estrelarubi Estrela Rubi

“O que será de mim agora sem família e amigos? O que será de mim preso num campo de concentração repleto de soldados cruéis? E quem é aquele Tenente-Coronel nazi que me olha de uma forma tão penetrante?” Esta é a história arrepiante de Rick, um judeu de 16 anos, que se vê subjugado por dois homens de lados completamente opostos: Um Capitão da Resistência Polaca e um Tenente-Coronel Nazi. O cenário é o pior possível: um dos momentos mais marcantes e terríveis da História da Humanidade – A Segunda Grande Guerra. Embarque nesta narrativa intensa e inquietante, que entrelaça romance, ficção e fatos reais, numa obra capaz de manipular suas emoções ao ponto de não saber mais o que é certo num mundo completamente errado.


LGBT+ Sólo para mayores de 18.

#romance #terror #yaoi #mistério #sexo #erótico #histórico #lemon #estupro #violência #pwp #ação #humor-negro #segunda-guerra
14
4.0mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prôlogo

Quando Adolf Hitler ascendeu ao poder na Alemanha, ninguém pensou que tal fato mudaria o mundo.

Mudou. Seu nome viveu e é relembrado até hoje. Suas marcas deixadas na Terra custaram 55 milhões de vidas e uma Europa por reconstruir.

A hora das trevas havia chegado.

Enquanto a Europa se encontrava sob o peso dos atos da força provocada por Hitler que tinham levado à anexação da Áustria, ao desmembramento da Checo-Eslováquia e à conquista da Albânia, no 1º de Setembro de 1939, as tropas alemãs invadiram a Polônia pelo Ocidente e a 17 do referido mês, o Exército Vermelho (URSS) fez o mesmo pelo Oriente.

Milhares de aviões alemães rugiram ininterruptamente nos céus. A terra tremeu sob o avançar dos tanques. Raides aéreos se cruzaram no ar. A negridão da noite foi preenchida com os seus zunidos. Caíram bombas por todo o lado. O céu tornou-se vermelho devido às dezenas de fogos distantes e, durante todo o dia, uma tela cinzenta de fumo pairou por todo o horizonte.

A artilharia entrou em ação. O matraquear das metralhadoras e das espingardas. Uma torrente de tiros. Relâmpagos demorados iluminaram a Polônia. Silvos de projéteis, a princípio num tom agudo, depois a zumbirem como o vento. O latido das minas. Fumo branco, laranja, vermelho e por fim, negro. Gritos. Predominaram as ruínas, os maus cheiros, a fome, a dor e a morte.

O povo polaco se dispôs a responder à dupla invasão armada, afrontando a guerra em defesa da pátria ameaçada de morte por duas grandes potências. Mas, apesar de todos os esforços sobre-humanos do povo guerreiro e vitimado, a Polônia rendeu-se 27 dias depois.

O país fragmentado foi dividido entre os países vencedores: Alemanha e Rússia. A Polônia tornou-se então numa colônia dos dois países vizinhos, mas o povo sofreu mais nas mãos dos alemães, nas garras dos terríveis nazis.

Os seus direitos não foram respeitados, os preconceitos não foram superados e a dignidade fundamental do ser humano foi brutalmente esquecida. Mas de todas estas ações anti-humanas, houve uma que constituiu para sempre a vergonha da humanidade: a barbárie planificada que se escarniou contra o povo judeu.

Inúmeras proibições foram levadas a cabo após serem marcados com tiras de tecido amarelo com a Estrela de David num dos braços. Os seus estabelecimentos passaram a ser pichados com a Estrela de David nas portas e nas vitrines. As sinagogas foram incendiadas e todos os judeus tornaram-se cidadãos de segunda classe com os seus direitos políticos revogados e as suas liberdades arruinadas.

Em poucos meses, os judeus foram deportados para guetos – cidades cercadas por muros e isoladas do resto da população polaca – como se fossem portadores de uma doença mortal. Nesses guetos, os judeus não viveram, apenas sobreviveram diariamente com miséria, abandono, fome, escravidão e morte. Trabalhavam mais de catorze horas por dia só para receberem uma parca ração que não chegava para vencerem aos rigorosos invernos da Polônia. Mas apesar de todas estas condições, os guetos foram uma bênção de luxo comparada aos campos de concentração – a última morada de uma vida inocente!

11 de Marzo de 2020 a las 22:04 2 Reporte Insertar Seguir historia
4
Leer el siguiente capítulo Capítulo 1

Comenta algo

Publica!
Jean Carlos Martinez Jean Carlos Martinez
Buen prólogo
May 20, 2020, 20:13

  • Estrela Rubi Estrela Rubi
    Muchas gracias, amigo. Eres valiente por leer esta historia en portugués, además, esta historia contiene mucha violencia, tanto física como psicológica. Espero que estés mentalmente preparado para esto. Gracias. Besitos de Rubi. May 21, 2020, 13:47
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 7 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión