One Hand For A Smile Seguir historia

s2catys2 Bunny 🎄

Pequenas coisa conseguem fazer grandes estragos, e com o passar do tempo o nosso coração fica tão magoado que só pensamos em desistir de tudo... As vezes só precisávamos de ter alguém lá, alguém que nos mostre que tudo vai ficar bem e que não estamos sozinhos... "Uma mão por um sorriso".


Ficción adolescente No para niños menores de 13.

#torrez #luna #styles #harry #luta #força #escolar #traicoes #sofrimento #bullying #pato-feio #drama
0
546 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los lunes
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

“Olha aquela gaja feia!”

“É mesmo gorda! Hipopótamo”

“Ninguém gosta de ti”

“O teu pai morreu só de ver-te”

“Podes parar de respirar? É que estas a chatear-me”

Que dor ouvir isto! Sair de casa contente a pensar “Hoje o dia vai correr bem”, depois chegar a escola e tudo desmoronar, tudo porque aos olhos dos outros não somos bonitos. Acham isto aceitável? Acham isto justo? Rebaixar alguém pela sua aparência! Não é, mas infelizmente, cada vez acontece mais. E o pior é que essas atitudes apenas vão destruindo lentamente o coração das vitimas, até ao dia em que tudo acaba, incluindo, a vida delas.

Luna Torrez, uma rapariga com apenas os seus 16 anos e ainda uma longa vida pela frente, ou devia ter. Sua aparência era motivo de fofoca de todos seus colegas, tudo pelos seus quilos a mais. Mas afinal qual era o problema de ter um pouco mais de barriga? Isso não a tornava menos inteligente, menos divertida, menos amorosa, isso não a tornava uma má pessoa.

Para felicidade dela, o toque já tinha suada dando-lhe abertura para ir para casa. Finalmente iria livrar-se de mais um dia de tortura, amanha voltava ao mesmo, mas as próximas horas seriam calmas e livres de tudo, ela só precisa de chegar ao portão de saída sem dar muito nas vistas.

Quando ela pensava que estava safa começou a ouvir murmuros, olhou para os lados conseguindo ver muitas pessoas a olhar para ela enquanto cochichavam.

- De novo não. – Ela engoliu seco acelerando o passo tentando chegar o mais rapidamente possível a saída.

- Luna…. – Começou a ouvir alguém a chama-la, mas ignorou continuando a acelerar o passo, olhava os lados começando a vê-los a rir dela, a ansiedade começou apoderar-se de seu corpo, um nó enorme apoderou-se de sua garganta fazendo-a sentir-se sufocado.

- Tu consegues. – Pensou para si mesmo dando um sorriso ao ver o portão de saída. – Consegu…

Antes dela conseguir acabar seu pensamento sente agua a cair sobre ela encharcando-a e farinha que apenas colou-se a seu corpo fazendo com que ela ficasse toda coberta.

- Sinceramente não sei como prefiro, ao menos assim não tenho que ver a tua cara.

Luna virou-se para trás dando de caras com a rapariga que começou todo aquele pesadelo, que dês que ela entrou naquele escola tem arruinado sua vida e acabado com seu coração deixando-o em pedaços. Fora ela, também estavam lá todos seus colegas a rir-se, outros a filmar, outros agarravam em erva e mandavam para ela. Todos contra ela.

- Mas o que eu fiz? – Questionou em seus pensamentos observando aquilo tudo permanecendo quieta.

Tinha sido a gota de agua, sua esperança que tentava aguentar-se forte dentro de seu coração desapareceu, deixando apenas um buraco escuro cheio de dor e raiva. Ela não aguentava mais aquilo, não conseguia viver mais assim, saber que todos os dias algo parecido iria acontecer, não conseguia, nem queria. Já nada fazia sentido continuar.

Luna virou-se em direcção do portão e correu dali para fora, sem sequer olhar para trás. As vozes permaneciam em sua mente e junto delas as palavras que a tinham destruído por completo. Ela não percebe como aquilo chegou aquele ponto, primeiro começaram com bocas, ela deixou passar, depois com empurrões, ela deixou passar, agora maltratos e humilhações! Há limites e assim como todos ela também tinha os seus.

Seus olhos encontravam-se encharcados, não tinha chorado ao pé dos outros, mas mal abandonou o local as lágrimas começaram a cair automaticamente. Deixou-se cair ao chão levando as mãos a cabeça dando um grito forte e agudo, uma tentativa falhada de tirar toda a dor que seu coração continha.

- Porque? O que eu fiz de mal? – Começou a chorar intensamente. – Porque a mim? – Começou a levantar lentamente a cabeça contemplando o mar que se encontrava a sua frente. – Porque tenho que ser tão odiada? – Relaxou os olhos negando. – Talvez eles tenham razão, eu sou um erro… - Convenceu-se daquilo engolindo seco.

Luna agarrou o seu telemóvel e abriu o local das mensagens de sua mãe deixando as lágrimas voltarem a rolar pelos seus olhos. Começou a escrever uma mensagem a sua mãe, de despedida.

- Amo-te… - Murmurou assim que enviou a mensagem, voltando a pousar o telemóvel ao pé de sua mala.

Seu corpo estava de rastos assim como sua mente, o cansaço era enorme que até para se levantar foi complicado. Contemplou o mar de novo deixando mais lágrimas cair por sua cara, ela não podia acreditar que estava a ter coragem de fazer aquilo, ela que sempre disse que nunca na vida iria fazer, que não iria desistir por causa de ninguém, que iria ser forte… Mas a força não durou muito tempo.

Seu pés começaram a ficar molhados e com o passar do tempo o resto do seu corpo, ela estava decidida, estava na hora de abandonar seu corpo, deixar sua alma ir embora da terra. Estava na hora dela acabar com sua dor.

Luna olhou uma ultima vez para o céu sussurrando um “Cuida da minha mãe, por favor”, e mergulhou deixando-se ficar submersa sentindo seu ar desaparecer aos poucos de seu corpo. Memorias ao lado de sua mãe apoderaram-se de sua mente, quando foram andar de cavalo, ou patinar e Luna conseguiu magoar-se, ou quando sua mãe tentou ensina-la a nadar, ou as noites lindas que passavam a ver filmes… Todos aqueles momentos que a mantiveram com forças para lutar, mas que hoje, tinham perdido o espaço em suas forças.

O seu corpo começou a ficar descansado, estava na hora de ir, mas foi nesse momento que sua ficha caiu, será que era aquilo que ela queria! Será que era a melhor solução? E sua mãe? Ela que sempre se preocupou com o bem estar de sua vida? Ela merecia isso? E Luna? Merecia acabar com sua existência por causa de terceiros? Não.

- MÃE… - Gritou deixando com que o resto do ar que encontrava-se em seu corpo desaparecesse, seus olhos começaram a fechar-se lentamente e algumas lágrimas a escorrerem pelos seus olhos. – É o fim! – Pensou.

Foi então que a imagem de alguém aparece. “Quem é ele”, “Será que estou a sonhar?”, “Mas eu não o conheço?”, as questões começaram apoderar-se de seu mente que rapidamente desligou-se deixando com que suas duvidas permanecesse e desaparecesse assim como seus sentidos.

11 de Noviembre de 2019 a las 16:25 0 Reporte Insertar 0
Continuará… Nuevo capítulo Todos los lunes.

Conoce al autor

Bunny 🎄 O mundo da criatividade é enorme, por isso, é difícil ter apenas uma coisa que amamos fazer. Eu amo escrever, fazer videos, cantar... E vocês? O que amam fazer? Cat Art, o meu escape.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas