No Ritmo Seguir historia

lara_mt3y5 Lara Almeida

Uma história sobre pessoas e paixões, aprendendo a viver com elas e compreende-las, amor, sentimentos e emoções novos, o que torna tudo mais interessante.


Drama No para niños menores de 13. © Lara Almeida

#banda #musica #romance #amor #paixão
0
508 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Wastell: formação

Voltou a chover de novo. Pelo menos isso. Enquanto o tempo estiver ruim não preciso sair, uma desculpa para eu me afastar de tudo por um tempo e ficar somente com minhas músicas. Não sei quem colocou essa lei que garotas de 16 anos precisam estar fora de casa todo final de semana se não você já está com uma febre. Pior que isso, minhas amigas ignoram o fato de eu falar que quero ficar em casa que não passa se quer cinco minutos já me ligam falando que horas é para eu estar no local.

A não ser quando elas me chamam para tocar, ai já é outra história. A um tempo eu e 3 meninas - que inclusive são as melhores que eu poderia ter - começamos a tocar e cantar juntas, uma espécie de brincadeira, mas depois de um tempo, começamos a querer levar isso para frente. E agora estamos aqui, compondo e tocando músicas em bares e até restaurantes as vezes. Faço o melhor para conseguir me sair bem no colégio e ir para os shows, se bem que não é complicado atualmente, não tenho muitos, e nem saio muito tarde mas as vezes chego na sala parecendo um zumbi, de qualquer forma.

Nossa banda se chama Wastell - traduzindo, significa desperdício - porque decidimos que desperdiçamos talento esse tempo todo. Somos confiantes com nossa banda e acreditamos que um dia chegaremos longe com isso, mas claro que cada uma de nós temos nosso plano B.





Mais um dia normal e entediante, não é dia de ensaio, que geralmente é a melhor parte dos meus dias, as meninas vão estar ocupadas, ou saindo com seus "namorados" (são diferentes a cada dia, o que não entendo, parecem roupas), ou fazendo trabalho de física, que inclusive eu deveria fazer, mas tenho essa mania de deixar tudo para última hora, parece mais emocionante, e eu amo uma emoção.

Começo o dia indo ao colégio, passo pelas duas primeiras aulas, sem prestar atenção em nada do que a professora de química estava falando, sinto que vou me arrepender, mas não me importo, queria que chegasse o horário da robótica logo, que provavelmente seria a melhor coisa possível do dia. Torço para o tempo passar rápido, como se adiantasse, e a primeira coisa que acontece quando faço isso é a Tifany chegar na minha carteira com a famosa cara de cachorro sem dono.

- Oi flor, queria te pedir um favorzinho - com uma voz irritante e estridente, parecia que a qualquer momento minha cabeça iria explodir - você poderia arranjar um convide para a festa que você vai tocar? ai quem sabe posso dar uma ajudinha com aquele trabalho de física que eu sei que você tem dificuldade né amiga? Ah vai! o que custa?

- Oi Tifany, eu até poderia ajudar, se eu soubesse do que tá falando, que festa? - eu realmente não estava sabendo de nada, as meninas não me comunicaram nada no nosso grupo. - quem te falou isso?

- Kaka sua boba - por algum motivo ela tem essa mania de me chamar de Kaka, meu nome é Kate - a festa de 18 anos do Marcos amigo do Gustav sabe? Ele me contou hoje mais cedo que sua banda iria tocar lá. Como se chama mesmo? Wasmel? Wassel?

- É Wastell, e já que é o amigo do Gustav, por que não pede para ele?

- É que esses dias ele não quis me dar uma carona, tive que ir de ônibus você acredita flor? Falei para ele que estava chateada, não tô a fim de pedir nada para ele não, vai me achar interesseira. - e não é? ai que falsa eu estava ficando com raiva pra valer.

