taehyung se inclinou, segurando o rosto de Jimin com uma só mão enquanto juntava seus lábios em um beijo casto. — Você fica tão lindo assim, com essa expressão fodida, já tinha me esquecido... — Taehyung apertou o maxilar de Jimin que gemeu em resposta, as coxas tremendo um pouco quando foi colocado de quatro por mãos fortes que agora espaçavam suas coxas e puxava seu quadril para trás. Ele realmente amava ser elogiado, no mesmo nível que amava ser completamente degradado, ele se perguntou rapidamente se isso aconteceria essa noite.

Jimin tentou virar o rosto para trás para ter um vislumbre de quem o tocava assim, mas foi impedido pelas unhas curtas de Taehyung cravando suas bochechas, o que o fez choramingar baixinho e ficar parado.

Taehyung estalou a língua em desaprovação e balançou a cabeça. — Não pode olhar. — A ordem era clara na voz dele e Jimin aceitou quieto. — Abra sua boca. — Taehyung ordenou e Jimin obedeceu, sua mente ainda nublada do turbilhão de sensações que atravessavam seu corpo ao mesmo tempo.

Ele reparou que Taehyung desviava o olhar por cima de seu corpo, gesticulando algo que Jimin não conseguia entender com uma das mãos. — Eu quero ouvir de perto, quero sentir seus lábios vibrarem ao redor do meu pau quando ele te foder. — Taehyung puxou o pau grande para fora, a ponta avermelhada e vazando pré-gozo destacavam o quão excitado ele estava. Jimin o observou bater contra a barriga levemente envergado para a direita e sentiu a boca salivar com a visão.

Jimin mal percebeu a sinalização de Taehyung para quem quer que estivesse atrás de si se movimentar, mas tudo que ele conseguiu assimilar era que agora havia a cabeça de um pau empurrando em sua entrada enquanto ao mesmo tempo, seu melhor amigo abria sua boca empurrando o pau dentro, fazendo-o arfar com a sensação de ser preenchido por dois ao mesmo tempo.

O pau não era exatamente grande, mas grosso o suficiente para fazer o loiro arquear a coluna brevemente com a breve dor surda. Jimin choramingou ao redor do pau de Taehyung e cravou as unhas em uma das coxas meio vestidas do melhor amigo, enquanto sentia os membros intrusos se alocarem em seu interior sem muita cerimonia, preenchendo-o de uma forma tão completa que fez Jimin gemer longo e abafado com boca cheia de pau, se arrepiando com a vibração suave causada pelo som, o que fez Taehyung gemer alto e jogar a cabeça para trás.

Taehyung o empurrou com força para trás pelos ombros quando o homem atrás de si puxou quase todo o pau para fora, fazendo sua bunda se conectar com a virilha dele em um estalo alto, seguido de um grito agudo que escapou do fundo de garganta de Jimin e que foi totamente abafado pelo pau de Taehyung, que até pulou em seu lugar e agarrou os cabelos loiros de Jimin pela nuca, sibilando alguns palavrões pela sensibilidade que a vibração causou em seu pau.

— Já faz um tempo que você não tem essa boquinha linda fodida, hein? Não se preocupe, hoje você tem pau o suficiente pra virar um expert em garganta profunda. — Taehyung riu, limpando uma das lágrimas que escorria pela bochecha corada de Jimin, que gemia chorosamente ao redor de seu pau, causando vibrações continuas, deixando Taehyung ainda mais ansioso para foder a garganta do loiro. — Abra bem. — Jimin obedeceu, abrindo a boca o máximo possível para deixar o pau de Taehyung se afundar em sua garganta, quando ao mesmo tempo o outro intensificou os movimentos, fazendo Jimin arregalar os olhos e tentar gritar com a garganta cheia, o que resultou em um Taehyung muito satisfeito com o aperto e vibração dos músculos da garganta de Jimin ao redor de seu pau.

— Porra... — Taehyung agarrou a nuca de Jimin, que engasgava em seu pau. — Respire pelo nariz, baby. — Ele começou a empurrar os quadris para frente e Jimin choramingou alto, se esforçando para respirar pelo nariz enquanto era fodido por duas pessoas ao mesmo tempo.

Ele podia ouvir murmúrios e gemidos baixos além dos barulhos de tapa de pele contra pele causados pelo quadril alheio batendo em sua bunda repetidamente, assim como os ruídos lascivos e extremamente molhados que todo o ato produzia, incluindo o som de sua garganta sendo fodida sem a menor piedade por Taehyung.

Os sons de engasgo e gemidos abafados prevaleciam e Jimin pensou que sufocaria em certo ponto. Sua mente estava completamente nublada combinada ao zumbido contínuo nos tímpanos e a picada leve de dor pela agressividade com qual sua próstata era violentada pelo pau desconhecido o fez perecer, as pernas estremecendo e falhando até que seus quadris caíssem na cama, provocando um arrepio em sua coluna pela estimulação ríspida de seu pau duro e vazando no tecido dos lençóis. Seu corpo foi rapidamente puxado de volta para cima por mãos gananciosas e a breve pausa que teve do pau de Taehyung em sua garganta foi substituída pela sensação ardente de um tapa em seu rosto, mas não de uma mão.

— Mal consegue se aguentar... — Taehyung segurou seu pau pela base e bateu novamente na bochecha de Jimin enquanto o loiro mal conseguia conter os gemidos e soluços provocados pelas estocadas erráticas em sua bunda agora que sua boca estava livre.

Jimin estava chorando, as lágrimas escorriam livremente em seu rosto. As sensações eram intensas o suficiente para faze-lo estremecer sem parar e apenas permanecer na posição pelas mãos que o seguravam pelo quadril e por Taehyung, que o segurava com uma só mão debaixo da axila, puxando-o para cima enquanto direcionava novamente o pau para dentro de sua boca, em segundos, se afundando novamente em sua garganta.

A sensação era demais, mas Jimin sequer pensou em beliscar Taehyung, como haviam combinado outras vezes caso fosse demais e sua boca estivesse ocupada para dizer a palavra de segurança. Na verdade, a sensação era boa demais e a intensidade das sensações faziam Jimin querer mais, ainda não era o suficiente.

Uma estocada mútua de Taehyung e de quem o fodia anunciou o ápice quase simultâneo de ambos os homens, que gemeram alto, o suficiente para fazer Jimin rolar os olhos, ele mal podia imaginar o quão erótica a cena era agora, um arrepio percorreu seu pau dolorido com o pensamento enquanto ele sentia Taehyung gozar em sua garganta e segura-lo pela nuca no lugar para não deixa-lo perder nem uma gota, enquanto Jimin tentava o empurrar pelos quadris quando não conseguia respirar por ter a boca cheia do pau de Taehyung e o nariz aterrado na virilha do mesmo.

Segundos depois, Taehyung o soltou e Jimin observou um fio de porra e saliva ligar o pau do outro com seus lábios. Ele arfou alto, dando aos seus pulmões todo o ar do qual foi desprovido por todo esse tempo, chegando a engasgar e tossir com o mesmo por ser demais de uma vez só. Seu rosto estava vermelho e os olhos marejados, rolando lágrimas gordas e quentes por suas bochechas e até sob seus lábios inchados.

Quando ele caiu na cama por falta de mãos para segura-lo, ele percebeu que quem o fodeu já havia terminado também. Jimin estava deitado agora, completamente ofegante e estremecendo um pouco. Seu pau estava murchando, mas ele podia sentir suas bolas pulsando dolorosamente. A intensidade era tamanha que seu corpo tinha alguns pequenos espasmos enquanto ele tentava recuperar a respiração.

— Ele tá bem? — Jimin ouviu a voz mais jovem do grupo perguntar, Jungkook. Quando ele abriu os olhos, vislumbrou um Jackson completamente ofegante e suado tirando uma camisinha usada do pau e amarrando para jogar fora.

Oh, então foi ele.

Jimin queria sorrir ao descobrir quem o fodeu tão bem por todo esse tempo, mas era como se ele estivesse alheio, fora do controle de seu corpo.

— Olhe só pra ele. Ele está vivendo um sonho. — A voz de Taehyung surgiu rouca e um tanto divertida, fazendo Jimin corar, mas concordar em silêncio, afinal, ele estava aproveitando muito.

— Quem quer ser o próximo? — Taehyung ofereceu e Jimin sentiu seu corpo se arrepiar, o sentimento de ter seu corpo oferecido pelo seu melhor amigo para outros homens era excitante o suficiente para faze-lo estremecer.

Ele piscou algumas vezes e sentiu uma mão em sua coxa e em seguida, outra em sua nuca, o fazendo se sentar na cama, embora seu corpo ainda estivesse amortecido.

Em questão de segundos, Jimin observou Jungkook se aproximar timidamente, o que não combinava nada com seu tamanho. Ele riu baixinho e o maknae percebeu, franzindo o cenho enquanto tirava a própria camisa e sem cerimonias, se despia das calças e cueca.

