vatrushka Bê Azevedo

Todos os planetas estão interligados pela humanidade: uma mesma origem, uma mesma raiz. Interesses e culturas entram em conflito e cada um só se sente seguro em sua própria ramificação. São tantos galhos, tão dispersos e distantes que mal parecem se conectar. A árvore, entretanto, definitivamente continua a mesma. E questão é: qual galho cairá primeiro. *Esta história já foi postada nas minhas contas do Nyah!, Spirit e Wattpad


Science fiction Futuriste Tout public.

#romance #fantasia #drama #aventura #intriga #mistério #futuro #ficção #futurismo #ação #ficção-científica
10
8.8mille VUES
En cours
temps de lecture
AA Partager

Ismália

Ismália estava trancada no próprio quarto. Estaria ouvindo música no volume máximo, se seu ciborgue pessoal não tivesse interceptado o sinal de qualquer serviço tecnológico que tentasse acessar. Desconfiava que deveriam haver 10 minutos desde que aquele robô - ou seria aquela robô? O design era definitivamente feminino, mas não via a necessidade de perder tempo discutindo o gênero de um objeto - estava batendo na sua porta insistentemente.

Ismália não gostava de robôs. Eram inconvenientes. Recusava-se a ter algum, mas Driano, seu tio, fizera questão de “presentear-lhe” com aquela coisa quando a mãe de Ismália foi apreendida pela Justiça. Para fazer-lhe companhia, enquanto a situação não se estabilizasse.

‘Lógico, tio, porque tudo que eu quero agora é de companhia.’ Pensou, ironicamente.

Ainda nem dera um nome à robô ainda, queria evitar afeiçoar-se. Desconfiava que, por ainda ser uma paciente em observação, aquela robô deveria filmar imagens e mandá-las diretamente ao seu psiquiatra ou ao seu tio. Tentaria, de todas as formas, camuflar suas frustrações. Quem sabe assim não a liberariam.

Conseguiria acabar com aquele tormento e reprogramar a robô para executar suas funções de forma silenciosa e distante - se não fosse aquele maldito diagnóstico que a julgava “inabilitada” e “emocionalmente instável”.

‘Estável… Como se estabilidade existisse.’

Pelo o que a robô falava, o Parlamento estava a convocando para um interrogatório. No mínimo, deveriam desconfiar de que a filha da rainha estava envolvida com seus desvirtuamentos e fingindo estar doente para escapar de qualquer suspeita ou punição. ‘Como se eu me importasse.’

“Ismália. Ismália, por favor, abra a porta. É contra as minhas regras invadir a sua privacidade, não posso arrombar a porta a não ser que esteja em risco. Por favor, venha, é importante.”

Ismália. Como tinha a ousadia de chamá-la apenas pelo nome? Todas se direcionavam a ela como senhorita Umbrana, ou até mesmo como princesa Ismália - embora o termo fosse arcaico.

A tela em sua parede ligou sozinha. “Ismália.” A imagem de um avatar virtual apareceu. Era uma garota de cabelo longo e rosa, com um arco de flores ao redor da cabeça e vestida em um simples e longo vestido branco. Seus olhos eram de cor âmbar.

‘O que ela tinha dito sobre não invadir a minha privacidade, mesmo?’

O avatar que a robô havia projetado em sua tela olhou em direção à Ismália de forma expressiva. “É preciso que você venha.”

Ismália ergueu a sobrancelha. Queria barganhar. Questionar a efetividade de seu tratamento. Que robô enfermeiro no mundo deixaria o paciente ser questionado sem as devidas condições? Impuseram isso? Qual era a necessidade? O que havia acontecido?

Mas como sempre, apesar de querer falar o mundo, não falou nada. Uma bola imaginária parecia estar em sua garganta, e as palavras não escapavam.

8 Décembre 2020 19:30 2 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
Lire le chapitre suivant Crystal

Commentez quelque chose

Publier!
Gabriella Gabriella
Achei sua sinopse um tanto chamativa, bem como o título. Ismália me lembra o poema de Alphonsus Guimarães, acredito que haja um bom motivo para esse nome ter sido escolhido por você. Sua escrita é bem dinâmica, como se um fosse um boom de acontecimentos e pensamentos, logo na primeira frase já temos um ciborgue. Estou gostando!
January 24, 2021, 14:26
Miss Salieri Miss Salieri
Muito interessante! E o título da história é de uma criatividade imensa, foi o que me animou a vir a ler. Parabéns!
December 14, 2020, 17:04
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 12 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!