ageha_sakura Ageha Sakura

Kim Taehyung, desde que se conhece por gente, sempre foi apaixonado pelo misterioso mundo sobrenatural que envolvia fantasmas. Além de se denominar um verdadeiro fã de carteirinha de histórias assustadoras, tinha como sonho de infância ser um dos corajosos caçadores de fantasmas que escutava em seus contos favoritos. E, por causa de uma aposta com seus amigos, acaba por entrar na tão temida mansão Choi com o intuito de provar a real existência do sobrenatural na residência proibida. Todavia, não estava nos seus planos que um certo Jeongguk e seu nariz empinado estariam ali para atrapalhar seu plano e, estranhamente, tornar o desafio uma aventura, verdadeiramente, louca.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#jungkook #bts #taeguk #taegguk #kookv #taehyunghunter #vkook #taekook
2
2.4k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Único: Uma Aventura Fantasmagórica

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Ghost Hunt"!


Essa foi a minha última fanfic no @/VISLAND, um projeto do Spirit dedicado ao Tae onde fiz parte. Espero que gostem e possam desfrutar de uma boa leitura 💞

_____________________


Aquela manhã tinha tudo para ser a mais tranquila e ensolarada de todas, pois logo cedo era possível escutar o som dos pássaros, o calor aconchegante vindo do sol e o céu azul quase sem nuvens.


Tudo poderia ter permanecido bem se um certo aventureiro não tivesse feito um arriscada aposta.


Naquela bela manhã, Kim Taehyung estava realmente animado, pois tudo indicava que aquele seria realmente um dia esplêndido. Caminhou rapidamente até o prédio escolar, logo podendo reencontrar seus amigos que já o aguardavam na entrada.


Taehy! — exclamou Jimin, seu amigo de infância que sempre estivera ao seu lado até os dias atuais.


Minnie! — respondeu em mesmo tom, correndo para os braços pequenos do Park e levantando-o no ar.


— Não existe um dia em que vocês sejam, sei lá, menos gays? — Namjoon, o namorado do seu melhor amigo e que também fazia parte da sua rodinha de amigos próximos.


— Para a sua completa decepção, não. — Sorriu ainda abraçado ao rapaz. — Meu amor pelo Jimin sempre será grandioso, não tem como não ser boiola pelo Minnie, ele é a coisinha mais fofinha e preciosa do mundo, você como namorado dele deveria entender muito bem. — O encarou com ar de pura diversão.


— Claro que eu compreendo, apenas é cansativo vocês sempre repetindo essa mesma cena, já pensaram em mudar o roteiro? — Riu, divertindo-se com a carinha irritada do Park, este que o fitava como se fosse matá-lo e enterrá-lo ali mesmo.


— Desculpa atrapalhar esse lindo momento de vocês, mas a aula está para começar. — Com seu ar de deboche e o símbolo de presidente do Grêmio Estudantil, ali estava Jeon Jeongguk, arqui inimigo de Taehyung que sempre se intromete onde não lhe era conveniente.


— Chegou o intrometido! — exclamou ao encerrar seu abraço com Jimin e cruzar os braços, expressando puro descontentamento com outrem — Existe algum momento em sua vida que você irá parar de se envolver nas conversas alheias? — Levantou a sobrancelha enquanto questionava o Jeon, este que não se sentia ameaçado pelo Kim.


— Como presidente do Grêmio Estudantil, o meu dever é sempre zelar pelo bem estar da escola, seguindo todas as regras que ela impõe, isso inclui ordenar que vocês parem de conversinha e adentrem no antro escolar — respondeu-lhe com um sorriso falso pintado em seus lábios, demonstrando um ar de superioridade enquanto segurava aquela prancheta irritante.


— Sempre tão certinho, nunca vi um nerd se achar tanto igual a você — rebateu, pois não conseguia segurar sua irritação com o rapaz, ele sempre se intromete em assuntos que não eram do seu interesse — Não aguento mais você se envolvendo onde não é chamado, nem sei como alguém suporta ser seu amigo. Cara, você é tão irritante!