— O que é engraçado, loirinho? — O homem tatuado perguntou e Jimin engasgou, seu pau fisgando ao ouvir o apelido e observar o corpo escultural do homem.

Ele era ainda mais gostoso do que Jimin poderia imaginar.

— N-na.... — Jimin tentou falar, mas esse foi o único som que sua garganta rouca produziu e em segundos ele sentiu as bordas finas de um gargalho de garrafa em seus lábios, que estava sendo inclinada para frente, fazendo-o beber da água oferecida por Taehyung.

— Eu soube que você gosta de ser tratado feito uma puta. — Ele falou conforme abria uma camisinha e desenrolava no pau, erguendo uma das sobrancelhas grossa para Jimin, que observava o ato, a respiração engatando com a visão, o estômago se enchendo de um frio de ansiedade.

Porra, ele é grande.

Jimin lambeu os resquícios de água dos lábios e deixou os que escorriam por seu queixo pingar em seu estômago, assentindo devagar para Jungkook, suas pernas estavam abertas e a visão de seu corpo fodido e marcado por mãos alheias devia ser demais para os outros, que após Jungkook e Jackson se despirem, ficaram totalmente nus também.

— Oh. — Jungkook derramou um pouco de lubrificante no próprio pau e bombeou duas vezes, espalhando todo o gel com base de água no mesmo. — Então uma puta sedenta como você precisa estar sempre cheia. — Jungkook deu um tapa na coxa de Jimin, o fazendo gritar e pular um pouco na cama. — Abra bem. — Ele ordenou e Jimin arqueou as sobrancelhas, suspreso com a rapidez com qual a atitude do maknae havia mudado, ignorando a dor em sua virilha ao abrir as pernas o máximo que podia. Sua flexibilidade pareceu impressionar o homem tatuado, que arqueou uma sobrancelha e assoviou.

Sem aviso, Jungkook se posicionou em sua entrada e o penetrou até o fim sem perder tempo, fazendo Jimin se contrair e gritar ao se sentir tão cheio do pau grande e grosso de Jungkook, a diferença entre ele e Jackson era de fato, contrastante.

Jimin não esperava ter tempo para se acostumar, mas a sensação do primeiro impulso quase o fez voar fora da cama. Por sorte, ou talvez nem tanta assim, Hoseok estava do outro lado, o segurando pelos ombros quando sua cabeça caiu para fora da cama, o pescoço inclinado para trás e tudo o que havia em seu campo de visão eram as coxas nuas de Hoseok e um pouco mais acima, seu pau duro contra o estômago.

— Te peguei. — Hoseok puxou Jimin pelas axilas e o loiro gemeu alto ao perder o pau de Jungkook, que parecia se comunicar com Hoseok com apenas olhares, fazendo o loiro se sentir perdido no meio dos dois.

— Me ajuda a foder essa putinha. — Jungkook disse maliciosamente e ajustou jimin nos braços do amigo, fazendo com que a parte inferior do corpo do loiro ficasse solta enquanto a superior era firmemente segurada por Hoseok, que erguia seus braços acima da cabeça enquanto continuava o segurando pelas axilas. Doía um pouco, mas Jimin não estava em posição de reclamar, apenas suspirando ao ouvir Jungkook chama-lo por nomes tão baixos.

Antes que Jimin pudesse entender o que estava acontecendo Jungkook empurrou suas pernas para cima, fazendo-o gritar com a queimação repentina na parte traseira de suas coxas ao ser basicamente dobrado ao meio, sem ao menos dar a Jimin a chance de se acostumar, Jungkook cravou as unhas nas coxas do loiro e se ajoelhou na cama com uma perna enquanto manteve a outra esticada com o pé firmemente apoiado no chão, voltando a empurrar a ponta dura do pau na entrada do loiro, arrancando um choramingo de Jimin que logo se tornou um grito assim que Jungkook mais uma vez o penetrou por completo, desta vez, atingindo um novo nível de profundidade.

— Qual sua cor? — Hoseok sussurrou meio ofegante em seu ouvido enquanto Jungkook começou a se mover em um ritmo avassalador, fazendo o loiro pular no colo de Hoseok, roçando as costas contra o peito do ruivo que já estava começando a suar com o atrito.

Jimin não conseguia distinguir exatamente seus gemidos de gritos, talvez fosse algo entre ambos cada vez que ele tentava acompanhar o ritmo de Jungkook, embora mal pudesse mover seu corpo, a mercê dos homens.

— V-verde... — Jimin falou sem pensar, embora seu raciocínio estivesse um pouco mais lento que o normal, provavelmente entrando em um subspace.

— Ah é? Então podemos aumentar um pouco a intensidade. — Jungkook cuspiu as palavras exasperado, agarrando as coxas de Jimin com força o suficiente para fazer o loiro chorar e tentar puxa-las do aperto excessivamente forte do outro, mas tudo o que recebeu em troca foi uma estocada ainda mais forte, mesmo que Jungkook estivesse visivelmente se esforçando muito, completamente suado e com o rosto vermelho pelo empenho, ele ainda parecia ter muito para oferecer.

No que parecia ser um esforço combinado, Hoseok envolveu os braços ao redor da cintura de Jimin e ajudou Jungkook a tornar a experiência ainda mais intensa. Ele movia Jimin como se fosse uma boneca de encontro com o pau de Jungkook, o que arrancou um soluço engasgado do loiro que estremeceu fortemente, se agarrando com força aos braços de Hoseok que o apertava com força o suficiente para doer.

Jimin estava em êxtase, chorando desesperadamente e abrindo a boca em gritos silenciosos quando a sensação dos movimentos de Jungkook eram contínuas e com um mínimo movimento diferente ou mais forte, se transformavam em gritos agudos e altos, enchendo o quarto junto aos barulhos estridentes de tapa cada vez que seus corpos colidiam. A forma como Hoseok o fodia no pau de Jungkook e como o mais novo devolvia os movimentos com todo seu afinco levaram o loiro à beira da inconsciência.

Jungkook notou o vermelho quase roxo na ponta do pau de Jimin, o que o fez indelicadamente retirar a contenção que prendia os testículos inchados e também a base do pau, ansioso para ver o loirinho gozando apenas de seu pau.

Jimin gritou quando Jungkook puxou o anel, seu estômago se contraindo no ápice do prazer, gozando pateticamente segundos após ter o pau liberado, espirrando porra leitosa em si mesmo, Jungkook e talvez um pouco em Hoseok.

— O-oh... — Jimin arfou, a voz rouca, o corpo trêmulo tentando fugir dos impulsos de Jungkook que não diminuiram nem quando Jimin explodiu em seu ápice, o que começou a se tornar uma experiência puramente dolorosa, ser fodido logo após de seu orgasmo quando ainda estava tão sensível era quase insuportável.

— P-pode soltar ele. — Jungkook pediu e Hoseok entregou o loiro nos braços do moreno, choramingando baixinho por perder o atrito das costas de Jimin contra seu pau quente enquanto ajudou Jungkook a fode-lo. Ele só conseguia pensar que adoraria ser o próximo a comer o loiro.

Jungkook, por sua vez, se virou e caiu na cama com Jimin abaixo de si, se acomodando entre as pernas do loiro que agora era apenas uma bagunça de lágrimas e soluços, os olhos parecendo profundamente perdidos em algum lugar que Jungkook não sabia explicar.

— P-pare... — Jimin soluçou quando Jungkook deu o primeiro impulso em uma nova posição, que por sorte, não era tão profunda a anterior, mas ainda doía. — Doí... — Jimin choramingou e Jungkook gemeu alto, combinando com a forma como o loiro se apertava em seu pau.

— Se você quer mesmo que eu pare, você sabe o que precisa dizer. — Jungkook arrastou os lábios contra as bochechas molhadas de lágrimas de Jimin, saboreando o gosto salgado com a ponta da língua, aguardando pacientemente e profundamente aterrado no interior do loiro por uma resposta.

Jimin ficou em silêncio, ofegando e choramingando com a plenitude de Jungkook em seu interior. Embora a sensação fosse dolorosa em demasia, Jimin ainda queria continuar sentindo.

Talvez ele fosse um pouco masoquista.

— Ele absolutamente não quer que você pare.

Jimin permitiu que Taehyung respondesse por ele, afinal, ninguém ali além dele mesmo o conhecia tão bem. O homem de cabelos cinzas sabe exatamente o que Jimin ama e odeia, quando Jimin quer que pare ou quando quer que continue.

No momento, Jimin aproveitou para se afundar em suas profundas fantasias em ter seu corpo guiado e dominado por outras pessoas, em não ser o dono das decisões, mesmo que isso implicasse diretamente em consequências físicas, embora ele soubesse que Taehyung nunca permitira que esses homens o machucasse.

A resposta de Taehyung e o silêncio de Jimin foi o suficiente para um impulso tão forte quanto o possível arrancar um grito agudo e meio rouco vindo de Jimin. Jungkook era tão forte e tão grande que Jimin não podia deixar de se sentir completamente vulnerável embaixo dele. A respiração ofegante do em seu rosto e até alguns pingos de suor que caíam de seus cabelos escuros estavam levando Jimin à loucura.

