Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for chance to win prizes!. En savoir plus.
kanaeyy kanaey

Mais uma vez lá estava Sasuke a caminho da festa de aniversário do seu melhor amigo, enfrentando o seu pior inimigo no trajeto. Ele se sentia como um super herói lutando contra seu arqui-inimigo e no fim, tinha direito ao seu final feliz.


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#festa #Sasuke-e-Naruto-crianças #kurama
Histoire courte
1
2.3k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

The enemy is peeking

Sasuke Uchiha empurrou o pequeno portão de ferro lentamente, evitando assim o mínimo som de ranger que pudesse denunciar sua chegada. Um suspiro quase escapou de seus lábios ao conseguir fechar o portão sem ruídos, quase, pois se lembrou que até a entrada ainda havia o jardim. Mesmo que esse fosse pequeno, os riscos de cometer algum erro estavam presentes.

Contou até três mentalmente e se pôs a andar devagar pela trilha de pedrinhas e a passos curtos, medindo e calculando onde pisava. Cautela nunca era demais naqueles momentos. Podia sentir o suor escorrer por sua testa e pescoço, o sol forte do meio-dia castigando sua pele, as mãos apertando com força a caixa embrulhada com um lindo papel de presente. Se conseguisse chegar até a varanda e entrar na casa em segurança, todo aquele martírio valeria a pena.

Um descuido, um passo em falso e se desequilibrou. O corpo pendeu para frente, depois para trás. Ficou assim por um tempo, lutando contra a gravidade para se manter em pé e, como nos video games que adorava jogar, viu diante de seus olhos a palavra FAILED em vermelho. As costas dele bateram no chão junto as pedras e não conseguiu segurar o grito de dor que escapou dentre os lábios.

Um latido alto e estridente foi o suficiente para que desatasse em xingamentos a si próprio e, na melhor velocidade que conseguiu, ignorando as dores pelo corpo, se levantou e começou a correr até a varanda. Tudo ao redor dele parecia acontecer em câmera lenta e os latidos ensurdecedores de um cão eram a trilha sonora.

O garoto estava quase lá. Já podia sentir o cheiro de biscoitos assados e chocolate quente, quando se deu conta de que faltava algo: a caixa, o presente que lhe custou horas para decidir. Foi naquele instante que se sentiu como naqueles filmes em que o protagonista tem que fazer uma escolha crucial, as de Sasuke eram: alcançar a varanda e entrar na casa, explicando depois o ocorrido ao aniversáriante, ou dar meia volta e recuperar o presente, mesmo que isso lhe custe caro.
E como toda criança de 10 anos, a escolha para ele não foi muito difícil. Assim que entrasse na casa naquele estado e contasse o que aconteceu — o porquê estar sem um presente —, seria zoado a vida toda, os amigos não perdoavam. Por isso, escolheu a segunda opção.

Girou as pernas e deu meia volta, vendo a caixa que carregava jogada sobre a grama e, de canto de olho, viu também ele se aproximando. O objetivo dos dois agora era o mesmo.
Porém, ele se considerava mais esperto do que o outro. Por isso, vendo que perderia a corrida, se jogou com tudo sobre o chão e ao rolar sobre a grama, agarrou a caixa e abraçou como se aquilo dependesse de sua vida.

E foi aí, jogado no chão e derrotado, que seu inimigo o atacou. Primeiro foi o focinho molhado, o cheirando o rosto, depois a língua quente e molhada em seus cabelos, seguido de patas curiosas que o cutucavam. O animal começou a correr ao redor dele, latindo feito louco e puxando sua blusa como em um convite para brincar. Sasuke não queria brincar, não mesmo.

— CACHORRO DOS INFERNOS! AHAHAHAHAHA PARA, ME SOLTA! — Desatou a gritar e em uma tentativa de soltar sua blusa da boca do animal, acabou perdendo boa parte do tecido. — KURAMA, EU TE ODEIO! TE ODEIO!

Diante da raiva e euforia, o cachorro apenas balançava o rabo peludo e latia animado, achando tudo aquilo uma brincadeira divertida. Tentava a todo custo tomar a caixa que o menino segurava, pensando que aquele era o objetivo da brincadeira.

Demorou um tempinho, mas logo vieram em seu socorro, e para a sorte de Sasuke não era nenhum daqueles garotos chatos. Estava de olhos fechados, mas pela voz conseguiu identificar as pessoas que estavam ao seu redor.

— Cachorro mal, muito mal! — Kushina dizia. — Filho, me traz a coleira e a corrente, rápido!

Escutou passos apressados e logo uma mão pousou sobre seu ombro.

— Tudo bem, Sasuke? — Naruto perguntou. — A mamãe já prendeu o Kurama, tá' tudo bem agora.

Ao ouvir aquelas palavras, abriu os olhos e se pôs de pé. Em uma olhada para trás pôde ver a mulher ruiva, Kushina, prendendo o cachorro.

— Tudo bem?! Aquele seu bicho quase me matou, Naruto. Tu' prometeu que deixaria ele preso hoje!

— Foi mal. — Seu amigo fez a melhor carinha de arrependimento. — Todos se dão super bem com meu cachorro e tal, que acabei me esquecendo que você não. A minha festa de aniversário me deixou tão ocupado que esqueci de amarrar Kurama.

— Pois é. — Disse um pouco seco e estendeu a caixa que tanto lhe custou proteger. — Feliz aniversário, Naru.

Suas bochechas ficaram extremamente rubras quando Naruto o abraçou rapidamente, sorrindo aberto e pegando o embrulho de suas mãos. O coração de Sasuke palpitava dentro do peito e ele sentia o rosto arder, um sentimento de que tudo valeu à pena o tomou.

Enfrentaria todos os cães que existem somente para ver seu melhor amigo tão feliz, pensou.

— Da próxima vez, querido, é só me chamar do portão que eu prendo Kurama, viu? Olha só o estado em que você está. — Kushina disse enquanto balançava a cabeça em estado de negação. — Vamos entrar e você aproveita para tomar um banho e vestir uma roupa do meu filho, já que as suas não estão muito boas.

Sasuke nem ao menos prestou atenção no que a mulher havia dito, apenas se deixou ser tomado pela mão quentinha dela e levado para dentro da casa. Nesse trajeto, seus olhos não se desgrudaram dos de Naruto um segundo sequer e um sorriso não deixou seu rosto também.

Estava muito feliz e satisfeito, pois poderia contar mais tarde a todos na festa o quanto foi corajoso naquela manhã e deixar bem claro o porque de ser o best friend de Naruto — como as garotas gostavam de dizer.

31 Mai 2020 15:47:05 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

kanaey ⠀⠀⠀⠀⠀⠀𝙋𝙇𝙐𝙎 𝙐𝙇𝙏𝙍𝘼! -'ღ'- ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Plus d'histoires

Promiscuous Promiscuous
Lunaria River Lunaria River