O sorriso presunçoso e forçado do Jeon se desfez por um milésimo de segundo, todavia, retornou rapidamente, com mais intensidade e acompanhado de um jogar de cabelos.


— Você realmente acha que eu me incomodo com o seu ódio todo? Achou errado, volte duas casas! Obrigado, próximo. — Esbanjou deboche ao responder o Kim e utilizar dos famosos memes e da esplendorosa sabedoria da sua diva, Ariana Grande, por criar um álbum maravilhoso e digno de aplausos com os pés, pois suas mãos estavam ocupadas tratando-a como a deusa que ela sempre foi.


Os amigos de Taehyung não aguentaram observar toda aquela situação, rindo em seguida com força enquanto fotografavam a carranca do rapaz, este que fitava o Jeon mortalmente, seu olhar repleto de ódio sendo sentido com clareza pelo citado.


Eles estavam prontos para se atacaram como dois leões bravos, todavia, foram impedidos por Yoongi, amigo de Jeongguk e secretário do Grêmio Estudantil, que surgiu do nada e esticou seus braços, impedindo as futuras ações de ambos, dizendo-lhes em seguida:


— Não quero confusões nessa escola, vocês dois circulando e você principalmente, senhor presidente — disse com seriedade, aparentando querer dar um fim definitivo àquele clima que estendia-se desde o primeiro ano, onde ambos se conheceram e criaram um ódio mortal um pelo outro do nada.


— Só vou porque o sinal tocou — respondeu o Kim, ainda podendo escutar o som estrondoso do objeto citado — Nos vemos na próxima e você vai ver só.


— Ver o quê? Você querendo bancar o sabichão? — perguntou irônico, sorrindo divertido com a expressão irritada ainda presente no rosto de Taehyung.


— Não me provoca... — disse por fim, saindo sem permanecer caindo nas provocações de Jeongguk, não daria esse gostinho a ele, não hoje.


O Jeon observou pelo canto de olho o rapaz saindo e entrando no prédio, seu coração batendo rapidamente e o sorriso antes sarcástico dando lugar a um sincero e fofo.


— Realmente eu não consigo te entender — murmurou o Min, indignado com a expressão apaixonada do rapaz a sua frente. — Se você gosta tanto dele, por que não se declara e para de implicar com o pobre coitado?


— Porque, meu caro Min, o gostinho de deixá-lo irritado é mil vezes melhor do que repetir aqueles clichês de filmes e começar a tratá-lo bem só porque eu gosto dele. — Afastou os fios da sua franja que caíram sobre seus olhos escuros, tão profundos como um céu a noite sem estrelas.


— Continua fazendo um clichê, daqueles em que o casal principal tem ódio um do outro, mas na realidade, se amam como loucos. — Colocou a destra no queixo, aparentando pensativo antes de continuar. — Só que nessa história, ele te odeia de verdade, você talvez não consiga conquistar o coraçãozinho dele. — Apontou o ponto principal da conversa, deixando o Jeon inseguro e temeroso.


— Eu sei... — disse cabisbaixo. — Talvez um dia tudo mude, eu mude.


— A mudança só começa quando você repara e tenta consertar os seus erros. — Apertou o ombro do garoto, como gesto de conforto e carinho. — Nunca é tarde demais para se arrepender e pedir desculpas, recomeçar de uma forma melhor. — Sorriu fechado e saiu, seguindo seu rumo em direção ao prédio e, minutos depois, sendo seguido por um Jeongguk pensativo e indeciso.

[.👻.]

As duas primeiras aulas haviam chegado ao fim, dando lugar ao tão esperado intervalo. Quando o som do sinal estrondou por todo o prédio, era possível ver pessoas apressadas e que pareciam festejar, escutando os sons pesados dos passos pelos corredores.


Tete... — Jimin chamou por si, fazendo-o parar de rabiscar em seu caderno e fitá-lo. — Halloween está chegando, o que pretende fazer neste ano?