— Putinha safada... isso é mais um fetiche pervertido seu? Você quer implorar pra parar? — Jungkook agarrou os cabelos loiros de Jimin bem no topo da cabeça e puxou para trás, expondo o pescoço do menor, que arfava desesperadamente e gemia tão alto quanto possível a cada movimento errático dos quadris de Jungkook contra sua bunda. — Responde! — Jungkook soltou o cabelo de Jimin abruptamente, deixando uma sensação forte de tontura com o ato, tendo sua atenção reestabelecida ao levar um tapa forte no rosto, um pouco mais forte do que estava acostumado a receber de Taehyung.

Jimin estava arfando, encarando Jungkook com um olhar fodido e meio desfocado no rosto enquanto o mais novo o encarava de volta, erguendo a sobrancelha, parecendo desafia-lo a dizer algo.

Jimin gemeu, derrotado, assentindo firmemente. — Sim... — Ele respondeu, se deleitando com a picada de dor agora latejando em sua bochecha, enquanto Jungkook deu uma risada baixa em meio aos próprios gemidos e ofegos.

— Você quer que eu te faça implorar pra parar então? talvez fazer você chorar e tentar fugir de mim desesperadamente... O que acha disso? — Jungkook lambeu a cartilagem da orelha de Jimin, sugando-a antes de soltar com um barulho molhado lascivo.

Jimin estava em êxtase com a sensação, com as palavras, com a força de Jungkook que o fazia parecer onipotente perante à tudo. — P-por favor... sim... sim senhor! — Jimin suplicou, fungando enquanto chorava baixinho. O sentimento de humilhação queimava em seu interior e também exterior, refletido em suas bochechas agora vermelhas.

Quando Jungkook parecia satisfeito com o quão destruído Jimin estava em seus braços, ele mordeu os lábios e saiu de dentro de Jimin, abandonando-o em um estado choroso na cama por mais difícil que fosse perder o aperto da bunda deliciosa do loirinho.

Jimin, por sua vez, se apoiou sob os braços quase de imediato, piscando algumas vezes para tentar enxergar a situação e entender o motivo pelo qual havia sido deixado tão vazio, seu buraco aberto e molhado pulsando e se apertando ao redor de nada. — N-não... não por favor.... volta... eu quero mais! — Jimin teve um pouco de dificuldades em se colocar de joelhos, mas quando conseguiu, ele juntou as duas pernas e se sentou em cima dos próprios calcanhares, colocando as mãos sobre as coxas, da forma que Taehyung o havia ensinado a fazer quando quisesse ganhar algo: ele precisava ser um bom garoto.

Jungkook estava ofegante, limpando o próprio suor da testa com o antebraço enquanto olhava para Jimin com diversão. — O que você quer, putinha?

Jimin abaixou a cabeça em submissão, a vergonha de ter cinco homens olhando para ele com olhares divertidos — em níveis diferentes, muito diferentes do quão sádico Jungkook parecia —, sem conseguir manter contato visual com ninguém para dizer o que realmente queria. — Quero ser fodido... preciso, por favor... — Jimin sussurrou audivelmente, apenas o suficiente para que Jungkook ouvisse.

— Tímido? — Taehyung perguntou com sarcasmo, rindo da situação, embora seu pau estivesse tão duro quanto possível. De repente, a situação começou a ficar ainda mais interessante do que o esperado. — Não era isso que você queria? Ser fodido por vários homens? — A voz de Taehyung tinha um tom claro de dominação, que fez Jimin estremecer e e assentir, lágrimas escorrendo pelas bochechas coradas no rosto bagunçado de maquiagem borrada e fluídos.

— Então seja bonzinho e mostre o quanto você quer ser fodido. — Jungkook segurou o queixo de Jimin e enfiou o polegar abruptamente dentro dos lábios do loiro, que abriu a boca em resposta, sentindo os lábios formigar onde o homem tocou. — Aposto que sua boca deve ser uma delícia de foder... — Jungkook esfregou o polegar no centro da língua de Jimin, que gemeu e tentou chupar o dedo do moreno, que riu em resposta e apertou suas bochechas, sacudindo seu rosto como se fosse uma boneca, deixando Jimin cada vez mais bagunçado, do jeito que ele ansiava se sentir. — É um desperdício deixar essa boca vazia. — A sugestão estava lá em um tom explicitamente malicioso, jogada aos ares para quem quisesse pega-la e fazer um bom uso da oportunidade.

Jimin ouviu alguns barulhos de aprovação e estremeceu em antecipação. Ele adorava chupar, mas agora estava mais necessitado de outra forma.

— Fiquem à vontade. — Jungkook se abaixou na altura de Jimin e puxou os cabelos loiros para trás, fazendo Jimin abrir a boca em um gemido alto. — Me mostre como você é bom chupando pau e eu te dou uma recompensa. — Jungkook roçou os lábios nos de Jimin e deixou um pouco da própria saliva escorrer dentro da boca do loiro, ouvindo-o choramingar e engolir o gosto da boca de Jungkook, que riu em resposta pelo desespero explícito vindo do loiro.

Jimin ficou animado com a ideia de receber uma surpresa no fim, ainda mais se tratando de uma surpresa que provavelmente envolvia um pau na sua bunda, o que o fez ficar um pouco animado demais e quase não perceber que alguém já havia se aproximado e tomado o lugar de Jungkook, agarrando seus cabelos com força para tira-lo do devaneio.

— Abra bem, bebê. — O homem de cabelos ruivos disse com um sorriso malicioso e Jimin abriu a boca o máximo que podia, ansioso para obedecer enquanto colocava a língua para fora, arrancando uma risada gostosa de Hoseok. — Uma putinha ansiosa, hein... — Hoseok segurou o próprio pau pela base e se bombeou algumas vezes antes de direcionar a ponta em um tom de vermelho escuro que brilhava do pré-gozo molhado, que ele esfregou na língua de Jimin com força, fazendo o loiro gemer. — É bom? Você gosta? Deve ser o seu sabor favorito, não é? — Hoseok lambeu os próprios lábios e sorriu para os choramingos de Jimin antes de segurar sua nuca e se afundar sem aviso prévio na garganta quente e apertada, que se contraiu com ainda mais força com a invasão, fazendo Jimin tossir e engasgar.

Hoseok começou a gemer alto quando seus quadris pegaram um embalo rítmico contra a boca de Jimin, que parou de se afogar um pouco no pau do ruivo.

Jimin acabou se acostumando com as investidas do músculo liso, duro e quente no céu de sua boca e deslizando até o fundo de sua garganta tão fluidamente que o fazia acreditar que sua boca era de fato feita para isso, para ser fodida. Tudo o que passava na cabeça do loiro em meio aos barulhos lascivos de sua boca ao receber o pau de Hosoek, os gemidos, suspiros e até as vozes dos outros homens que pareciam se divertir observando Jimin ter a boca fodida estavam um pouco distantes, como se ele não conseguisse focar em mais de uma coisa ao mesmo tempo.

O subspace que Jimin sentia se aprofundar o causava arrepios em sua coluna, o fazendo choramingar ao redor do pau de Hoseok, as lágrimas escorrendo dos olhos, sua visão borrada o suficiente para que ele não conseguisse enxergar nada além de borrões dos homens e dos movimentos de Hoseok contra seu rosto.

"Ele fica tão bonito assim."Jimin ouviu uma voz agora mais perto, recuperando um pouco de seus sentidos primários ao ser elogiado de forma tão sincera. Ele abriu os olhos e piscou algumas vezes, os movimentos de Hoseok se tornando um pouco desleixados.

Jimin viu que Namjoon olhava para ele de forma que só poderia insinuar o quanto ele o queria. Agora ele tinha quase certeza que a voz dos elogios pertencia à ele. Jimin estava ansioso para que a vez de Namjoon chegasse. Algo na forma como o homem o observava fazia Jimin se arrepiar.

— Eu quero tanto te encher de porra! — Hoseok balbuciou para si mesmo e para Jimin, quase se esquecendo dos outros homens que estavam na sala naquela momento. Ele retirou o pau da boca de Jimin, quase perdendo o resto de sanidade que lhe restava quando viu o fio de saliva meio esbranquiçado pelo pré-gozo ligar os lábios avermelhados de Jimin à cabeça de seu pau. A cena era basicamente pornográfica.

— Dentro não! — Taehyung interveio rapidamente, levantando a voz um pouco alto demais para a sugestão de Hoseok, que bufou em resposta. — Você sabe das regras. — O homem de cabelos cinzas jogou um preservativo no peito de Hoseok, fazendo o reflexo do ruivo trabalhar rápido para pegar o pequeno envelope laminado. — Se quer sentir ele se apertando no seu pau enquanto você goza, use camisinha, caso o contrário, goze na porra da sua própria mão.

