4
1.1k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo 1

Notas Iniciais

Na época que eu fiz essa fic, eu era muito obcecada por esse anime :v

Ainda gosto dele. Conheci mt gente legal por causa desse anime. Tenho até uma tatuagem na perna com uma caveira de lobo :v

Espero que gostem <3

Cuidado com os avisos, heim.


___________________________________________________________



Chise observava os olhos brilhantes de Alice enquanto ela falava de Renfred. Alice, assim como Stella, havia se tornado uma de suas melhores amigas conforme os anos passavam e sempre dava um jeito de conversar com elas. Agora, Alice havia convidado ela para lanchar fora porque queria conversar sem correr o risco de alguém ouvir. Chise convenceu Elias de que não ficaria muito tempo fora e que queria passar um tempo sozinha com Alice, fazia tempo que não se viam.

Apertou o braço com a maldição do dragão por baixo da mesa enquanto dava um sorriso para disfarçar o desconforto que surgia em seu braço. Não era exatamente dor, era mais uma pressão.

Disseram alguns anos atrás que ela não tinha muito tempo de vida pelo fato de ser uma Sleigh Beggy e a maldição do dragão, mas 4 anos haviam se passado e Chise ainda vivia. Todos os dias ela pensava que poderia ser último, então tratava cada minuto com a maior importância possível.

— Sinto muito. Estou aqui tagarelando pra você esse tempo todo. — Disse Alice, tomando o último gole de suco de seu copo.

Haviam programado de se encontrar em Londres para comer e conversar. Alice notou o desconfortável de Chise.

— Não tem problema algum. Estou bem.

— Sei que foi pedir muito que você viesse para Londres, dado o seu braço... — Alice esticou um braço na mesa pedindo a mão de Chise para apertar. — Espero que ele não tenha ficado com raiva.

— Ah... — Chise olhou para o alto e observou aquele golem voando ao longe. — Ele não me deixaria sair sozinha mesmo depois de ter certeza que estou bem.

Alice seguiu seu olhar e viu o golem. Um rubor tomou conta de seu rosto e ela apertou a mão de Chise.

— Ele ouviu?

— Não, não. Aquilo não transmite som. Ele apenas quer ter certeza que estou bem. Ele não está por perto, apenas preocupado.

Chise voltou seu olhar para a garota.

— Então, você disse... Amantes? — Chise sorriu agora genuinamente.

— H-hm. — Alice abaixou a cabeça. Ela deu uma pausa, pensando sobre como trazer o assunto sem se envergonhar.

Chise estreitou os olhos, notando o leve rosado abaixo dos olhos da garota.

— Não me diga que...

Alice colocou as duas mãos no rosto confirmando silenciosamente.

— Como assim, Alice? — Chise corou suavemente ao pensar no assunto.

— Bem... doeu. Pelo menos a primeira vez. — Alice abaixou o volume da voz.

— H-hm.

Alice percebeu o desconforto de Chise.

— Vocês nunca...?

Chise espantou-se com a pergunta e seu rosto ficou totalmente vermelho.

— O que? Não! Claro que não! — Chise sentia seu rosto queimar. — A-agente não tem esse tipo de relação.

— Hm... Mas você não é a esposa dele ou algo assim?

— N-não! Isso foi algo que ele disse uma única vez quando me comprou.

— Você tem certeza de que ele não disse isso seriamente? — Alice viu a certeza nos olhos da garota. — Ou que ele tenha passado a levar a sério depois de um tempo?

— O que?

Alice levantou as sobrancelhas para incentivar o pensamento confuso da garota.

— Não, Alice. Ele não... Ele... — Chise abaixou os olhos. Se encolheu com a pontada de dor no braço.

— Acho melhor você ir para casa descansar. — Alice se levantou da mesa. — Venha, eu te levo até a estação.

Chise passou a viagem de volta remoendo o assunto. A ansiedade e a dor a exauriu, estava muito cansada quando chegou em casa antes do anoitecer. Ruth havia ficado em suas sombras o dia todo, assim como Chise havia pedido.

— Você não está pensando sobre isso demais? — Comentou, saindo de suas sombras antes de ela entrar em casa.

— Ruth... será que só dessa vez você poderia deixar meus pensamentos apenas para mim? Por favor. — Pediu, as sobrancelhas curvadas para cima.

— Claro.

Chise entrou na casa e subiu direto para o banho, e do banho para a cama. Sentia seu corpo pesado. Não se perguntou onde Elias estaria, apenas deitou para descansar.

— Ruth, me acorde para o jantar. — Disse quando se virou de lado na cama.

Após algumas horas, Chise sentiu as patas de seu familiar apertarem seu braço.

— ... se... Chise... — A voz dele estava distante. — Chise!