O Kim largou o lápis em cima da mesa e levou a mão, agora livre, em direção ao queixo, apresentando uma expressão pensativa e indecisa. Pensou por um instante até sorrir fechado e responder o Park.


— Infelizmente não tenho nada em mente, me sugere algo? — perguntou esperançoso, seus amigos sabiam da sua paixão por fantasmas e mistérios e acreditava que suas idéias iriam ser fantásticas.


— Não sei, Nam, o que você acha? — questionou o mais velho do trio, este que antes dormia na mesa, sendo despertado pela voz doce do seu namorado, podendo despertar aos poucos e pensar no que dizer.


— Façamos uma aposta — disse de repente, assustando os outros dois. — Aposto vinte pratas que você não consegue trazer uma prova de que existe uma assombração na mansão Choi, no final da rua.


Jimin riu baixo, aprovando totalmente a ideia de seu amado e por isso também deu seu lance.


— E eu aposto dez que ele consegue. — Abraçou o amigo todo sorridente. — Tenho que apoiar os sonhos da minha alma gêmea.


— Que tipo de melhor amigo é você? — questionou risonho — Se ele é sua alma gêmea, eu sou o quê? — perguntou um pouco enciumado.


— O amor da minha vida — disse por fim, soltou Taehyung e beijou o topo da cabeça de Namjoon, recebendo um lindo sorriso com as covinhas amostra.


— Que bonitinho, que cena mais linda, será que eu posso atrapalhar o casalzinho e dizer que eu topo aposta? — questionou ambos enquanto divertia-se com aquela situação um tanto cômica.


— Claro, claro — responderam ao mesmo tempo.


— Então, aposta feita! — Esticou suas mãos que foram apertadas pelas de seus amigos. — Vai ser um sonho entrar na mansão mal assombrada dos Choi, quero só ver quantos fantasmas eu vou poder encontrar — disse em puro tom de animação.


Não muito longe deles, estavam o quarteto do grêmio estudantil, sendo eles Jeongguk, Yoongi, SeokJin e Hoseok. O presidente havia escutado sobre a aposta, seus ouvidos sempre atentos a tudo que era dito por Taehyung e seus amigos, pois nunca deixava de reparar no garoto por quem era perdidamente apaixonado.


O nariz empinado, a rotineira jogada de cabelo e o ar prepotente o levaram em direção ao triozinho, em especial ao Kim mais novo. Caminhou passos calmos enquanto sua ousadia falava mais alto, pronto para impedir que seu amado cometesse a loucura de ir numa casa mal assombrada, não só porque óbvio que fantasmas não existiam, mas também pelo fato de Taehyung ir contra as regras e invadir as moradias alheias.


Ele não deixaria o Kim fazer tamanha loucura, nem que para isso ele devesse agir como um louco que era e, novamente, irritar o seu amado e deixá-lo criar ainda mais rancor por si.


— Posso saber que história é essa de entrar na mansão Choi? — Cruzou os braços dando maior autoridade ao seu ar inquisitório, querendo que o rapaz lesse as entrelinhas e compreender que no final ele estava preocupado consigo.


— Desde quando o que eu faço ou deixo de fazer é da sua conta? — levantou a sobrancelha enquanto respondia sua pergunta com outra, não abaixaria sua cabeça para aquele intrometido.


— Desde o momento em que o senhor invadirá a propriedade alheia — disse simplório, ainda mostrando-se empoderado e decidido a impedir que ele cometesse tal ato de loucura. — Não posso permitir que um aluno manche a imagem dessa instituição com seus atos imprudentes, está proibido de ir!


Taehyung estava se segurando para não partir para cima do Jeon, entretanto, ao escutar o que o outro havia dito, levantou-se de imediato, ficando cara a cara com Jeongguk, como uma fera prestes a atacar um pobre animalzinho indefeso.


— Você não vai me proibir de fazer nada, não dou ouvidos a pessoas que não sabem ser educados e se acham maiores que os outros. — Apontou o indicador no rosto do mais novo, observando-o não desfazer sua carranca indignada e sua superioridade em nenhum momento.


