ageha_sakura Ageha Sakura

Em uma noite qualquer, em meio às buzinas barulhentas e a multidão presente próxima à avenida, Yoongi encontrou Hoseok, seguindo o doce som da sinfonia calma e admirando o talento do rapaz. Seus encantos e suas admirações o levaram a seguir seu sonho: dançar junto a Hoseok. O amor aos poucos fora surgindo e, sem perceber, estava escrevendo belas poesias destinadas ao rapaz, confessando silenciosamente todos os seus sentimentos no pequeno caderno azul bebê. Tudo seguiria bem, isso se Hoseok não tivesse lido as declarações secretas de Yoongi.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#writer #poemas #poesias #hoseok #jhope #sope #min-yoongi #jung-hoseok #sugahope #dancer #hopesuga #yoonseo #yoongiwriter #hoseokdancer
1
2.1k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Admirando os Teus Encantos

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Poesias Destinadas a Você"!


Essa foi a minha segunda fanfic para o projeto @/jhistory, espero que gostem e possam desfrutar de uma boa leitura 💞


_______________________


Yoongi andava sem pressa pelas ruas movimentadas de Daegu, aproveitando aquele momento um pouco conturbado como forma de inspiração para os raps que escrevia em seus cadernos.


A noite estava densa, as luzes iluminavam as ruas e as pessoas com precisão, os veículos buzinavam sem parar, enquanto o jovem rapaz permanecia escrevendo mentalmente, nunca deixando de buscar por novas formas de inspirações.


Ao longe,uma música preencheu seus ouvidos, chamando sua atenção de imediato e os olhos pequenos buscavam em meio a multidão o responsável pela aquela agradável melodia, que contradizia totalmente com a baderna daquela região movimentada.


Esbarrou em algumas pessoas, desculpando-se em seguida, apenas deixando que seus instintos o levasse em direção aquela música calma e tranquila. Não muito longe,pôde avistar um grandecírculode pessoas, estas pareciam estar ao redor de algo ou alguém. Aproximou-se devagar, temendo não ser o que procurava, conseguindo afastar algumas pessoas e ver o belomotivode tanta comoção.


O rapaz loiro de pele amorenada dançava com proeza, dando leves saltos ao mesmo tempo que rodopiava pelo ar. De acordo com a batida da música,ele se movia, apreciando cada momento para transmitir o que aquela simples sinfonia gostaria de dizer ao público.


Em toda a sua vida,jamais imaginou-se estar encantado por um completo desconhecido, admirado com as proezas e a beleza estonteante do rapaz.


Dentro do peito,seu coração palpitava, acelerado e emocionado, inspirado e motivado para um novo recomeço. Ver o belo dançarino, assistir com precisão toda a apresentação, motivou-lhe a perseguir seu sonho de quando era apenas um garotinho;tornar-se um admirável dançarino.


Era um sonho distante, um objetivo que almejouhá tantos anos e depois acabou esquecendo-se. Quem diria que,em uma noite tranquila,acabaria assim, revivendo algo e desejando pela realização daquilo.


Quem era aquele homem capaz detocara todos com umasimples dança? Quem seria o loiro misterioso que chamou a atenção de uma multidão em meio a avenida? Qual seria o nome daquele promissor dançarino que o fez reviver oprazer de sonhar algo que pareciatão distante, mas agora estavatãoperto?


Tantas perguntas eram feitas em sua mente, contudo, não possuía resposta para nenhuma delas. Decidiu então procurá-lo mais vezes, seguindo sempre o som dadoce melodiae a beleza dos passos do rapaz, procurando nele as respostas para todas as perguntas e almejando realizar todos os seusdesejos.


[...]


Yoongi havia continuado a frequentar o lugar, sempre encontrando o rapaz em lugares diferentes, com novas músicas e coreografias. Cada uma delas era especial, como se narrasse histórias diferentes para públicos diversificados.