A garota acordou num susto.

— O que foi? Aconteceu alguma coisa?

— Você estava... — Ruth parou e analisou os pensamentos da garota, procurando o sonho que ela teve. — Pensei que tivesse tendo um sonho ruim.

Chise lembrou do sonho que estava tendo.

— Mas aparentemente não. — Ruth comentou, soltou um riso rápido pelo nariz.

Chise corou ao saber que ele havia visto o que estava sonhando.

— Não há nada de errado em sonhar com isso, Chise.

Ela se levantou da cama, ignorando seu familiar.

— Cala a boca. — Disse e saiu do quarto descendo para a cozinha.

Silky estava cozinhando e Chise decidiu ficar e ajudar, tentando não pensar na droga do sonho.

— Chise. — A voz de Elias surgiu na porta da cozinha.

Chise sentiu um arrepio da nuca aos pés.

— Como foi com Alice? — Andou e se sentou na mesa, esperando o jantar que já estava pronto.

— Divertido. — Disse baixo.

— Hm. — Claro que ele sabia que ela estava escondendo algo.

Chise levou os pratos para a mesa, servindo-se e em seguida servindo Elias. Ao passar para seu lado para colocar o prato na sua frente, ela sentiu os pelos de seu braço arrepiado. Olhou rapidamente para Elias, e notou que ele havia percebido. Corou levemente e tratou de voltar ao seu lugar.

— Ruth! — Chamou da cozinha, e seu familiar logo estava ao seu lado.

Como Chise havia pedido, ele não esboçou nada sobre o que ela havia sonhada. Apenas fingiu que não havia acontecido nada.



Stella havia ido visitar Chise de surpresa algumas semanas depois. Estavam no quarto de Chise, comendo um lanche que Stella havia trazido de casa.

— Chiseee. — Stella cantarolou. — Olhe.

Estendeu a mão direita, mostrando uma pequena aliança prateada.

— Sabe o que é isso? — Stella continuou animada.

— Um... anel? — Disse, hesitante.

— Sim. Sabe o que significa?

Chise estreitou os olhos, pensando nas possibilidades de respostas.

— Eu... Tenho um namorado!

Chise ficou com a boca aberta alguns segundos. Ela não era muito nova para isso? Se bem que...

— Sério?

— Mhmm. É recente sabe. Mas eu quis vir até aqui para contar para você, já que é minha melhor amiga. — Stella sorria radiante com a felicidade.

— Uau, muito obrigada por contar comigo para essas coisas.

Stella sorria ainda quando seu rosto tomou uma cor mais rosada.

— E-e também como você é minha única amiga mais velha, eu queria te pedir algumas dicas. — Chise tombou a cabeça de lado. — Bem, é que ele é meu primeiro namorado. Então eu não sei muito bem como me comportar perto dele. E também... sei que tenho 14 anos e não deveria estar pensando nisso, mas eu não posso evitar. Então se alguma acontecer, eu quero ter as suas dicas.

— As minhas... dicas?

— Bem... é. — Os olhos de Stella brilharam. — Me diz... como foi sua primeira vez.

Chise corou rapidamente. Apertou as mãos no copo com a bebida quente que tomava. O silêncio se estendeu no quarto.

Esse assunto de novo, deuses! Eu já havia esquecido a outra vez!

— Ai meu deus, Chise! — Stella entendeu a vergonha dela, e corou junto. — Você é virgem ainda?

Ela nada disse.

— Pensei que você e ele... bem...

— Não! Deuses, Stella. Não!

Chise respirou fundo.

— Porque todo mundo pensa isso?—Chise comentou em voz alta.

— Hm... vocês vivem juntos, tem uma relação que aos olhos de qualquer pessoa que olhe de fora parece romântica. Você olha diferente pra ele...E... todo mundo que pergunto me fala que vocês são casados.

— Não é bem assim, Stella. — Chise abaixou a cabeça.

— Hm. — Stella pausou. A inocência da sua idade não impedia de saber que esse era um assunto complicado e que estava incomodando Chise. — Você já quis que fosse assim?

— O q- Não! Eu não... — Ela parou, corando ao se lembrar do sonho. E lembrar que o teve mais de uma vez.

— Ahá! Já pensou nisso sim! — Stella ria do embaraço de Chise.

— Pode por favor mudar de assunto? — Chise escondeu o rosto na franja.

Stella brincou mais algumas vezes com o assunto, se divertindo com as respostas da garota. Se sentia bem ao conversar com ela sobre o assunto, já Chise queria que todo mundo parasse de pensar sobre a relação dela com o Elias.