— É o que vamos ver, encrenqueiro. — Segurou o indicador do outro e o afastou de seu rosto, logo dando as costas para outrem e voltando ao lugar onde estava junto dos outros integrantes do grêmio.


— Estou te esperando, nerdzinho! — exclamou raivoso, seu pavio estava a ponto de estourar a qualquer momento, realmente ainda não sabia como não tinha partido para cima do mais novo.


Apenas como resposta ele teve a famosa e tão conhecida jogada de cabelos de Jeongguk, sempre acompanhada de seu sorriso debochado e divertido.


Ele amava provocar o Kim, enquanto Taehyung o odiava profundamente.

[.🕯.]

No dia seguinte, o Kim estava realmente decidido, iria naquela noite em busca de provas sobre a existência do sobrenatural.


Desde que era uma criança, sempre acreditou fielmente na existência de fantasmas, espíritos, aliens e outros seres que eram considerados mitos pelos humanos. Era tão apaixonado que seu quarto era um verdadeiro santuário, repleto de pôsteres e desenhos que ele mesmo fazia de como poderiam ser as criaturas que tanto era fanático.


Seus amigos sabiam o quanto amava tudo relacionado a esse mundo fantasioso, contudo sempre demonstraram não ter nada contra e muitas vezes o ajudavam em sua busca por fenômenos sobrenaturais.


Acordou cedo, animado, suas coisas já estavam todas arrumadas e esperando o momento em que ele iria desbravar os mistérios que cercavam a velha mansão Choi.


Nada e nem ninguém — em especial um certo Jeon metido de nariz empinado — iriam atrapalhar sua missão. Aquele tinha tudo para ser o melhor dia de todos, ali ele poderia enfim exercer sua profissão como ghost hunt.


Seguiu seu caminho para o antro escolar, repetindo sempre a mesma rotina diária de encontrar seus amigos no portão, correr para os braços de Jimin e escutar os mesmos sermões de Namjoon.


Tudo era monótono, todavia nada daquilo o desagradava, pois ele adorava desfrutar do prazer que era estar junto dos seus amigos, poder rir e falar bobeiras a todo momento. Tudo era bom, exceto a existência de Jeongguk.


Nunca entendeu o motivo exato do Jeon sempre o odiar, ele nunca havia feito nada e realmente era um completo mistério a forma como ele mostrava ser superior.


Lembrava de tê-lo conhecido quando estavam no primeiro ano. Eles haviam se esbarrado no corredor por acidente, um caindo por cima do outro. Naquele instante, ele pode conhecer e desfrutar do único momento em que vislumbrou um Jeongguk corado e sorridente.


Naquele momento ele havia sentido uma pontada forte em seu peito, seu coração disparando rapidamente enquanto admirava a expressão envergonhada que pintava o rosto delicado do mais novo.


Depois daquele momento, Jeongguk havia mudado. Começou a ser frio consigo, o esnobava pelos corredores e havia banido o seu clube de experiências e fatos sobrenaturais. Ele tinha mudado da água para o vinho, muitas vezes perguntou-se se ele era a causa, se ele havia o ferido ou dito algo que não lembrava. Buscou tanto em sua memória e nada encontrou, tudo era realmente um mistério.


Aquele rapaz por quem quase havia se apaixonado agora era alguém prepotente, cheio de si e que sempre se intromete nas suas conversas com seus amigos. Uma vez Jimin lhe disse que talvez ele também fosse apaixonado por si e só fazia tudo aquilo para chamar sua atenção, mas Taehyung não acreditava nisso.


Enfrentou toda a rotina escolar, tendo que aturar Jeongguk em seu pé dizendo que não o deixaria bisbilhotar a mansão e que quando ele menos esperasse, estaria ali.


A manhã e a tarde havia demorado a passar, como forma de castigo por ser tão curioso e ter em seu sangue um desejo imenso pela descoberta do novo.


Finalmente, o crepúsculo havia dado as caras, a noite sendo admirada como um grandioso fenômeno, o que era de fato.


