pcyooda Park Yooda

baeksoo | cliché | comédia romântica Kyungsoo tinha um podcast para casais. Seu objetivo era receber cartas de reconciliação ou declarações de amor de pessoas que não tinham como entregá-las para o amor de suas vidas. E aí ele leria todas elas ali, no "Cartas pra você". Um dia enquanto estava descendo os emails na caixa de entrada, se deparou com uma mensagem um pouco diferente: era destinada a si. Alguém agora se declarava para ele e o rapaz não fazia ideia de onde havia vindo aquilo.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#soobaek #baekdo #cliche #netflix #podcast #baeksoo #exo
1
1.2k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 15 jours
temps de lecture
AA Partager

Episódio #0

"Hm... está sintonizando? Será?" Pausa. "Ah, agora assim... no três então." Pausa.

"1

2

3."

Pausa.

"Olá a todos. Eu sou Do Kyungsoo e esse... esse é o primeiro episódio do programa Cartas pra Você. É, bem... se você está ouvindo isso aqui, provavelmente me conhece do blog do tumblr. Talvez... possa ter me encontrado agora e não faz a mínima ideia do que esse podcast se trata. Então... vou tentar dar uma explicada, mesmo que eu seja completamente ruim com a arte das expressões. É. Isso aqui vai ser uma experiência em tanto, peço a paciência de todos vocês..." Pausa. "Hum... o podcast... vai ser focado no que já faço no blog, mas de uma maneira mais aprofundada. Não vou só responder suas cartas, mas vou lê-las também. Em anonimato, como sempre, mas ainda assim serão divulgadas. Além disso, estou pensando em responder ou fazer uma reflexão pelos temas de cada carta. Não sei direito como vou levar isso, mas, basicamente, vou começar com a experiência agora e espero que você possa me acompanhar nessa. Bem, devemos começar?" Pausa.

"Essa carta foi um pouco pessoal, então eu peço que se alguém for interagir nos comentários, tenha delicadeza com o assunto. Na verdade, é uma coisa que vou pedir daqui pra frente: sejam delicados. Nem todos têm a mesma vivência que a sua e certos comentários podem acabar com o dia de alguém, por mais superficial que seja. Então tomem cuidado com isso." Pigarro. "Bom... aqui vai a carta." Pausa. Música calma de fundo. "Olá. Eu sou o AM. Acompanho o seu blog já faz um tempo, mas só agora consegui sentar e escrever pra você de verdade. É um pouco ridículo, mas eu sou assim. Ridículo também." Pausa. "Não diga isso sobre você mesmo, AM. Auto depreciamento costuma ser um caminho sem volta. Eu realmente preciso que você pare de pensar dessa maneira. Mesmo." Pausa. Suspiro. "Eu escrevo pra você, mais como um desabafo de todo o caos que está a minha vida, do que como uma carta de amor mesmo. Então eu entendo se você não quiser me responder. Eu não ficaria magoado. Mas... sinto que aqui, consigo me expressar melhor do que até mesmo conversando com os meus próprios amigos. Então... será que posso começar?" Pausa. "Eu tenho 19 anos. Sou barista em um café do centro da minha cidade desde os meus 15 anos. E estou preso aqui desde então. Eu costumava ter um sonho de que esse trabalho seria temporário, até eu tirar carta ou conseguir uma grana para me mudar depois do médio, mas acabei ficando trancado. Sem ter pra onde ir mesmo. E então, desde sempre, eu me sinto completamente vazio. É como se eu olhasse para mim mesmo e não visse nada ali. Não consigo me enxergar mais. Já sentiu isso, Do Kyungsoo?" Pausa.

"Já. Foi logo quando me descobri gay, com meus 12 ou 13 anos. Mas isso eu... falarei pra você um pouco mais pra frente." Pausa.