Jimin estremeceu com a breve demonstração de poder de Taehyung, observando Hosoek se atrapalhar em silêncio enquanto colocava a camisinha no próprio pau.

— Eu só quero gozar se for com meu pau dentro de você, gracinha. Eu esperei o suficiente pela minha vez. — Hoseok ignorou o clima que Taehyung deixou, rapidamente trazendo a atmosfera lascívia de volta. — De quatro, loirinho. — Hoseok deu um tapa na bunda de Jimin, que prontamente girou nos próprios joelhos, abaixando o tronco contra a cama e erguendo a bunda o mais alto que podia, ansioso para mostrar o quão disposto estava a ser fodido. Ele ficou satisfeito ao ouvir suspiros atrás de si.

— Muito bom. — Hoseok disse com uma risadinha baixa, apoiando uma mão com força na lombar de Jimin, o que fez o loiro estremecer. Ele não sabia exatamente o que esperar de Hosoek, ele só queria ter a bunda cheia de pau o quanto antes, mas quando ele sentiu o pau do ruivo se acomodar em seu interior, deixando-o cheio novamente e em um impulso forte se mover de uma forma que vez os joelhos de Jimin vacilarem — já que esse era o tempo recorde que alguém havia achado sua próstata — O loiro estava quase pensando que Hoseok e seu talento especial deviam entrar para o Guinness Book, mas sua atenção logo foi voltada para a forma como o ruivo movia os quadris e gemia lascivamente atrás de si.

Jimin sequer percebeu o quão alto estava gemendo também, já que ainda estava chocado demais com a forma como Hoseok o fodia. Os movimentos dos quadris do ruivo eram tão certeiros e intensos que se não fosse pelas mãos segurando seus quadris, Jimin já teria voado para longe da cama.

— Você gosta assim, não é? — Hoseok disse completamente esbaforido, as mãos suadas apertando a curva entre a coxa e o quadril de Jimin, tendo que cravar as unhas em alguns momentos para não deixar o corpo esguio escapar.

Jimin, por sua vez, afundava o rosto entre os lençóis, babando e assentindo para si mesmo o quanto ele gostava daquilo. Hoseok estava o fodendo tão gostoso que ele tinha certeza que poderia gozar intocado de novo, apenas tendo sua próstata surrada pelo pau talentoso do ruivo. — M-mais forte. — Jimin pediu baixo e ofegante, erguendo mais a bunda e até empurrando com força para trás as vezes, agarrando as bordas da cama quando prontamente Hoseok atendeu sua demanda, colocando toda sua força nos movimentos dos quadris, o suficiente para quase grunhir pelo esforço excessivo, o barulho alto do impacto das bolas de Hoseok batendo contra a bunda do loiro.

Jimin estava torcendo os dedos das pés e os das mãos nos lençóis, seu estômago se enrolando novamente na sensação de prazer tão conhecida. Mesmo um pouco dolorido do orgasmo anterior, seu pau parecia completamente pronto para gozar mais uma vez e Jimin estava grato por isso, completamente atordoado pelo prazer que seu corpo estava experimentando.

Jimin sentiu uma terceira mão apalpar sua bunda e o ato fez algo em seu ventre derreter junto com seu ápice, que espirrou pelos lençóis abaixo, dessa vez em menor quantidade, enquanto Hoseok continuava a fode-lo impiedosamente através do orgasmo, o que fez Jimin pressionar os lábios por alguns segundos tentando conter os gemidos de dor, mas deixando-os escapar com um choramingo alto quando a sensibilidade em sua próstata estava sendo quase insuportável. — Doí... — Jimin implorou para parar, tentando puxar a bunda das mãos gananciosas de Hoseok, que até rosnava para puxar Jimin de volta para si, voltando a empurrar com força em seu interior apertado e pulsante, fazendo o loiro perceber que não poderia fazer nada além de aceitar.

Logo quando os movimentos de Hoseok começaram a perder o ritmo, anunciando seu orgasmo, Jimin sentiu algo a mais pressionar a borda já esticada ao redor do pau de Hoseok, forçando a entrada. Jimin sibilou de dor, inconscientemente se apertando mais, o suficiente para o ruivo gozar com um 'ahhh' alto e rouco, finalizando com um tapa forte na bunda de Jimin.

— Espera, meu pau tá sensível pra caralho. — Hoseok disse ofegante enquanto Jimin continuou a sentir a mesma pressão em seu cu já cheio, mas sem forças os suficiente para olhar para trás e ver quem era o "invasor".

— Então sai logo.

Jungkook.

Jimin se esqueceu completamente de seu prêmio, sua mente ficando mais alerta ao saber que Jungkook não o daria nem um segundo de descanso.

Assim que Hoseok saiu de dentro, Jimin se permitiu cair na cama. Seu corpo estava completamente suado, os cabelos loiros molhados e pingando. Com a visão momentaneamente turva com a intensidade com qual havia acabado de ser fodido, Jimin quase não conseguia enxergar o moreno se posicionando entre suas pernas, tendo que piscar algumas vezes para conseguir focar novamente no rosto bonito do homem mais novo.

— Você fez bem, Jimin, você merece uma recompensa. — A voz de Jungkook estava pesada de luxúria enquanto ele erguia uma das pernas de Jimin contra seu peito, segurando o pé do loiro contra seu ombro direito.

— U-um tempo. — Jimin gaguejou, tentando se erguer sob os cotovelos só para cair novamente na cama, seu corpo mole demais pela exaustão. — Eu não c-consigo... — Jimin sibilou de dor quando sentiu Jungkook empurrar o pau em sua entrada abusada e inchada.

— Você aguenta, shhh. — Jungkook apertou o tornozelo de Jimin e manteve a outra perna do loiro abaixada, acariciando a coxa lisa suavemente antes de afundar os dedos na mesma e empurrar os quadris com força para frente, empalando Jimin em seu pau mais uma vez.

Além de se deliciar com a sensação de estar envolto novamente no calor apertado e molhado de Jimin novamente, Jungkook também se deleitou com a expressão e a forma quase patética com a qual Jimin tentou escapar. — Eu disse que ia fazer você querer fugir de mim, não disse? — Jungkook parou os movimentos, mas se manteve profundamente dentro de Jimin ao se abaixar rapidamente só para sussurrar essas palavras contra o rosto do loiro, que estremeceu em resposta. — Não disse, Jimin?. — Jungkook agarrou o pescoço do loiro com a mão livre, apertando a traqueia de uma forma que ele conhecia bem e sabia que era segura.

— S-sim... — Jimin disse sem ar, embora Jungkook soubesse que a mão apertando o pescoço não era o suficiente para asfixia-lo, o que o fez abrir um grande sorriso pela reação antecipada de Jimin, que parecia estar aproveitando muito a forma como Jungkook abusava de seu corpo.

— Oh, eu estou apertando com força demais? — Jungkook riu baixinho, soltando o pescoço de Jimin para voltar para sua posição inicial, o vermelho vivo deixando o rosto de Jimin extremamente corado após o loiro se dar conta que Jungkook percebeu que ele estava exagerando um pouco nas reações, deixando-o levemente constrangido. — Esse é o seu jeito de pedir pra ser mais rude com você? — Jungkook perguntou, encarando o rosto vermelho de Jimin, que não respondeu e na verdade, nem precisou. O moreno puxou todo o pau pra fora, mantendo apenas a ponta na entrada de Jimin, não demorando sequer um segundo para voltar para dentro com toda sua força, apreciando a forma como o loiro arqueou o corpo e abriu a boca em um grito silencioso, fechando os olhos com uma clara expressão de dor, mas que na verdade, ele parecia estar aproveitando muito. — Porra, Taehyung, eu nem acredito que você não dividiu essa preciosidade antes, você é muito egoísta em manter só para você. — Jungkook falou com a voz falhando em alguns pontos, ele não parou de se mover contra Jimin, abraçando a perna estendida contra seu corpo com um braço enquanto a outra mão se agarrava a coxa ou quadril de Jimin, tocando o máximo de partes possíveis do corpo fodido do loiro enquanto transava com ele.

— Aproveite enquanto pode. — Taehyung falou.

Jungkook ergueu o olhar rapidamente para Taehyung, tendo um vislumbre do amigo com seu vape entre os lábios, soltando a fumaça calmamente enquanto observava Jungkook foder Jimin. Saber que estava sendo observado — não apenas por Taehyung, mesmo que Jungkook não pudesse ver os demais, ele podia sentir o olhar deles em suas costas — apenas o instigava a foder o loirinho com ainda mais força, disposto a dar um show para seus espectadores.

— Porra!!! — Jimin gritou quando Jungkook o virou de costas abruptamente, agarrando-o pelo pescoço e enfiando seu rosto no colchão enquanto se realojava rapidamente em seu interior, voltando a fode-lo impiedosamente o suficiente para Jimin chorar abafado contra os lençóis na cama bagunçada, as pernas estremecendo tanto que ele não conseguia mante-las firmes, deixando-as cair na beirada da cama enquanto Jungkook o fodia.