Juntou sua mochila repleta de tudo o que precisaria para sua missão, não hesitando em partir de imediato para a grande mansão da família Choi.


Caminhava até o final da rua com pressa, carregando consigo além de todo aquele peso a sensação de que estava sendo seguido. Ele já havia ouvido falar dessa estranha sensação em filmes, mas nunca tinha sentido na pele. Olhou para trás tantas vezes e nada enxergava, talvez estivesse enlouquecendo ou um espírito da mansão o seguia em busca de torná-lo mais uma de suas diversas vítimas.


Finalmente chegando ao final da rua, sendo ela fechada por toda aquela mansão e o gigantesco jardim que enfeitava toda a frente, tudo naquele jardim era belo, aparentava ser bem cuidado e podado, contudo a casa não poderia ser dita dessa forma. Ela estava caindo aos pedaços, sua estrutura velha tinha sido considerada patrimônio da humanidade e fechada para visitantes, pois muitos corpos haviam sido encontrados naquele lugar, tantos casos de homicídios e suicídios que começaram a espalhar que a mansão era mal assombrada.


Além deste fato existia uma lenda, algo que somente os antepassados sabiam e que o Kim, depois de muito perturbar seus avós, conseguiu descobrir.


De repente seus pensamentos foram cortados pela voz mais irritante e fofa — ele confessava — desse mundo, era Jeongguk.


— Não pensei que você fosse mesmo vir, mas como já estamos aqui, ainda dá tempo de te impedir, seu encrenqueiro — disse por fim continuando com aquele mesmo ar de ser superior, mas no fundo queria apenas cuidar de Taehyung.


— Por que você é tão irritante? — Fez uma pergunta retórica, prosseguindo sem dar chances do rapaz rebatê-lo — Posso saber o que o senhor presidente faz aqui?


— Já disse, vim te impedir de fazer essa loucura e voltar pra casa. Não posso deixá-lo manchar a imagem da escola. — Levantou os óculos enquanto o fitava com uma pitada de esperança.


— Foda-se aquela escola e você! Está perdendo o seu tempo se pensa que vou desistir nessa altura do campeonato — ditou furioso, não suportava mais aquela insistência do rapaz com aquele assunto, sempre tão irritante que lhe causava náuseas.


— Nossa que grosso, será que também é assim lá embaixo? — perguntou retoricamente, soltando seu tom divertido para tentar retirar aquela carga pesada de estresse presente em outrem. — Acalme-se, como não consigo te impedir mesmo, vou te acompanhar.


— Ah, você não vai, não! — rebateu de imediato, não deixaria aquele garoto o acompanhar em sua tão sonhada e esperada missão.


— Eu vou sim, se eu não mando em você, você também não manda em mim — disse risonho, carregando sempre aquele mesmo olhar divertido carregado de preocupação.


Ele era apaixonado por Taehyung, tudo no Kim o fazia suspirar, desde a primeira vez em que se esbarraram até os dias de hoje. Ele iria fazer de tudo para proteger Taehyung, nem que para isso fosse necessário entrar na mansão assombrada e enfrentar todos os perigos que houvesse ali.


— Tudo bem, tudo bem, você venceu — Ergueu as mãos em forma de rendimento, mesmo que no fundo fosse totalmente contra a presença de Jeongguk naquele lugar. — Vamos logo antes que o dia amanheça novamente.


— Certo, vamos.


E juntos eles pularam aquelas grades enferrujadas, caminhando pelo bonito jardim e finalmente podendo entrar na mansão pertencente a família Choi.


Ao abrirem a porta, ela fez um rangido um tanto irritante, mostrando-lhes a escuridão que habitava aquele lugar, obrigando-os a ligarem as lanternas e iluminarem o piso e as paredes, iniciando a caçada aos fantasmas.


A mansão Choi era grandiosa, contudo o piso de madeira estava se partindo, as paredes estavam descascadas e a escadaria do centro faltava alguns degraus. A mansão estava caindo aos pedaços, mostrando o porquê de não haver mais moradores ali.