"Se você já se sentiu assim, deve saber como é ruim. É ruim porque eu continuo dando de cara em uma parede dentro de mim mesmo. E isso dói. Dói porque eu não consigo evitar. Eu continuo me achando insuficiente para tudo o que eu possa viver ou querer conquistar, como um emprego dos sonhos; uma pessoa por quem eu possa me apaixonar; ou até mesmo pensar que meus amigos no fundo sabem que eu sou uma farsa. Isso me consome por inteiro. Todos os dias. Todos os dias eu sinto que vou acabar como o último homem vivo no mundo, em meio às ruínas do Apocalipse. Completamente sozinho." Pausa. "Isso me assombra. Por mais que eu seja acostumado com a solidão, eu não quero viver sozinho. Eu não quero viver com pessoas que me odeiam, também. Então eu simplesmente estou pensando em coisas que não deveria pensar, e agora, pensando se você também não vai me achar patético por ter feito você perder seu tempo comigo." Pausa.

"Eu nunca te acharia patético. Seus sentimentos são válidos. Lembre-se disso, AM." Pausa.

"Eu peço desculpas se for o caso. Também sei que você não tem a solução para os meus problemas, porque isso é tudo culpa minha. Mas eu só... precisava desabafar com você. E, claro, desejo que você possa continuar com esse projeto que deve ter mudado a vida de muitas pessoas. Obrigado por isso. E, se chegar a ler essa carta, obrigado novamente." Pausa.

"Bem, AM., eu... realmente sinto muito que você se sinta assim. Você me perguntou se eu entendia e... sim, entendo. Como eu disse, a minha fase de descoberta não foi nada fácil. Eu não me entendia antes de assumir pra mim mesmo isso. Sempre me senti como uma farsa para todas as pessoas que me conhecem. Mas dentro de mim... eu tentava me procurar também. Não vou te consolar e dizer que isso passa, porque pode ser que não passe. Até que você se descubra, esse sentimento pode ser recorrente e você pode ter complicações por causa disso. Antes, eu chorava todas as noites. Chorava porque eu não queria perder a minha família. Eu não queria ter que viver com o preconceito, com o medo de morrer ou com o medo de nunca encontrar um amor de verdade. Mas eu resolvi enfrentar isso quando se tornou um fardo muito grande pra mim. Porém, logo depois, eu tive ajuda. Pessoas que sabem o que faz, especialistas em me ajudar. Também tive apoio de alguns amigos próximos, e muita sorte da minha família me aceitar. Muita sorte." Pausa. "Pra você, eu sugiro que você respire, AM. Respire pela primeira vez na sua vida. Vá a um parque sozinho, corre com tudo o que tiver dentro de si, e depois deita sob a grama. Aí você vai sentir. A sensação é o presente pra você hoje. Diga-me depois se mudou alguma coisa pra você. Ficarei esperando." Pausa. "Para todos que se sintam dessa maneira, por favor, não façam nada de impulsivo. Eu realmente entendo o quão difícil é conviver consigo mesmo. Eu já estive aí. Mas procurar uma ajuda, uma mão a quem se segurar, é a melhor opção que temos. Não é fácil. Mas é necessário. Pense como um remédio para o seu coração machucado: vai precisar de apoio, cuidado, curativos e alguns pontos para não se rasgar. Assim como você também. Cuide de você, porque você é a pessoa mais importante da sua vida. Eu aprendi isso agora. E espero que você também possa aprender."

Pausa.

"De qualquer forma, esse foi o primeiro programa. Eu espero que sejam todos proveitosos como esse aqui foi, e espero que vocês tenham gostado também. Vou manter a frequência pra um dia por semana. E, claro, continuar respondendo os posts no blog. Você pode me escrever no Cartas pra Você ponto tumblr ponto com. Eu sempre respondo as cartas nos fins de semana, então aguardarei por você lá." Pausa. "Obrigado por me ouvir. E obrigado por me deixar te ouvir também. Aqui foi Do Kyungsoo, e... até a próxima." Pausa.

Música off.

29 Mai 2020 23:51:04 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
Lire le chapitre suivant Episódio #1 - Love is a Laserquest

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 3 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!