uistocilva Uisto Cilva

Até que possibilidade pode suportar uma pessoa a traição? O Último Porre tenta mostrar, de forma leve e intuitiva até que ponto o ser humano suporta o adultério e qual a sua reação diante do fato.


Drame Tout public.

#Porre
2
2.5k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo I

Andreza foi trazida por duas amigas risonhas e bêbadas, mais ou menos umas quatro e meia da manhã. Estava completamente fora de si, toda amarrotada, os cabelos desgrenhados e fedia a algo parecido com água sanitária podre. Ora chorava, ora ria. Os olhos estavam vermelhos como brasa. Tinha marcas também encarnadas de dedos pelos braços e pescoço. Ela quis abraçar o namorado, chorando e tentando também o beijar, debalde, porque ele virou o rosto com asco. Percebeu então que o acre partia dali, do hálito fétido dela, a cerveja e a água sanitária vencida — era da boca dela origem do mau cheiro. Só de pensar a procedência daquilo, ele sentiu o estômago embrulhado. Mas mesmo assim ainda teve coração para levá-la ao banheiro, donde despiu-a e pôde ver, aterrado, novas manchas vermelhas de mãos espalhadas pelo resto do corpo da namorada. Ela as tinha em toda a região do glúteo, nas regiões externas das coxas e entre estas. A vagina se encontrava completamente como que agredida: vermelha ou inchada e suja de algo ressecado em derredor. Saía também dela o cheiro terrível acima, descrito nas primeiras linhas.


— Me perdoa, amor! Eu... — Ela mal podia conciliar a fala com o choro e a organização dos pensamentos, tão bêbada e sofrida estava.


O namorado a abraçou, encostando a cabecinha dela em seu ombro e tentando acalmá-la, fazendo um som de chiado acalentante com a boca:


— Tudo bem, Andreza. — Fazia muito tempo que ele não a chamava de Andreza. Desde quando conseguiu conquistar o coração dela, era para ele "seu anjo", "anjinha" e outros predicados, cada um mais fofo que o outro. — Vamos nos preocupar agora em descansar. Amanhã a gente conversa.


Secou-a em seguida, vestiu-lhe uma calcinha que ela tinha deixado da última vez que dormiram juntos, pôs também nela, que já se encontrava bamba, mal podendo se pôr de pé, com um calção dele de dormir e uma camisa fria que tinha por ali. A deitou e foi pesquisar no Google algo bom para ressaca.


Depois de algum tempo, ainda bastante chorosa, o corpo dela se rendeu ao cansaço e pegou no sono. Foi aí que ele, já que ela não podia vê-lo, desabou de vez no desespero. Chorou copiosamente. Contudo ele sabia que era preciso ser forte.

13 Février 2021 00:47:09 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
Lire le chapitre suivant Capítulo 2

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 5 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!