— Não era assim que você queria? — Jungkook deu um tapa forte na bunda de Jimin e outro nas costas, que doeu tanto que fez Jimin soluçar, tentando erguer o rosto ou vira-lo minimamente para o lado para conseguir respirar, enquanto Jungkook continuava a pressiona-lo contra a cama. — Eu vou te destruir, porra. Vou te foder até você esquecer a porra do seu nome. — Jungkook apertou mais o pescoço de Jimin e o loiro sentiu sua visão ficar turva, seu corpo tremia tão forte que parecia estar em estado de convulsão.

— Você está sufocando ele, deixe-o respirar um pouco. — A voz de Taehyung parecia calma e Jimin se engasgou assim que o ar entrou novamente em seus pulmões, arfando desesperadamente e chorando ao mesmo tempo, já que Jungkook não parou de se movimentar brutalmente, agora puxando-o pelos cabelos loiro para trás, usando os fios como uma espécie de "rédea" para fode-lo. — Você pediu por isso e nem consegue aguentar. Puta inútil. — Jungkook disse com a voz profunda e ofegante, puxando com mais força o cabelo do loiro, se deleitando da dor vocalizada a cada grito fino.

Jimin estava tão duro com toda a estimulação, não só física, mas mental. Ao mesmo tempo, ele não conseguia entender como estava tão excitado em ser tão degradado, Taehyung nunca havia o tratado tão brutalmente quanto Jungkook. — N-não... — Jimin nem sabia porque essa palavra havia saído de sua boca, no momento ele não se sentia mais no controle do próprio corpo.

Jungkook riu em resposta, mudando a mão do cabelo para a boca de Jimin, esmagando os lábios do loiro contra sua palma. — Cala a porra da boca. — O moreno quase enlouqueceu com a vibração dos gritos e gemidos de Jimin contra sua mão, mas a melhor parte era absolutamente sentir as lágrimas quentes pingarem em sua mão. — Hyung... ele gosta tanto de dar que tá até chorando... — Jungkook riu, falando para Taehyung que não esboçou nenhuma reação, observando cuidadosamente o rosto de Jimin que parecia absolutamente fora de si, tomado pelas emoções e sensações físicas que eram impostas em seu corpo.

Jungkook, por sua vez, se inclinou contra seu corpo para morder o ombro de Jimin quase forte o suficiente para romper sua pele. Jimin arregalou os olhos, chorando alto contra a mão de Jungkook que finalmente atingiu seu ápice, empurrando dentro de Jimin com gemidos altos e roucos, praguejando baixo por não poder gozar dentro do loirinho. — Porra, porra, porra... — Jungkook estocava a cada palavrão, fazendo todo o corpo de Jimin estremecer, ele sequer havia conseguido alcançar o orgasmo, mas estava tão próximo.

O moreno terminou lambendo a marca de dentes que havia deixado no ombro de Jimin, sorrindo para o resultado do corpo fodido do loiro. Ele saiu calmamente de dentro do homem, retirando a camisinha e enrolando para jogar na lixeira próxima a cama. Ele ainda estava meio zonzo do próprio orgasmo, mas ainda tirou um pouco de forças para girar Jimin de barriga para cima, já que o loiro parecia imóvel demais.

— Acho que ele desmaiou. — Jungkook ainda estava ofegante, correndo os olhos pelo corpo desacordado de Jimin, notando o quão duro e vermelho seu pau estava. — Acho que ele acabou de viver o momento da vida dele. — O moreno riu, limpando o suor da própria testa quando Taehyung se aproximou, acariciando a lateral do corpo desacordado de Jimin.

— Você é insano, Jungkook. — Taehyung declarou, observando a forma fodida de Jimin. — É sua vez, Namjoon. — Taehyung levou a mão até o rosto de Jimin, estapeando-o suavemente para faze-lo despertar. — Psiu, bebê. Ainda falta um.

Jimin abriu os olhos devagar, ainda parecendo fora de órbita. Ele observou Namjoon se aproximar mesmo com a visão ainda turva, seu corpo ainda tremia e seu pau ainda latejava de dor por estar tão duro e não receber nenhuma atenção.

Namjoon segurou o corpo mole e extremamente suado de Jimin pelos braços, o puxando para ficar sentado na cama. — Ei, lembra o que eu te falei no começo? — Namjoon puxou Jimin pela cintura para faze-lo ficar de pé, tendo que segura-lo para que ele não caísse.

Jimin piscou algumas vezes enquanto tentava assimilar as palavras de Namjoon, que manobrava o peso de seu corpo sem dificuldades até a parede mais próxima, fazendo-o colocar as pernas ao redor de sua cintura. — Eu disse que você não ia se esquecer, não é? Eu esperei muito pra te foder e agora que é minha vez, eu só quero que você abra sua boca pra implorar pelo meu pau, entendeu? A única exceção é a sua palavra de segurança. Fale ela e eu irei parar imediatamente.

Jimin assentiu fracamente, mas não pareceu o suficiente para Namjoon, que o empurrou com força contra a parede, fazendo-o choramingar com dor nas costas pelo impacto.

— E quando eu falar com você, é bom você responder. — Namjoon sussurrou contra a orelha de Jimin, roçando os lábios grossos contra o lóbulo de Jimin, sugando o brinco da orelha do loiro, que estremeceu em resposta. — Agora me diga, Jimin, o que você quer?

— S-seu... pau... — Jimin disse rouco, com a voz baixa e fraca, tentando se segurar nos ombros largos e definidos de Namjoon com os dedos tremulos.

— O quê? Não consegui entender.

Jimin quase derreteu quando como se para dar ênfase, Namjoon agarrou seu pau e apertou, movendo a mão em uma lentidão tortuosa e uma força um pouco demais para uma masturbação que provavelmente deixaria seu pau dolorido mais tarde, fazendo o loiro engasgar e escorregar um pouco contra a parede pela dor e prazer, o pau que estava perdendo um pouco da dureza desde Jungkook ficando tão duro quanto possível novamente. — P-por favor... — Ele gemeu baixinho, abrindo os olhos pequenos para encarar os de Namjoon, que não parecia ter nada além de luxúria refletida nos olhos castanhos.

— Porra Jimin, você gosta de ser punido mesmo. — Namjoon cravou as unhas na bunda do loiro da única mão que o mantinha fora do chão.

Jimin mordeu os lábios com força para evitar um grito, sentindo a mão de Namjoon que anteriormente massageava rudemente seu pau agarrar também seus testículos nada suavemente, fazendo Jimin gritar e estremecer, olhando para onde a mão de Namjoon apertava sua masculinidade. — Porra... quero muito seu pau, por favor, por favor! — Jimin gritou, seu abdômen visivelmente se contraindo pela dor, lágrimas novas começando a rolar por seu rosto. — Por favor, me fode, me fode... — Jimin disse arfante, quase suspirando quando Namjoon retirou a mão de seu pau e deslizou o dedo com uma pressão deliciosa na fenda de seu pau antes de segura-lo pelas duas coxas.

— Bom garoto. — Namjoon respondeu satisfeito, posicionando seu pau duro e negligenciado por tempo demais na entrada inchada de Jimin, que arfou e agarrou os ombros de Namjoon, as pernas estremecendo com mais força do que ele podia controlar, o que arrancou uma risada do homem que o segurava. — Tremendo como uma virgem, eu até acreditaria se não tivesse te visto foder com esses caras antes de mim. — Ele estalou a língua no céu da boca três vezes antes de empurrar com força dentro de Jimin, ignorando a forma como o loiro tremia em seus braços.

Jimin gemeu alto quando Namjoon o penetrou profundamente, sendo recebido sem resistência pelo seu interior já muito usado pelos outros homens. O loiro se apertou instintivamente, fazendo Namjoon partir os lábios grossos e gemer alto, ficando imóvel por alguns segundos com os olhos fechados. A visão era bonita, Jimin quis beija-lo, mas não sabia se tinha permissão, então decidiu permanecer apenas na vontade para não ser punido por sua falta de obediência.

— Você é tão grande... — Jimin respondeu arfante, deslizando as mãos dos ombros até o peito de Namjoon, arranhando-o suavemente. Sua voz tirou o outro homem de seu torpor, fazendo-o abrir os olhos para encarar Jimin.

— Eu pensei que tinha sido claro: só abra a boca pra implorar pelo meu pau. — Namjoon respondeu com um tom que fez a um frio subir por toda a espinha de Jimin. — Mas já que você não consegue entender dessa forma, eu vou te foder até a única coisa que vai sair dessa boquinha ser o quanto você quer ser fodido com mais força. — Jimin engoliu seco com a ameaça e mal teve tempo de falar qualquer outra coisa, pois Namjoon já estava o agarrando pelas dobras do joelho e coxa com ambas as mãos e começando a fode-lo com impulsos fortes que com a ajuda de gravidade se tornavam tão profundos que Jimin imediatamente começou a gritar, se agarrando nos ombros grandes do outro homem.

A dor inicial da queimação por ser fodido por tanto tempo se transformou tão rápido em prazer que Jimin tinha certeza que com mais algumas estocadas poderia gozar. A velocidade com qual Namjoon o fodia era tanta que Jimin teve que enrolar os braços ao redor do pescoço do homem para não acabar caindo com a força de seus impulsos. Sem perceber, Jimin estava chorando, seus gemidos crescendo em gradativos sons de "ah, ah, ahhh" até que Namjoon atingisse sua próstata e o fizesse abrir a boca para gritar sem conseguir emitir nenhum som. As lágrimas rolavam quentes pelo rosto de Jimin e ele sentia que iria desmaiar com a quantidade de prazer que estava sentindo, era absolutamente avassalador.

— M-mais... forte... ah... ah... porra... — O corpo do loiro se contraiu, incluindo seu interior, tornando a penetração um pouco mais difícil, o que fez Namjoon grunhir e afundar o rosto no pescoço de Jimin, batendo-o contra a parede para diminuir um pouco o ritmo, acertando especialmente a próstata de Jimin, notando o quão próximo o loiro estava de gozar.

Namjoon parecia estar se esforçando para não gozar ainda, mordendo os lábios e apertando os olhos com força enquanto gemia abafado contra a pele de Jimin, distribuindo beijos molhados pela pele suada do homem, que arfava e gemia feito louco, tão ansioso para gozar que rebolava com os quadris doloridos no pau de Namjoon, quase irritado por estar tão perto e não gozar de uma vez. — Nam...joon... — Jimin choramingou alto. — Eu preciso mais forte... eu não consigo gozar se você não me foder mais forte, eu quero que você me faça gozar sem precisar me tocar, por favor... por favor... — Jimin balbuciou os "por favor", chorando baixinho quando Namjoon diminuiu o ritmo, saindo do interior do loiro e soltando as coxas, o fez cair de bunda no chão com um baque alto.

— Levanta. — Namjoon disse com a voz grossa e arfante, com ambas as mãos nos quadris enquanto tentava recuperar o próprio fôlego. O loiro choramingava no chão por causa da dor na dupla na bunda — pela penetração e a queda — que fazia os músculos latejarem interna e externamente. Ele observou Namjoon e estremeceu, a visão era simplesmente irresistível: Namjoon estava tão duro, o pau curvado, vermelho quase arroxeado, infelizmente coberto pela camisinha, Jimin adoraria senti-lo sem nada. — Eu mandei levantar. — Namjoon se aproximou e segurou o loiro pelos cabelos, puxando-o para cima e ouvindo-o chorar alto enquanto o mesmo levantava com as pernas trêmulas, se agarrando à mesa de cabeceira ao lado da cama, empurrando coisas como abajur e um livro no chão no processo.

Jimin se apoiou na mesa e sentiu Namjoon massagear sua bunda com ambas as mãos, fazendo-o sentir-se extremamente desejado embora estivesse muito atordoado. — Taehyung... posso gozar na bunda dele? — Namjoon perguntou com a voz um pouco rouca, ouvindo um "mmh hum" em resposta de um Taehyung que parecia um pouco ocupado com a própria mão. — Qual é seu nome? — Namjoon deitou contra as costas de Jimin, alinhando seu pau na entrada do loirinho enquanto repousava todo seu peso no corpo muito menor do homem comparado ao seu.

Jimin arfou, se agarrando com mais força às bordas da pequena mesa. — M-meu nome é... Jimin... — Ele respondeu, estremecendo ao sentir a respiração quente de Namjoon contra sua nuca.

— Resposta errada. — Ele falou em um tom rouco, empurrando os quadris para frente e fazendo Jimin bater a testa com força contra a mesinha, o que arrancou um grito agudo do loiro junto à penetração, mas ele não pareceu se importar muito quando menos de um minuto depois começou a babar na mesa de cabeceira por estar tendo sua próstata diretamente acertada repetidas vezes.

— EU QUERO MAIS FORTE! — Jimin gritou virando o rosto para trás, recebendo um tapa forte em uma das nádegas como resposta. — Por favor, por favor, por favor... — Jimin chorou alto, implorando como o homem pediu, estremecendo tão forte contra a mesa que o barulho da mesma batendo repetidamente contra a parede era estrondoso.

O loiro sabia que não devia fazer isso, ele sabia que tudo o que devia fazer era gritar a cor que brilhava em alerta em sua mente agora, sabia que precisava usar sua palavra de segurança porque simplesmente não suportava mais, mas sua mente estava em um estado deplorável, completamente fora de si, tudo o que Jimin conseguia fazer era implorar por mais, sem noção de limites.

A força com qual Namjoon começou a se mover era tanta que Jimin teve uma espécie de estado de convulsão, afundando o rosto na mesinha enquanto chorava alto, o som contrastando com os estalos dos corpos e os gemidos de Namjoon e talvez de mais alguém no quarto, Jimin não conseguia identificar agora.

Namjoon puxou o pau todo fora de Jimin, arfando feito louco por todo o esforço em foder o loirinho, ele não demorou muito para estocar mais uma vez, tão forte que todo o corpo de Jimin foi para frente, pressionando a bochecha do loiro contra a parede enquanto seu corpo amolecia.

O pau de Jimin esguichou o líquido leitoso de uma vez com uma força que fez o loiro quase o fez perder a consciência, mas sendo levado além do limite quando Namjoon continuou o fodendo mesmo quando ele estava tão sensível. Jimin tentou falar, mas sua língua era só um peso morto na sua boca agora, tudo o que ele conseguia fazer era tentar escapar pateticamente dos impulsos animalescos de Namjoon. Em mais um movimento extremamente agressivo, a mesa abaixo de Jimin se desmontou, os pedaços caindo no chão fazendo Jimin fechar os olhos enquanto esperava pelo baque, mas um braço ao redor de sua cintura o segurou com força e deu continuidade ao abuso de sua próstata sensível e dolorida.

Namjoon finalmente estava em seu ápice, derrubando Jimin na cama com pressa e tirando a camisinha quando já havia começado a gozar, jorrando muita porra quente na bunda e nas costas do loiro enquanto se masturbava para ordenhar até a última gota, gemendo alto enquanto as pernas tremiam por todo o esforço e prazer.

Ele observou a bunda de Jimin por mais alguns segundos antes de se reclinar sob as costas do loiro, com cuidado para não colocar todo seu peso em cima do homem sensível. — Qual o seu nome? — Namjoon perguntou no ouvido de Jimin, segurando o cabelo do loiro para poder observar sua expressão fodida e completamente fora de si. Como esperado, Jimin não respondeu, ele balbuciava e soluçava baixo, ainda muito trêmulo e sensível.

— Resposta correta. — Namjoon disse com um sorriso cansado, não se arrependendo sequer um segundo de ter esperado tanto para foder Jimin. Ver o loiro completamente desnorteado de tanto levar pau e sequer conseguindo proferir o próprio nome fez o ego de Namjoon inflar, já que era tudo o que ele queria fazer com Jimin desde que colocou os olhos nele: foder até fazê-lo esquecer do próprio nome.

Jimin estava em um subspace profundo, tremendo, chorando e mal conseguindo mover o próprio corpo. Após ser fodido por horas por homens diferentes, a adrenalina em seu corpo e mente finalmente atingiu o ápice, o fazendo sua mente entrar em modo de auto-proteção.

Jimin tentou não pensar em tudo o que havia acontecido, mas era como se a pulsação em dolorosa fosse um lembrete constante do quão usado ele foi, o fazendo se sentir tão mal que seu estômago se revirou, se apertando dolorosamente quando o loiro sentiu a primeira grande onda de lágrimas vindo, pronto para exteriorizar toda a bagunça que estava em sua mente agora.

A vergonha lavou Jimin e ele cobriu o próprio rosto com as mãos, ainda a porra molhada escorrer e secar aos poucos em sua bunda e costas.

Jimin engasgou com o próprio choro e em segundos o que era um desabafo baixinho de soluços pelo prazer intenso se tornou um intenso desafogo de lágrimas, se encolhendo e gritando contra os lençóis manchados de fluídos na cama. O loiro se sentiu completamente usado e imundo. Seus lábios tremiam enquanto ele sussurrava para si mesmo palavras pejorativas como: sujo, inútil, vagabunda.

— Jimin? Ei, ei. — Namjoon não conseguiu chamar a atenção de Jimin com suas palavras então recorreu ao toque, repousando a mão na coxa do loiro, que demorou um pouco mas se esquivou e violentamente bateu na mão de Namjoon.

— N...não m-me toque... — Jimin disse rouco para quem quer que fosse.

— Jimin-ah, você consegue me ouvir? — Taehyung chegou correndo, quase deslizando no chão ao cair de joelhos em frente a cama após ter se despedido de alguns dos caras que já haviam ido embora desde que Namjoon estava terminando e Jimin provavelmente precisaria descansar muito após toda a ação.

Os gritos de Jimin ficaram mais altos e Taehyung sentiu os próprios olhos marejarem, ele nunca havia visto o amigo assim.