Chise não sabia que Elias havia escutando sua conversa com Stella. Não foi por querer, a audição dele era apenas muito boa. Ele entendia o assunto das duas, mas não o incomodava em nada pensar sobre. Ou saber que Chise pensava sobre.

Viu a garota deitada no sofá, ela dormia – costumava dormir a tarde para descansar. Elias a observava da poltrona, havia ficado curioso depois de ouvir a conversa e pensou que Chise faria algo a respeito ou pelo menos comentaria com ele, mas isso não aconteceu.

Chise mordia a boca, mesmo dormindo seus dedos dos pés se apertavam e soltavam, suas pernas se juntavam e apertavam. Soltou um gemido baixo e se virou no sofá.

Elias...

Ele escutou seu nome no meio do gemido baixinho.

— Hm. — Elias se levantou e deixou a sala, deixando a garota na privacidade de seu sonho.



Chise acordou com o calor da tarde, era verão afinal. Suas costas estavam suadas e o cabelo molhado na raiz. Se sentou no sofá pensando em tomar um banho pra passar o calor. Estava tentando ignorar o sonho que sabia que havia tido, e um banho frio ajudaria.

Preparou um banho frio, comum pouco de água quente para deixar apenas refrescante. Afundou a cabeça até as orelhas para tentar parar a queimação em seu rosto. Fechou os olhos e começou a respirar e fazer pequenas bolhas com a boca.

Estava mais calma quando sentiu a presença de alguém ao seu lado. Abriu os olhos, assustada, não havia escutado ninguém entrar.

— Elias? — O olhou enquanto escondia o corpo com os braços. — O que está fazendo aqui? — Sentiu seu coração acelerar enquanto seu sonho passava na sua cabeça. Engoliu em seco enquanto seu corpo arrepiava com a memória. Sentiu sua intimidade se aquecer e fechou as pernas com força.

Elias estava sem o sobretudo, as mangas da camisa dobradas para cima até os cotovelos e suas mãos estavam sem luvas.

Chise o observava sem conseguir falar. Ele se aproximou e ajoelhou ao lado da banheira. Chise arrepiou quando as mãos dele tocaram seus ombros, e a lateral do rosto dele fez carinho em seu cabelo. Elias desceu as mãos até a cintura dela e puxou a garota para cima, a deixando ajoelhada na banheira.

As mãos dele alisaram o corpo de Chise até alcançar suas pernas. A garota segurou as mãos dele, impedindo que continuasse.

Elias não se mexeu.

Chise sentia o que ele queria fazer, não sabia explicar como sabia, mas sabia. Não conseguia pensar direito, sua mente estava fixa no que estava acontecendo no momento. Sua mente estava em branco enquanto seus olhos eram encarados pelo brilho vermelho de Elias.

Ele estava esperando-a decidir.

Chise queria, estava tentando falar para si mesma que não, mas já era muito tarde. Hesitante e sem saber como reagir direito, soltou as mãos de Elias. Sentiu os dedos dele chegarem em sua intimidade. Seu corpo deu um pulo no lugar e suas mãos passaram para a roupa dele. Curvou as costas até encostar a testa no ombro de Elias e escondeu rosto.

Tentava esconder seus gemidos.

Sentiu ele introduzir um dos dedos em seu interior e abafou sua voz no ombro dele. Reclamou de dor quando ele tentou colocar o segundo, e ele voltou apenas a estimula-la. Cravou as unhas em sua pele e mordeu a camisa dele quando chegou ao ápice. Deixou seu rosto escondido enquanto ele estava parado, o rubor de seu rosto se acumulando com o silêncio. Elias tirou as mãos dela e se levantou. Saiu sem dizer nada.

Chise se encolheu na banheira, sem saber no que pensar.


2 Juin 2020 01:42:57 2 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
Lire le chapitre suivant Capítulo 2

Commentez quelque chose

Publier!
Stefany V. Stefany V.
Naquela cena do sofá, eu fiquei pensando: " Nossa, Elias, nem pra ajudar" HAHAHAHAHAAH Mas não é que ele veio dar uma mãozinha mesmo? HAHAHAAHAHAHA Ai droga. Eu gostei bastante do primeiro capítulo e, sinceramente, já estava pensando em algo assim há tempos! HUHUHUHU ah sim! Menção honrosa à Alice e Renfred, meu shippe, aaaaaaaaaaaaa ❤ pelos meus cálculos, Chise teria 19 anos nessa história, certo?
June 12, 2020, 19:34

  • Kalastrias Kalastrias
    Isso mesmo, de 19 pra 20 anos. :v Se nada acontecer com a Alice e o Renfred no mangá eu vou surtar ansdkjanskdnsakjdnakjsndkjasndkjad Que bom que gostou <3 <3 June 12, 2020, 22:24
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 6 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!