A admiração que criou pelo rapaz só tendia a crescer, sempre aumentando quando conseguia assistir toda a apresentação. Cada noite era uma forma de motivá-lo a seguir o seu sonho, mesmo que a timidez sempre estivesse falando mais alto.


Demorou bastante tempo, sempre estava se entregando ao medo do que o rapaz poderia achar, todavia ali estava ele, naquela exata noite,esperando pelo momento em que poderia conversar pela primeira vez com o loiro.


Aguardou por longos minutos, roendo as unhas pelo nervosismo, o coração palpitando rapidamente e as mãos suavam em demasia. Fechou os olhos e inspirou o ar um poluído, mesmo em desagrado continuou, criando coragem suficiente para abri-los novamente no fim da música.


As pessoas estavam aplaudindo sem cessar para o rapaz, alguns jogando flores e moedas como forma de agradecimento. O loiro sorridente estava feliz por toda aquela comoção, sentindo-se grato por ter conseguido deixar ainda mais pessoas felizes.


Aos poucos,todos foram saindo, restando apenas Yoongi e o dançarino,que desligava a caixa de som e a guardava em sua mochila. Estalou o pescoço e começou a se espreguiçar, entregando o quão cansado estava.


O Min estava nervoso, aproximando-se lentamente do rapaz que estava de costas, pronto para ir embora naquele momento. Abriu a boca para dizer algo ao loiro, entretanto, sua voz não queria sair. Estava quase entrando em desespero, o medo de perder a oportunidade falando ainda mais alto.


— Com licença! — exclamou de uma vez, surpreendendo o rapaz mais alto que gritou assustado.— D-Desculpa! Não queria assustar você.


O loiro estava com a mão no peito, a expressão ofegante e os olhos arregalados, expressando de todas as formas que havia se assustado.


— T-Tudo bem... — murmurou baixo, sem saber como responder ao rapaz.— Deseja algo? — perguntou, ainda incerto.


— Sim! —Afastou-seum pouco do homem.— Faz um tempo que venho acompanhando suas apresentações, elas me motivaram a perseguir um sonho antigo meu.


— Sério? —Osorriso largo tomou o lugar da expressão antes assustada, mas agora alegre e ainda mais motivada.— E qual seria o sonho?


— Dan... — começou nervoso, o olhar baixo sem conseguir encarar o outro.— Dançar.


A expressão de surpresa tomou posse do rosto, colorindo ainda mais aquele rosto sempre tão expressivo e verdadeiro, que não conseguia esconder nada do que sentia.


— Isso é fantástico! —Segurouas mãos trêmulas do rapaz, fazendo-o olhar para si.— Quer se juntar a minha trupe? Estamos precisando mesmo de dançarinos e você é o cara certo, tenho certeza!


Yoongi estava chocado. Tudo estava acontecendo tão rapidamente que chegava a ser assustador, até mesmo o rapaz a quem deposita tanta admiração estava soando de forma assustadora. De fato,se aceitasse, seria a forma de começar a perseguir o seu sonho, estando ao lado do homem que era sua fonte deinspiraçãoemotivação, o destinatário de toda a suaadmiração.


Não conseguia dizer nada ao rapaz, permaneceu em silêncio por algum tempo, buscando as palavras em sua mente, algo que fosse mais eficiente do que um simplessim.


— Você é o responsável pela minha mudança, quem me encoraja a seguir um sonho até então esquecido. —Umpequeno sorriso formou-se nos lábios de Yoongi.— Aceito com prazer.


O loiro o abraçou de repente, apertando o Min em seus braços enquanto comemoravam o primeiro passo para uma longa jornada que existia pela frente.


— Sou Jung Hoseok, osolda trupeTulipa. —Afastou-seo suficiente para encará-lo e sorrir ainda mais largo.— Seja bem vindo a nossa família!


— Obrigado, Hoseok-ssi, é um prazer participar da família. —Seusorriso fora crescendo aos poucos, deixando que o doce sorriso gengival pintasse seus lábios cor de pêssego — Sou Min Yoongi, desculpe por não me apresentar antes.


— Não tem problema, temos tempo suficiente para nos conhecermos a partir de agora. —Afastou-sedo rapaz, pegou sua mochila e começou a andar, convidando o rapaz de forma silenciosa para que o seguisse pelo caminho que levava ao seusonho.


[...]


Um ano havia passado depois do convite para a trupeTulipa. Hoseok sendo oaceda pequena comunidade de dança, o astro que iluminava e encantava a todos.


As apresentações nas ruas permaneceram, sendo a marca principal daquele grupo que amava espalhar o amor e ajudar outras pessoas como Yoongi a correrem e resgatarem seus sonhos, como forma de nunca desistirem da verdadeira felicidade.


Yoongi aprendeu tudo com cada um dos dançarinos da equipe, aos poucos liberando o verdadeiro dançarino que estava presente em seu sangue, tudo isso graças ao rapaz que nunca deixou de admirar.


O Min tinha plena consciência dos seus sentimentos, pois aquele período ao lado do Jung o fez perceber que estavaapaixonado. Antes, o que era somente admiração, aos poucosfoidando lugar para um sentimento totalmente novo e motivador.


Sem que Hoseok soubesse,havia motivado Yoongi a descobrir mais sobre si, não somente em relação a sua sexualidade,mas também em novos dons, entregando-o para o doce mundo daspoesias.


Não era um segredo que Yoongi sempre escreveurapspara cantar em bares e eventos, todavia as poesias surgiram graças ao Jung, permitindo que o seu talento em escrever rimas o levasse a transcrever em simples poesias tudo o que sentia pelo loiro.


Não lembrava com clareza quando começou a escrever em seu caderninho azul bebê textos poéticos direcionados a Hoseok, só tinha a certeza de que tudo escrito ali era real, puro e verdadeiro.


Sempre que estava em seu momento de descanso, começava a escrever, reparando sempre no esforço que o rapaz tinha e na expressão sorridente que sempre carregava em seu rosto.


Não existia nada em Hoseok que ele não admirasse, tudo nele era perfeito, até mesmo os seus defeitos eram sinônimos de perfeição.


O Jung era o sol da trupe e o seu próprio, a luz que sempre iluminou a sua estrada árdua e trabalhosa que percorria para realizar seu sonho. Com o passar dos anos,a ambição de ser um dançarinoforase modificando, desejando que pudesse sempre dançar junto de Hoseok, desfrutar daquele momento como se nunca acabasse.


E ali, olhando o rapaz repetir as mesmas coreografias que andava praticando, observando sua expressão séria por estar errando algo que considerava fácil, perdeu-se nas linhas azuis e começou a escrever sem que o rapaz pudesse ver.


Fitou novamente o Jung, analisando cada pequeno detalhe, permitindo-se transcrever aquilo em uma nova poesia, retratando seus sentimentos secretos sem nunca deixar deadorarHoseok.


"Em muitas noites penso em nós dois, abraçados a luz da lua, os corpos suados acompanhados dos sorrisos estampados em nossos rostos.

A tua face reluzente me guia como um farol no meio da escuridão, ajudando meu barco perdido em alto mar a te encontrar e não temer a essa assustadora imensidão."



Seus olhos voltaram atentos às costas do rapaz, os músculos marcados pela blusa colada em seu corpo por causa do suor. Os fios loiros grudam em sua testa, a respiração ofegante e a mesma expressão séria, como se estivesse brigando intensamente consigo por errar tantas vezes.


Em alguns momentos,Yoongi gostaria de ajudar o rapaz, deixar claro o quão talentoso ele é, que mesmo errando,não tinha nada de errado nisso pois todos somos humanos. O esverdeado apenas gostaria de ser o conforto, o motivo de incentivo assim como o Jung é para si.