— Jimin-ah, eu estou aqui. Taehyung, seu melhor amigo, sua alma gêmea. — Taehyung tentou falar, colocando uma das mãos nas costas do loiro só para ouvir um grito ainda mais alto que o fez rapidamente se afastar. — Eu sinto muito bebê, você pode chorar, está tudo bem. Você está muito fundo no subspace? Você consegue me ouvir? Eu sei que você não está em um lugar bom agora, me deixe te tirar daí.

Jimin soluçou dolorosamente em resposta, apertando os lençóis sujos entre os dedos enquanto se apoiava nas próprias mãos para erguer o tronco minimamente, virando o rosto dos dois homens que pareciam preocupados. Jimin só conseguiu chorar mais ainda olhando para Taehyung, suas bochechas queimando em vergonha e também pelas lágrimas. — E-eu sou tão nojento. — Jimin disse soluçando, se engasgando e tossindo um pouco.

Taehyung se aproximou devagar, experimentalmente tocando o ombro de Jimin. — Ei baby, você não é nada disso. Você é perfeito, lindo, você só está passando por um momento difícil agora, me deixe cuidar de você.

Jimin estremeceu com o toque, mas não afastou Taehyung, que tomou como deixa para acariciar o ombro do loiro, que se inclinou mais contra o contato de carinho, fechando os olhos enquanto soluçava baixo, as lágrimas ainda rolando em abundância no rosto avermelhado.

Minutos depois, Taehyung finalmente conseguiu segurar Jimin em seus braços, o que fez o loiro libertar uma nova onda de lágrimas em seu peito. Taehyung entendia, esse era um processo de paciência e empatia. Jimin havia passado por uma sobrecarga sensorial tão intensa que precisava exteriorizar isso de alguma forma, e essa foi a forma que seu corpo encontrou. Não era o primeiro subspace no qual Taehyung ajudava Jimin, na verdade, nunca havia ido tão longe. Taehyung se considerava um dom responsável e talvez ele não tenha lido os sinais dessa vez, nublado demais pela excitação do momento para perceber que Jimin já havia ultrapassado todos os seus limites.

— Tão lindo, tão perfeito. Eu amo tudo sobre você, Jiminie. — Taehyung sussurrava na orelha de Jimin, roçando os lábios na cartilagem enquanto o loiro estremecia em seus braços, finalmente parando de chorar tão desesperadamente.

Jimin ergueu o rosto novamente para olhar para Namjoon e seu olhar ainda parecia assustado. Assim que o mais velho percebeu, sentou-se na cama ao lado dos dois, apenas ele e Jimin permanecendo nus enquanto Taehyung já usava uma bermuda.

— Ei, Jimin. — Namjoon sorriu com simpatia, suas covinhas ficando aparentes. — Tudo o que eu disse, nada disso era verdade. — Namjoon estendeu a mão para acariciar o rosto de Jimin e os lábios do loiro estremeceram enquanto ele fechava os olhos, relembrando das palavras de Namjoon, sua mente o prendendo em um limbo de auto-degradação do qual ele não conseguia sair.

— E-eu me sinto u-usado... — Jimin falou suas primeiras palavras após a crise intensa de choro, ele se inclinou para o toque de Namjoon enquanto era acolhido pelos braços de Taehyung, se sentindo um pouco menos sobrecarregado com as carícias. — Me usaram... e foram embora... — Jimin engasgou com a última parte, sentindo que estava prestes a chorar novamente quando Namjoon segurou seu rosto com ambas as mãos.

— Baby, não. Ei, shh, olha pra mim. — Namjoon acariciou as bochechas molhadas de Jimin com os polegares, observando os olhos meio desfocados de Jimin, que parecia estar em uma luta mental muito grande contra si mesmo. — Jimin-ah, eles foram embora porque combinamos que seria melhor assim, porque você precisaria descansar. Talvez com todos eles aqui você ficasse mais abalado. — Namjoon se inclinou para beijar a testa manchada de suor de Jimin, que suspirou e estremeceu, enquanto Taehyung o mantinha aquecido e concordava com um "uhm hum" baixinho.

— Você é tão bonito. — Namjoon tentou mudar o foco do assunto para comentários positivos e muito sinceros. Não era esforço nenhum elogiar Jimin.

— Tão perfeito. — Taehyung sussurrou rouco contra a nuca de Jimin e o loiro suspirou novamente, segurando os braços de Namjoon para que ele mantesse as mãos em seu rosto.

— Eu vou sonhar com você por noites seguidas, seu corpo é tão celestial. — Namjoon segurou uma das mãos de Jimin e repousou um beijo nas palma, fazendo Jimin corar um pouco, finalmente conseguindo ignorar maioria dos pensamentos que embora tentassem tardiamente protege-lo das ações físicas que seu corpo estava sendo imposto, eram destrutivos demais para aguentar sem desmoronar.

— Tenho certeza que não só ele, provavelmente os outros vão chegar em casa e dormir pensando em você. — Taehyung riu baixinho e acariciou o estômago de Jimin com a ponta dos dedos, fazendo o loiro abrir um pequeno sorriso.

— Eu estou cansado. — Jimin suspirou, sentindo que o corpo dolorido precisava de no mínimo uma ducha rápida. — Eu posso tomar um banho?

— Claro, você não prefere a banheira? — Taehyung perguntou, já se arrastando para a ponta da cama com Jimin nas pernas.

— Só uma ducha, eu estou muito cansado, não quero dormir na banheira. — Jimin respondeu baixinho, se segurando nas mãos de Namjoon para se levantar, mas falhando assim que ficou de pé. — Minhas pernas... — Jimin choramingou contra o peito de Namjoon. — Não consigo andar, pode me levar? Tae, pode me dar banho? — Ele ouviu os dois homens concordarem rapidamente, Namjoon o levando para o banheiro nos braços enquanto Taehyung pediu uns minutos para trocar os lençóis para que eles pudessem dormir depois.

— Você pode me segurar? — Jimin pediu para Namjoon, tentando lutar contra o pensamento que indagava o quão arruinado ele estava.

— Claro, baby. — Namjoon abraçou Jimin pela cintura, aproveitando suas faltas de roupa para ligar o chuveiro e deixar a água quente cair sob seus corpos. — Quente demais? — Namjoon perguntou e Jimin sibilou um "bom" enquanto descansava o rosto no ombro do mais velho.

Namjoon tentou lavar o corpo de Jimin o melhor que podia com uma só mão. Ele pegou uma quantidade generosa de sabonete líquido de começou limpando as costas de Jimin, lavando todo o suor, assim como nos braços, axilas e parte frontal do tronco. Ele ficou inseguro sobre tocar nas partes íntimas do loiro, então decidiu pular para o cabelo.

— Segure bem em mim, eu vou lavar seus cabelos agora, okay? — Namjoon perguntou, fazendo Jimin abrir os olhos fraco e assentir. Namjoon colocou shampoo direto nos cabelos molhados de Jimin e esfregou devagar, massageando o couro cabeludo do loiro com cuidado para não espalhar sabão nos olhos do menor.

— Isso é tão bom. — Jimin sussurrou enquanto abraçava Namjoon pelo pescoço e se deleitava com a sensação de cuidado muito bem-vinda.

— É? — Namjoon sorriu, enxaguando o cabelo de Jimin. — Você fica lindo no banho, tem algum momento que você não está lindo? — Namjoon perguntou, embora soubesse que a resposta real era absolutamente não.

— Acho que quando eu acordo.

— Eu discordo. — Taehyung apareceu e entrou debaixo do chuveiro, agora sem roupas. — Ele fica lindo ao acordar também, Hyung. — Taehyung abraçou Jimin por trás e Namjoon ficou quase triste, Jimin também. — Desculpe a demora, eu estava deixando o quarto o mais limpo e cheiroso possível pra você. — Taehyung deu um beijo no pescoço de Jimin, que agradeceu baixinho.

— Eu termino, Hyung. — Taehyung colocou sabonete em uma das mãos e começou a limpar suavemente as áreas íntimas de Jimin, fazendo o loiro sibilar baixinho de dor. — E aí você pode tomar banho, espere um pouco. — Embora suave, Taehyung terminou rápido. Namjoon se ofereceu para segurar Jimin enquanto Taehyung tomava uma ducha rápida, tão rápida que Namjoon mal teve tempo de cheirar os cabelos limpos do loiro, que logo estava fora de seus braços.

— Tome um banho, Hyung, eu vou vestir o Jimin e colocar ele na cama. Vou tentar fazer ele dar uma mordida naquele sanduíche também. — Namjoon assentiu para Taehyung, iniciando seu banho rápido.

— Onde ele está? — Jimin perguntou, dando uma mordida no sanduíche que Namjoon havia feito.

— Ele deve estar se vestindo pra ir embora.

— Por que ele ficou? — Jimin bebeu um longo gole de água, aproveitando os travesseiros macios em suas costas e o cobertor quentinho o cobrindo.