Haviam marcas feitas com adesivos em forma de um corpo humano, representando que uma pessoa havia morrido ali. Era possível ver rastros de sangue por toda parte, além do frio intenso dentro daquele lugar.


— Confesso que estou com medo — disse Jeongguk. Quando Taehyung fitou-lhe, pode observar seus olhos arregalados e a forma como ele andava praticamente grudado a si.


— Por isso eu disse que não era pra entrar, agora que está aqui não tem mais volta — respondeu frio, mas no fundo ele estava preocupado com o garoto, não sabia o porquê, mas ali estava ele cuidando do rapaz em silêncio.


De repente, um som estrondoso fora ouvido por toda a mansão, os móveis começaram a se mover e a caírem no chão, o som das janelas rachando e partindo e milhares de pedacinhos, todos indo em suas direções.


— Se abaixa! — gritou o Kim, protegendo Jeongguk quando se jogaram sobre o chão velho de madeira.


Os corações disparavam rapidamente, o medo e a adrenalina dominando e enviando batimentos fortes para os corações de ambos.


— O que está acontecendo? — perguntou baixo e assustado, com muito medo de que Taehyung tivesse se machucado.


— Acho que os espíritos querem nos matar — disse o óbvio, ainda tentando proteger o rapaz amedrontado em seus braços.


— E-Então eles existem m-mesmo? — questionou temeroso, sentindo sua voz falhar e a sua verdadeira face tornou-se visível para o Kim.


— Sim, eu disse que eles existiam — falou sério, podendo fitar a expressão amedrontada do Jeon e, depois de dois anos, prestigiar novamente aquele mesmo Jeongguk que ele conheceu a anos.


Ficaram assim por alguns segundos até surgirem marcas de garras na parede ao lado, acompanhada de um som agonizante e que machucava seus tímpanos.


— Preciso gravar isso, não posso perder a aposta pro Joonie-hyung — falou como se fosse a coisa mais simples a se fazer, ignorando toda a situação em que estavam metidos.


— Você, sinceramente... — Levantou junto de Taehyung e pegou a câmera que estava dentro da mochila do mais velho, logo colocando no modo de filmagem noturna e gravando toda a cena.


— Como eu disse, hyungs, fantasmas realmente existem e eles agora estão tentando nos expulsar da mansão. — falou baixo, mas suficientemente alto para ser captado pela câmera.


— Você quis dizer nos matar, né? — perguntou irônico enquanto permanecia gravando o Kim e todo o ambiente.


— Calado, Jeon. Continuando... — fechou seus olhos por um instante, regulou sua respiração e voltou a falar para a câmera. — Aqui temos marcas de garras e...


Não pôde prosseguir, pois um enorme som estrondou pela casa, como um rugido, e depois um grito fora ouvido.


— É-É como vocês viram, aqui é mesmo mal assombrado... — disse sem jeito, o medo correndo por suas veias. — G-Ganhei a aposta, hyungs, agora eu preciso sair vivo daqui junto do Jeon, até amanhã, se eu conseguir...


Fez um sinal para Jeongguk desligar e assim ele fez, salvando a gravação e levando um susto com a voz ecoando novamente.


— Precisamos sair daqui ou eu vou acabar mijando nas calças! — o Jeon exclamou um pouco alto, causando risadas em Taehyung.


— Acho que vamos ficar, quero ver essa cena ao vivo — brincou com o medo do rapaz que mostrou-lhe o dedo do meio.


— Eu só não te dou um murro porque te amo demais. — Deixou escapar seus sentimentos numa frase arriscada, entregando-se pelo momento e declarando-se da forma mais estranha de todas.


— Você o quê!? — Seu tom de surpresa acabou saindo alto demais, deixando o que existia ali irritado o suficiente para fazer todo o prédio tremer.


— Seu idiota! Agora que vamos morrer vou ter que dizer com clareza, pelo visto! — exclamava em puro nervosismo, o medo deixando claro que aqueles eram os últimos minutos de sua vida. — Eu gosto de você, encrenqueiro! Desde o dia da queda! Entendeu agora, seu lesado?