Voltou seu olhar as folhas rabiscadas do seu caderno, fitando as estrofes que havia acabado de escrever. Decidiu abandoná-las temporariamente e começar algo novo, totalmente movido a situação atual do rapaz.


"Em meio os momentos tempestuosos você sempre estará aqui por mim, assim como eu sempre estarei aqui para te proteger dos impiedosos que ousarem te atingir.

A solidão é dolorosa, a dor da queda amargurada, mas você não está sozinho, o seu coração está ligado ao meu, tudo o que sentir também estarei sentindo, uma conexão de outras vidas."


— Hoseok-ssi — chamou a atenção do rapaz para si, observando toda a aparência cansada que ele aparentava depois de tanto esforço —, estátudo bem você errar, não existe nada de ruim nisso. —Sorriu pequeno para o rapaz, sendo respondido da mesma forma com aquele doce sorriso em formato de coração.


— Somos humanos, não é mesmo? — perguntou risonho, aproximando do rapaz para pegar a toalha e enxugar seu rosto com a mesma.— Obrigado.


— Não tem o que agradecer. —Levantou-se, guardando o caderno em sua mochila enquanto ainda o fitava.— Não precisa jogar todo o peso somente nas suas costas, divida conosco, somos umafamília!


Sim, uma bela família.—Aproveitouo momento de distração do baixinho para bagunçar seus fios esverdeados, recebendo um resmungo baixo como resposta negativa — Vamos pra casa?


— Vamos.


Pegaram suas coisas, apagaram as luzes da sala espelhada e trancaram a porta, andando em direção a saída da pequena escolinha de dança da trupe.


— Vai aceitar uma carona pra casa? — pergunta o Jung, montando na sua moto enquanto estendia o capacete ao rapaz.


— Vou sim,estátarde — aceitou o convite, pegando o capacete e sentando na garupa da moto, abraçando o rapaz após colocar o capacete.


Yoongi amava sentir o corpo do rapaz enquanto andavam abraçados na moto. Nunca fora de se importar com corpos suados, desde que começou a dançar,virou algo tranquilo lidar com aquela sensação, principalmente por ter o corpo do rapaz em seus braços em momentos como aquele.Nadaapagava adoce sensaçãodo calor de Hoseok junto ao seu, como sempre escrevia em suas poesias.


Estava tão distraído com o conforto do corpo de outro que nem percebeu quando o veículo estacionou, em frente a pensão que vivia junto do rapaz.


— Chegamos, Yoongi — comunicou o loiro, sentindo os braços do esverdeado o soltarem aos poucos, dando conta de que haviam chegando emcasa. Desceram da moto e após guardar o veículo, entraram no recinto.


Desde que Yoongi havia começado a dançar com a trupe, havia saído de casa por não receber apoio de sua mãe e foi viver na pensão que Hoseok recomendou. O Min dormia no último quarto do segundo andar, enquanto o Jung ficava no terceiro andar. Não eram de conversar muito, mas também não tinham uma relação ruim, apenas não era omomentopara tentar aprofundar uma amizade.


Yoongi estava deitado em sua cama, pensando com seriedade no que havia acontecido e na forma como criou coragem para dizer aquilo ao rapaz. Hoseok sempre aceitava tudo de uma forma boa, nunca o viu negar alguma palavra a si, e era grato por isso.


Sempre pensou em tentar se aproximar do Jung, criar vínculos afetivos como os demais integrantes da trupeTulipa, contudo, coragem lhe faltava.
Levantou-se e pegou o mesmo caderninho, preparando-se para escrever algo novamente, sempre expressando seus sentimentos em momentos como aquele.


"Nem mesmo o brilho das estrelas ou o calor ardente do sol se compara a você, ao seu brilho natural e o ardor da sua pele em contato com a minha.