— Porque o Namjoon também é dom, ele ficou pra me ajudar já que seu subspace foi tão profundo. O Jungkook tentou ficar também, mas ele só iria ficar desesperado e se sentir culpado, por isso achei melhor manda-lo embora. — Taehyung abriu a barra de chocolate e ofereceu um bloquinho para Jimin, que pegou com os lábios e mastigou devagar.

— Ele é fofo. — Jimin disse com um sorriso breve. — Ele gosta de sexo violento. — O loiro ergueu as sobrancelhas e Taehyung riu.

— Como se você não gostasse. — Taehyung fez um som de "pufft" com os lábios e rolou os olhos. Jimin bateu com a mão no peito vestido de Taehyung quando os passos foram ouvidos.

— Ei. — Namjoon anunciou sua chegada, encostando-se no batente da porta. — Eu já vou indo. Você comeu um pouco, Jimin-ah? — O mais velho perguntou, fazendo as bochechas de Jimin corarem enquanto Taehyung que percebeu o cutucava na costela, quase fazendo Jimin o chutar da cama.

— Sim, obrigado Namjoon. — Jimin sorriu, retirando o prato de seu colo para se levantar, mesmo que suas pernas ainda estivessem trêmulas demais, ele conseguiu se apoiar na cama.

— Não se esforce, você precisa descansar. — Namjoon se aproximou devagar, apoiando o cotovelo de Jimin para que ele não caísse. O loiro sorriu fraco em resposta, erguendo as mãos até o pescoço de Namjoon, sendo retribuido com as mãos do mais velho em sua cintura. — Tchau, Jimin-ah. — Namjoon disse com um sorriso que mostrava suas covinhas, mas não seus dentes.

— Eu não pude me despedir dos outros, então vou me despedir de você. — Jimin ficou nas pontas dos pés, ignorando o estado trêmulo, mal aguentando o próprio peso quando Namjoon ao perceber, pressionou a mão em sua lombar, arrancando um suspiro de Jimin agora firmemente estabilizado contra seu corpo. — Esse é de despedida. — Jimin se inclinou devagar, olhando os olhos de Namjoon com profundidade antes de tocar os lábios grossos com os seus, beijando-o suavemente por alguns segundos e se afastando logo em seguida. — E esse, é por ter ficado. — Dessa vez, Jimin enrolou os dedos nos cabelos de Namjoon, puxando-o contra si com força e suspirando ao sentir o homem fazer o mesmo, puxando-o para si com força pela cintura. Dessa vez, o beijo foi um pouco mais longo, línguas brincando em uma massagem molhada uma contra a outra enquanto as mãos de Namjoon passeavam pela cintura de Jimin, apertando-o e o puxando para mais perto.

— Meu pau não aguenta ficar duro mais uma vez hoje, chega. — Taehyung empurrou Namjoon com o pé, fazendo o homem cambalear com um Jimin risonho em seus braços mas rapidamente se estabelecer, selando seus lábios com os de Jimin uma última vez.

— Eu estou feliz por ter ficado pra receber os dois beijos, o Jungkook ficaria tão chateado se ele soubesse. — Namjoon disse e Taehyung riu, concordando.

— Diga a ele pra voltar depois e eu posso dar o dele. — Jimin piscou, se desvencilhando dos braços de Namjoon para se deitar na cama novamente, completamente exausto.

— Melhor não dizer agora, se não o Jungkook aparece aqui pela manhã pra tomar café e ganhar o beijo. — Taehyung falou e Namjoon concordou, se despedindo mais uma vez dos dois homens antes de Taehyung o acompanha-lo até a porta e fazer todo o ritual noturno de Jimin de fechar a porta e janelas, conferindo tudo antes de ir para a cama. Era estranho pensar que algumas horas atrás tudo o quarto era na verdade um antro sexual, cheio de gritos, gemidos, palavrões e estalar de peles. Taehyung afastou os pensamentos e foi para a cama, se embrulhado com Jimin debaixo das cobertas, o abraçando com força contra seu peito.

— Você gostou? — Taehyung perguntou, afundando o nariz nos cabelos loiros com cheiro de shampoo.

Jimin suspirou, sentindo o cansaço atingir seu corpo e também as dores, esperando que a exaustão o fizesse esquecer a dor. — Eu amei, obrigado Tae. — Jimin disse baixinho, se aninhando mais contra o melhor amigo. — Eu te amo, obrigada por ser tão bom pra mim. — Jimin continuou, entrelaçando os dedos nos de Taehyung, que deu um sorrisinho baixo e sussurrou um eu te amo de volta contra a nuca de Jimin.

Poucos minutos depois, Jimin caiu num sono profundo acompanhado de Taehyung. Um merecido descanso após uma noite cheia de atividades 'excêntricas'.

-

Jimin acordou algumas vezes no dia seguinte. Na primeira, ele chorou baixinho pela dor que fazia seu corpo inteiro pulsar, pedindo para Taehyung dar algum relaxante muscular e analgésicos, o que acabou o fazendo desmaiar em um novo sono novamente.

A segunda vez, Jimin foi acordado por Taehyung, que trouxe um almoço pequeno e leve, qual Jimin comeu e voltou a dormir, dessa vez, sem sofrer tanto com as dores.

Na terceira e última vez que Jimin acordou naquele dia, foi quando Taehyung o acordou com gritos e volumes sendo colocados na cama. O loiro abriu os olhos e os esfregou, tentando focar sua visão na quantidade exagerada de flores, bombons e até ursinhos de pelúcia que abraçavam um coração escrito "você é especial". — O que é isso, Tae? — Jimin perguntou, a voz rouca.

— Você não vai acreditar! Todos aqueles patetas mandaram isso tudo pra você, eles escreveram bilhetes também, Jackson escreveu o quanto gostou da noite e o quanto você é gostoso, Hoseok disse que esperava que você estivesse se sentindo bem e fez uma espécie de poema com o seu nome, o Jungkook- — Taehyung não conseguiu terminar, rindo alto. — Ele mandou isso aqui. — Taehyung abriu uma folha grande com muitas palavras nela, Jungkook havia escrito uma carta. — Metade é te elogiando e a outra pedindo desculpas por ter sido rude. No final, ele ainda te convida pra um encontro, acredita? — Taehyung jogou a carta no colo de Jimin. — E por fim, o Namjoon. Ele mandou um buque e chocolates, um pequeno cartão falando que esperava que você estivesse se sentindo melhor, te elogiando e te chamando de B-A-B-Y!!! — Taehyung soletrou as letras gritando, quase arrancando os próprios cabelos enquanto narrava as cartas endereçadas à Jimin. — Ah, ele também te passou o número de telefone, como se eu não fosse te passar. — Taehyung fez som de "pufft" com a boca, girando os olhos. — Você é tão sortudo, tem cinco homens de quatro por você. — Taehyung colocou todos os bilhetes e a carta sentimental de Jungkook no colo de Jimin que ainda parecia meio grogue e um pouco chocado.

— Ok. — Jimin suspirou e reuniu os bilhetes nas mãos. — Eu vou ignorar o fato de que você leu bilhetes escritos pra mim porque eu te amo. — Jimin suspirou, dando uma olhada rápida nos bilhetes, mas preferindo guardar para mais tarde. — Segundo, como assim cinco homens? Eles são quatro. — Jimin pegou um ursinho, achando fofo e abraçando a pelúcia enquanto abria uma caixa de chocolate e cheirava um buque ao mesmo tempo.

— O quinto sou eu, obviamente. — Taehyung roubou um chocolate da caixa, levando até a boca e mastigando. — Mas não romanticamrnte, claro. — Taehyung disse enquanto mastigava o chocolate, fazendo Jimin franzir o cenho.

— Você é impossível. — Jimin riu, parando pra pensar nos presentes que havia recebido. — Bem, eu estou feliz. — Jimin disse com um sorriso sincero, talvez um pouco trêmulo. Era fácil se emocionar só de pensar que nunca havia recebido presentes assim depois de dar pra alguém, as vezes os caras não davam nem tchau quando iam embora. — Que bom que eles não eram babacas e também, os paus absolutamente valeram a pena.

— Eu te falei, Jiminie. — Taehyung disse com um sorriso quadrado. — Pra você, apenas o melhor.

— Que bom que eu tenho você então, Tae. — Jimin sorriu, puxando o amigo para um abraço. — Agora vamos dormir mais, eu preciso de pelo menos de 24 horas de sono pra me recuperar de tanto sexo. — Jimin bocejou contra o ouvido de Taehyung, que riu e concordou, guardando tudo que Jimin havia recebido dos seus amigos para se juntar ao loiro na cama e tirar mais uma soneca.

Um amigo com benefícios já é difícil de encontrar, mas um pacote completo como Taehyung, só Jimin tem e ele está feliz por isso.

14 Mai 2021 17:08:14 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

vani is Crio histórias e personagens inspirados nos meus artistas favoritos: BTS. Só leia se souber separar ficção da realidade! CC: https://curiouscat.qa/monidieu

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~