- Desculpe, acabei de lembrar que preciso ir á Carmen, é urgente, tenho que resolver antes que a Rafa se lembre e perceba que não falei - quase sempre que preciso de alguma desculpa para sair de sala eu falo da Carmen, ela segura minha barra - Com licença... - antes mesmo dela responder estendo a mão e saio de sala, cansada de ficar naquela conversa.

Quando saio resolvo ir para biblioteca ler, fazia um tempo que não lia - sempre fico no intervalo na sala, compondo ou lendo e ultimamente estava apenas escrevendo letras -resolvo ler "Quando não há palavras", um livro muito bom que queria lê-lo faz um tempo.

No caminho, encontro Gustav e lembro do que Tifany tinha falado, resolvo pergunta-lo:

- Oi cabeçudo - dou um tapinha na sua testa, como sempre faço - me fala que história é essa de show em festa? Por que não me falou nada antes? Cara, achei uma palhaçada!

- Oi Kate, já chegou em você? Droga, era minha desculpa pra ficar na sala contigo! - ele parece meio constrangido, mas não entendo exatamente porque - Marcos queria algo legal pra tocar na festa dele, mas ele não DJ, recomendei você e ele quis na hora. Vai ser dia 16, vocês tem uma semana para ensaiar, tem problema?

- Você é demais - eu falo abraçando ele, fiquei feliz com algo diferente - uma festa? Até que enfim algo diferente... E não tem problema, uma semana tá ótimo.

- Perfeito então tá combinado - ele fala bagunçando meu cabelo - Ah! já ia esquecendo vão ser mais de 300 pessoas ok? Mas sei que vão se sair ótimas. Preciso ir agora, se não o professor de Álgebra tira os meus pontos que eu já não tenho... Tchau KitKat!





Quando soube da notícia que iriamos tocar para mais de 300 pessoas eu primeiro pulei de alegria, depois de medo. Nunca havíamos tocado para tantas pessoas, imediatamente mandei uma mensagem para o nosso grupo:

Wastell - participantes: Kat, Rafa, Moly e Z

- Vocês não vão acreditar!!!!!!!!

Z- Ai tem coisa, o que foi agora?


- Temos um show!!! Em uma FESTA, com mais de t r e z e n t a s pessoas, dá pra acreditar???

Moly- O que??? quando?

Rafa- É na festa do Marcos, dia 16, Gustav falou pra a Kate e eu ouvi tudo, aliás desculpa ai!

Eu estava entusiasmada com esse show, resolvi não chegar atrasada na robótica como sempre faço. Faltava 15 minutos para aula, o horário que Rafa geralmente chega que eu saiba, mesmo que nunca estive pra ver. Resolvo mesmo ir, e chegando lá primeiramente não vejo nada fora do normal. Começo a procurar a mesa com minha coisas, quando percebo alguém na sala, um garoto. Ele estava de costas e havia cabelo preto no rumo dos ombros, nunca tinha o visto por aqui, porém pode ser da turma de mais tarde e veio adianta algo. Resolvo falar com ele, quando de repente, Rafa chega, pulando em mim, seu cabelo Black Power arco-íris é lindo, mas quando tá no meu rosto eu não enxergo e fico sem ar, o que não é legal. Por conta do escândalo dela quando me volto para a mesa do garoto ele não estava mais lá, e não consegui ver se quer seu rosto para encontra-lo depois.

Decido seguir com a aula, mas por algum motivo aquele garoto ficou na minha cabeça e aquilo já estava me enchendo. Após a aula era o intervalo, então decido sair da rotina e procura-lo no pátio apenas pelo cabelo. Fico por volta de cinco minutos procurando e não acho, fazendo assim eu acabar desistindo e voltando pra sala escutando música. No caminho algumas pessoas esbarram mim que não me interessam, primeiro foi Tifany - que ignoro completamente - depois Gina, melhor amiga de Tifany, na terceira vez decido nem levantar acabeça.

23 de Enero de 2020 a las 01:33 0 Reporte Insertar 0
Continuará… Nuevo capítulo Cada 10 días.

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~