Em meus pensamentos nunca encontrei alguém mais perfeito do que você, nem mesmo pessoalmente, já que não existe ser algum que se compare a você."



Desviou o olhar do papel rabiscado e fitou as estrelas brilhantes pela janela, sentindo um calorzinho gostoso preencher seu coração. Sorriu para o nada, a felicidade de pensar em Hoseok tomando conta de todo o seu ser e o motivando a escrever ainda mais, confessando indiretamente tudo o que sentia.


"Permita-me desfrutar dos teus lábios vermelhos como uma cereja, saber se eles possuem o mesmo gosto da fruta ou se existe algo a mais ali.

Deixa-me provar do gosto doce da sua pele amorenada, que eu possa beijar cada pequeno pedaço que existe em você como uma última vez.

Apenas peço que permita que meu corpo cole ao seu, que eu passe noites em claro apenas admirando o céu estrelado em seus olhos e a diversidade de sabores presentes na tua boca.

Ouça os batimentos do meu coração, tão ardente e flamejante por você, apenas por você, Hoseok."



Seu rosto estava pegando fogo, tinha certeza de que estava mais vermelho do que uma pimenta malagueta. Fechou o caderno com força, deixando-o sobre a mesinha ao lado da cama. Deitou-se e se cobriu, desejando que pudesse entregar-se ao mundo dos sonhos rapidamente, sem se preocupar com o amanhã.


[...]


Depois daquela noite vergonhosa, havia se passado uma semana.


Os preparativos para o festival de dança estava chegando ao fim, restando apenas dois dias para que tudo estivesse devidamente ensaiado e que eles pudessem se apresentar da forma que planejaram.


Hoseok repassava os passos na sala espelhada junto a todos os dançarinos, tendo ao seu lado, Yoongi, que o ajudava na organização. Ambos dançavam no mesmo nível, muitos diziam que o motivo era eles serem como osole alua, conectados e unidos pela dança como se reinasse graças a ela.


Os dois eram muito admirados na trupe, os melhores dançarinos e aqueles que mais se dedicavam em todas as apresentações. Eles se dedicavam de corpo e alma,e a equipe sentia isso, não havia como negar que nasceram para dançar, que ela estava em seu DNA.


— Aí vira e salta! — exclama Hoseok, realizando os passos como havia citado.— Fim! Espero que todos estejam prontos, não quero desculpas esfarrapadas e se estiverem nervosos,basta descansarem seus corpos, na hora,eles vão lembrar de todos os passos. Dispensados!


Todos se curvaram em agradecimento a Hoseok, em seguida fizeram o mesmo para Yoongi e puderam ir embora, aproveitar o restante daqueles dois dias para descansarem e voltarem com tudo no dia da apresentação.


Hoseok pegou uma toalha e jogou outra para Yoongi, enxugando o suor enquanto olhava todo sorridente para o baixinho.


— Que foi? Encontrou algo engraçado na minha cara? — perguntou o Min, não perdendo o momento para soltar uma brincadeira.


— Não é isso, apenas estou feliz que tudo deu certo.


— E o que tenho haver com isso?


— Nada, seu grosso! — disse demonstrando falsa irritação, o bico fofo estampado em seus lábios.— Depois a gente pode comemorar, junto com a família, claro.


Yoongi ergueu a sobrancelha um pouco desconfiado, ignorando logo em seguida, a suposição passando em sua cabeça o deixando nervoso.


— Sem problema — disse o Min,por fim, pegando suas coisas e saindo, deixando um Hoseok sorridente e umcaderninho azul bebêpara trás.


O Jung ficou o chão e viu aquele caderno peculiar, o mesmo que sempre via nas mãos de Yoongi e que o rapaz nunca deixou que alguém pudesse tocar ou ler o que estivesse ali dentro. Pegou o objeto e observou a capa azulada, fazendo questão deguardá-loem suas coisas e entregá-lo depois ao Min.


[...]


