Cuento corto
0
2.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Amarras

GATILHO: INSEGURANÇA PATOLÓGICA, TENDÊNCIA SUICIDA

As amarras que me colocaram foram consentidas

As amarras que estão dentro de mim não foram consentidas

As algemas que me colocaram foram consentidas

As algemas que estão dentro de mim não foram consentidas

As tornozeleiras que me colocaram foram consentidas

As tornozeleiras que estão dentro de mim não foram consentidas

A mordaça que me colocou foi consentida

A mordaça que está dentro de mim não foi consentida

A venda que me colocou foi consentida

A venda que está dentro de mim não foi consentida

Ele me prende na cama

Ela me prende consigo

Ele me morde e me excita

Ela me morde e me deixa mal

Ele me chupa no pescoço e me excita

Ela me chupa no pescoço e me deixa mal

Ele me dá tapas e me excita

Ela me dá tapas e me deixa mal

Ele me arranha e me excita

Ela me arranha e me deixa mal

Ele sabe o que me excita e me provoca

Ela sabe o que me machuca e usa mais pelo seu prazer

Ele me causa um orgasmo

Ela me mata por dentro

Ele me ama

Ela me odeia

Ele é meu namorado

Ela é a minha insegurança misturada com a minha tendência suicida

29 de Febrero de 2020 a las 21:01 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Más historias

Mis Poesías, Mi Vida Mis Poesías, Mi Vida
Si al pasar Si al pasar
Todo Amor No Es El Mismo Todo Amor No Es El M...