— Entendi, seu chato! — De imediato segurou a mão livre do Jeon, pois a outra ainda segurava a câmera. — Não sei o que responder, mas talvez eu também goste de você! — exclamou de volta, pois não era fácil se comunicar com todo aquele barulho de coisas quebrando e a casa tremendo por inteira.


— Não importa! Agora vamos focar em sair daqui, sou muito belo pra morrer tão jovem! — disse com o mesmo sorriso de dois anos atrás, aquele mesmo que havia feito o coração do Kim disparar rapidamente de forma um tanto misteriosa.


— Vamos! — Ainda segurando a mão do outro buscou por uma forma de sair dali, até que achou dois recipientes em forma cilíndrica e o tapete inofensivo na sala. Pensou e pensou até concluir que iria repetir a cena de um filme que não lembrava o nome do momento, pronto para agir.


Mesmo que não entendesse os pensamentos de Taehyung, Jeongguk apenas o acompanhou seguindo em direção aos objetos e levando-os em direção a escada, lá encontrando uma prancha estranhamente esquecida no topo da escada.


— Se escaparmos com vida, você quer sair comigo? — perguntou em tom alto, observando o belo sorriso de dentes protuberantes do outro.


— Quero sim! — afirmou no mesmo tom, logo colocando a prancha em cima dos objetos cilíndricos e por fim o tapete. — Pronto?


Observou pela primeira vez o sorriso quadrado do outro, nervoso e temeroso pelo futuro rumo daquele plano, logo recebendo uma resposta animada.


— Mais do que nunca!


Este fora o sinal para eles se jogarem nos objetos e descerem rapidamente pela escada, sentido a rapidez e a forma como quebraram a porta para escaparem em direção ao jardim.


O tapete havia servido para que eles não se arranhassem na queda, proporcionando vitória naquele plano totalmente louco e alucinante. Correram para as grades, saltando para fora risonhos pela subida que era a volta para a casa do Kim.


Os corações disparados, os sorrisos abertos e o sangue correndo fervente em seus corpos, sendo bombeados com rapidez e eficácia em seus corpos. Naquela noite aqueles dois haviam cumprido com os seus papéis como caçadores de fantasmas, ou ghost hunters para os mais cultos.


Enfrentaram a missão conquistando o objetivo e ganhando a aposta de Namjoon, este que babou com todo o vídeo gravado pelo Kim mais novo, tão desacreditado e surpreso por eles terem escapado com vida daquele lugar mortal.


Em seguida, tudo havia mudado. Jeongguk e Taehyung cumpriram a promessa e começaram a sair juntos, resultando em um namoro engraçado, pois para o Kim, Jeongguk agia de uma forma, para os outros, ele continuava sendo o mesmo, o velho presidente intrometido e cheio de si.


Em toda a vida deles, jamais imaginaram que uma aventura numa mansão mal assombrada na noite antecedente ao Halloween poderia resultar num romance, um tanto estranho e divertido, mas um belo romance.


A ironia de pobres caçadores de fantasmas que quase perderam suas vidas em uma divertida e arriscada aventura, por fim selando tudo da forma mais inesperada de todas.

É, a vida de um ghost hunter não era nada fácil, eles que lutem para escaparem com vida também nas próximas aventuras que ainda estavam por vir, mas dessa vez com muito mais intensidade e repleta do mais belo e admirável terror.


*Notas Finais*


Primeiramente eu gostaria de agradecer a minha linda Biazoides por fazer essa capa magnífica, uma belíssima obra de arte ao qual me apaixonei de imediato, de verdade muito obrigada 💞💜💞💜


Também agradeço a @irealspace e a @korigami do Spirit por terem me ajudado na época com dicas e etc na questão da betagem, além da maravilhosa @easylovx que fez a sinopse. Todas são incríveis 💞💖


Espero que tenham gostado e se divertido um pouco 👻


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💕

23 Août 2020 23:25:43 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
La fin

A propos de l’auteur

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~