Estava sozinho em seu quarto, o olhar fixo no caderno pertencente a Yoongi, tentando controlar a insana vontade de saber o que poderia estar escrito, como se tivesse uma breve ideia do que poderia ser.


— Não posso abrir, não devo. —Virouo rosto bruscamente, ignorando a vontade de abri-lo e tratando de levantar em seguida para entregá-lo ao rapaz.


Pegou o caderno e o fitou uma última vez, engolindo em seco, virando e andando em direção a porta, sem querer, derrubando o objeto no chão.


Apertou seus olhos com força,negando-sea acreditar que derrubou de propósito para tentar espiar,sem querer, o que havia ali. Olhou para o chão e ali estava a poesia um pouco grande,que chamou toda a sua atenção, não resistindo em lertudoo que havia no caderno azulado.


A cada estrofe,o Jung ficava espantado, nunca imaginou que Yoongi pudesse ter sentimentos por si e, muito menos,que o rapaz o admirava daquela forma tão intensa e contagiante. Sem perceber,um doce sorriso pintou seus lábios, a felicidade colorindo todo o seu ser e a vontade de correr até o rapaz aumentando.


Hoseok sempre foi interessado em Yoongi, porém nunca fez questão de demonstrar,pois temia a reação do rapaz ao saber que é bissexual. Acreditava fielmente que insistir em Yoongi não valeria a pena, tendo plena certeza de que o rapaz era hétero, entretanto, após ler todos aqueles textos,a sua mente estava confusa, seu coração acelerado em demasia e a sua vontade de confessar ao rapaz o consumindo aos poucos.


Abraçou o pequeno caderno e decidiu esperar um dia, apenas mais um dia e iria contar ao Min como se sentia.


[...]


Yoongi estava desesperado. Seu caderno havia desaparecido e nele contém todas as informações do seu amor não correspondido por Hoseok, quem tivesse encontrado agora sabia com clareza dos sentimentos do rapaz e esse era o perigo da situação.


Como conseguiria olhar nos olhos do rapaz e fingir que nada havia acontecido, que não o amava e alguém tinha contado uma mentira.


— Chega! — exclamou de repente, fitando sua imagem assustada no espelho.— Nada vai acontecer, vai ficar tudo bem. Vai ficar tudo bem.


Pensou em todas as pessoas que poderiam terpegadoo caderno, mas a pior de todas as hipóteses, negava-sea acreditar, não poderia ser Hoseok de forma alguma, estavaforade questão.


Existia a possibilidade, a mais perigosa de todas,e ele sabia bem disso, o medo do que poderia acontecer o atingindo com força, não queria perder Hoseok por causa do amor que tinha por ele, não poderia fazer isso.


— Se o caderno estiver com ele — começou, pensando e criando coragem para continuar —,vou descobrir agora.


Abriu a porta do quarto com força, andando a passos duros em direção ao terceiro andar. A cada passo que dava,sentia como se estivesse caminhando em direção a uma guilhotina, pronto para ter sua cabeça decepada e sua vida acabada.


Talvez o seu sonho de continuar a dançar lado a lado com Hoseok fosse por água abaixo, poiscertamenteele não gostaria de ter mais contato algum consigo. Poderia esperar para tirar satisfações no dia seguinte, mas sua mente lhe torturava a buscar o caderno e descobrir a verdade, e seria exatamente isso que ele iria fazer.


Estava de frente com a porta do quarto de Hoseok, o coração disparado e atormentado por todo o medo que sentia subir pela sua espinha. Pedia mais do que tudo que ele não ficasse bravo, que a amizade que estava nascendo entre eles não chegasse ao fim definitivo.


Buscou pelo último resquício de coragem que tinha e bateu na porta do quarto, esperando pela suamortenaquele mesmo momento. A porta fora aberta devagar, a expressão tranquila do Jung fora mudando rapidamente para uma surpresa, nunca esperando encontrar Yoongi a sua frente.


