marcusoliveira Marcus Oliveira

Coletânea de contos relacionados ao Corvo, heroína no Distrito da Liberdade, Brasil. Nesse primeiro volume, os contos seguirão a narrativa que parte do surgimento de um assassino cruel na cidade, o envolvimento da heroína e seus desdobramentos para o futuro.


Fantaisie Fantaisie urbaine Déconseillé aux moins de 13 ans. © Todos os direitos reservados ao autor, sendo proibido a reprodução total ou parcial sem autorização.

#horror #contos #crime #fantasia
0
1.5k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les mardis
temps de lecture
AA Partager

Satisfação

Seus olhos, rubros como o sangue, estavam vidrados naqueles quadros belíssimos. Analíticos, admiravam as peças tingidas por várias cores. Eram paisagens estonteantes, a maioria. Suas mãos tateavam as figuras desenhadas, como se quisesse mergulhar naquelas gravuras, enquanto trocava passos pelo salão e visitava cada obra bem-talhada com muito apreço.


Joane, autora daquela exposição, surpreendeu-se que havia, ainda, alguém visitando suas criações tão amadas. Sem dizer nada num primeiro momento, ela fitou os olhos num homem robusto de sobretudo cinza e um chapéu cartola a poucos metros à sua frente. Bem antiquado, pensou. Mas não se preocupava com aparências se o esquisito comprasse algum deles.


— Então, o senhor gostou de alguma tela?


O homem ficou imóvel de súbito, mas não que estivesse surpreso com a chegada da mulher, estava em excitação na verdade.


— De todos, senhora, oh sim.

Ele voltou a tocá-los, como se fossem as pinturas mais lindas do mundo. Aquilo começou a incomodar Joane, mas tentou ignorar as esquisitices.


— Espero que tenha muito dinheiro para comprar todos eles! — precisava arriscar.

— Ah sim, eu tenho alguma riqueza. Mas apenas comprar não me satisfaria.

Joan não entendeu muito bem e apenas deu de ombros.

— Bom, não se comparam aos grandes artistas do passado, mas é um talento que eu adoraria possuir.

— Vou ignorar esse comentário, — murmurou — mas se não vai comprar nada, eu realmente preciso fechar. Talvez deva voltar amanhã, senhor…?

Pode me chamar de Vlad, Joane.

Seu sussurro arrepiou-a dos pés à cabeça.


Vlad virou-se quando tirou o chapéu para cumprimentá-la. Seus olhos sedentos encararam-na profundamente, parecia poder vê-la à alma. Sua pele, pálida como se fosse um fantasma, despertou-lhe repulsa. Mas quando ele sorriu, sim, foi como se enxergasse um animal pronto para atacar-lhe as vísceras. Eram dentes brancos e afiados, cobiçando-a como um alimento.

Em transe, Joan não sentiu as horas passar-lhe como um vulto.

O alarme tocou de repente, do celular no criado-mudo ao lado de sua cama. Ela não se lembra como havia chegado em casa, mas lá estava. Os olhos fixos no teto, o corpo dolorido e sentia-se quente e molhada - suando como se saísse de uma sauna. Por fim a surpresa.


Mas que droga…


Tentava se sacudir, erguer os braços e espernear, todavia, não conseguia se mexer. Estava presa, imóvel. Como isso aconteceu? pensou. Joan gritou. Clamava por ajuda.

— Ah, desculpe, — ele atravessou a porta para observá-la em suas tentativas de escapar — Eu deveria estar aqui quando acordasse, Joan. Posso te chamar assim, não é?

Sorriu de novo, como uma hiena maldita, e depois mordeu uma maçã.

Em choque, ela lhe deu o silêncio, apavorada.


— Chegamos nessa parte. Não é fácil… para você. Mas eu realmente adoro isso.

Olhou-a na cama, nua, se não fosse o lençol branco, mas poderia lembrar-se como é; aterrorizada, vulnerável, apenas pronta para o seu abatedouro.


Quem é você? Me deixa sair daqui! Alguém me ajude…! — Ela sentia muito, muito medo. A voz já falhava, em meio às lágrimas após vê-lo em toda a sua maldade.

— Não se lembra? Sou eu, Vlad... ou, como me chamam por aí, Drácula.

O conde rugiu. Sua feição animalesca com os terríveis dentes prontos para abocanhá-la, ainda que pudesse ver em seu rosto certa satisfação com o que ele faria a seguir.

Então o sino da catedral soou, à meia-noite, junto ao seu derradeiro grito.

6 Avril 2021 21:15:53 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Apenas as mãos

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 1 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Mundo-M
Mundo-M

Mundo-M é um universo compartilhado por vários personagens e histórias, que se passam num Brasil alterado pela ficção; ainda que, em essência, seja baseado na nossa realidade, mas com pequenas alterações em nomes de lugares e figuras. Geralmente, retratando seres heroicos e vilões no nosso mundo e os problemas decorrentes dessas particularidades. En savoir plus Mundo-M.