— Yoongi? O que faz aqui? — questionou, mesmo tendo consciência de qual seria o objetivo do rapaz.


— O-Oi, Hoseok… — O olhar focou no chão, engoliu em seco até conseguir prosseguir: — V-Você achou um c-caderno azul bebê, desse tamanho? —Fezum gesto com as mãos indicando o tamanho mais ou menos do objeto.


O sorriso de Hoseok alargou-se,encostando-sena porta enquanto os braços cruzados mostravam uma pose divertida com a situação.


— Sim, é seu? — perguntou todo sorridente, deixando o Min ainda mais envergonhado.


— S-Sim… —Levantoua cabeça, fitando os braços de Hoseok,que saltavamda camiseta sem mangas que ele usava.— Você leu? Por favor, me diz que não leu.


— Não li. — A expressão de alívio de Yoongi fez o Jung rir, deixando-o confuso.— Você disse para falar que não, mesmo eu tendo lido.


A expressão de choque mesclado a raiva se apossou do rosto do rapaz, estava indignado com a ousadia do rapaz e temeroso pelo que ele diria.


— Não precisa ficar assim, eu também gosto de você.


— Claro que eu fico assim, você deve ‘tá me odiando agora — disse de uma vez, sem prestar atenção no que Hoseok havia dito, em seguida se tocando e ficando totalmente envergonhado — V-Você o quê!?


— Eu disse que também gosto de você, não tem nada de ruim nisso, ou tem? —Riuda expressão envergonhada do baixinho, não resistindo em se abaixar um pouco e alcançar os lábios vermelhos do rapaz.— Vamos pular todo monólogo de filme e ir pro que realmente interessa.


— Você — começou, levando seus dedos em direção aos lábios, podendo sorrir logo em seguida —Idiota!— puxou o mais alto para beijá-lo novamente, sentindo de verdade o sabor adocicado que sempre desejou em suas poesias.


Naquela noite,eles se entregaram um ao outro, provando dos sabores dos lábios e dos corpos com emoção, levando ao pé da letra tudo o que Yoongi havia deixado explícito que desejava em suas poesias.


Chegando o dia da apresentação, eles dançaram com emoção, repetindo os movimentos em pura sincronia e levando a emoção daquela doce sintonia ao público, conquistando os corações esperançosos por uma mudança de vida como a de Yoongi.


O festival havia sido um completo sucesso, o que levou ainda mais fama a trupeTulipa, fazendo-os viajar por todo o mundo em busca de espalhar sonhos as pessoas, revivendo os desejos de infância para que eles pudessem tornar-se realidade.


Yoongi continuou dançando lado a lado com Hoseok, sempre cumprindo o seu papel de nunca apagar achamado seuamorpela dança e pelo rapaz, agora ruivo. Mesmo juntos, o Min nunca deixou de escrever poesias e raps dedicados a Hoseok, sempre deixando claro que seus sentimentos deadmiraçãoeamornunca iriam se apagar com o tempo, apenas iriam se fortalecer cada vez mais.


Pois foram graças às belaspoesias destinadas a Hoseokque ele conseguiu viver, sentir e espalhar a verdadeira felicidade de poder realizar sonhos, nunca deixando a chama daesperançase apagar com a forte ventania das dificuldades.


*Notas Finais:*


Primeiramente quero agradecer a capista que fez essa belíssima capa, obrigada de verdade Lovlgukk eu amei muito e estou totalmente apaixonada por essa fofura! E também quero agradecer a @/hopegukspor Betar a minha fic, e por último a @/Yaze por avaliar minha história 💞💖💞💖💞💖


Continuem amando e admirando Jung Hoseok a cada instante pq ele é uma obra de arte perfeita, indescritível! 💜🥺


Espero que tenham gostado, obrigada por chegar até aqui 💞💖


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💕

23 Novembre 2020 13:33:03 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
La fin

A propos de l’auteur

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~